unicípios - Jornal da Cidade

Comments

Transcription

unicípios - Jornal da Cidade
JORNAL DA CIDADE
Fechamento
desta edição
17h00
www.jornaldacidade.net
“sem liberdade de criticar, não existe elogio sincero”. beaumarchais
domingo
Aracaju-SE, 6 e 7 de julho de 2014 - Ano XLIII - Nº 12.597
Sergipe R$ 1,50 - Outros Estados R$ 2,00
JB tem 64% dos
prefeitos, mas Amorim
conta com João Alves
Com uma aliança formada por 48 partidos, além de dissidentes do DEM e do PSDB, o bloco que briga pela reeleição
de Jackson Barreto tem o apoio declarado de 48 prefeitos. Já o senador Amorim, candidato a governador pelo PSC,
tem ao seu lado 27 prefeitos. Mas, embora o candidato da oposição esteja em desvantagem quantitativamente,
ele tem o apoio do prefeito da capital de 385 mil eleitores. A3
Jorge Henrique
TB
A viúva de Déda, Eliane Aquino,
presenteou o governador e Belivaldo
Chagas com as gravatas preferidas
de Déda. Foi para dar sorte à
campanha. Na foto, David e Paula
Oliveira comemoram a chegada
do pequeno Bernardo.
idades
Jogos do Brasil ‘mexem’ com o coração do sergipano. Nos dias de
jogos, oito foram parar na urgência de um hospital da capital.
página B2

Sergipe registrou índices
positivos no primeiro
semestre de 2014.........Página 2
municípios
C
Copa gerou mais de 15%
dos empregos criados no
Governo Dilma.......... Página 3

Mercado
Menores de
idade ao volante
ou conduzindo
motonetas
estão na mira
do Ministério
Público do
Estado.
Divulgação
Turismo
Hoje nas
colunas
Eugênio Nascimento
Cirurgia das
mãos requer
especialista
aprovado pela
Sociedade
Brasileira de
Cirurgia da
Mão
O Cacique Chá assistiu
intensas mudanças de perfil
em seu público. Da década
de 50, onde só entrava de
smoking e vestido longo, a
point de intelectuais, nos anos
70, e de travestis e prostitutas,
na década de 80, volta agora
com roupagem de
espaço cultural. A5
Ivan Valença
O Fórum Empresarial
elaborou um documento com
propostas de Governo para os
próximos quatro anos. Entre
elas a redução dos gastos com
custeio para ampliação dos
investimentos e a construção
de uma nova Ceasa. A5
Em Minas Gerais, nessa época do ano, faz frio à noite, mas nada para assustar o turista que tem construções históricas e muita
área verde para visitar, como o Parque das Mangabeiras, em BH, com 2,3 milhões de m² de mata nativa. C4
E leiç õ e s 2 0 1 4
Coligações fechadas, tempo de propaganda eleitoral definido.
previsão do tempo
ISSN 1981-8971
9 771981 897101
Fonte: INPE
CLIMATEMPO
12597
8
muito Alto
Chuva - Muitas nuvens e chuvas periódicas.
Probabilidade de chuva - 90%
Umidade relativa 91 % - Mín. 21º - Máx. 28º
MARÉS
alta:
08h40: 1.02
22h39: 0.97

Edição de hoje 60 páginas
[email protected]
COMERCIAL: 3226.4820 FAX: 3215.5009

REDAÇÃO: 3226.4824 / 3226.4826


FALE COM O JC: 3226.4800
Índice UV
A3
bAIXA:
03h33: 0.59
16h41: 0.62
[email protected]
oPINIÃO a
Jornal da Cidade
eugênio nascimento
Evando Ferreira
Chefe de Reportagem
Diretor Comercial
DILSON RAMOS
arnildo ricardo
CADERNO
Diretor de Redação
Superintendente
Empresa Gráfica Jornal da Cidade Ltda
Av. Antônio Cabral, 1069 - B. Industrial - Aracaju-SE - CEP: 49.065.090
Telefone: (79) 3226.4800 - Fax/Red.: 3215.4687 - Com.: 3215.5009
..........................................................................................................
Representante Nacional
Pereira de Souza LTDA
SP-RJ-DF-MG-RS-SC-PR-GO-BA-PE-CE-PA - Telefone: (21) 2544.3070
Aracaju  domingo 6 e segunda 7.7.2014
Periscópio
[email protected]
Da Editoria Política
A
PMDB
lém de estar preocupado
com a sua reeleição, o
governador Jackson Barreto
(PMDB) mostrou que também
pensa em eleger uma boa bancada na Assembleia Legislativa,
para evitar passar aperreios,
num possível segundo governo.
Só o seu PMDB apresentará pelo
menos cinco candidatos com
muitas chances de sucesso: Garibalde Mendonça; Zezinho Guimarães; Luciano Bispo; Almeida
Lima e Robson Viana.
Disputa
Em seu sexto mandato de vereador por Aracaju, Emmanuel Nascimento
(PT) decidiu encarar, pela primeira vez, a disputa por uma vaga na Assembleia
Legislativa. Ele pretende focar a sua campanha na Grande Aracaju, apresentando
o seu trabalho parlamentar, que inclui bons projetos de lei, além de duas gestões
como presidente da Casa e a atuação como líder de prefeitos Marcelo Déda,
Edvaldo Nogueira e João Augusto Gama – de quem também foi secretário.
Calmaria
As coisas estão mais
calmas no seio do Partido dos Trabalhadores (PT) em Sergipe.
Depois da intensa e
calorosa disputa pelo
comando do partido, Rogério Carvalho
conseguiu unidade de
apoio para a sua candidatura ao Senado.
Para isso, ele garantiu
ao também deputado
federal Márcio Macêdo, que tentará a
reeleição, o apoio de
importantes líderes,
como o prefeito Dilson
de Agripino, de Tobias
Barreto.
Aluguel
A pré-candidata a
deputada federal pelo
PSTU, Vera Lúcia, avalia
que é importante eleger uma parlamentar do
PSTU, diante da mini-reforma aprovada ano
passado no Congresso.
“Ela é um verdadeiro ataque aos partidos de luta
como o PSTU, reduz ainda mais o nosso espaço
nas eleições. Um espaço
que já é pequeno e antidemocrático. Enquanto
isso, os partidos de aluguel seguem servindo
para garantir acordos
sem princípios em troca
de tempo de TV”, diz ela.
O
Suplentes
O empresário
Ricardo Barreto
Franco (PTB) será o
primeiro suplente da
senadora Maria do
Carmo Alves (DEM).
A segunda suplência
fica com o pastor
Virgínio José de
Carvalho Neto (PSC),
que é o atual primeiro
suplente da senadora.
Ricardo é filho
do ex-governador
de Sergipe,
Albano Franco
(PSDB). Virgínio
é o presidente das
Assembleias de Deus
em Sergipe.
Fim de Copa para Neymar
A
Seleção brasileira avança para as semifinais
teriormente, os cinco campeonatos mundiais. Na
da Copa do Mundo, que ora se realiza no
Copa de agora, a seleção brasileira está devendo
Brasil, mas perde o seu maior craque: Neymar
ao torcedor uma apresentação gloriosa, capaz de
entusiasmar o alegre torcedor brasileiro, que comsofreu uma fratura na vértebra, depois de um
parece aos estádios, todo vestido de amarelo e com
“encontrão” que o jogador Zuñiga deu nele.
os rostos pintados nas cores da bandeira nacional.
Como o Brasil joga na terça-feira contra a AleAo final da partida com a Colômbia, o treinador
manha, em Belo Horizonte, não há tempo para a
do Brasil, o técnico Felipão, reclamou, não sem
recuperação dele e sua participação não só neste
razão, da arbitragem. O juiz da partida, Carlos Vejogo como, se for o caso, nos demais jogos marcalasco Carballo, da Espanha, não puniu sequer com
dos pela Copa do Mundo.
o cartão amarelo, o carrasco de Neymar, Zuñiga,
Não é a primeira vez que o Brasil perde o seu
que o atingiu com uma joelhada pelas costas.
grande atleta em campo motivado por lesões proNeymar foi ao chão já contorcendo-se de dor
vocadas pelo ataque dos adversários. Em 1962,
e depois chorando pelas fortes
Pelé teve que abandonar as quadores que começou a sentir. Retro linhas, cedendo lugar a Amatirado de campo, substituído por
rildo, que se revelou, naquele
 Neymar sofre
Henrique, Neymar foi levado a
período, outro grande jogador.
um hospital de Fortaleza, onde se
A ausência do mestre do futebol
com a joelhada de
constatou a fratura na vértebra.
não inibiu o Brasil de conquistar
um jogador da
Não chega a ser uma lesão
o bicampeonato.
preocupante,
mas o jogador não
Com um time sobejamente
Colômbia e fica
tem condições de voltar a campo
mais fraco do que os demais que
até o final desta Copa. Felipão
já participaram de campanhas de
fora do Mundial
reclamou da “verdadeira caçada”
Copa do Mundo, a ausência de
que os times adversários fazem
Neymar irá influenciar no rendiem campo contra os craques bramento da equipe? Possivelmente
sileiros, Neymar o primeiro deles.
sim, porque o craque, ora jogando no futebol es Neste aspecto, nada a fazer. É natural que os nospanhol, exercia um notável papel na equipe que
sos oponentes teimem em anular os melhores jogaenfrenta a maratona do Mundial.
dores brasileiros com jogadas desleais, que, mais das
Aos 22 anos de idade, Neymar já é o melhor
vezes, passam despercebidas pelos juízes. E, como
talento de sua geração. O narrador da Rede Glona maioria das vezes, as arbitragens deixam muito a
bo, Galvão Bueno – com vasta experiência na
desejar, o selecionado brasileiro vai fazendo de cada
transmissão de Copas do Mundo – não se cansa de
partida um calvário, até chegar às finais.
chamá-lo de gênio, o que é corroborado por muitos
Agora é cruzar os dedos e torcer para que
outros narradores.
Felipão encontre a melhor maneira de superar o
É fato, porém, que a seleção brasileira não
problema Neymar e levar o Brasil à final.
tem o carisma das seleções que levantaram, an-
Chapinha 1
prefeito de Canindé do São
Francisco, Heleno Silva
(PRB), aposta que a chapinha
da qual o seu partido faz parte
consegue eleger, pelo menos, três
deputados estaduais. No bloco está
o líder político, conhecido como
“Jairo de Glória”, apontado como
forte liderança na região e considerado com grande condição de
sair eleito. O PRB, nas palavras
de Heleno, “vai pra cima”.
Chapinha 2
Os 16 partidos que compõem a coligação encabeçada pelo senador
Eduardo Amorim (PSC) apresentaram 72 candidatos à Assembleia
Legislativa. Uma coligação é composta pelo PSDB, DEM, PSC, PR, SD, PP,
PTB, PT do B e PSL. A segunda coligação sai com PPS, PEN, PMN, PV e
PHS. A expectativa é que esse bloco some algo em torno de 500 mil votos.
Registros
Encerrou às 19h de
ontem, o prazo para os
partidos e coligações apresentarem
ao Tribunal Regional Eleitoral
(TRE), o pedido de registro de
candidatos a governador, vice,
senador, deputado federal e
deputado estadual.
Propaganda
A partir deste domingo, os candidatos podem dar início à propaganda eleitoral, prevista na Lei nº
9.504/1997 (art. 36, caput). A data
está no Calendário Eleitoral e permite
a propaganda após o prazo para que
os partidos solicitem o registro dos
seus candidatos à Justiça Eleitoral.
carlos chagas
Encontro
Nos últimos dias, o candidato a vice-governador Augusto Franco Neto
(PSDB) participou de algumas reuniões com o candidato ao Governo,
Eduardo Amorim (PSC). O objetivo dos encontros foi fazer com que Franco
Neto conheça o Plano de Governo e as prioridades que serão apresentadas
à população. “As pessoas precisam receber serviços públicos de qualidade,
principalmente, na área da saúde”, disse.
Tempo de TV
O candidato Eduardo Amorim (PSC) promete manter o alto nível na TV e
no rádio na propaganda eleitoral a partir de agosto. “Vamos utilizar nosso
tempo na propaganda dando qualidade às propostas e ideias que serão
apresentadas ao povo sergipano. Iremos primar e otimizar todo esse tempo
com o objetivo de levar da melhor forma à população o que podemos fazer
por Sergipe”, afirmou ele em conversa com a coluna.
Chapinha da oposição 1
O pré-candidato a deputado estadual e
presidente do PV em Sergipe, Reynaldo Nunes, avaliou como positiva a formação da
chapinha proporcional no agrupamento da
oposição. Com o nome “Renovar para Mudar”,
a coligação conta com os partidos PV, PMN,
PHS, PEN e PPS e deve eleger dois deputados
estaduais ou talvez três.
Chapinha da oposição 2
“A formação da chapinha foi excelente para
o PV, sempre defendemos esta participação e,
mesmo com alguns políticos sendo contra, conseguimos”, afirmou Reynaldo Nunes. Esta composição conta com alguns nomes de expressão
para eleição para deputado estadual. Entre eles,
o do próprio Reynaldo Nunes e o de Job Carvalho (PPS), vice-prefeito de Socorro.
“Contaminou”
O prefeito Juca de
Bala (PMDB), de Laranjeiras, não poupou
elogios ao governador Jackson Barreto
(PMDB) e aos secretários da Casa Civil, Zezinho Sobral, e do Desenvolvimento Urbano,
Carlos Melo, durante
lançamento de obras na
cidade na última semana. “Jackson contaminou
sua equipe com sua vontade de realizar. E não
poderia deixar de agradecer aos secretários
Carlos Sobral e Zezinho
Sobral, que são excelentes quadros da equipe do
governo”, disse.
Editora Roteiro Ltda
Depois, a explosão
Começam hoje, formalmente,
as campanhas eleitorais, quando os candidatos a presidente
da República e a governador
deveriam ter apresentado seus
programas, ou seja, o que pretendem na hipótese de ser eleitos. Não apresentaram senão
arremedos de falsos propósitos.
Fazer o quê?
Fora a enganação de que
prometem desenvolver o país,
impedir a corrupção, extirpar a
miséria e a pobreza e reduzir a
alta taxa de impostos pagos pela
classe média, nenhum deles disse
como alcançar tais objetivos.
Nem eles nem ela, por sinal.
Falta um roteiro de ação, para
os candidatos. Um elenco de
propostas claras, objetivas, sobre
como proporcionar à população avanços sociais, políticos e
econômicos que ela reclama. Ao
trabalhador, de que forma multiplicar esse ridículo salário mínimo que o humilha e envergonha,
transformando-o num objeto de
assistencialismo e de esmolas
atiradas da mesa do banquete
dos poderosos. Ao empresário,
como deixar de importuná-lo
com exigências burocráticas
cada vez maiores, impedindo
sua liberdade de atuar conforme
as tendências da economia? Ao
estudante, fornecendo condições
para aprimorar o saber a que ele
tem direito em meio ao vertiginoso desenvolvimento da ciência.
Ao camponês, meios para participar da produção cada vez mais
concentrada nos beneficiários
dos frutos da terra. Ao operário,
a devolução de seus direitos
surripiados ao longo das últimas
décadas. E quanta coisa a mais,
destinada a alargar o horizonte
de uma sociedade dominada
pelas elites e hoje em perigoso
ponto de ebulição.
Numa palavra, os pretendentes a gerir a nação deveriam,
primeiro, conhecê-la. Inteirar-se
de seus pontos de asfixia para
poder equacionar soluções. Por
enquanto, nada. Apenas exortações genéricas que nem ilusões
despertam no eleitorado. Quanto
mais esperanças.
Dilma Rousseff dá a impressão
de nada ter a oferecer porque, se
reconhecesse as necessidades da
oferta, estaria assinando atestado
de incompetência por sua performance nos últimos quatro anos.
Aécio Neves imagina a saída no
retorno ao modelo neoliberal
naufragado nos tempos do tucanato. Eduardo Campos perde-se
na contradição de representar
a antítese do programa do avô.
Quanto aos demais, em busca
de fugazes minutos de glória na
televisão, nem merecem citações.
A verdade é que teremos eleição sem candidatos aptos a disputá-la. Mera encenação de um
Brasil Formal em decomposição,
preparado para aumentar ainda
mais o fosso com o Brasil Real,
abandonado e prestes a pedir
para sair. Esta pode ser a última
oportunidade de resolvermos
nossos conflitos através de mecanismos institucionais ortodoxos.
Depois, será a explosão.
Denúncias contra a
Petrobras prejudicam
Vladimir, da Ecoglobal
Política
Jornal da Cidade
André Arruda/Época
doleiro/máfia
Política/Nacional A4
Aracaju
 domingo
Editoria de política
6 e segunda-feira 7.7.2014
[email protected]
Fotos Divulgação
Calendário eleitoral - Eleições 2014
TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL - RESOLUÇÃO N° 23.390
JULHO DE 2014
1° de julho - terça-feira
Data a partir da qual não será veiculada a propaganda partidária gratuita prevista na Lei nº 9.096/95, nem será
1.
permitido nenhum tipo de propaganda política paga no rádio e na televisão (Lei nº 9.504/97, art. 36, § 2º).
2.
Data a partir da qual é vedado às emissoras de rádio e de televisão, em programação normal e em noticiário (Lei
nº 9.504/97, art. 45, I, III, IV, V e VI):
Transmitir, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, imagens de realização de pesquisa ou de qualquer
1.
outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou em que haja manipulação de dados;
2.
Veicular propaganda política
3.
Dar tratamento privilegiado a candidato, partido político ou coligação;
Veicular ou divulgar filmes, novelas, minisséries ou qualquer outro programa com alusão ou crítica a candidato
4.
ou partido político, mesmo que dissimuladamente, exceto programas jornalísticos ou debates políticos;
5.
Divulgar nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção, ainda quando preexistente,
inclusive se coincidente com o nome de candidato ou com a variação nominal por ele adotada.
DEM, PSDB e PDT vão divididos para a eleição, com prefeitos apoiando candidatos da outra coligação
Jackson Barreto tem
o apoio de 48 prefeitos
Amorim tem 27, mas conta com João Alves Filho
Valter Lima
O
Da equipe JC
ficializadas as chapas dos
pré-candidatos a governador em Sergipe, o posicionamento dos partidos no tabuleiro eleitoral sergipano ficou mais
claro. O governador Jackson
Barreto (PMDB), que disputa a
reeleição, firmou-se com o apoio
da maioria dos prefeitos do Estado. Com uma aliança que abarca
o PMDB, o PT, o PRB, o PSD, o
PCdoB, o PDT e o PSB, além de
dissidentes do DEM e do PSDB,
o bloco governista contará com
48 prefeitos.
Já o senador Eduardo Amorim, que pretende disputar o
governo pelo PSC, com o apoio
do DEM, além do PTC, PR,
PTdoB, PSL, PSDB e PPS, terá
ao seu lado 27 prefeitos. Embora numericamente esteja em
desvantagem, o pré-candidato
da oposição tem um trunfo ao
seu lado, que é o prefeito da capital, João Alves Filho (DEM),
que além do seu histórico de
já ter sido governador por três
vezes comanda atualmente a
maior cidade do Estado, com
385 mil eleitores.
Entretanto, do mesmo DEM
há o prefeito de Estância, Carlos
Magno, que já anunciou seu
apoio a Jackson Barreto (a cidade possui 42,5 mil eleitores).
Da mesma forma, do PSDB, que
formalmente está com Amorim,
dos quatro prefeitos da legenda,
três apoiarão JB – LilaFraga,
prefeito de Lagarto (município
com 65,4 mil eleitores), Gracinha, de Itaporanga (23 mil eleitores) e Robson da Laranja, de
Itabaininha (26 mil eleitores).
Outro partido que também
vai dividido para o pleito é o
PDT. Formalmente, a sigla está
com JB, mas dos cinco prefeitos
do partido três apoiam Amorim. A vantagem do candidato
governista é ter a adesão do
prefeito da maior cidade, Nossa Senhora do Socorro, que
possui 93 mil eleitores. Fábio
Henrique, que administra o
município, é um dos mais entusiasmados com a candidatura
à reeleição do governador.
Além dele, a prefeita de São
Miguel do Aleixo, Selma de
Mauro, também é aliada de
JB. Já os prefeitos Fernando
Franco (Muribeca), Fernan-
do Lima (Nossa Senhora das
Dores) e Zé de Francisquinho
(Umbaúba) declararam apoio
a Amorim.
Força dos partidos
PMDB e o PSC, siglas dos
O
dois pré-candidatos a governador, possuem cada um
nove prefeitos. Somados, os
grupos de municípios governados por cada um dos partidos
possui eleitorado semelhante
– pouco mais de 100 mil. Do
bloco do PSC, Simão Dias é o
maior município, com 30 mil
eleitores. Já entre as cidades
governadas pelo PMDB, Laranjeiras tem o maior quantitativo
de eleitores (19 mil).
O PSD, entre todos os partidos, é o que possui o maior
número de prefeitos – 12 no total.
O PSB, partido comandado pelo
senador Valadares, possui dez
prefeitos. O PT possui sete prefeitos. Os três partidos são da chapa
governista. Do lado da oposição,
o PR comanda cinco municípios
(entre eles Itabaiana, com 60 mil
eleitores, que é a cidadenatal do
candidato do PSC). O DEM também possui cinco prefeitos.
CandidatoPartidos / Nº de prefeitos
Jackson Barreto ....................... PMDB (9), PSD (12), PSB (10), PT (7), PCdoB (1),
PDT (2), PRB (2), PPL (1), além dos três prefeitos dissidentes do PSDB e um do DEM ............. 48 prefeitos
Eduardo Amorim ...................... PSC (9), PR (5), DEM (5), PTdoB (1), PSL (1), PSDB (1),
PPS (1), PTC (1), além dos três prefeitos dissidentes do PDT .................................................... 27 prefeitos
JULHO - DOMINGO, 6.7.2014
1.
Data a partir da qual será permitida a propaganda eleitoral (Lei nº 9.504/97, art. 36, caput).
2.
Data a partir da qual os candidatos, os partidos ou as coligações podem fazer funcionar, das 8 às 22 horas, alto-falantes ou amplificadores de som, nas suas sedes ou em veículos (Lei nº 9.504/97, art. 39, § 3º).
3.
Data a partir da qual os candidatos, os partidos políticos e as coligações poderão realizar comícios e utilizar
aparelhagem de sonorização fixa, das 8 às 24 horas (Lei nº 9.504/97, art. 39, § 4º).
4.
Data a partir da qual será permitida a propaganda eleitoral na internet, vedada a veiculação de qualquer tipo de
propaganda paga (Lei nº 9.504/97, art. 57-A e art. 57-C, caput).
5.
Data a partir da qual, independentemente do critério de prioridade, os serviços telefônicos oficiais ou concedidos
farão instalar, nas sedes dos diretórios devidamente registrados, telefones necessários, mediante requerimento do respectivo presidente e pagamento das taxas devidas (Código Eleitoral, art. 256, § 1º).
JULHO - SEGUNDA-FEIRA, 7.7.2014
(90 dias antes)
Último dia para os representantes dos partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Pú1.
blico, interessados em assinar digitalmente os programas a serem utilizados nas eleições de 2014, entregarem à Secretaria
de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral programa próprio, para análise e posterior homologação.
Último dia para a Justiça Eleitoral realizar audiência com os interessados em firmar parceria para a divulgação
2.
dos resultados.
Último dia para o Tribunal Regional Eleitoral apresentar o esquema de distribuição e padrões tecnológicos e
3.
de segurança a serem adotados na disponibilização dos dados oficiais que serão fornecidos às entidades interessadas na
divulgação dos resultados.
Último dia para o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida que tenha solicitado transferência para
4.
Seção Eleitoral Especial comunicar ao Juiz Eleitoral, por escrito, suas restrições e necessidades, a fim de que a Justiça Eleitoral, se possível, providencie os meios e recursos destinados a facilitar-lhe o exercício do voto (Resolução nº
21.008/2002, art. 3°).
5.
Último dia para a Justiça Eleitoral encaminhar à Receita Federal os dados dos candidatos cujos pedidos de registro tenham sido requeridos até o dia 5 de julho para efeito de emissão do número de inscrição no CNPJ (Lei nº 9.504/97,
art. 22-A, § 1º).
JULHO - TERÇA-FEIRA, 8.7.2014
1.
Data a partir da qual os Tribunais Eleitorais devem convocar os partidos políticos e a representação das emissoras de televisão e de rádio para a elaboração de plano de mídia para uso da parcela do horário eleitoral gratuito a que
tenham direito (Lei n° 9.504/97, art. 52).
11 min x 9 min
JB também terá mais tempo na TV
Valter Lima
Da equipe JC
Com uma coligação formada
por 11 partidos, o governador
Jackson Barreto (PMDB) deverá
ter o maior tempo de rádio e TV
na propaganda eleitoral. Seu
principal adversário, o senador
Eduardo Amorim (PSC), mesmo com uma base mais ampla
de legenda (16 partidos), terá
um tempo um pouco menor. Os
outros pré-candidatos a governador – Sônia Meire (PSOL) e
Betinho (PTN) – terão pouco
mais do tempo mínimo dispensado a cada candidato.
Tendo em seu entorno os
maiores partidos brasileiros,
como o PT, o PMDB, o PSD e
o PSB, Jackson Barreto terá
11 minutos e 35 segundos em
cada bloco de 25 minutos na
propaganda eleitoral destinada
aos candidatos a governador.
Já Eduardo Amorim terá nove
minutos e oito segundos. Sônia
Meire terá 2 minutos e 11 segundos. Já Betinho terá o tempo mínimo de 2 minutos e 5 segundos.
O Tribunal Regional Eleitoral divulgará o tempo exato de
cada pré-candidato somente
em agosto. Os números dessa
reportagem são resultado de
uma estimativa do JORNAL DA
CIDADE com base no tamanho
das bancadas e nos critérios
previstos na Lei das Eleições.
Entre os partidos governistas, o PT, que possui a maior
bancada, detém 2 minutos e 51
segundos. Já o PMDB, partido
do governador, tem 2 minutos
e 28 segundos. O PSD possui 1
JULHO - SÁBADO, 5.7.2014
Último dia para os partidos políticos e coligações apresentarem no Tribunal Superior Eleitoral, até as dezenove
1.
horas, o requerimento de registro de candidatos a presidente e vice-presidente da República (Lei n° 9.504/97, art. 11, caput).
2.
Último dia para os partidos políticos e coligações apresentarem nos Tribunais Regionais Eleitorais, até as dezenove horas, o requerimento de registro de candidatos a governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes,
deputado federal, deputado estadual ou distrital (Lei n° 9.504/97, art. 11, caput).
3.
Data a partir da qual permanecerão abertas aos sábados, domingos e feriados as secretarias dos Tribunais
Eleitorais, em regime de plantão (Lei Complementar nº 64/90, art. 16).
4.
Último dia para os Tribunais e Conselhos de Contas tornarem disponível à Justiça Eleitoral relação daqueles
que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por
decisão irrecorrível do órgão competente, ressalvados os casos em que a questão estiver sendo submetida à apreciação
do Poder Judiciário, ou que haja sentença judicial favorável ao interessado (Lei nº 9.504/97, art. 11, § 5°).
5.
Data a partir da qual as intimações das decisões serão publicadas em sessão, secretaria ou cartório, certificando-se no edital e nos autos o horário, salvo nas representações previstas nos arts. 23, 30-A, 41-A, 73, 74, 75, 77 e nos §§
2º e 3º do art. 81 da Lei 9.504/97, cujas decisões continuarão a ser publicadas no Diário de Justiça Eletrônico (DJe).
Data a partir da qual são vedadas aos agentes públicos as seguintes condutas (Lei nº 9.504/97, art. 73, V e VI,
6.
a):
1.
Nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por
outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, ex officio, remover, transferir ou exonerar servidor público,
na circunscrição do pleito, até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados os casos de:
1.
Nomeação ou exoneração de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança;
2.
Nomeação para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos
órgãos da Presidência da República;
3.
Nomeação dos aprovados em concursos públicos homologados até 5 de julho de 2014;
4.
Nomeação ou contratação necessária à instalação ou ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais, com prévia e expressa autorização do chefe do Poder Executivo;
5.
Transferência ou remoção ex officio de militares, de policiais civis e de agentes penitenciários;
2.
Realizar transferência voluntária de recursos da União aos Estados e Municípios, e dos Estados aos Municípios, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente
para execução de obra ou de serviço em andamento e com cronograma prefixado, e os destinados a atender situações de
emergência e de calamidade pública.
7.
Data a partir da qual é vedado aos agentes públicos das esferas administrativas cujos cargos estejam em disputa
na eleição (Lei nº 9.504/97, art. 73, VI, b e c, e § 3º):
1.
Com exceção da propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado, autorizar publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos federais e estaduais, ou das
respectivas entidades da administração indireta, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública, assim reconhecida
pela Justiça Eleitoral;
2.
Fazer pronunciamento em cadeia de rádio e de televisão, fora do horário eleitoral gratuito, salvo quando, a
critério da Justiça Eleitoral, tratar-se de matéria urgente, relevante e característica das funções de governo.
8.
Data a partir da qual é vedada, na realização de inaugurações, a contratação de shows artísticos pagos com
recursos públicos (Lei nº 9.504/97, art. 75).
9.
Data a partir da qual é vedado a qualquer candidato comparecer a inaugurações de obras públicas (Lei nº
9.504/97, art. 77).
10. Data a partir da qual órgãos e entidades da Administração Pública direta e indireta deverão, quando solicitados,
em casos específicos e de forma motivada pelos Tribunais Eleitorais, ceder funcionários pelo período de até 3 meses depois
da eleição (Lei nº 9.504/97, art. 94-A, II).
JULHO - QUARTA-FEIRA, 9.7.2014
Último dia para a Justiça Eleitoral fornecer aos candidatos, cujos pedidos de registro tenham sido requeridos
1.
pelos partidos políticos ou coligação, o número de inscrição no CNPJ (Lei nº 9.504/97, art. 22-A, § 1º).
JULHO - QUINTA-FEIRA, 10.7.2014
1.
Último dia para a Justiça Eleitoral publicar lista/edital dos pedidos de registro de candidatos apresentados pelos
partidos políticos ou coligação até o dia 5 de julho (Código Eleitoral, art. 97).
2.
Data a partir da qual o nome de todos aqueles que tenham solicitado registro de candidatura deverá constar das
pesquisas realizadas mediante apresentação da relação de candidatos ao entrevistado.
JULHO - SÁBADO, 12.7.2014
1.
Último dia para os candidatos, escolhidos em convenção, requererem seus registros perante o Tribunal Superior
Eleitoral e Tribunais Regionais Eleitorais, até as 19 horas, caso os partidos políticos ou as coligações não os tenham requerido (Lei nº 9.504/97, art. 11, § 4º).
JULHO - SEGUNDA-FEIRA, 14.7.2014
Último dia para a Justiça Eleitoral publicar lista/edital dos pedidos de registro individual de candidatos, escolhidos
1.
em convenção, cujos partidos políticos ou coligações não os tenham requerido (Código Eleitoral, art. 97 e Lei nº 9.504/97,
art. 11, § 4º).
Último dia para a Justiça Eleitoral encaminhar à Receita Federal os dados dos candidatos cujos pedidos de
2.
registro tenham sido apresentados pelos próprios candidatos, quando não requeridos pelos partidos políticos ou coligação,
para efeito de emissão do número de inscrição no CNPJ (Lei nº 9.504/97, art. 22-A, § 1º c.c. art. 11, § 4º).
3.
Último dia para os partidos políticos constituírem os comitês financeiros, observado o prazo de 10 dias úteis após
a escolha de seus candidatos em convenção (Lei nº 9.504/97, art. 19, caput).
Sõnia Meire (Psol) terá o tempo mínimo: 2 min e 11 segundos
minuto e 22 segundos, enquanto o PSB possui 51 segundos.
Na base da oposição, o PSC,
partido de Eduardo Amorim,
tem um tempo bem curto – 25
segundos. Já o PSDB possui 1
minuto e 28 segundos. O DEM
detém 47 segundos. Dos 32
partidos existentes no país, 21
possuem bancada na Câmara
e por isso tempo de rádio e TV.
As outras 11 legendas não possuem tempo individual, como o
PSTU, PRTB, PSDC e PCB.
A propaganda na TV e no
rádio começa no dia 19 de
agosto e será dividida em dois
blocos diários de 25 minutos
cada, um à tarde e outro à
noite. Um terço desse tempo é
dividido igualmente entre todos os candidatos. O restante é
dividido de acordo com as bancadas, na Câmara dos Deputados, dos partidos que compõem
cada uma das coligações.
Já o tempo dos candidatos
proporcionais irá variar de
acordo com a quantidade de
coligações que forem registradas. Como tanto no bloco
governista quanto na oposição
haverá mais de uma chapa para
deputado estadual, o tempo de
cada partido e candidato irá variar. A duração do programa dos
candidatos a deputado federal a
senador também só será conhecido após a divulgação dos registros pelo TRE nesta semana.
No âmbito federal, a presidente Dilma Rousseff (PT)
terá próximo de 12 minutos,
enquanto o senador Aécio Neves (PSDB) terá seis minutos
e o ex-governador Eduardo
Campos (PSB) terá dois minutos. Os outros oito candidatos
à presidência só contam com o
apoio dos próprios partidos aos
quais são filiados. Eles terão,
conforme os dados estimados,
entre 30 segundos e um minuto
de propaganda eleitoral na TV.
JULHO - TERÇA-FEIRA, 15.7.2014
Data a partir da qual o eleitor que estiver ausente do seu domicílio eleitoral, em primeiro e/ou segundo turnos das
1.
eleições 2014, poderá requerer sua habilitação para votar em trânsito para Presidente e Vice-Presidente da República, com
a indicação da capital do Estado onde estará presente, de passagem ou em deslocamento (Código Eleitoral, art. 233-A).
JULHO - QUARTA-FEIRA, 16.7.2014
Último dia para a Justiça Eleitoral fornecer o número de inscrição no CNPJ aos candidatos que, escolhidos em
1.
convenção, tiveram que apresentar seus próprios pedidos de registro de candidatura (Lei nº 9.504/97, art. 11, § 4° c.c o art.
22-A, § 1º).
JULHO - SÁBADO, 19.7.2014
Último dia para os partidos políticos registrarem os comitês financeiros, perante o Tribunal Superior Eleitoral
1.
e Tribunais Regionais Eleitorais encarregados do registro dos candidatos, observado o prazo de 5 dias após a respectiva
constituição (Lei n° 9.504/97, art. 19, § 3º).
JULHO - DOMINGO, 27.7.2014
(70 dias antes)
Último dia para que os títulos dos eleitores que requereram inscrição ou transferência estejam prontos para
1.
entrega (Código Eleitoral, art. 114, caput).
Último dia para a publicação, no órgão oficial do Estado, dos nomes das pessoas indicadas para compor as
2.
Juntas Eleitorais para o primeiro e eventual segundo turnos de votação (Código Eleitoral, art. 36, § 2º).
JULHO - SEGUNDA-FEIRA, 28.7.2014
Data a partir da qual os partidos políticos, os comitês financeiros e os candidatos poderão enviar à Justiça
1.
Eleitoral o primeiro relatório discriminado dos recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que tenham recebido para
financiamento da campanha eleitoral e dos gastos que realizarem, para cumprimento do disposto no art. 28, § 4°, da Lei nº
9.504/97.
JULHO - QUARTA-FEIRA, 30.7.2014
(67 dias antes)
Último dia para os partidos políticos impugnarem, em petição fundamentada, os nomes das pessoas indica1.
das para compor as Juntas Eleitorais, observado o prazo de 3 dias, contados da publicação do edital (Código Eleitoral,
art. 36, § 2º).
JULHO - QUINTA-FEIRA, 31.7.2014
1.
Data a partir da qual, até o dia do pleito, o Tribunal Superior Eleitoral poderá requisitar das emissoras de rádio
e de televisão até 10 minutos diários, contínuos ou não, que poderão ser somados e usados em dias espaçados, para a
divulgação de seus comunicados, boletins e instruções ao eleitorado, podendo, ainda, ceder, a seu juízo exclusivo, parte
desse tempo para utilização por Tribunal Regional Eleitoral (Lei nº 9.504/97, art. 93).
A-4
Política/Nacional
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
DORA kRAMER
da Agência Estado
Doação compulsória
S
ão Paulo (AE) - Com o fim do prazo legal para que
governantes aproveitem os últimos momentos para posar
ao lado de suas benfeitorias, na semana passada o País assistiu
a um festival de inaugurações, lançamentos de pedras (nem
sempre) fundamentais e solenidades do gênero patrocinadas
por candidatos à reeleição.
Ou melhor, sob o patrocínio compulsório do público
pagante de impostos, uma vez que esses "eventos"
governamentais são feitos na medida exata da necessidade do
horário eleitoral de cada um deles. Fazem parte da chamada
produção de conteúdo dos programas que irão ao ar a partir
de agosto.
Produção esta a ser paga pelos partidos com o dinheiro de
doações de empresas, de pessoas físicas, do fundo partidário
e da maneira como as agremiações acharem melhor, mas é
responsabilidade delas.
O horário dito gratuito, como se sabe, já é devidamente
financiado pelo público mediante a renúncia fiscal a que têm
direito as empresas de comunicação pela cessão do espaço.
Ocorre que, se parte do conteúdo é decorrente de atos de
governo custeados pela máquina pública, os programas dos
candidatos à reeleição também acabam sendo em parte pagos
pelo contribuinte. Isso sem que ele seja informado nem que
perceba sua condição de doador compulsório.
Tal deformação do conceito de igualdade de condições
entre os candidatos a uma eleição, o abuso de poder e o uso
indevido dos instrumentos de Estado ficaram muito nítidos na
maratona de inaugurações da semana passada.
O mutirão da semana passada incluiu governadores, com
destaque para Geraldo Alckmin, de São Paulo, que inaugurou
obra incompleta do Rodoanel, e Luiz Fernando Pezão, do Rio,
cuja agenda incluiu a entrega de um hospital com apenas 20%
da capacidade de funcionamento.
Nenhum deles, contudo, superou em mobilização de
recursos e esmero de espetáculo a presidente Dilma Rousseff.
Ela teve uma semana intensa no quesito benfeitorias de última
hora, mas o clímax deu-se na quinta-feira.
Uma superprodução sob a batuta do marqueteiro João
Santana, com o anúncio da entrega de 5.460 unidades
do programa Minha Casa Minha Vida e a promessa de
contratação de outras 2,75 milhões até o final deste ano para
serem construídas a partir do início de 2015.
Promessa esta vã, a julgar pelo que apurou o jornal O
Globo junto ao Ministério das Cidades. Não há previsão para
publicação da portaria para o detalhamento do programa para
que as construtoras possam comprar terrenos, desenvolver
e aprovar projetos. Segundo representantes do setor da
construção civil, um projeto leva no mínimo seis meses para
ficar pronto, o que já torna inviável o prazo dado por Dilma.
Alheia a esses detalhes da realidade, na quinta-feira,
de Brasília, a presidente comandava no papel de âncora a
entrega de casas em 11 cidades de sete Estados e mais o
Distrito Federal, onde estavam dez ministros estrategicamente
colocados em bases eleitorais de seus respectivos interesses.
O anúncio poderia ter sido feito no Palácio do Planalto.
Não teria sido necessário que a Caixa Econômica Federal
gastasse R$ 1 milhão com a montagem de palanques em 11
cidades, nem que a Empresa Brasil de Comunicações gastasse
outro R$ 1 milhão com a transmissão da teleconferência.
Essa exorbitância em período tão especial autoriza a
suposição de que por trás dele exista o propósito do uso e
abuso de prerrogativas governamentais para outros fins. A
menos que João Santana pretenda desperdiçar as imagens, o
megaespetáculo não foi produzido só para gerar manchete do
dia seguinte, o que teria um efeito passageiro.
O aproveitamento do material no programa da candidata à
reeleição atende ao objetivo de exaltar os feitos do governo.
O PT estima seus gastos com a campanha eleitoral em até
R$ 290 milhões. Falta computar os recursos públicos com os
quais o partido poderá contar, e já está contando, por meio de
expedientes como esse.
Jornal da Cidade
Máfia do doleiro Youssef
leva empresário à falência
Dono da Ecoglobal é prejudicado pelas denúncias contra a Petrobras
Diego Escosteguy
DA REVISTA ÉPOCA
À
s 6 e meia da manhã
do dia 11 de abril, o
engenheiro carioca Vladimir Magalhães acordou com
a Polícia Federal à sua porta,
num apartamento de classe
média em Copacabana, no
Rio de Janeiro. Vladimir é um
senhor de 67 anos. Mora com
a mulher e a filha. Os policiais
cumpriam mandados da Operação Lava Jato. Estavam atrás
de documentos que ligassem
a empresa de Vladimir, a Ecoglobal, ao esquema liderado
pelo ex-diretor da Petrobras
Paulo Roberto Costa e pelo doleiro Alberto Youssef. Tinham
ordens de levar Vladimir para
depor. Também foram à sede
da Ecoglobal no Rio e à filial da
empresa em Macaé, onde a Petrobras concentra boa parte de
suas operações de exploração
de petróleo. Acabaram indo
até a Petrobras, como logo se
soube, para espanto do país.
“Podem vasculhar à vontade”,
disse Vladimir, tentando acalmar a família. Estava irritado,
mas compreendia por que os
policiais estavam lá.
Semanas antes, a PF descobrira um documento suspeito
num dos endereços do doleiro
Youssef. Era uma proposta
de sociedade, assinada em
setembro do ano passado,
entre a Ecoglobal de Vladimir
e empresas de laranjas de
Youssef e Paulo Roberto. Pelo
documento, Youssef e Paulo
Roberto poderiam se tornar
sócios da Ecoglobal, que vencera meses antes uma licitação
para prestar serviços altamente
especializados à Petrobras. Era
um contrato de R$ 443 milhões
por quatro anos. Ao lado da
proposta, a PF encontrou balanços da Ecoglobal, além de
outros documentos internos.
Os investigadores haviam, ain-
da, interceptado e-mails sobre
as negociações dessa proposta,
trocados entre pessoas próximas a Vladimir e, posteriormente, reenviados a Youssef.
Sociedade oculta
Somados, os documentos
sugeriam uma sociedade oculta
entre a turma de Paulo Roberto
e a empresa de Vladimir.
Havia, portanto, razões consistentes para as buscas. Vladimir foi à PF e disse que não
conhecia Youssef e Paulo Roberto. Admitiu que conhecia dois
personagens capitais no enredo
da Operação Lava Jato: Pedro
Storti e Marcos Lauria, amigos
de Paulo Roberto com influência na Petrobras. A dupla tinha
negócios na estatal e se aproximara de Vladimir quando a Ecoglobal conquistara o contrato de
R$ 443 milhões. Vladimir teria
pouco mais de um ano para
levantar o dinheiro necessário
para subcontratar fornecedores
e importar peças. No jargão dos
grandes contratos da Petrobras,
é o “período de mobilização”.
À PF, Vladimir disse que Storti
e Lauria queriam virar sócios
na Ecoglobal e ajudar na capitalização da empresa. Disse
ainda que, quando descobriu
que Youssef estava por trás da
proposta de setembro de 2013,
desistiu do negócio.
Naqueles dias de abril, em
que se descobriam evidências
fortes de envolvimento de dezenas de empreiteiras e multinacionais no esquema de Paulo
Roberto, o comportamento de
Vladimir destoou. Ele não se
escondeu. Não contratou advogados. Foi ao Jornal Nacional
dizer que era honesto e nada
fizera de errado. Nenhuma
outra empresa ou executivo
fizera algo semelhante. O comportamento da Petrobras com
Vladimir também destoou. Há
semanas, ela cancelou o contrato de R$ 443 milhões com
a Ecoglobal, sem dar maiores
Ilimar Franco
panorama político (com Simone Iglesias) - agência o globo
Mulheres ficam
de molho
A
ministra Eleonora Menicucci (Mulheres) não concedeu
audiência para Rose do Rio, presidente da Liga de Futebol
Feminino. O ministro Manoel Dias (Trabalho) ainda está
pensando. Ela quer entregar ao governo um abaixo-assinado que,
em 30 dias, recolheu 20 mil assinaturas pela internet. E pede que
a presidente Dilma envie projeto ao Congresso profissionalizando
o futebol feminino. Hoje, cinco mil mulheres disputam
campeonatos.
explicações. Seria um exemplo
de rigor diante das suspeitas
da PF. Seria, não fosse um fato:
a Petrobras cancelou apenas
o contrato da Ecoglobal. Não
cancelou os contratos das empreiteiras e gigantes do petróleo
sobre as quais pesam evidências
mais fortes de corrupção.
Parceiros não revelados
V
ladimir contara à PF e à imprensa apenas o que legalmente podia. Uma cláusula de
confidencialidade o obrigava
a não revelar quem eram, na
verdade, todos os seus parceiros na Ecoglobal. Agora, meses
depois, destruído financeira
e emocionalmente, resolveu
contar a ÉPOCA tudo o que
afirma saber. Apresentou dezenas de documentos. Os papéis,
em larga medida, corroboram
suas palavras. Revelam que,
se o caso da Ecoglobal precisa
ser investigado, Vladimir não
é o único obrigado a dar explicações. Não há evidências, até
o momento, de que Paulo Roberto ou Youssef fossem seus sócios na Ecoglobal. Mas sobram
provas de que, no dia em que a
PF o acordou em Copacabana,
seus parceiros na empresa
eram uma constelação de renomados executivos, grandes
bancos e os maiores fundos de
pensão do Brasil. Entre eles:
Rodolfo Landim, ex-diretor da
Petrobras; Demian Fiocca, expresidente do BNDES e amigo
do ministro da Fazenda, Guido
Mantega; a Caixa Econômica
Federal e o banco Santander;
e Previ, Funcef e Petros, sem
contar outros quatro fundos
de pensão. Todos haviam se
comprometido a investir na
Ecoglobal. Todos haviam assinado com Vladimir o mesmo
tipo de proposta que levara a
PF à porta dele. E haviam assinado a proposta também com
Storti e Lauria, a dupla ligada
a Paulo Roberto. A constelação
Gosta de levar vantagem
O PT queria o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ)
apoiando seu candidato ao governo, Lindbergh Farias.
Agora, continua cantando marra e diz que é bom ele
ter ficado, para dividir os votos evangélicos de Anthony
Garotinho (PR).
rojeto Vermelho” era um
chiste com o passado
de Vladimir. Na juventude,
ele pegara em armas contra a
ditadura. Considerava-se marxista, até que viu um amigo ser
morto pela polícia política. Sobreviveu incólume, ao menos
fisicamente, a uma semana de
prisão nos porões. Fez carreira na Eletrobras. Há 20 anos,
após se aposentar, resolveu
aprender algo novo. Virou capitalista. Nascia o embrião da
Ecoglobal, uma empresa que
começou modesta. Prestava
pequenos serviços de limpeza
de detritos nas plataformas.
Nacionalista, orgulhava-se de
descobrir pequenas empresas
de tecnologia estrangeiras,
com quem fazia intercâmbios,
e de adaptar o que aprendia às
necessidades da Petrobras.
Após o episódio com os laranjas de Youssef, em setembro
do ano passado, os amigos de
Paulo Roberto prosseguiram
em negociações para levantar
dinheiro para a Ecoglobal.
Tiveram reuniões com o banco BTG Pacutal, entre outros
grandes investidores. Até que
chegaram a Landim e Fiocca,
donos da Mare Investimentos.
Ao lado deles, ao banco Santander, por meio da Mantiq.
Essa turma geria dois fundos
destinados a investir em petróleo. O dinheiro vinha dos
fundos de pensão e de alguns
investidores particulares, cuja
identidade é mantida em sigilo.
A Caixa administrava os investimentos. Pelo regulamento
desse tipo de investimento,
Landim e Fiocca não poriam
apenas dinheiro na Ecoglobal.
Participariam da gestão da
empresa. “Achei uma excelente
ideia”, diz Vladimir.
do Rio, Presidente da Liga Brasileira de
Futebol Feminino e ex-jogadora
Juareexz Rodrigues
Escalando
oCezartime
Alvarez será o
interlocutor com os
estados na campanha
da presidente Dilma.
Nos redutos de Aécio
Neves (MG) e Eduardo
Campos (PE), foram
escolhidos, para
coordenar, o exministro Walfrido
dos Mares Guia
(foto) e o senador
Humberto Costa,
respectivamente. A
primeira reunião
com as coordenações
estaduais será na
terça-feira.
O peso da ferramenta
A filha de um operário que trabalhou na obra do estádio do
Corinthians conseguiu, em três dias, pela internet, 80 mil
assinaturas para erguer um monumento para os operários
mortos ao levantar o Itaquerão. A proposta recebeu apoio do
exterior.
“P
“
A crise dos partidos, dos sindicatos, das associações e das
entidades só está começando. A internet está retirando
protagonismo dessas organizações e abrindo espaço para
dar vida à iniciativa política de cidadãos comuns sem
passar pela triagem dos gurus ou ter de ser amigo do
rei. Sites de abaixo-assinados, como Change.org, Avaaz,
Petição Pública, Abaixo-Assinado.org e Ativismo, estão
destronando as velhas formas de fazer política. Um
exemplo disso ocorreu agora, na Copa. Um abaixo-assinado
virtual, com cerca de 17 mil assinaturas, foi o suficiente
para que a Fifa abrisse a Arena Fonte Nova (BA) para que
as baianas do acarajé vendessem a iguaria.
Homenagem ao trabalho
Chiste com o passado
A profissionalização
garante direitos trabalhistas,
aposentadoria e dignidade. O
futebol também é feminino. Ele
precisa ser reconhecido” - Rose
O futuro pede passagem
Há exemplos do êxito no uso desse instrumento. O MP em Santa
Maria (RS) abriu inquérito contra a prefeitura no incêndio da
boate Kiss devido à petição com 27 mil assinaturas coletadas no
site Change.org. A Assembleia paulista recebeu petição com 70
mil assinaturas e proibiu o uso de animais no estado para testar
novos cosméticos.
já ajudava a tocar a empresa e
havia até um codinome para o
negócio: “Projeto Vermelho”.
Virou moda
No lançamento da candidatura de Gleisi Hoffmann ao governo
do Paraná, a organização do evento tocou só a primeira parte do
Hino. Como nos estádios, os presentes continuaram cantando a
capela, incluindo a presidente Dilma.
Agulha no palheiro
O líder do DEM, Mendonça Filho (PE), propôs decreto legislativo
para derrubar o decreto presidencial que cria os conselhos
populares. Desde 1989, somente cinco dos 506 decretos
legislativos foram aprovados pelos parlamentares.
O presidente do PT, Rui Falcão, está de mudança para
Brasília. Para dar suporte político à campanha, ele vai passar
cinco dias da semana na capital do país.
Especial
Jornal da Cidade
Eugênio Nascimento
[email protected]
Jadilson Simões
N
a última sexta-feira, a família Franco esteve em
Laranjeiras para acompanhar o governador Jackson
Barreto (PMDB), que realizou a inauguração de diversas
obras e autorizoudiversos investimentos no município.
As obras somam mais de R$ 12 milhões nas áreas de
saúde, educação, infraestrutura e pavimentação. Com
a presença dos empresários Marcos Franco, Osvaldo
Franco, Ricardo Franco, José Franco Filho, Antônio Carlos
Franco Sobrinho e Amélia Franco, o governador visitou
as obras de reforma e ampliação do Colégio Estadual
Cônego Filadelfo Oliveira, que recebeu mais de R$ 800
mil em investimentos para a construção de novas salas
de aula, laboratório de informática e biblioteca, além de
melhorias na estrutura. Depois Jackson inaugurou a base
do Samu e o Centro de Especialidades Odontológicas, no
povoado Comandaroba. Depois de tudo isso, o governo
autorizou serviços de pavimentação, implantação de
rede de drenagem e abastecimento de água, rodovia que
liga a entrada da cidade ao Conjunto Manoel do Prado
Franco, revitalização da orla do Rio Cotinguiba e entrega
de ônibus escolares.
O Cacique era o point
F
undado na década de 1950 para ser um espaço especial
para reunir a elite sergipana, o Cacique Chá foi um estabelecimento que abrigou desde grandes festas das famílias
mais abastadas até o concurso de Miss Sergipee em um
dos quaisfoi eleita a ex-secretária da Cultura de Sergipe e
Aracaju,professora Aglaé Fontes. Parater acesso no período
inicial de sua criação até meados dos anos de 1960, os homensusavam smoking ou terno e as mulheres vestido longo.
Noinício dos anos de 1970,o estabelecimento começou
a abrir mais as suas portas e virou ponto de encontro de
políticos, empresários, jornalistas e profissionais liberais,
entre os quais advogados e economistas. Iam ao bar e restaurante conversar sobre política, a economia do Estado,
temas ligados às atividades profissionais e banalidades.
Consumia-se bons tira-gostos, almoços e jantas. Mas o que
mais atraía gente para o bar era a cerveja e os preços razoáveis, além do fato de ficar no centro da cidade.
Para os jornalistas, no Cacique Chá bebia-se informações.
É verdade. Por lá passavam senadores, deputados federais,
estaduais, alguns vereadores e todos conversavam bastante
com os jornalistas que no estabelecimento andavam, entre
os quais eu, Adiberto Souza, Gilvan Manoel, Fernando Sávio, Luciano Correia, Amaral Cavalcante,Valdomiro Júnior,
Ofélia Onias,José Andrade, Carlos Magno, Paulo e Gilberto
Serra, Zé Brasil, Cássia Santana, Marcos Cardoso, Aluízio,
Carlos Magno e Angelica Miranda, entre outros. A mesa da
imprensa, era, na verdade, quatro ou cinco mesas coladas
umas às outras e delas participavam ainda os ex-vereadores
Bosco Mendonça, Marcélio Bomfim, Rosalvo Alexandre e
Antônio Góis e ocorriam visitas de deputados. Joanelice
(Boneca) era presença diária.
Numa longa mesa interna, de mármore, ficavam o advogado Jaime Araújo, o professor Silvério Leite Fontes, o senador
Gilvan Rocha,os deputados Tertuliano e Guido Azevedo, Leopoldo Souza, Francisco Paixão, José Carlos Teixeira, Jackson
Barreto, Jonas Amaral, Lucilo da Costa Pinto, os intelectuais
Alberto Carvalho eFernando Nunes, os então juízes Antônio
Góis e Lauro PachecoAntônio Góis,os empresários Tarcísio
e Luiz Teixeira, entre outros. Por lá apareciam políticos de
outros estados e ministros que vinham em missão ao Estado.
E bem próximo deles estávamos nós, os jornalistas, em busca
de boas matérias e notas para os jornais.
Muita gente ia para o Cacique ler revistas e jornais ou
comentar algum fato do dia anunciado pelos presidentes
generais de plantão do governo federal,enquanto bebia. Era o
local propício para bons papos políticos.
Nas noites da década de 1980 entraram as prostitutas e
travestis. E o bar e restaurante mantinha-se sempre lotado.
No final desses anos começou um processo de esvaziamento. A falta de estacionamento e o intenso movimento no
centro atrapalhou a vida do bar e restaurante. E de lá desapareceram junto com as fartas mesas os garçons, Josias,
Álvaro, Dias, Bisqui...
Esse foi o Cacique que conheci e vivi. Agora ele voltou
com uma nova roupagem e foi entregue à população sergipana na quarta-feira, 2 de julho, reformado e com restauração
dos painéis de Jenner Augusto.O espaço localizado na Praça
Olímpio Campos, no centro comercial de Aracaju,continua
bonito econtou com investimentos em torno de R$ 400 mil.
Ainda que tenha virado um café, o bom Cacique, aquele que
será lembrado porquem viveu os seus bons tempos, será o da
boemia, das longas farras, dos bons bate-papos.
Campanha começa neste domingo
Embora tenha iniciado no ano passado, quando os grupos políticos ficaram visivelmente formados e prontos para
entrarno páreo, a campanha política para as eleições de outubro próximo,de acordo com o Calendário Eleitoral, começa
oficialmente neste domingo. As principais estrelas desse processo nos Estados são os candidatos a governador, no caso de
Sergipe, Eduardo Amorim (PSC), Jackson Barreto (PMDB),
Sônia Meire (PSOL) e Betinho de São Cristóvão.
É visível que a campanha polarizou entre Jackson e
Amorim e que isso vai render muitos bate-bocas em outubro
próximo, quando ocorrem as eleições. O grupo de Amorim vai
tentar mostrar JB como um governador fraco, que não conseguiu botar ordem na casa e fazer com que as polícias (SSP)
e a saúde funcionassem a contento popular e, claro, buscar
uma aproximação com os servidores dizendo que lhes pagaria
salários bem melhores.
Mas o grupo dos irmãos Amorim vai para a campanha um
tantoenfraquecido.Bons batedores/enfrentadores como José
Carlos Machado e André Moura devem ficar fora da disputa,
e Mendonça Prado optou por estar mais próximo da oposição.
Sobrou para enfrentar umJackson Barreto, que bate bem, junto com Rogério Carvalho, Ana Lúcia, João Daniel, Francisco
Gualberto e Valadares (se preciso vai à guerra).
A escalação foi feita, as equipes estão prontas e agora é
hora de começar a falar mal uns dos outros.
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
A-5
colunão Ivan Valença
E-mail: [email protected]
O que os empresários desejam
O Fórum Empresarial, depois de demorados debates, preparou
um longo documento que será enviado aos candidatos ao Governo
do Estado nas eleições de outubro próximo, com propostas que
“merecem prioridade de ação do executivo estadual no próximo
quadriênio”. As propostas são apresentadas em dois grupos: o
primeiro diz respeito às diretrizes gerais que devem nortear o
próximo período governamental; o segundo relaciona demandas
que os setores econômicos do Estado apresentam para o melhor
desempenho de suas respectivas áreas.
Em diretrizes gerais são destacadas cinco áreas que “devem
merecer absoluta prioridade”. São elas: eficiência do setor
público; infraestrutura produtiva; educação; combate à violência;
descentralização do desenvolvimento. No primeiro item, o mundo
empresarial quer redução dos gastos com custeio para permitir a
ampliação dos investimentos. Isso se daria com reestruturação,
com redução do quadro de pessoal e redefinição de atribuições de
secretarias e órgãos da administração pública estadual. Sugere a
manutenção e até o fortalecimento de órgão de controle interno
capaz de coibir atos contrários ao interesse público.
No item infraestrutura produtiva, sugerem a capacitação do
porto da Barra dos Coqueiros, para a operação de carga geral e de
contêineres; reativação do transporte ferroviário para Salvador e
Recife, interrompido desde 2007; nas rodovias, duplicação de toda a
BR-101 e também da BR-235, entre Aracaju e Itabaiana. Capacitação
do Aeroporto de Aracaju para operar com movimentação de cargas.
No caso da Educação, alcançar as metas do Ideb estabelecidas para
todas as etapas do ensino básico da rede estadual a partir de 2015.
Compre
o
patrão
Método moderno de se livrar de
um comunicador que o incomoda:
compre o patrão dele. Parodiando o
imagina na Copa, imagina quando
chegar ao governo...
Os empresários querem reduzir a violência em Sergipe, de forma a
situá-la na média nacional até 2018.
No item descentralização do desenvolvimento, promover a
desconcentração do desenvolvimento da Grande Aracaju para os
centrosregionais (Estância, Itabaiana, Lagarto, Glória e Propriá);
implantação de centros regionais no Complexos Empresariais Integrados.
No setor produtivo, os empresários sugerem no item desenvolvimento
econômico, a criação de um fundo de participação acionária do governo
em empreendimentos considerados relevantes para o desenvolvimento
do Estado. Adoção do teto nacional para empresas do Simples.
Ressarcimento a empresas do ICMS substituto quando da venda ao
governo. E eliminação do critério de premiação a fiscais fazendários por
aplicação de multas e substituí-lo por metas de arrecadação.
No campo da Agricultura, promover a revitalização da Emdagro
e da Cohidro, com a necessária organização dos seus quadros
técnicos e o reequipamento. Promover a construção de matadouros
e frigoríficos, pois somente 28% dos bovinos abatidos no Estado
tiveram inspeção sanitária. Construção de nova central de
abastecimento para o atendimento da Grande Aracaju. Construção
de um novo Centro de Exposição Polivalente em substituição ao
Parque de Exposição João Cleofas. Na área de turismo, implantação
da ligação rodoviária de Sergipe pelo litoral norte. Construção
de um novo Centro de Convenções. Urbanização e melhoria da
infraestrutura de locais de grande atração turística, tais como Xingó,
Foz do São Francisco, Praia do Saco, Crasto, etc. Por fim, investir
na qualificação de São Cristóvão como centro de interesse do
patrimônio nacional.
Enquanto isso, no território
livre da Internet
10 anos do Real
Na última semana, precisamente
no dia 30 de julho, o Real completou
20 anos de circulação. Sem dúvida,
um feito memorável. Vale relembrar
que o Plano Real concebido no governo do presidente Itamar Franco
e implementado pelo seu ministro
da Fazenda e futuro presidente da
República, Fernando Henrique Cardoso, pôs um fim em mais de uma
década de hiperinflação. Para que se
tenha uma ideia do despautério inflacionário daquela época, basta dizer
que, em 1993, a inflação atingiu o
estratosférico percentual de 2,708%,
contra o atual 5,9% em 2013, ainda
considerada alta pelos padrões internacionais.
Para o ex-governador Albano
Franco, defensor de primeira hora do
Real, à época presidente da CNI e senador, onde, da tribuna do Senado, fez
pronunciamentos pela sua aprovação,
“o Plano Real foi uma conquista decisiva da sociedade brasileira que deve
ser preservada e aprimorada ao longo
do tempo. O governo não deve ser negligente com a inflação. Ela corrói salários, concentra a renda, inibe os investimentos e estimula a especulação.
Mantê-la no centro da meta de 4,5% e
não no topo de 6,5%, como vem ocorrendo, deve se constituir na prioridade
maior da política econômica ao lado
do crescimento da economia”.
Resíduos
A Lei de Resíduos Sólidos entra em
vigor em agosto próximo. Sergipe já
constituiu quatro consórcios para que
seja possível obedecer a Lei. Para explicar esta ação aos municípios, estará em
Aracaju, nos dias 24 e 25 próximos, trazido pelo Tribunal de Contas do Estado,
o conselheiro Júlio Pinheiro do TCE do
Amazonas que vai participar de debates
sobre o assunto. Ele é um estudioso do
assunto e tem muitas informações a
repassar aos senhores prefeitos.
Avenida fechada
Há mais de uma semana que aDeso está fazendo uma obra na Avenida
Anízio Azevedo, na 13 de Julho, inclusive fechando dois ou três trechos
da artéria, provocando o desvio do
tráfego – que é grande por ali – para a
Rua Moacir Rabelo Leite. Esta é uma
rua estreita e pequena que não suporta um tráfego tão pesado. A Prefeitura
de Aracaju, que é dona das ruas, não
aparece por lá. De quando em vez coloca alguns guardinhas da SMTT, na
esquina com Guilhermino Rezende,
mas só isso não resolve o problema. A
SMTT deveria ter proibido o estacionamento de veículos em pelo menos
um lado da rua e até ter colocado um
semáforo provisório no cruzamento
da Moacir Leite com a Guilhermino
Rezende. Ficaria mais fácil de enfrentar aquela maré de carros.
Constituinte
Por reforma política, Constituinte
já! Esse é o mote do ato público que
acontece amanhã, a partir das 8h da
manhã. A concentração será embaixo
da ponte do Bairro Industrial. O ato
público é parte das ações de mobilização do Plebiscito por uma Constituinte
da Reforma Política, que em Sergipe
conta com a participação de dezenas
de entidades do campo e da cidade,
movimentos sociais e sindicais, organizações populares, coletivos estudantis e de juventude. O foco será a
(Susana Vieira), mas há dentro dos
campos um problema sério que a Fifa
vai ter que resolver sob pena de descaracterizar o futebol. É um problema que
aflige o futebol mundial, o das arbitragens. O nível é baixo. Os juízes de uma
Copa recebem treinamento e instruções
sobre como proceder em determinadas
jogadas. Devem ter jogado no lixo, ou
então trocaram os papéis e deram o
escrito em russo para o português e
vice-versa. Não há critérios, exatamente
o que a Fifa tenta buscar, ou determinar.
Com uma ou duas exceções, num campo de pelada, a maioria desses juízes teria que sair correndo para não apanhar.
(Abrahão Crispim Filho)
Diabetes
denúncia do financiamento empresarial das
campanhas eleitorais, identificado como um
dos principais males da política nacional. Em
2012, as empresas foram responsáveis por
95% de todo o dinheiro movimentado nas
campanhas.
BR-101
O ex-deputado Jorge Araújo, hoje ocupando uma sub-secretaria no organograma
do governo, chama-nos a atenção que o
trecho que desabou na BR-101 não foi construído pelo Exército brasileiro, mas pela empresa Queiroz Galvão. Ele é de opinião que
se deve fazer uma vistoria em todo o trecho
recém-construído da BR-101, para evitar novas surpresas do tipo. Ele estranha também
que o Ministério Público Federal tenha ficado
ausente deste problema, quando, a esta altura do campeonato, deveria ter impetrado
Ação Civil para determinar responsabilidade. Afinal é dinheiro público que escorregou
pelo ralo, além de causar ameaças a todos
que transitam pela BR-101. Tem razão o ex-parlamentar...
Em greve
Os professores de Santa Luzia, município do Sul do Estado, entraram em greve,
pelo pagamento do reajuste nacional dos
professores, de 8,32%. Eles querem também
o retorno das vantagens que foram retiradas
pelo prefeito atual, além do programa Gestão Democrática, criado no mandato do ex-prefeito Adauto Amor e retirado pelo atual
prefeito, Paulo César.
Convênio
O Sebrae e a Universidade Federal de
Sergipe assinaram convênio que prevê a
oferta de vagas nos mestrados profissionais
da instituição de ensino superior para os colaboradores da entidade de apoio aos pequenos negócios. Inicialmente, a parceria garantirá a disponibilização de vagas no curso de
Desenvolvimento Regional e Gestão de Empreendimentos Locais. O curso é destinado à
formação de pesquisadores e capacitação de
gestores públicos para a análise, concepção,
planejamento e execução de projetos e políticas de desenvolvimento regional e local.
Ele pretende capacitar o aluno a analisar a
realidade regional e o ambiente de negócios,
tornando-o apto a entender teorias e conceitos econômico-sociais, elaborar análises
prospectivas e atuar na gestão de pequenos
e médios empreendimentos. “Essa parceria é
importante porque irá garantir uma oportunidade de capacitação para os nossos técnicos, permitindo que possamos melhorar ainda mais o atendimento oferecido aos micros
e pequenos empresários sergipanos. Temos a
certeza de que os resultados dessa iniciativa
serão muito positivos”, destaca o superintendente do Sebrae, Lauro Vasconcelos.
Copa do Mundo
É inegável o sucesso da Copa do Mundo.
Há adesão da grande maioria das pessoas, foi
registrada, inclusive, a presença de uma das
“rainhas” da hipocrisia no Brasil num estádio
O Mutirão Contra Diabetes, levado
a efeito pelodr. Raimundo Sotero e
sua equipe, no município de Umbaúba, chegou a conclusões assustadoras. Foram realizados 474 exames e
77,85%deste total tiveram resultados
alterados. Por exemplo, não sabiam ser
diabéticos com glicemias, com o índice
de 100 a 200: 108 casos. Diabéticos com
glicemias 100-200: 111.Não sabiam ser
diabéticos com glicemias 201-300, 30.
Diabéticos com glicemias 201-300, 63.
Diabéticos com glicemias 351-400, 21.
Diabéticos com glicemia mais de 400,
12 casos, sendo que um deles apresentou o incrível índice de 560mg/ml. Os
resultados impressionaram até um médico experiente como o dr.Sotero.
PONTO FINAL
*** Veja o que é a vida, ou como a
saúde influi na vida de todos nós. O viceprefeito José Carlos Machado chegou a
ser apontado como possível candidato
a governador pelo PSDB. Mas, uma
passagem pelo Hospital Sírio-Libanês em
São Paulo determinou que ele não seja
sequer candidato a deputado estadual.
*** Ocupando uma cadeira de
conselheira do Tribunal de Contas,
a ex-deputadaSusana Azevedo tem
impressionado os seus colegas,
pela dedicação ao trabalho e pelas
providências que toma com vistas à
moralização do serviço público.
*** A Câmara de Vereadores de Estância
deu posse a vários servidores concursados,
substituindo as pessoas que ocupavam
cargos em comissão, em alguns casos, há
mais de dez anos de serviços.
*** Em virtude do jogo do Brasil com
a Colômbia, o jornal “O Caminho”, da
cidade de Estância, adiou a entrega do
Troféu Imprensa para o dia 25 de julho.
*** Através do PSG (Projeto Senac de
Gratuidade), a Secretaria de Ação Social
de Estância proporcionou aos idosos do
Bairro Bonfim, “um dia de beleza”, com
cortes de cabelo e escola. O atendimento
foi no Centro dos Idosos.
*** Estamos todos órfãos dos virulentos
discursos do deputado Mendonça Prado
contra o PDI, pelas emissoras de rádio.
*** Será no dia 10 a transmissão do
cargo de presidente da Federação do
Comércio. Mas, o sr. Laércio Oliveira,
deputado federal e candidato à reeleição,
só assume mesmo depois de passar as
eleições. Deve assumir, então, o vicepresidente, o sr. Hugo França.
*** O sr. Adailton de França assume
nesta quinta-feira a governadoria do
Distrito 4390, do Rotary. A solenidade
vai ser em Arapiraca. De Aracaju vai
uma grande caravana, que ficou, porém,
desfalcada do sr.Eliziário Sobral, exocupante do cargo, que amanheceu
sexta-feira com fortes dores no corpo. A
sergipana Zenia Fortes é a governadora
assistente de Adailton, que esteve em
Aracaju na terça-feira para a posse de
quatro presidentes de RotarysClubs,
solenidade realizada no Hotel Mercure.
A-6
Economia
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Jornal da Cidade
MÍRIAM LEITÃO O que causou os ciclos de
agência GLOBO - COM Álvaro GABRIel
[email protected]
Política secreta
A
estratégia da presidente Dilma de só revelar a
política econômica após as eleições cria a situação
estranha de haver uma candidatura com programa
secreto. É complicado para quem está no governo, num
momento difícil da economia, dizer como vai corrigir
os erros sem fazer críticas a si mesmo. A inflação está
alta, o país não cresce, o setor elétrico está em situação
precária.
A informação publicada pelo editor-executivo do
“Valor”, Cristiano Romero, é a de que a presidente Dilma
vai se reunir com os empresários depois das eleições,
se reeleita, para então definir a política econômica do
segundo mandato. A estratégia revela a incapacidade da
governante de responder agora como pretende ajustar o
que a sua política econômica desajustou.
Quem disputa reeleição ou se engaja na eleição do
sucessor tem a vantagem do uso do cargo para que atos
de governo virem atos de campanha. Até sexta-feira,
Dilma teve toda a máquina governamental aberta.
Inaugurou, lançou programas e fez promessas com tom
de campanha o que foi apresentado como suas funções
de governante. Agora, a lei eleitoral vai inibir um pouco.
Para o ex-presidente Lula, foi muito fácil fazer
campanha para Dilma em 2010 porque o país crescia
vigorosamente depois da queda do PIB em 2009. A
coleção de números bons de atividade econômica e a
inflação baixa facilitaram o discurso da continuidade.
Em 2006, o então presidente Lula enfrentou um
constrangimento político porque no ano anterior havia
estourado o escândalo do mensalão. Mas a economia
ajudou.
Na economia, a de 2014 é a eleição mais difícil
para o PT. Há muito número mostrando a deterioração
da conjuntura. O governo usou instrumentos, para
manter o crescimento, que perderam a eficácia, como
os sucessivos pacotes de redução de IPI para o setor
automobilístico. A indústria afundou e vai encolher este
ano. O mais do mesmo não é suficiente para um país
que vai crescer apenas 1% em 2014.
Na inflação, a continuidade da política é perigosa. A
taxa passou quatro anos muito perto do teto da meta.
Somando-se os meses em que ficou acima do permitido,
dá quase um ano. Não há resposta fácil para a dúvida a
respeito de como serão corrigidos os preços represados.
A presidente da Petrobras disse que para subir o preço
da gasolina bastam dois telefonemas. Ela já fez inúmeros
telefonemas, sem sucesso. Os preços reprimidos têm
alimentado a expectativa de mais inflação no futuro.
As empresas do setor de energia estão com sérios
desequilíbrios. Está sendo negociado com bancos outro
empréstimo para as distribuidoras através do mesmo
canal, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.
O governo está dando socorro às empresas através de
um ente privado, a CCEE, para não reduzir o superávit
primário. É uma artimanha. Mais uma.
Uma das grandes questões para 2015 é como desatar
o nó elétrico. Há um desequilíbrio financeiro grave em
todos os elos do sistema provocado pela MP 579, que
reduziu os preços da energia, antecipando o fim dos
contratos. E nesse caso ficou claro outro problema criado
pelo estilo de gestão Dilma: a falta de diálogo com os
empresários.
Existe defesa de lobby que é apresentada
como diálogo, como o que acontece com o setor
automobilístico. Mas não foi esse tipo de conversa que
faltou ao setor de energia. O governo não quis ouvir
as ponderações técnicas das empresas. Elas tentaram
alertar para as distorções que seriam criadas pela
imposição apressada e eleitoreira da medida.
Há necessidade de correção do modelo que o
governo usa para determinar o nível de risco do
sistema. Agora, por exemplo, o preço da energia
no mercado spot havia caído para R$ 368,5 e neste
começo de julho voltou a subir para R$ 547,7. O
modelo está indicando um nível baixo de risco, de
2,68%. O volume de água nos reservatórios permanece
pouco acima dos 30%. Alguma coisa está errada com o
modelo, porque se há
pouca água, a indicação Os pontos-chave
do risco deveria ser
Durante campanha,
maior; e se o risco
quem governa tem
é tão baixo, por que
dificuldades de fazer
ONS mantém todas as
propostas de ajustes.
termelétricas ligadas
encarecendo o custo?
Se anunciar mudanças
na política econômica,
Dilma vai tentar
presidente
Dilma vai admitir
empurrar para depois os
que
errou.
temas incômodos, como
a inflação, o PIB, o nó
Há consertos a serem
elétrico, porque sabe
feitos na economia, no
que tratar deles agora
setor de energia, no diálogo
seria admitir os erros
com as empresas.
que sua administração
cometeu.
1
2
3
LOTERIAS
Concurso - 1613 - 02/07/2014
Concurso - 3526 - 04/07/2014
MEGA-SENA 04 18 31 44 46 49
QUINA
Concurso - 1295 - 04/07/2014
Concurso - 1077 - 04/07/2014
33 40 56 66 74
DUPLA SENA 01 04 11 23 37 45
LOTOFÁCIL 01 02 05 06 07
13 15 29 32 35 36
08 10 12 13 14
15 19 20 21 24
Concurso - 1465 - 02/07/2014
LOTOMANIA
01 10 11 15 18 32 34 37 40 42 44 46 54 61 62 79 83 91 92 93
crescimento nos últimos
vinte anos
Ricardo Lacerda
Professor do Departamento
de Economia da UFS e Assessor
Econômico do Governo de Sergipe
A
taxa de crescimento
econômico dos países e
regiões, em uma perspectiva de longo prazo, é determinada pelo ritmo do aumento
da quantidade de recursos que
são utilizados no processo de
geração de riqueza (capital,
trabalho e recursos naturais)
e a tecnologia empregada que
vai determinar a maior ou
menor eficiência na utilização
de tais recursos. Cada ciclo de
crescimento resulta de uma
combinação de aumento na
utilização dos recursos e de
variação na eficiência com que
eles são empregados.
O crescimento da quantidade de recursos produtivos
disponíveis ao longo do tempo
é chamado de processo de acumulação, quando a sociedade
acumula recursos produtivos
que poderão ser utilizados na
geração de riqueza.
O grande debate sobre as
causas do crescimento econômico se dá em torno de investigar as forças que promovem
o aumento da disponibilidade
dos recursos produtivos e do
uso de tais recursos, que pode
ser pleno ou não, e o que provoca a melhoria na produtividade (eficiência) dos fatores de
produção.
Fonte: IBGE. Contas Nacionais Trimestrais.
Os ciclos recentes
A contar da implantação do
Plano Real, em julho de 1994,
a economia brasileira conheceu
dois períodos relativamente
mais extensos de crescimento
do produto interno a taxas
mais robustas. O primeiro, iniciado ainda em 1993, se estendeu até 1995, foi muito favorecido pela explosão de consumo
que se seguiu a implantação do
plano de estabilização.
O segundo ciclo de crescimento, de fôlego bem mais expressivo e com taxas mais elevadas, se estendeu do início de
2004 até meados de 2011, com
duas desacelerações expressivas, quando se considera a taxa
de crescimento acumulada em
quatro trimestres: uma de duração mais curta, entre o final
de 2005 e o início de 2006, e
outra de maior extensão e mais
aguda, entre o final de 2008 e
ao longo de 2009, sob impacto
da crise financeira internacional (ver Gráfico 1).
As forças do
crescimento
O primeiro ciclo de crescimento, 1993-1995, foi impulsionado no primeiro momento
pela expansão das exportações, até a implantação do
Plano Real, e, em seguida,
pela expansão do consumo
das famílias. A desaceleração
que marcou o fim do ciclo de
crescimento, a partir do último
trimestre de 1995, foi causada
pela rápida deterioração do
comércio exterior do país, com
a perda de ritmo de expansão e
depois queda das exportações e
a explosão nas importações. A
piora abrupta do comércio exterior contaminou a confiança
em relação a sustentabilidade
do ciclo de crescimento, impactando as demais variáveis
da demanda, notadamente os
gastos das famílias e os investimentos.
Mas na investigação das
causas de um ciclo de crescimento não é suficiente mostrar
a evolução das variáveis de dispêndio que fizeram a economia
se expandir e depois declinar. É
necessário explicar quais foram
os fatores que as moveram para
cima ou para baixo: a piora do
cenário internacional? um choque de oferta derivado de uma
estiagem, do racionamento
de energia ou da explosão do
preço do petróleo? ou, no caso
desse ciclo expansivo, a manutenção da paridade de câmbio
em patamar insustentável,
Fonte: IBGE. Contas Nacionais Trimestrais. Valores encadeados a preços de 1995.
favorecendo as importações e
prejudicando as exportações.
O segundo ciclo
O segundo ciclo de crescimento, entre 2004 e o inicio de
2011, foi impulsionado nas primeiras etapas por forças que se
moviam desde 2002, quando
o ataque especulativo à economia brasileira promoveu intensa desvalorização cambial,
alterando os preços relativos
internos frente aos externos,
o que, se por um lado, fez deprimir o consumo, por outro,
alavancou nossas exportações.
O crescimento das exportações foi seguido, a partir de
2004, pelo forte incremento do
consumo das famílias, acompanhado, com maior ou menor
desfasagem temporal, pela
expansão dos gastos públicos e
pelo aumento dos investimentos (FBCF).
A primeira desaceleração
desse longo ciclo de crescimento, ao final de 2005, deveu-se à
perda do ímpeto de expansão
em todas as variáveis internas:
consumo das famílias, gastos
de governo e investimentos.
A retomada da aceleração do
crescimento ao longo do ano
de 2006 foi claramente determinada pela expansão do consumo das famílias, com rebates
extremamente intensos sobre
os gastos do governo e sobre os
investimentos voltados para o
atendimento do mercado interno em expansão.
A força dessas variáveis externas compensou, com larga
vantagem, os efeitos negativos
da rápida desaceleração do
crescimento do saldo das exportações de bens e serviços
ao exterior. Esses movimentos podem ser acompanhados
pelo exame do Gráfico 2, que
apresenta a contribuição de
cada componente, medida em
milhões de reais a preços constantes de 1995, na variação absoluta do PIB em doze meses.
Saltando para o período
mais recente, pode-se observar
que o fator de maior peso na
explicação do baixo crescimen-
to da economia brasileira desde 2011 foi a rápida deterioração do saldo de exportação e
importação de bens e serviços,
que findou por contaminar as
demais variáveis.
Quais as causas que explicam os movimentos para cima
e para baixo dessas variáveis.
Os economistas não se entendem: a piora do cenário internacional? A manutenção da
paridade de câmbio em pata-
mar insustentável, favorecendo
as importações e prejudicando
as exportações? A escassez de
poupança interna que limita
o crescimento do PIB potencial? O excesso de intervenção
estatal? O esgotamento do
mercado de trabalho? Todas as
respostas anteriores?
(Artigos anteriores estão postados em http://cenariosdesenvolvimento.blogspot.com/)
Indicadores
DÓLAR
Comercial
CompraV e n d a
R$ 2,214..........................R$ 2,215
Paralelo
Compra
Ve n d a
R$ 2,29 ..............................R $ 2 , 3 9
Turismo
Compra
Venda
R$ 2,197..........................R$ 2,330
Imposto de renda na fonte
Fonte
Alíquota Dedução
Até R$1.787,77........................isento...........0.......
De R$1.787,78 a R$ 2.679,29...7,5%.....R$ 134,08.
De R$ 2.679,30 a R$ 3.572,43...15% ......R$ 335,03.
De R$3.572,44 a R$4.463,81..22,5%...R$602,96.
A partir de R$4.463,81 ...........27,5%...R$826,15.
Dedução por dependentes..........................R$179,71
tr
Junho
Dia19.............................0,0604%
Dia20.............................0,0551%
Dia21.............................0,0278%
Dia22............................0,0561%
Dia23............................0,0855%
Dia24............................0,1022%
Dia25............................0,1083%
Dia26............................0,0886%
Dia27............................0,0795%
Dia28............................0,0553%
Dia29............................0,0809%
Dia30.............................0,0807%
Julho
Dia01.............................0,1054%
Dia02.............................0,1192%
Dia03............................0,1112%
tb f
Junho
Dia18............................0,8163%
Dia19............................0,8109%
Dia20.............................0,8055%
Dia21.............................0,7680%
Dia22............................0,8065%
Dia23..............................0,8462%
Dia24............................0,8730%
Dia25............................0,8191%
Dia26............................0,8493%
Dia27............................0,7801%
Dia28............................0,7537%
Dia29............................0,7915%
Dia30............................0,8413%
Julho
Dia01.............................0,8762%
Dia02............................0,9001%
Dia03............................0,8220%
SALÁRIO MÍNIMO
MÍNIMO
SALÁRIO
Janeiro - R$ 724,00
Janeiro - R$ 724,00
incc
Ano 2013
Janeiro............................................0,38.
Fevereiro..........................................0,80.
Março.............................................0,28
Abril...............................................0,84
Maio..............................................1,24
Junho.............................................1,96
Julho..............................................0,73
Agosto...........................................0,31
Índice acumulado nos
últimos 12 meses.........................7,7682
INSS - assalariados,
domésticos e
trabalhadores avulsos
Contribuição - Aliquota
Até 1.247,70............................................8.00%
De 1.247,71 até 2.079,50.........................9,00%
De 2.079,51 até 4.159,00......................11,00%
Salário Família
Até R$646,55...................R$33,16............01-Filho
De R$646,56 a R$971,78 ..........R$23,36....01-Filho
POUPANÇA
Junho
Dia03.........0,5664%
Dia04.........0,5854%
Dia05.........0,6281%
Dia06........ 0,6395%
Dia07.........0,6247%
Dia08.........0,5882%
Dia09.........0,5614%
Dia10.........0,5577%
Dia11.........0,5861%
Dia12.........0,6107%
Dia13.........0,6132%
Dia14.........0,6086%
Dia15.........0,5763%
Dia16.........0,5648%
Dia17.........0,5614%
Dia18.........0,5901%
Dia19.........0,6042%
Dia20.........0,6152%
Dia21.........0,6015%
Dia22.........0,6015%
Dia23.........0,5224%
Dia24.........0,5320%
Dia25.........0,5606%
Dia26.........0,5897%
Dia27.........0,6166%
Dia28 .......0,5861%
Dia29 ........0,____%
Dia30 ........0,____%
Dia03.........0,5805%
Dia04........ 0,5701%
Dia05........ 0,5867%
Dia06........ 0,5300%
Dia07........ 0,5162%
Dia08........ 0,5456%
Dia09........ 0,5714%
Dia10.........0,5627%
Dia11.........0,5716%
Dia12.........0,5650%
Dia13.........0,5562%
Dia14.........0,5042%
Dia15.........0,5223%
Dia16.........0,5675%
Dia17.........0,5724%
Dia18.........0,5661%
Dia19.........0,5607%
Dia20.........0,5607%
Dia21.........0,5279%
Dia22.........0,5564%
Dia23.........0,5859%
Dia24.........0,6027%
Dia25.........0,6088%
Dia26.........0,5890%
Dia27.........0,5799%
Dia28.........0,5536%
Dia29.........______%
Dia30.........______%
Agosto
Julho
Dia01.........0,6059%
Dia01.........0,5467% Dia02.........0,6198%
Dia02.........0,5857% Dia03.........0,6118%
Fontes: FGV/IBGE/BANCO CENTRAL/FIPE/SEFAZ/SE
Fontes: FGV/IBGE/BANCO CENTRAL/FIPE/SEFAZ/SE
Brasil/Opinião
Jornal da Cidade
A-7
Clóvis Barbosa
Esplanada
Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe
Por leandro mazzini
Divulgação
Radar caseiro
C
ansado de ver vizinhos atropelados – foram
trágicas dez mortes (!) em apenas três meses
– um cidadão de Retiro (RJ), uma vilazinha
atravessada pela BR 356 entre Itaperuna (RJ) e
Muriaé (MG), decidiu agir por conta própria diante
da incompetência do DNIT e DER. Pagou do bolso
uma placa de aviso de “controle de velocidade” a 50
km/h e instalou um radar falso – um caixote vazio
fixado numa haste de 3 metros.
Freio de mão - A Polícia Rodoviária Federal
descobriu o falso radar artesanal e o derrubou.
Ninguém foi indiciado. Mas não houve mais mortes
desde então!
Brasiiilll - Embora ilegal, a atitude do herói
anônimo é a prova de que o brasileiro é mesmo um
cidadão criativo – nos bons e difíceis momentos ou
situações.
‘Dormiu no ponto’ - A Justiça não dará mole
para José Roberto Arruda (PR), o ex-governador
preso e que agora, ainda ficha-limpa, tenta voltar ao
cargo. O STJ vai dar celeridade ao seu caso.
A ex-Copa de Teixeira
O
ex-chefão da CBF não se perdoa por não estar
à frente da entidade brasileira ou ser hoje o
presidente da FIFA. Ele confidenciou a amigos que
a gostaria de realizar uma Copa no Brasil com
cidades-sedes apenas na região Nordeste, para
destacar as belas cidades litorâneas para o mundo.
Tabelinha de cartolas - Alvo de
investigações da PF e da própria FIFA por suspeita
de propinas, Teixeira abdicou do cargo e se
refugiou em Miami. Mas Joseph Blatter, o chefão
da entidade e seu aliado, seguiu a dica do amigo
brasileiro. Reparem que o Nordeste ganhou mais
e importantes jogos do torneio deste ano, em
Salvador, Fortaleza e Recife.
Planando - Lembram da Denise Abreu, a exdiretora da ANAC e uma das indiciadas pela CPI e
denunciada pelo MPF pelo acidente co o avião da
TAM em 2006 no Congonhas? Sairá candidata a
deputada federal. Ela encontrou na quinta à noite
o Pr. Everaldo (PSC) candidato a presidente, no..
Aeroporto de Congonhas. Declarou apoio a ele.
O PIB vizinho - Grandes empresários brasileiros
estão querendo investir muito... no Equador. O
País vizinho, com previsão de boa alta do PIB este
ano – maior que o do Brasil – recebeu comitiva de
executivos há poucos dias. O anfitrião foi o ministro
coordenador de Setores Estratégicos do Equador,
Rafael Bonilla. Peru e Chile também são alvo.
Novo País - Um novo País pode surgir no mapa
geopolítico do Oriente. Esfacelado pela guerra e
com desmandos, o Iraque pode estar com seu fim
próximo. Relatos da Médicos Sem Fronteiras indicam
que meio milhão de pessoas fugiram de cidades
do Norte com a ocupação e domínio de milícias
dissidentes da Al Qaeda.
Ponto Final - O radar artesanal na rodovia foi um
literal freio de mão!
Com Equipe DF e SP
www.colunaesplanada.com.br
LM Comunicação
Coluna Esplanada
[email protected]
Caixa Postal 1980 – CEP 70254-970 – Brasília-DF
(61) 30342192 / (61) 99993339 / (61) 78137537
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
E
O triunfo da meritocracia
Divulgação
u já contei neste espaço dois fatos, um
envolvendo o pai do escritor Graciliano
Ramos e outro sobre o filho do rei Davi.
O primeiro envolve a figura de um esmoler de
nome Venta-Romba. Toda sexta-feira ele ia, de
casa em casa, humilhar-se em busca de alguns
centavos. Conta Graciliano que, em dada oportunidade, Venta-Romba chamou à porta de sua
casa, mas não foi ouvido. Assim, entrou. Entrou
sem obter a necessária licença. Isso enfureceu
a mãe do escritor. Mulher rude e inflexível
determinou ao moleque José que fosse avisar o
marido, juiz da cidade, acerca do ilícito praticado pelo mendigo. Não deu outra. Vieram o juiz
e um gendarme. Apesar de não letrado, o pai
de Graciliano de pronto percebeu tratar-se de
um exagero da esposa. Normalmente, esposas
de autoridades concebem-se como autoridades
maiores do que os próprios maridos. Ainda
assim, e diante da mobilização que atraíra a
atenção dos populares, o juiz não podia desmoralizar-se: um dia de cadeia para Venta-Romba.
A primeira lição: com o coronelismo, não era
adequado que homens sábios ocupassem o
cargo de magistrado. Não havia certame, mas
escolha infame. Não havia excelência; havia
subserviência. Quem melhor servisse ao coronel
receberia como recompensa o emprego de juiz.
Graciliano Ramos reconheceu que seu pai
“possuía conhecimentos gerais muito precários”.
De qualquer forma, acolheu a nomeação “sem
nenhum escrúpulo”. Convinha ao sistema governamental da época ter gente desse tipo frente à
administração da justiça. Convinha a gente desse
tipo agachar-se perante os donos do poder, aceitando o status dado a quem prolatava sentenças
em troca da obediência paraplégica ao chefe político local, o qual, no fim de tudo, ditaria a redação
dos casos relevantes. Ou seja, quem não tem mérito para exercer uma função, termina preenchendo
o vazio deixado pela falta de serenidade com o
enchimento do puro arbítrio. O mestre alagoano,
passados vários anos, mas ainda marcado pela
desmesura do episódio, declarou que ele “deve
ter contribuído para a desconfiança que a autoridade” inspirava em si. É verdade. Autoridade sem
mérito não merece confiança mesmo.
Por outro lado, a autoridade que, antes de
sê-lo, fez por onde merecer o cargo inspira confiabilidade. Exemplo? Salomão, filho de Davi.
Ao assumir o mister de rei o monarca fez
uma oração através da qual pedia sabedoria
para poder guiar os difíceis passos do povo
judeu. A divindade, satisfeita com a procura do
mérito pelo jovem governante, não só lhe deu
sapiência, como glória, longevidade e riquezas.
Mas a sabedoria de Salomão precisava ser testada. E foi num capítulo que ficou consagrado
no bojo da literatura hebraica. Trata-se do julgamento de duas prostitutas. A narrativa, concluída no séc. VI a.C., nasceu pelas mãos do profeta
Jeremias, escritor do primeiro livro dos reis. Os
fatos propriamente ditos, no entanto, deram-se
ali uns mil anos antes da era comum. Jeremias
discorre sobre o seguinte acontecimento: duas
prostitutas moravam juntas. Grávidas, ambas
tiveram seus bebês dentro de um interregno
de três dias. Sucede que, uma delas, tomada
por um sono profundo, deitou-se sobre o filho,
asfixiando-o e matando-o. Percebendo o que
tinha feito, sorrateiramente trocou o seu filho,
morto, pelo da outra, que dormia ao lado da
mãe. Esta, ao amanhecer, constatou a troca e levou o problema a Salomão. Todavia, a primeira
jurava que o bebê vivo era seu. Ante o impasse,
Salomão determinou que um soldado viesse e
dividisse a criança ao meio, após o que daria
metade para cada uma das partes. Resolver-se-ia o impasse. Nesse ínterim, porém, a mãe
verdadeira gritou: “Não! Não matem a criança!
Deem-na para a outra mulher”. A adversária,
no entanto, redarguiu: “De forma alguma. Dividam a criança no meio”. Ainda bem que o juiz
não era o pai de Graciliano Ramos, um medíocre. É que os medíocres, malgrado aquilatem as
asneiras que fazem, normalmente não voltam
atrás, por questão de arrogância ou vaidade.
Mantêm o erro para não demonstrar fraqueza.
Salomão, não. O mérito que o fez chegar ao trono jamais lhe permitiria deixar de enxergar que
a verdadeira mãe preferiria perder seu filho a
vê-lo morto. Por conseguinte, Salomão ordenou
que o neném fosse entregue àquela mulher que
pediu para que ele não fosse dividido em dois.
E o povo descobriu o quão tranquilizador
é ser governado por um rei sábio, que chegou
onde chegou, não de forma biônica, mas legítima, meritória. Eis o triunfo da meritocracia.
Criada em 1958 pelo sociólogo britânico Michael Young, a palavra dá título a um dos seus
mais importantes textos: rise of the meritocracy. A meritocracia seria, pois, um sistema de
governo que seleciona os servidores em geral
pela competência, ao invés de pelo apadrinhamento. O chefe do executivo, por exemplo,
será meritoriamente empossado se consagrado
nas urnas pelo voto popular. Diferentemente,
será coronelisticamente empossado se chegar
ao cargo mediante a imposição, o que faria
dele um líder biônico, tirano e zambeta. Biônico porque galgou o poder mecanicamente,
pela inflição fria da máquina ditatorial, sem a
unção popular, conferida junto à pia batismal
do voto; tirano porque fruto de um modelo
avesso à democracia, o qual despreza o desejo
das massas; zambeta porque cambaleia para
lá e para cá, conforme seja a direção das artérias do coronel. A Inglaterra mudou o método
educacional com a meritocracia.
Nos EUA, Randall Collins, professor de Sociologia na Pensilvânia, cunhou o vocábulo “credencialismo” para designar a situação de quem
estaria credenciado para desempenhar cargos,
enfatizando mais a capacitação do indivíduo do
que uma falsa igualdade existente hoje por aqui
nos diversos setores do serviço público. Lembro-me de um texto que li na minha adolescência
sobre a questão de tratar os desiguais de forma
igualitária. O autor criticava o modelo soviético
de pagar de forma igualitária aos servidores,
independente da produção de cada um. Acrescentava que o maior inimigo do comunismo
era o leviatã burocrático criado pelo regime e
que ele iria corroer, como um câncer, suas entranhas, até a sua morte definitiva. Anos mais
tarde a profecia se concretizava com a Queda do
Muro de Berlim. Que entendam: não estou me
referindo, aqui, da igualdade das possibilidades
ou dela como laço social, mas do sucesso que
o homem quer ter em sua vida individual e o
reconhecimento pelo que ele é.
O editor do “THE” (Times Higher Education), Phil Baty, esteve no Brasil em 2012,
a convite do Ministério da Educação para
dissecar sobre rankings universitários internacionais. Ele foi considerado naquele ano como
uma das 15 personalidades mais influentes da
área de educação no mundo pelo jornal “Australian”. Para ele, o nivelamento dos salários
engessa a qualidade do ensino nas universidades brasileiras. Evidente que não precisa ser
autoridade especializada para perceber o caos
que se instalou no ensino público brasileiro,
chegando ao ponto da nossa melhor universidade, a USP, estar enfrentando uma das suas
piores crises que, no dizer do professor José
Arthur Giannotti, “a USP e outras instituições
de ensino tem sido privatizadas, não pelo capital, mas por suas próprias burocracias, que
se aglutinam para disputar vantagens nas carreiras e nas facilidades instaladas no campi”.
Por aqui, entretanto, há quem ache um
absurdo a tese da meritocracia. Essa alcatéia
aplaude paralisações, sem qualquer prestação laboral, mas com salário no fim do mês;
critica, no serviço público, a progressão na
carreira pela qualificação e eficiência, chegando a afirmar que premiação pela avaliação é
discriminatória; e defendem que todos devem
receber igual, os que trabalham, os que nada
produzem e aqueles que nem trabalham, num
falso igualitarismo. É essa mesma súcia que
aplaude juízes como o pai de Graciliano e que
vibra com a prisão de um Venta-Romba.
Clóvis Barbosa escreve aos domingos,
quinzenalmente.
JOSÉ LIMA SANTANA
ADVOGADO, PROFESSOR DA UFS, MEMBRO DA ASL E DO IHGSE
Baronesas, pescaria e “tilapa” da boa
A UFS está construindo a sua estação de
tratamento de esgotos. Será uma estação moderna, como apontam a engenharia sanitária
e os ditames da sustentabilidade. Substitui
a antiga lagoa de contenção construída na
década de 1980. E por falar nessa lagoa, ela
era tomada por baronesas e outras plantas
aquáticas. Situada nas proximidades, mas não
tão perto assim, do rio Poxim. Peixes nativos
ou não da região povoavam a lagoa. O mato
tomava conta da lagoa, encobria suas águas
poluídas. Lá embaixo os peixes se deliciavam
com as matérias orgânicas ali deixadas. Alimentavam-se. Engordavam. A lagoa não era
lugar apropriado para a piscicultura. Longe
disso. Os despejos que para ali escorriam não
eram de boa qualidade. Ao contrário, eram
água servida, xixi e titica. Para isso mesmo a
lagoa foi construída. E para nada mais além
daquilo ela tinha serventia.
A planta aquática denominada baronesa
(Eichornia crassipes) é também conhecida
como aguapé, orelha-de-jegue, jacinto d´água
e miriru. Essa planta possui raízes longas (podem medir até um metro), rizomas, estolões,
pecíolos, folhas e inflorescências. A parte que
fica fora d´água pode atingir uma altura que
varia desde alguns centímetros até um metro,
a depender do tipo. A baronesa se apresenta
suspensa, mais das vezes flutuando livremente.
A planta possui uma grande quantidade de pecíolos cheios de cavidades de ar – isso explica o
enorme poder de flutuar. A baronesa serve de
abrigo natural a organismos de vários tamanhos e aspectos, servindo de habitat para uma
fauna bastante rica, desde microrganismos,
moluscos, insetos, peixes, anfíbios e répteis, até
aves. Uma das principais vantagens da baronesa é que ela é um filtro natural, pois apresenta a
capacidade de incorporar em seus tecidos uma
grande quantidade de nutrientes. Assim, se um
lago ou um reservatório estiverem poluídos,
coloca-se a baronesa: suas raízes longas e finas,
com uma enorme quantidade de bactérias e
fungos, atuam sobre as moléculas tóxicas, quebrando sua estrutura e permitindo que a planta
assimile estes componentes tóxicos.
Voltemos no tempo. Uns poucos anos
atrás. Era uma bela tarde de setembro. As chuvas grossas do inverno já tinham ido embora.
Aqui ou acolá caiam uns poucos chuviscos. A
primavera estava às portas. Faltavam apenas
dois dias para a abertura oficial da estação das
flores. Aqui no Nordeste brasileiro, as quatro
estações do ano são irregulares. Muita gente
até diz que não temos estações, muito menos
primavera. Mas não é bem assim. De setembro
a dezembro florescem muitas plantas e árvores, como o murici, o são-joão, o juá, o pau
d’arco, a jurema, a sucupira etc. Ah, as flores
roxas da sucupira transformam a árvore num
belíssimo buquê! E o pau d’arco? Nos campos
sergipanos viceja o amarelo em maior profusão, seguido do roxo. O branco é mais raro.
E assim é a nossa primavera. Mas, como eu
ia dizendo, aquela era uma bela tarde de setembro. Uma ensolarada tarde. Um professor
de química da UFS dirigiu-se à lagoa de contenção com um grupo de alunos. Aula prática.
Outro professor, este de biologia, também
acompanhava alunos em busca de espécimes
vegetais e animais na mata que a UFS mantinha – e ainda mantém – para além de suas
cercas e para além da lagoa de contenção. No
instante em que os professores se cumprimentavam a certa distância, uma aluna soltou um
grito de susto. De susto? Melhor seria dizer de
pavor. Alarmou a todos. E tinha razão. Uma
cobra acabara de deslizar entre suas pernas.
Era uma jararaca. Um filhote. Porém, cobra
é sempre cobra. Duas garotas saíram em disparada. Um rapaz do tipo malhado quase deu
um chilique. E gritou: “Ai mamãe, eu tenho
medo de víboras!”. Ninguém segurou o riso.
Foi gargalhada geral. O fortão pagou o maior
mico. Doravante, os colegas o chamariam assim: “Ai mamãe”. Ele se danaria cada vez que
assim o chamassem. O apelido pegou. E ele,
pelo que dizem as boas línguas, para não dizer
o contrário, passou a não ter mais medo de
“cobra”, se é que um dia deveras o teve. Coisas
da vida. Nada demais. O respeito a todos há de
ser sempre imperioso.
Os alunos e o professor de química também
gargalharam naquela tarde, diante do quase
chilique do aluno de biologia. Passado aquele
fato, o mestre de química conduziu os pupilos
na coleta de amostras da água suja da lagoa.
Recipientes cheios, os alunos ouviram algumas
explicações do professor sobre o processo que
ali ocorria com a presença da baronesa. A explanação entusiástica do mestre durou mais ou
menos vinte minutos. Era um docente seguro
de si, que dominava com esmero o conteúdo
do que ensinava. Os alunos formularam perguntas, que foram respondidas. Quando se
preparava para sair, o grupo viu aproximar-se
um garoto com um bom anzol e, ao que pareciam, iscas à vontade. Pescar naquelas águas?
Não podia ser. Ali tinha muitos peixes. Porém,
não se prestavam para o consumo humano,
tal era a condição nefasta dos resíduos que
enlodavam as águas. O professor, em princípio,
pensou que o jovem pescador deveria se dirigir
ao rio Poxim e pescar em suas águas. Todavia,
não. Ele se abeirou da lagoa. E pôs isca no
anzol. Minhoca, provavelmente cavada ali por
perto. O professor não se conteve. Com voz
episcopal – os amigos o chamavam de “bispo”,
tal o seu devotamento à Igreja – ele se dirigiu
ao pescador: “Meu filho, você não deve pescar
aqui. Você não deve comer os peixes daqui, pois
eles são impuros. Eles fazem um mal danado a
quem os comer”. Sem se dar por aquilo tudo,
por aquele discurso, o jovem pescador, respondeu: “Eu como não, tio. E eu lá sou doido!? O
que eu pesco aqui não é pra comer não. É pra
vender, ali na frente. Tem até um professor daí
que me compra peixe quase toda sexta-feira.
Umas ‘tilapas’ bonitas que só! E ele diz que é
pra dar de presente a outro professor, que gosta
muito de ‘tilapa’. Pense numas ‘tilapas’ gordas
que eu pego aqui, tio! Quem compra num sabe
mesmo de onde é que o peixe vem...”.
O professor arregalou uns olhos maiores
do que as cajaranas cultivadas por um professor de farmacologia, que tinha o hobby de
cultivar plantas e árvores frutíferas. Calou por
um instante. Engoliu um seco. Pensou: “Não
pode ser!”. Uma aluna, atenta, observou algo
estranho no professor. E indagou: “Algum
problema, professor?”. Era como se o mestre
acabasse de despertar. Balbuciou: “Não, nada
não, Conceição”. Era evidente que tinha algo.
Algo que incomodava o mestre. É que ele lembrou que nalgumas sextas-feiras um colega do
Departamento de Economia, e de cuja salutar
amizade ele desfrutava, lhe presenteava com
belíssimas e gostosas tilápias muito gordas,
que o mesmo dizia serem pescadas no viveiro
de um irmão, em Itaporanga D’Ajuda. E ele
nunca parou para lembrar que o amigo professor não tinha irmãos, mas, sim, irmãs. E todas
moravam na Paraíba. Eis o fato.
Tilápias gordas...! Quem as há de comer,
sem saber de onde elas vêm?
A-8
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Informe Publicitário
Jornal da Cidade
Cidades B
Jornal da Cidade
correspondência
C ADE R N O
Correios enfrenta
problemas com
endereço incompleto
Cidades B2
Aracaju  domingo 6 e segunda-feira 7.7.2014
[email protected]
EditorA: Eugênio Nascimento
Violência faz o aracajuano
ter gastos com segurança
Fotos: Jadilson Simões
Cerca elétrica e câmeras viram aliados contra importantes assaltos
Jadilson Simões
Gabriele Frades
Da equipe jc
O
crescimento da violência
nas cidades tem feito
com que cada vez mais
pessoas se preocupem em investir nos equipamentos de
vigilância e segurança. Em Aracaju, a procura tem se tornado
tão intensa que desde o último
mês de dezembro até o final de
junho, uma empresa de vigilância da capital contabilizou um
aumento de 80% no número de
novas adesões de planos de segurança patrimonial. Entre as
opções mais procuradas pelos
sergipanos estão o monitoramento de câmeras e de cercas
elétricas, bem como a colocação de portões eletrônicos.
Segundo dados do Sindicato das Empresas de Segurança
Privada do Estado de Sergipe
(Sindesp), os serviços tem realmente se tornado muito procurados pelos sergipanos, tanto
que hoje existem mais de 1000
vigilantes particulares cadastrados no estado, trabalhando
em 19 empresas particulares de
vigilância. “Hoje o serviço de vigilância particular atua como os
serviços ofertados pelos planos
de saúde, no setor da segurança.
Como na Saúde o estado também não consegue atender as
necessidades de todos, é aí que
a vigilância privada entra. Antes
apenas pessoas com alto poder
aquisitivo conseguiam pagar por
esses serviços, mas hoje o mercado está bem mais acessível à boa
parte da população”, acredita o
presidente do Sindesp, Marco
Aurélio Pinheiro Tarquino.
Para a gestora de eletrônica da Pinheiro Vigilância,
empresas de segurança faturam com instalação de cercas elétricas
Karla Vieira, os altos índices
de criminalidade e a engenhosidade dos assaltantes tem
feito com que cada vez mais
pessoas optem por contratar
os serviços de vigilância. “Em
Aracaju, as áreas onde mais
temos clientes são os Bairros
São José, 13 de Julho e o
Centro, isso porque em todos
esses locais há uma presença
muito forte de lojas comerciais, que ainda hoje ocupam
o primeiro lugar do ranking
em investimentos de segurança”, explica.
No entanto, o segmento de
vigilância tem se expandido
também para áreas residenciais, e se engana quem pensa
que apenas os condomínios
fechados é que recebem esse
tipo de monitoramento. “Eles
ainda são os principais interessados nesses sistemas,
afinal é vital garantir a segurança dos condôminos, mas
nas residências particulares a
adesão tem crescido bastante.
As pessoas se sentem mais
seguras dessa maneira e tem
optado principalmente pelas
cercas e portões elétricos,
uma vez que é na hora que
o proprietário desce do carro
para abrir o portão que os
assaltantes fazem a abordagem”, completa Karla.
Atualmente o preço também se tornou um atrativo
a mais para os que desejam
investir em segurança patrimonial. “Antigamente, manter
uma guarita e um circuito
interno de TV era muito caro,
e a maioria das pessoas não tinha acesso a esses bens. Hoje,
com programas de monitoramento à distância, essa segurança pode ser feita a partir de
R$ 150, por exemplo. As empresas do ramo têm investido
muito em tecnologia, porque
os assaltantes também têm
inventado muitas maneiras
de burlar os mecanismos de
defesa, temos que ser cada vez
mais criativos. Todos os serviços são pensados pelas empresas para garantir a segurança
do cliente e a eficiência dos
produtos oferecidos”, afirma a
gestora de eletrônica.
em socorro
5ª Delegacia tem fuga em massa
Mais uma fuga foi registrada na 5ª Delegacia Metropolitana, localizada no Conjunto
João Alves, em Nossa Senhora
do Socorro. O fato ocorreu
por volta das 19h de ontem e
as informações são de que 26
homens escaparam, e somente
um até o momento foi capturado. No momento da fuga
havia 46 presos, agora restam
somente 20.
Segundo o coordenador
interino da Coordenadoria de
Polícia Civil da Capital (Copcal), o delegado José Inephânio de Souza, os primeiros
levantamentos apontam que
os criminosos aproveitaram
o momento que um policial
levou um preso que estava
na área de banho de sol para
a cela. No momento da fuga,
havia somente dois policiais
na delegacia.
“Os presos aproveitaram
o momento em que um policial foi colocar o preso que
estava na área ade banho de
sol na cela, os demais presos
empurraram a porta da local
e saíram correndo. Por haver
somente dois policiais no momento, não houve tempo de
reação e os presos acabaram
fugindo e na correria, empurrando um dos policiais”,
explicou o delegado.
Constantemente a 5ª DM
vem sendo alvo de notícias na
mídia por conta das fugas no
local. Em maio foi registrada
uma fuga na 5ª Delegacia Metropolitana, onde pelo menos
dez homens teriam escapado.
Em um dos casos, homens chegaram a invadir o local para
resgatar os presos.
Policiais continuam em diligências na tentativa de recapturar os detentos e reconduzi-los
à carceragem. Quem souber
informações sobre os foragidos
pode entrar em contato com
Disque-Denúncia (181) ou 190
da Polícia Militar.
Médico Gustavo Moura atendeu várias crianças em creche
almir do picolé
Oftalmologista faz
mutirão em creche
O
médico oftalmologista Gustavo Moura realizou ontem,
5, um mutirão de atendimento para as mais de 80 crianças assistidas pela Creche Almir do Picolé, localizada no município de Nossa Senhora do Socorro. A ação solidária, que
consta da realização de exames oftalmológicos e os devidos
encaminhamentos para tratamento e correção de deficiências oculares, também se estendeu aos pais dos assistidos. A
ideia do oftalmologista é realizar o mutirão uma vez ao ano.
“Também pretendo levar esse mutirão para outras instituições beneficentes”, diz o doutor.
Até avós dos pequenos assistidos por Almir do Picolé foram beneficiados pela ação solidária. Aos 54 de idade, dona
Maria Ivanildes Santos estava com dificuldade de enxergar.
Também não era para menos. Para ler melhor, ela vai precisar de pouco mais de três graus em cada olho. “Essa é a
primeira vez que sou atendida por um especialista em olho.
Não tenho nem palavras para dizer o quanto esse mutirão
vai me ajudar”, diz Maria.
Também foi a primeira vez que o pequeno José Eduardo,
de três anos de idade, e a mãe, Maria Jessica, tiveram contato com um oftalmologista. “Nós que não temos condições
financeiras para ir a um oftalmologista, essa ação é uma
oportunidade para sabermos como estão nossos olhos”,
comenta a genitora de João, que não teve medo do exame
oftalmológico. A ideia do mutirão, que começou às 8h, foi
do médico Gustavo Moura. “É uma forma que encontrei de
retribuir todo o conhecimento acadêmico adquirido no meu
Estado”, afirmou o oftalmologista.
Ainda de acordo com o médico, outro fator que motivou a iniciativa foi a afinidade que tem com atividades filantrópicas e o reconhecimento ao trabalho desenvolvido
por Almir do Picolé na comunidade Piabeta, em Socorro.
Ele explica que o mutirão é uma ação preventiva, sendo
que aqueles que necessitarem de prescrição de óculos
serão encaminhados à empresa parceira nossa que disponibilizará lentes e armações, bem como àqueles que
apresentarem diagnóstico de alguma doença serão encaminhados ao tratamento.
Para Almir do Picolé, o mutirão contribuirá de forma
significativa para a saúde da comunidade assistida. “Até eu
aproveitei o embalo e fiz o exame também, pois tenho deficiência visual. Muito boa essa ideia do médico Gustavo
Moura e espero que outros profissionais se sensibilizem
e nos ajudem futuramente também. Isso é muito para
gente. Graças a Deus, contamos com ajuda de muita gente
boa de coração que nos ajuda a manter essa instituição”,
comemora Almir do Picolé.
B-2
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Cidades
Jornal da Cidade
Jadilson Simões
André Moreira
felix lista que há pré-requisitos para o carteiro entregar uma correspondência, inclusive, a necessidade de condições de acesso e segurança para o oferecimento do serviço; alguns bairros também sofrem com ausência de carteiros
Correios sofrem sem identificação de ruas
Dados registram que empresa não entrega correspondências em pelo menos 50 dos cinco mil logradouros
Andréa Vaz
Da equipe JC
E
m Sergipe, funcionários dos Correios não
entregam correspondência em pelo menos
50 dos cinco mil logradouros. Sem a presença de identificação nas ruas, moradores do
Bairro 17 de Março, alguns conjuntos do Santa
Maria, Zona de Expansão e zona Norte da cidade também sofrem com a falta dos carteiros, que
não chegam em determinados locais obrigando
moradores a buscar as correspondências na
agência do Correios mais próxima da residência.
O motivo alegado pela Empresa Brasileira de
Correios e Telégrafos para a falta do serviço tão
necessário à população é a falta de identificação,
placa e números nas ruas.
A jornalista Célia Silva é uma das centenas
pessoas que sofrem com esse problema em
Aracaju. “Eu moro em uma localidade que
não consta no CEP. Quando dou o nome da
rua e do conjunto é como se não existissem.
Como o CEP é sempre exigido, o que é aceito
é o CEP do Conjunto Santa Tereza, próximo
à localidade onde moro. Daí, as lojas, bancos
e etc. que aceitam, o que são
a maioria, é só completar

o endereço da minha casa,
mas sabendo que vai aparecer sempre Santa Tereza”,
denuncia a jornalista, ao
acrescentar que há locais que
não aceitam essa informação.
“O serviço de telegramas dos
Correios, por exemplo, não
aceita. Nesse caso, não recebo telegrama em minha casa,
nunca. Uma loja em que comprei recentemente, via internet, também não
aceitou e a compra teve que ser direcionada
ao endereço de um familiar”, diz ela.
Para se ter uma ideia do tamanho do proble-
ma, por dia 300 correspondências ficam à disposição nos Correios. De acordo com o gerente
de Distribuição dos Correios em Aracaju, Felix
Farias, há pré-requisitos para o carteiro entregar
uma correspondência. “As ruas
precisam ter um nome oficial
que é dado pela Câmara dos
Vereadores, também é necessário que a prefeitura coloque
uma placa na rua identificando
e os moradores deixem os números visíveis e sequenciados”,
listou Felix Farias, acrescentando ainda a necessidade de condições de acesso e segurança
para o oferecimento do serviço.
Para as centenas de pessoas que sofrem com a falta dos carteiros, Felix
Farias orienta procurar a Prefeitura de Aracaju para resolver o problema. “Nós estamos
à disposição, quem quiser tirar dúvidas ou
“as ruas precisam ter
um nome oficial que é dado
pela câmara dos vereadores,
a prefeitura tem que
colocar uma placa na rua”
pedir informações pode ligar para agente no
telefone 080072501100 ou passar um e-mail
para [email protected]”. Felix
lembra ainda que os Correios também sofrem
com esse tipo de problema, já que aumenta o
número de clientes insatisfeitos com a empresa, aumenta também o índice de devolução de
objetos e gera filas nas agências. “No entanto,
garante que o problema não está na Empresa
Brasileira de Correios e Telégrafos e, sim, na
Prefeitura de Aracaju.
A Prefeitura de Aracaju, por meio da Assessoria de Comunicação da Empresa Municipal de
Obras e Urbanização (Emurb), por outro lado,
responsabiliza a Câmara Municipal de Vereadores, já que é o órgão responsável pela realização
de projetos de lei que visam dar nomes para as
ruas. A equipe do JORNAL DA CIDADE tentou
falar com a Assessoria de Comunicação da Câmara de Vereadores, mas até o fechamento da
matéria não obteve êxito.
Jadilson Simões
Divulgação
cardioligista Antônio Souza diz que cerca de 50% das pessoas que procuraram o atendimento no dia do jogo ou até 48h após partida já haviam sido diagonosticadas com problemas cardíacos
bom-senso
Torcedor apaixonado por futebol deve cuidar do coração
Todo apaixonado por futebol sabe o quanto uma partida bem disputada pode mexer
com o coração do torcedor. Entre um chute
perigoso a gol ou mesmo antes de uma importante cobrança de pênalti a saúde dos
corações fanáticos são colocados à prova.
Mas essa não é uma afirmação apenas figurativa. Segundo uma pesquisa desenvolvida
pelos médicos cardiologistas Antônio Carlos
Sousa e Marcel Figueiredo Fontes, através do
Centro de Ensino e Pesquisa da Fundação São
Lucas, as chances de um torcedor sofrer com
problemas cardíacos nesses eventos aumenta
consideravelmente, em especial em tempos
de Copa do Mundo.
Prova desse fenômeno foi a morte do
torcedor carioca Jairo Rueda de Oliveira Guimarães, de 69 anos, que no dia 28 teve um
infarto enquanto assistia à dramática partida
disputada entre Brasil e Chile, no Mineirão.
Com o objetivo de investigar se o risco de
eventos cardiovasculares estão aumentado
durante eventos que induzem estresse emocional, os médicos monitoraram um grupo
de pacientes cardíacos sergipanos durante a
Copa de 2010, na África do Sul, e constataram que durante os jogos da seleção o coração do torcedor sergipano precisou ser forte.
“Realizamos o monitoramento durante
todos os dias da competição, mas percebemos
que sempre que a Seleção Brasileira estava
em campo o aumento dos eventos cardíacos aumentava. Entre os dias 14 de junho
e 06 de julho identificamos que 20 homens
deram entrada no hospital com problemas
cardíacos, em especial nos dias dos jogos da
seleção, quando registramos oito casos. Só
no dia da eliminação da seleção, 02 de julho,
foram registrados cinco casos. Com o estudo
pudemos perceber uma elevação de eventos
cardiovasculares duas vezes maiores em dias
de jogos do Brasil (quando comparado com
período de controle, fora da copa)”, explicou
o cardiologista Antônio Sousa.
Este ano, com a Copa sendo realizada no
Brasil, um novo estudo similar está sendo
realizado pelo cardiologista com o objetivo
de verificar se a Copa realizada em nosso
país pode provocar um aumento do estresse
emocional e incrementar a ocorrência de
eventos cardiovasculares. “Nosso objetivo é
conscientizar os torcedores que são também
pacientes cardíacos (pois a maioria dos que
apresentaram algum problema nos dias de
jogos já eram safenados, ou já haviam sofrido
derrames, paradas cardíacas, etc), para que
eles tomem cuidados durante as partidas.
Em paralelo, estamos também fazendo uma
campanha de conscientização quanto aos
cuidados que os pacientes cardíacos devem
ter durante a Copa do Mundo e em especial
durante os jogos do Brasil”, complementa.
Segundo o cardiologista, cerca de 50% das
pessoas que procuraram atendimento no dia
do jogo ou até 48h após a partida já haviam
sido diagnosticadas com problemas cardíacos
e haviam suspendido a ingestão de medicamentos no dia do jogo. “A maioria são homens
que nesses dias suspendem a medicação para
ingerir bebidas alcoólicas e abusar de comidas gordurosas, como o churrasco e os petiscos. Há também um aumento do consumo de
cigarros. Isso acontece porque eles acreditam
que precisam parar a medicação para beber, o
que não é verdade, pois parando a medicação
eles apenas retiram a proteção que já tinham.
A recomendação é que continuem usando os
medicamentos mesmo estando bebendo e até
mesmo que procurem um médico para que
este possa receitar um calmante se for necessário”, afirma Dr. Antônio.
O médico orienta ainda que o bom senso
seja usado pelos torcedores cardíacos na hora
de torcer. “Procurem o seu médico, porque
ele conhece a sua condição física e se for
preciso até deixem de assistir aos jogos, pois
esse estresse desnecessário não faz bem à
saúde do coração. O período mais crítico para
os corações com problemas cardíacos são a
hora que antecede o jogo e às duas horas seguintes ao início da partida. Nesse período o
paciente aumenta em duas ou até três vezes a
sua chance de enfartar. Estamos monitorando
um novo grupo de pacientes e esperamos que
seguindo nossa orientação eles consigam ver
a seleção ser campeã”, finaliza o médico.
Jornal da Cidade
Cidades
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
B-3
ENTREVISTA MARCOS SANTANA DE SOUZA
‘Sergipe tem índice elevado de violência’
André Moreira
Ultimamente, um dos assuntos mais
comuns em rodas de amigos, seja à
porta de casa, na mesa de bar ou no
trabalho, sem dúvida tem sido a falta de
segurança ou, pelo menos, a sensação
de insegurança a que os sergipanos
estão expostos, e um dos fatores
que fazem com que este assunto seja
presente e recorrente é o crescimento na
quantidade de assaltos e de homicídios
por armas de fogo. Mas, a que se deve
essa onda crescente de ações negativas?
O que as tem motivado? Como o Estado
de Sergipe pode modificar esta realidade?
Foram perguntas deste tipo que o JORNAL
DA CIDADE fez a Marcos
Santana de Souza, doutor em Ciências
Sociais pela Unicamp/SP e especialista
em “Violência, criminalidade e
políticas públicas”, realizado numa
parceria entre o Ministério da
Justiça e a Universidade Federal de
Sergipe. Marcos é professor da UFS
no Campus Laranjeiras e membro
da Rede Nacional de Altos Estudos
em Segurança Pública (Renaesp/SE).
Também possui conhecimento sobre
a questão por tê-la vivido um pouco
mais de perto, já que por quase sete
anos foi soldado da Polícia Militar
de Sergipe. É ainda o autor do livro
“A violência da ordem: polícia e
representações sociais”, lançado pela
editora Annablume, no ano de 2012.
Andréa Moura
Da equipe jc
w JORNAL DA CIDADE – O senhor avalia
Sergipe como um estado violento? Por quê?
MARCOS SANTANA DE SOUZA - Como a maior
parte dos estados brasileiros, Sergipe apresenta índices muito elevados de violência e criminalidade.
Os registros de homicídios estão acima daqueles
considerados toleráveis pela ONU e situam o Estado entre os que apresentaram maior crescimento
nos últimos anos. A região Nordeste destaca-se
no país com os piores índices atualmente. No
caso de Sergipe, o aumento segue uma tendência
destacada nas principais análises existentes e está
relacionada ao processo de disseminação e interiorização da violência no país. As cidades de pequeno
e médio porte, que não foram preparadas para
enfrentar mudanças decorrentes da ampliação da
atividade econômica e outras alterações, são as
que revelam maiores dificuldades para lidar com
o aumento de roubos e homicídios, tendo em vista
a concentração de grande parte do efetivo policial
e outros investimentos nas capitais e em outras
cidades maiores.
w JC - Qual a falha existente no trabalho
desenvolvido pelos órgãos de Segurança Pública
em nosso Estado?
MSS - Do mesmo modo que não é possível falar
na incidência de apenas um fator quando se trata
de explicar a violência e o crime, ao analisar o
trabalho dos órgãos de Segurança não se pode
apontar uma grande falha como responsável, mas
a existência e interação de diferentes fatores ou
fragilidades. Assim como a maior parte dos estados
brasileiros, as deficiências na atuação dos órgãos
de Segurança Pública em Sergipe mantêm relação
com a necessidade de alterações profundas na
estrutura desses órgãos, com investimentos não
apenas em equipamentos, mas na qualificação e
valorização dos profissionais da área. Infelizmente
os governos têm tratado de forma separada temas
que são indissociáveis. A aposta, ora na aquisição
de equipamentos, de viaturas, na reforma de
delegacias, etc - como se não dependêssemos de
profissionais motivados para operá-los –, ora na
concessão isolada de aumentos salariais, sobretudo
para segmentos específicos das carreiras, como se
ela fosse capaz de superar as fragilidades na estrutura e da formação, é enganosa e até prejudicial
na medida em que muitas vezes contribui para
ampliar fissuras internas nesses órgãos e engessar
práticas indesejáveis ao atender indistintamente
bons e maus profissionais. Aumentos esporádicos
de salários podem atrair momentaneamente bons
candidatos, mas não assegura perspectivas de crescimento profissional para os que nela estão e que
desejam investir na carreira.
w JC – Então, o que fazer?
MSS - Desse modo, mostram-se fundamentais
iniciativas voltadas à reestruturação dos órgãos e
investimentos mais claros na estrutura e valorização
dos profissionais da área. Para isso, são necessárias
mudanças nos critérios de recrutamento e capacitação dos profissionais da área, assim como a ampliação de investimentos em salários e em condições de
trabalho, além da necessidade de priorizar as ações
de prevenção e de resolução criminal. A primeira, a
partir de um trabalho articulado da SSP com outras
secretarias de governo, com instituições de pesquisa,
Ministério Público, sociedade civil, entre outros. A
segunda, com ampliação das investigações, investimentos no trabalho da polícia técnico-científica e que
permitam a identificação da autoria dos crimes. O
investimento em inteligência policial é fundamental
tanto numa área como na outra, de modo que os
órgãos saiam de postura reativa focada ainda em
grande parte no uso da força e no caráter seletivo
das ações para um trabalho de prevenção baseado na
interação com diferentes segmentos de governo e da
sociedade, reconhecendo que as ações destinadas ao
controle da violência e do crime não são exclusivas
dos órgãos de Segurança Pública, mas de toda a
sociedade. Neste sentido, é importante tornar o trabalho nesse campo mais transparente, e permeável a
articulação com outras esferas, inclusive de governo.
w JC - O que esperar de um Estado que possui
um sistema prisional extremamente superlotado,
com unidades em sua maioria com péssima
infraestrutura, duas delas por sinal interditadas
(não podendo receber mais presos) e uma
considerada de segurança máxima onde de tempos
em tempos há rebelião?
MSS - É uma resposta difícil, pois demanda cautela para avaliar a extensão e a complexidade da
realidade prisional em Sergipe, mas certamente o
futuro é o resultado não apenas da configuração do
presente, mas, sobretudo, das respostas construídas
frente aos desafios de ontem e hoje. Nesse caso, é
importante verificar mais detalhadamente o quadro
existente e quais são as respostas emergenciais
do governo e se existem projetos para resolver os
problemas a curto, médio e longo prazo. A realidade do sistema prisional de Sergipe não é isolada
e está longe de ser nova, convive com omissões e
políticas equivocadas durante décadas, seguindo
especialista diz que cidades não preparadas para enfrentar mudanças revelam dificuldades na segurança
infelizmente um padrão bastante conhecido no país.
Há uma conhecida frase que retrata bem a realidade
do sistema prisional brasileiro: “a cadeia é uma forma
cara de tornar as pessoas piores”. Diante do aumento
das atividades criminosas, as demandas em torno da
ampliação do encarceramento e do endurecimento das
penas são geralmente reforçadas, mas ambas são estratégias comprovadamente pouco eficazes na resolução
dos problemas nesse campo. O Brasil já é o terceiro país
com maior população carcerária no mundo, com um
aumento superior a 400% em 20 anos, e nem por isso os
brasileiros se sentem mais seguros e passaram a confiar
mais nas instituições. A retirada das pessoas que cometem delitos do convívio social sem o compromisso com
o seu retorno em condições melhores, além de perigoso
é cruel para todos. Além de não resolver o problema,
reforça o comportamento criminoso e leva o Estado a
uma relação de equivalência perigosa em relação aos
crimes que deve enfrentar. As rebeliões neste sentido
sinalizam o estrangulamento de um modelo, a incapacidade de gestão de espaços que deveriam cumprir um
propósito pedagógico de conscientizar toda a sociedade
e não apenas aqueles que fizeram uma incursão pela
atividade criminosa. Estamos enganados quando não
reconhecemos que estamos todos implicados no sistema prisional. Por mais difícil que seja reconhecer, a
nossa segurança depende disso.
w JC – As celas das delegacias também estão
abarrotadas de detentos, dificultando, inclusive,
o trabalho investigativo da Polícia Civil. No Brasil
ainda há um pequeno desencontro entre quem
prende e quem manda soltar, já que a maioria das
pessoas presas é reincidente, que muitas das vezes
sequer cumpriu o tempo determinado pelo crime que
cometeu devido a Habeas Corpus ou relaxamento de
prisão. Como o senhor avalia isso?
MSS - A realidade de algumas delegacias em Sergipe
é extremamente preocupante e revela um quadro
reiterado de negação de direitos, com implicações
sociais bastante graves. Esses espaços expressam as
contradições e desafios do nosso sistema de justiça criminal. É importante destacar, no entanto, que a superlotação das celas de delegacias não representa apenas
dificuldades para o trabalho investigativo da Polícia
Civil, mas constitui em risco iminente para a vida dos
agentes policiais e dos presos custodiados. É muito
presente o risco de disseminação de doenças, em razão
das condições insalubres das celas, bem como da possibilidade de fugas e invasões, considerando que não
são espaços adequados para a permanência, a longo
prazo, de presos, alguns, inclusive, já sentenciados.
O descompasso apontado entre a prisão, a soltura e o
cumprimento efetivo da pena é resultado de diversos
fatores, não sendo possível enquadrar situações muito
diversas numa simples explicação que pode redundar
no questionamento de recursos essenciais em um
estado democrático de direito como o habeas corpus.
Esse desencontro que leva anos e até décadas para
que um acusado seja sentenciado e passe a cumprir a
pena é resultado de uma legislação que permite atrasar julgamentos por meio de recursos desnecessários.
Não basta sermos rápidos na prisão, mas assegurar
investigações sérias e julgamentos justos, respaldos
em provas substanciais. O magistrado quando atende
a solicitação geralmente o faz respaldado pela legislação, de modo que apenas o debate, o papel de juristas
e a participação da sociedade junto ao Poder Legislativo podem fomentar reformas que atuem no enfrentamento à impunidade a partir de soluções que tornem
mais célere a aplicação da justiça sem comprometer
o direito fundamental à ampla defesa dos acusados.
w JC - Como o judiciário brasileiro poderia, ou
melhor, pode ajudar no trabalho da Segurança
Pública?
MSS - Há importantes ações em curso que precisam
ser ampliadas como os mutirões destinados a diminuir
o tempo entre a abertura do processo, a apreciação e
julgamento das ações. A aproximação entre o Judiciário e
segmentos sociais que mais sofrem em relação ao acesso
à Justiça pode contribuir para a construção de novas percepções em ambos os lados. Infelizmente há setores do
Judiciário que desconhecem a realidade de grande parte
da população que não pode pagar honorários advocatícios, que convive com desmandos, ameaças e outras formas de violência e isso favorece um quadro distanciado
da realidade e a ampliação das desigualdades. Acredito
que os órgãos representativos de classe dos profissionais
da área, assim como de outras áreas, podem estimular
o Congresso a analisar e votar as propostas de reformas
existentes com o objetivo de favorecer o acesso mais amplo dos brasileiros à Justiça em seu sentido pleno.
w JC – Existe algum modelo de Segurança Pública no
mundo, que possa servir como modelo para o Brasil?
Fala-se muito no do Chile, ele é mesmo tão eficiente
assim?
MSS - Há diversas experiências no mundo nas quais
o Brasil pode se espelhar, mas a melhor sempre será
aquela construída de forma coletiva no próprio país e
abraçada com seriedade e compromisso pelos gestores
públicos e pela sociedade. Nenhum modelo exitoso de
Segurança Pública prescinde da participação da sociedade para a qual ele é destinado. As experiências do
Chile, da Colômbia e mais recentemente do Uruguai
têm apresentado bons resultados. Além desses países,
é possível destacar também experiências exitosas no
Canadá, na Noruega e no Japão, baseadas no modelo
de polícia comunitária. A segurança é um compromisso coletivo fundado não apenas na expectativa em
torno do trabalho de policiais e especialistas, mas da
população tanto do ponto de vista individual a partir
do autocontrole quanto do monitoramento, avaliação
e participação nas ações implementadas pelos órgãos
através da atuação de associações e outras formas
de organização social. Um elemento comum nesses
países, além de reformas na legislação, foi a aposta no
contato mais próximo das polícias com a população
a partir de ações de prevenção que tornaram os policiais autoridades desejadas. O distanciamento de um
modelo reativo por um centrado na comunicação, em
ações de inteligência e na garantia de direitos, revelou
melhores resultados e que estamos, portanto, na contramão dessas experiências.
w JC – O Mapa da Violência 2014, produzido pelo
Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos,
indica que Sergipe é o 6º estado mais violento do
país. O senhor concorda com esta análise, ou ela
estaria, além de equivocada, superdimensionada?
MSS - Desconheço indicações de erros de metodologia
no levantamento e análise dos dados presentes no
Mapa da Violência 2014 e que tem sido utilizado como
referência por pesquisadores e gestores no campo da
Segurança Pública no país. Ainda que haja a necessidade de melhorar o registro, unificando bases de dados
e favorecendo uma coleta mais precisa dos dados no
Brasil, que possam indicar o local efetivo das ocorrências, o Mapa é uma importante referência para apontar a dinâmica da violência e do crime no país e assim
estimular a elaboração de políticas públicas na área.
w JC - A vontade de fazer justiça com as próprias
mãos que alguns sergipanos estão demonstrando ter,
e em muitos casos, fazendo, mostra que a Segurança
Pública e o Judiciário estão desacreditados?
MSS - A sociedade brasileira pode ser classificada
como bastante violenta. Isso não quer dizer, no entanto, que a violência seja parte de nossa “natureza”. A
violência entre nós surge desde cedo como um importante instrumento na resolução de conflitos, ou seja,
aprendemos a ser violentos. É difícil encontrar hoje,
por exemplo, um adulto ou mesmo adolescente que
não tenha ouvido na infância que se “apanhar na rua,
apanhará também em casa”. O que ensinamos com
isso? Se devemos silenciar sobre violências sofridas em
casa, o recuo diante da violência na rua é percebido
como sinal de desonra, sendo a necessidade de revidar
uma forma de equilíbrio nas relações. Não se pode
atribuir, portanto, unicamente à descrença os casos
de linchamento registrados em Sergipe e em outros
estados, mas a um padrão de sociabilidade sustentado
na violência e ainda muito presente no país. Assistimos
a um reforço contínuo da ideia de guerra, segundo a
qual tudo seria permitido, inclusive usar as mesmas
estratégias dos supostos inimigos. Essas percepções
são importantes para indicar as principais marcas
de nosso modelo civilizatório e o caráter omisso das
instituições. Quando esses casos ocorrem, todos nós
falhamos como sociedade: famílias, escola, universidade, polícias, governantes, imprensa, entre outros.
Se as pessoas não conhecem o trabalho policial e do
Judiciário e se essas mesmas instituições não apostam
na transparência a partir de um controle mais claro do
trabalho dos seus membros, mas, ao contrário, passam
a expressar não raramente a existência de privilégios
e até mesmo silenciar diante de ameaças à imprensa,
como assistimos recentemente, a mensagem que se
passa é de que há cidadãos com mais direitos que
podem dotar o trabalho policial de um caráter seletivo.
w JC - E qual seria o passo a seguir?
MSS - Os agentes do sistema de justiça criminal
precisam estar engajados no processo de melhoria
da imagem de suas instituições e serem espelhos
de um modelo de sociabilidade, de comunicação e
cidadania necessários ao aumento da segurança
para todos os cidadãos indistintamente. A apuração rigorosa, transparente de desvios internos
desencoraja cidadãos a apostar no ‘justiçamento’,
um termo mais condizente, pois a justiça em seu
sentido pleno nunca estará presente quando a
sorte de uma pessoa é entregue ao arbítrio de
outra movida pela necessidade de vingança. Nesse
caso, pautado em soluções aparentemente fáceis,
passamos ao invés de um suposto criminoso a ter
seguramente vários. A maneira, portanto, como
o Estado reage reclamando o monopólio sobre o
uso da violência ou como permite que no interior
de suas instituições ou fora delas os indivíduos
invistam-se da autoridade para cometerem crimes
contribui para desacreditar as instituições, razão
pela qual o papel das polícias, das famílias, das
escolas e da imprensa é tão importante. Da mesma forma em que houve casos de justiçamento,
houve também cidadãos que se arriscaram na
defesa das vítimas e que, portanto, reclamaram
um outro padrão civilizatório entre nós. Esse tipo
de comportamento precisa ganhar mais atenção e
espaço. Aprendemos a ser violentos e podemos, se
assim desejarmos, transformar essa sociedade. É
necessário antes saber o que realmente queremos.
w JC – A polêmica redução da maioridade penal
ajudaria ou não a melhorar os índices de violência
registrados, já que tem aumentado muito a
participação de adolescentes e crianças em crimes,
inclusive nos de maior potencial ofensivo, isso
quando elas não são utilizadas por adultos no
cometimento dos crimes, já que esse público é, por
lei, inimputável?
MSS - Não há registros de diminuição da violência
e criminalidade nos países que optaram pela redução da maioridade penal, de modo que ela não
representa garantia como muitos imaginam para
o aumento da segurança. Se os dados apontam
que o quadro geral do sistema prisional no país é
marcado pela superlotação e por chances reduzidas
de contribuir para a ressocialização dos internos, o
que podemos esperar de uma possível ampliação do
número advinda da redução da maioridade penal?
Compreender a dinâmica do crime, as formas de
envolvimento e até recrutamento junto aos jovens,
com possibilidade de maior responsabilização daqueles que utilizam crianças e adolescentes mostram-se recursos mais adequados. Os discursos
em torno da redução da maioridade penal, que
fazem uso da dor das vítimas e buscam espaços
na imprensa e na política, abrem um precedente
perigoso para aprofundar os problemas existentes no sistema prisional. Como trabalhar pela
ampliação do encarceramento se os presídios já
estão lotados e não conseguem cumprir sua missão? Só valeria à pena se a meta fosse ampliar o
fracasso ou saciar o desejo de vingança de alguns
setores. Uma forma mais segura e inteligente de
empregar recursos públicos está em investir políticas destinadas aos jovens no país. As chances de
bons resultados são mais seguras.
w JC - Cadeia, nos moldes atuais, reeduca o
cidadão ou o deixa mais preparado para a vida de
crimes, como pensam muitos brasileiros?
MSS - Situar a resposta em um dos extremos não
ajuda a esclarecer a realidade dos internos e egressos do sistema prisional brasileiro nem apontar
caminhos que auxiliem na melhoria desse mesmo
sistema, que comporta realidades muito distintas,
tanto do ponto de vista da configuração das instituições quanto do perfil dos seus internos. Do
mesmo modo que há unidades que se debatem com
o domínio de facções criminosas, existência de regalias, tráfico de drogas, entre outros problemas, há
aquelas cujos problemas são menos graves e onde
os índices de reincidência são menores. As possibilidades de reintegração são claramente inferiores às
desejáveis, pois os programas e ações destinadas à
capacitação profissional e à reinserção social através do trabalho são infelizmente isolados. No entanto, ainda que experiência da prisão não assegure
as condições necessárias para uma ressocialização
ampla, nem por isso podemos afirmar que deixa
de haver espaço para a recuperação. Análises que
definem os presídios como “escolas do crime”, deseducam a população e condenam por toda a vida
aqueles que saem do sistema após o cumprimento
de sua pena e buscam de forma digna reinserção. É
extremamente perverso e doloroso certamente ter
que lutar com o estigma de ex-presidiário, que termina por funcionar como uma dupla condenação,
a de dentro e a de fora dos presídios. A definição a
priori como sujeitos “irrecuperáveis” de um sistema
“falido”, termina por funcionar como uma profecia que se autocumpre ao cercear as chances de
reinserção social. A despeito da existência de um
quadro caótico, em parte expressivo, das unidades,
é grande o número daqueles que não reincidem,
ainda que os números estejam distantes dos níveis
desejáveis considerando as vidas envolvidas, a importância da reinserção para a sociedade como um
todo e o volume de recursos empregados no sistema. A solução para esse quadro seguramente não
passa pelo simples encarceramento nem tampouco
pelo gesto comum de grande parte da sociedade de
virar as costas ao problema.
B-4
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Andrei Albuquerque*
alvez o isolamento acarrete certo preciosismo
e dificuldade em acatar as próprias limitações,
pois sempre precisamos do outro, do próximo,
para reconhecer nele nossas raivas, ódios e falhas
inconfessáveis. O apoucamento existencial não
pode ser apartado do insulamento próprio ao atraso
atávico da cultura nos trópicos –– ilusão volátil de que
desenvolvimento humanístico pode ser assimilado a
crescimento econômico e estrutural.
Entre praias, coqueiros e o frenesi carnavalesco
segue a mentalidade tropical débil e seus indivíduos
atabalhoados formando o que Tobias Barreto designou
por “estado de mendicidade espiritual” sendo esta a
qualidade de nossa cultura atrasada. Suas diatribes,
quanto ao atraso tropical, podem ser encontradas em
alguns de seus ensaios e artigos; por exemplo, em um
ensaio chamado “Sobre a filosofia do inconsciente”,
Tobias emite o seguinte desabafo: “O Brasil padece
de uma espécie de prisão de cérebro: tem peçonha no
miolo. É preciso sujeitar-se à dolorosa operação de crítica
de si mesmo, do desapego, do desdém, e até do asco
de si mesmo, a fim de conseguir uma cura radical”. O
grande filósofo e jurista tropical –– e também devemos
dizê-lo: um caga-raiva genial –– nos aponta o óbvio
ululante que é a “prisão de cérebro” tropical e algo mais
interessante que é a dificuldade provinciana de digerir
o mal-estar inerente à sua história, sobrando hiatos
incômodos que emperram uma possível “ cura”.
Tobias Barreto defendia o ímpeto de elaboração
do atraso atávico e não o rejeitava como fazia a
intelligentsia dos trópicos. Em “O partido da reação em
nossa literatura” torna a este tema ao defender o livro
de Sílvio Romero “A filosofia no Brasil”, pois o crítico
Sousa Bandeira Filho, alvo da polêmica de Tobias,
acreditava que levantar “questão” quanto ao atraso
brasileiro seria “perder tempo com banalidades”. O
crítico que brilhava na corte de Dom Pedro II deveria
julgar que um futuro alvissareiro haveria de chegar
sem tardança –– orgulho tropical, cheio de pompa,
que ainda anima os discursos verbosos que celebram as
maravilhas e a pujança de tão ricas paragens. Tobias e
Sílvio Romero eram polemistas irascíveis –– profundos
conhecedores do atraso atávico dos trópicos –– todavia,
com base no estudo “Estilo tropical” de Roberto
Ventura, é possível aventar a hipótese de que ambos
acreditavam também em uma suposta grandiosidade
nacional recalcada a que buscavam dar vazão ou
estimular a partir de um ímpeto desenvolvimentista, de
um culto aos preceitos positivistas, em voga na época,
e de um germanismo como tentativa de engendrar ––
por meio de certo beletrismo combativo –– as luzes nos
trópicos.
Evidente que inúmeros habitantes da nação
promissora, tomados por um chauvinismo de cunho
mais esportivo que de outra ordem, alegarão que
a grande nau dos trópicos, hoje, singra mares de
prosperidade e de desenvolvimento opulento. Desse
modo, não haveria por que alardear desconhecimento
de tantos avanços, sendo o queixume de Tobias Barreto
algo decrépito e anacrônico. Certamente que a sensação
de grandeza territorial infla o tórax contribuindo
para que sempre essa sensação seja delineada pela
mentalidade tropical; embora haja retardamento
desenvolvimentista e depauperamento econômico
da população e do erário, a tendência a superestimar
as características locais e nacionais é notória na
mentalidade mediana dos trópicos.
A sensação de uma grandiosidade soterrada –– de
um possível “país do futuro” observado candidamente
pelo escritor Stefan Zweig –– mas que virá a emergir
deixa o brasileiro transido de júbilo, sonhando com
mais aspectos grandiosos a serem descobertos, sejam
eles minerais ou esportivos. No entanto, essa elação
nacionalista, por motivos insondáveis, não absorve a
concepção de desenvolvimento cultural e humanístico
como substrato para um projeto nacional consistente.
Apostar as fichas, unicamente, no desenvolvimento
econômico é o principal impulso do progresso
tupiniquim. Fácil recurso, dotado do mais simplório
psicologismo, seria o de observar a tendência nacional
sob a perspectiva de uma megalomania cultural ––
de um delírio coletivo. Não obstante, certo matiz de
grandeza patológica não deve ser desconsiderado,
porém tarefa pouco profícua é a de se empreender uma
suposta “análise” da cultura para efetuar uma diagnose
tão vaporosa quanto uma sílfide; também é plausível
supor que o sentimento da grandiosidade brasileira
se assemelha ao comportamento neurótico que, em
seu imo, comporta o talhe da dúvida claudicante que
diverge da certeza delirante própria à megalomania
psicótica. Em termos gerais é perceptível que a
brasileirada reforce, com veemência, seu sentimento de
grandeza, mas sem dispensar certo quinhão ao bafio da
dúvida, da hesitação que divide.
Sátira mordaz, a obra “Os bruzundangas”, de Lima
Barreto, retrata o fictício país da Bruzundanga que em
muito se assemelha, jocosamente, às pitorescas terras
tupiniquins. Não se trata de assimilar a briosa nação
brasileira a uma mera pândega carnavalesca, senão
através da alegoria satírica transcrever os infortúnios e
debilidades tropicais. O narrador tece considerações a
partir de sua visita ao país imaginário da Bruzundanga
encontrando aí anomalias e patetices dignas de
nossa nação. Nas primeiras páginas de sua sátira,
Lima Barreto, ao descrever os modos e costumes dos
bruzundangos, frisa o júbilo que eles experimentam ao
serem designados por “doutor”, sendo mais importante
o designativo que a carreira a ser desempenhada.
Nelson Rodrigues também ressalta o êxtase que o
brasileiro desfruta ao ser chamado de “doutor”.
Na próxima semana continuaremos nossa conversa
sobre nosso bunker provinciano.
*Psicólogo e psicanalista.
Jornal da Cidade
Angelo Roberto Antoniolli
Sociedade no Divã
O bunker provinciano – (I)
T
Opinião
N
Acessibilidade: para a
inclusão não há barreiras
o dia 14 de maio foi descerrada a
placa que marcou a entrega das
obras de adequação do campus de
São Cristóvão para a acessibilidade. Mais
do que uma inauguração, este momento
marcou o início de um novo ciclo para a
comunidade acadêmica da Universidade
Federal de Sergipe (UFS), no qual pessoas
com deficiência e com mobilidade reduzida
poderão utilizar os espaços do campus com
mais segurança e autonomia.
O projeto, que teve a ordem de serviço
assinada em 2012, reflete uma nova forma
de apoiar as pessoas com deficiência no
Brasil. Até a década de 1980 as políticas
públicas do país se concentravam em ações
carregadas de assistencialismo, e não faziam parte de nenhuma política de Estado.
Cabia, portanto, à pessoa com deficiência
se adaptar ao ambiente em que vivia, e não
o contrário.
Atualmente, as políticas públicas brasileiras adotam outra perspectiva. Elas visam
à integração dos cidadãos com deficiência
na sociedade, acompanhando as iniciativas realizadas em âmbito internacional e
também os movimentos voltados para os
direitos humanos, como a Organização das
Nações Unidas (ONU). A inclusão passou a
ser entendida no seu sentido amplo, envolvendo esferas culturais, socioeconômicas e
políticas.
Neste sentido, a Universidade tem adotado a mesma lógica do Governo Federal. Esta
preocupação é demonstrada pelas ações do
Projeto Incluir, que dá apoio aos estudantes
com deficiência ou com dificuldades de locomoção que ingressam na UFS, entre outras
atividades. Outro exemplo deste compromisso é o Núcleo de Pesquisa em Inclusão Escolar da Pessoa com Deficiência (Nupieped),
que faz parte do Departamento de Educação.
A recente criação do curso de Letras Libras
também pode ser considerada um avanço na
área da inclusão e da acessibilidade na UFS.
As dificuldades, contudo, ainda são grandes. A acessibilidade, afinal, é um processo,
que deve estar sempre sendo edificado.
Foi com o intuito de minimizar estes
obstáculos para as pessoas com deficiência e
mobilidade reduzida dentro do campus que
foi criada a política de acessibilidade física da
UFS, que será expandida para os outros campi
da instituição.
Os projetos foram construídos a partir
de discussões conjuntas entre Universidade
Federal de Sergipe, Ministério Público e entidades de apoio às pessoas com deficiência
e com dificuldade de locomoção. Os grupos
puderam opinar, sugerir alterações e testar os
dispositivos. Isso porque somente assim po-
Divulgação
deríamos compreender as reais necessidades
das pessoas.
O resultado destes debates pode ser visto no
campus de São Cristóvão, numa reestruturação
que abrange 70 edificações, com ações que foram
desde a implantação de mobiliário e equipamentos adequados até a adaptação de edificações,
passando pelo ajuste dos sistemas de comunicação e informação.
Enfim, as possibilidades para tornar melhor
a vida das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida são inúmeras, e todas elas exigem
esforço e atenção constantes por parte das instituições e do Estado. A Universidade Federal de
Sergipe tem o compromisso de melhorar a vida
das pessoas e incluí-las no universo de conhecimento que tem dentro de seus muros. Facilitar
o acesso de todos desconstruindo barreiras
físicas é apenas uma de nossas ações.
Jácome Góes
da equipe de articulistas
Um propósito para renascer
Renove-se sempre! Procure renascer a
cada dia, acreditando que suas potencialidades são ilimitadas! Reconheça o brilho da
sua luz, a essência da sua paz e a plena capacidade para amar! Amplie a visão da alma
para enxergar muito além da tênue linha das
aparências! Que suas palavras revelem a generosidade do seu coração! Que seus atos expressem harmonia, assim como suas atitudes
ensinem a arte de sentir e a ciência de viver!
Que seu sorriso conforte ressuscitando esperanças! Que seus braços multipliquem abraços! Que suas mãos semeiem muito carinho
na fértil lavoura onde você cultiva os frutos
do seu amor! Doe o melhor de si, sem esperar recompensas além da gratificação consciencial que louva a nobreza do seu amor, e
reafirme seu sincero propósito para sentir-se
instrumento vivo na seara do Senhor!
Como ideal que deixa a subjetividade da
intenção para ser transformado em real na
dinâmica da ação, assim como firme desafio
que assume o fiel compromisso em forma de
oração, assine uma parceria fiel com Deus e
um corajoso compromisso com a sua consciência, para dizer no início de todos os dias de
todas as semanas, dos meses, dos anos e de
toda sua existência:
- HOJE quero reconhecer a vida como
um dom divino e o tempo como uma grande
bênção de valor inestimável para enobrecer a
minha alma com as lições que marcam erros
e acertos no curriculum das minhas experiências. Quero ser mestre de mim no educandário
do mundo, observando-me em profundidade,
para não permanecer na superfície da minha
própria verdade.
- HOJE quero estar atento para entrar em
perfeita sintonia com vibrações energéticas
que projetem o bem e a luz, a fim de que o mal
seja apenas uma experiência que passou, e as
sombras, uma infeliz realidade que não ficou.
- HOJE quero sentir entusiasmo para
valorizar as minhas conquistas, serenidade
para aprender com as minhas perdas, coragem para enfrentar a verdade das minhas
intenções, e persistência para prosseguir na
jornada evolutiva, tornando reais as minhas
lúcidas idealizações.
- HOJE nada poderá privar-me do sentimento de felicidade, porque no “tribunal” da
minha própria consciência estarei em estado
sublimado de paz, já que saberei cumprir com
o meus deveres, enriquecendo, assim, o patrimônio do saber.
HOJE, se ofendido, não precisarei
punir-me guardando mágoas e acumulando
ressentimentos, porque quero para mim
mesmo provar que compreendendo os limites do outro, já não mais será necessário
perdoar.
- HOJE quero reconhecer as bênçãos que
permeiam a minha existência, transformando a minha alegria em sentida prece que
louva a gratidão, e em propósito firmado
para promover, em quaisquer circunstâncias, testemunhos de fraterna união.
- HOJE quero ser compassivo nos julga-
mentos em relação aos outros, tanto quanto
exigente nas sentenças resultantes das minhas
ações, pois quem condena o vizinho pelas
falsas aparências, perde tempo deixando de
corrigir em si mesmo, atitudes que marcam
reais evidências.
- HOJE quero considerar minha família
como a grande escola para burilar a alma,
pois o cotidiano não apenas faz revelar os ângulos reais da personalidade, mas, também,
enseja exercícios de equilíbrio para disciplinarem a serenidade. Quero doar o melhor de
mim para amanhã não chorar de remorso na
difícil hora da saudade.
- HOJE quero provar a minha fé, não mais
través de simples promessas feitas na recorrência das orações, mas essencialmente no consciente desafio de fiéis propósitos que possam
ser vivenciados na constância das ações.
- HOJE quero romper o casulo da indiferença que gera a inutilidade, para alçar voos
com asas que possibilitem alcançar altos níveis
de operosa realidade.
- HOJE quero disciplinar as emoções,
consciente de que não devo e não posso ficar
refém de mim mesmo, limitado pelas sombras
projetadas pelo eclipse da razão.
- HOJE quero amar para aprender a viver,
e viver para aperfeiçoar-me na vivência do
amor!
- HOJE quero ser feliz por direito, aprendendo a amar por consciência do dever!
Pense nisso, por favor.
Meu abraço, de coração a coração!
Francisca Paris
Pedagoga, mestra em educação e diretora de serviços educacionais da Saraiva
Tempo de férias, de lazer e de cultura
Férias. Hora de fechar os livros didáticos
e descansar. Hora de se divertir a valer. Já há
algum tempo, o lazer deixou de ser visto como
tempo perdido e passou a ser encarado como
uma das atividades fundamentais do ser humano. Desvencilhados de rotinas de trabalho e
estudo, estamos prontos para usar nossa inteligência e nosso corpo para gestar novas ideias,
ter experiências de vida fundamentais e explorar o mundo sem nenhuma outra finalidade,
a não ser a de sentir o prazer de estar vivos.
Tudo isso é verdade. Mas também temos
aqui uma boa oportunidade para rever nossos
próprios conceitos de lazer. Ainda que o dolce far
niente seja necessário, é possível aproveitar as
próximas semanas para extrair prazer também
de vivências culturais, que tanta falta fazem.
No labirinto quase inviável das cidades,
sobra muito pouco tempo para que as famílias
tenham uma vida cultural rica e variada. Tente
se lembrar da última vez que foi a um show, a
uma exposição de fotos ou de artes plásticas.
E mais: lembre-se da última vez que levou seu
filho a uma livraria e lá passaram horas deli-
ciosas esparramados em almofadas cheios de
histórias à sua volta...
Em um mundo onde a educação torna-se
cada vez mais importante, parece que museus,
teatro e exposições passaram a ser apenas
compromissos escolares. Nada disso! Vivemos
em um tempo marcado por avanços científicos
e tecnológicos que nos obrigam a procurar
propostas educacionais capazes de formar
os alunos para a vida, o trabalho, o lazer, a
conquista de seu espaço e a vivência plena de
sua cultura.
Para tanto, a educação escolar brasileira
necessita implementar um currículo que tenha
como ponto de partida a realidade imediata e
a cultura local e, como objetivo final, a construção, aquisição e ampliação de conhecimentos. A escola é o lugar em que se entrelaçam
o ser, o conviver, o saber e o fazer, a produção
intelectual e o conhecimento advindo do
entorno social. Ela deve, então, proporcionar
possibilidades didáticas de aproximação entre
o cotidiano e o contexto escolar, já que alguns
conhecimentos, embora presentes no dia a dia,
nem sempre se desvendam de forma a permitir
a apreensão de seus conceitos e valores fundamentais.
Antes de tudo, compartilhar descobertas, histórias, músicas, viajar no tempo histórico e fruir
arte e cultura devem ser programas das famílias.
A primeira razão é evidente: estamos estimulando
a formação global de nossas crianças e jovens e
ampliando seu repertório, o que certamente fará
diferença em seus projetos de futuro.
Mas há ainda outras razões tão ou mais importantes. Ao viver conjuntamente a cultura,
pais e filhos também ampliam suas sinapses,
ou seu próprio universo de conexões. Em
palavras simples, passam a ter mais assuntos,
mais oportunidades de diálogo e mais pontos
de vista para ver e entender o maravilhoso
e complexo mundo que nos rodeia. Também
passam a pertencer mais ao seu próprio tempo
e até mesmo a ter mais condições de diminuir
as diferenças geracionais que tanto assustam
os adultos de hoje.
Pois, então, o que está esperando? Curta as
férias, curta seus filhos e curta a cultura!
Jornal da Cidade
José Anderson Nascimento
Presidente da Academia Sergipana de Letras, jornalista e memorialista
Rua Itabaianinha (II)
A Rua Itabaianinha manteve até os anos de 1980 o
seu perfil formado por casas residenciais, estabelecimentos comerciais e outros de prestadores de serviços. No
número 53, logo após o prédio do Instituto Histórico e
Geográfico de Sergipe, estava a residência da Professora
Áurea Zamor de Melo (1912-2010), Professora Zamor,
como era mais conhecida. A Professora Zamor realizou
Curso de Orientação Vocacional, em nível superior e
lecionava as disciplinas Língua Portuguesa e História nos
colégios Atheneu Sergipense, Nossa Senhora de Lourdes,
Tobias Barreto, Jackson de Figueiredo e na antiga Escola
Técnica Federal. Além do magistério, a Professora Zamor
atuou como servidora do Serviço de Luz e Força de Aracaju, na função de Contadora e, depois, como Inspetora
Federal de Ensino Secundário. No local onde viveu a
mestra, ergueu-se, nos anos de 1970, a empresa Artesom,
pertencente ao empresário Manoel Caetano da Silva, que
atuou no campo de artigos de som e imagem, móveis e
eletrodomésticos até os anos de 1990. Nesse espaço, atualmente funciona a loja Point das Noivas.
Seguindo-se em direção à Rua Laranjeiras, encontramos lojas do segmento de móveis e colchões tipo
Ello Móveis e Bela Vista Móveis. Nesse pedaço, havia
a entrada para o prediozinho em que funcionava a redação e as oficinas do jornal de orientação católica, A
Cruzada, criado pela Diocese de Aracaju em 1918, considerado como um dos mais importantes e duradouros
periódicos do estado na primeira metade do século XX.
No número 97, onde hoje está a loja Bagaggito – moda
masculina, residia o empresário Hermes Teixeira, proprietário da Panificação Central, localizada bem na
esquina com a Rua Laranjeiras, onde atualmente está
a loja de calçados Tia Maria.
No lado direito da Rua Itabaianinha, seguindo-se
da Travessa Benjamin Constant para a Rua Laranjeiras,
havia a loja Ao Preço Fixo, especializada em eletrodomésticos e de produtos para o lar, que funcionou até o
final dos anos de 1970. No seu lugar, no número 16,
da Rua Itabaianinha, o arquiteto Rubens Sabino Ribeiro Chaves e o seu irmão, o engenheiro Hélio Ribeiro,
construíram um prédio com lojinhas no térreo e salas
nos três andares, destinadas a profissionais liberais e
a representantes comerciais, a que denominaram de
Condomínio Esquina RIC. Numa dessas salas, funcionou o escritório da TV Sergipe, no início dos anos de
1970, quando ainda era controlada por um consórcio
de empresários do comércio, tendo à frente os comerciantes Josias Passos e o seu filho Getúlio Passos. Na
direção comercial estava Luiz Carlos Campos e, na
direção artística, atuava o radialista Nairson Menezes.
Tempos depois, o controle acionário da TV Sergipe
passou a integrar o patrimônio do empresário e político Augusto Franco, estabelecendo-se no Alto da TV, no
Bairro Cidade Nova. A emissora permanece, ainda, no
domínio do mesmo grupo empresarial, sob a direção
atual do empresário Albano Franco. Na atualidade, nas
salas térreas do Condomínio RIC, funcionam entre outras empresas, a Fundição Duarte, com a especialidade
em placas de metal comemorativas e de formatura. Ali,
também, funcionam lanchonetes e lojas de confecções.
Depois desse prédio, havia um bangalô em que residia
o empresário do setor cinematográfico, Anísio Dantas,
proprietário do cinema Rex, que havia sido fundado
na Rua Pacatuba, em 1935, e depois transferido para
a Rua Itabaianinha, número 44, onde funcionou até
1961. O bangalô e o cinema foram demolidos, dando
lugar à agência do Banco do Nordeste do Brasil, inaugurada em 16 de janeiro de 1970, pelo presidente
desse estabelecimento bancário, Rubens Costa. Esse
prédio foi denominado, posteriormente, como Jornalista Orlando Dantas, em homenagem ao empresário
da agroindústria açucareira, diretor do jornal Gazeta
de Sergipe e acadêmico da Academia Sergipana de
Letras, Orlando Vieira Dantas (1900-1982).
No dia a dia, a Rua Itabaianinha era invadida pelo
povo que se utilizava dos bondes, o transporte de massa
da capital, utilizado desde 1926, especialmente pelos que
faziam as duas linhas destinadas ao centro da cidade. A
Linha 1, com sinal azul, partia do Bairro Industrial, indo
até a Avenida Augusto Maynard e descendo pelas ruas
Itabaiana e Itabaianinha, e a Linha 2, com o sinal verde,
partindo do sopé da ladeira do Bairro Santo Antônio,
percorrendo a Avenida João Ribeiro, avançando pela Rua
Itabaianinha, Rua Itabaiana, circulando pela Avenida
Barão de Maruim, Avenida Ivo do Prado, Praça Fausto
Cardoso e retornando ao Bairro Santo Antônio.
Esses bondes pertenciam ao Serviço de Luz e Força de
Aracaju, dirigido por muitos anos pelo engenheiro civil
Francisco Manoel da Costa e que tinha como chefe do
tráfego de bondes Pedro Lisboa. A garagem desses bondes era localizada no Bairro Industrial, no local em que
havia a usina de produção de energia, modernizada pelo
governador José Rollemberg Leite, na sua gestão de 1947
a 1951. Os bondes foram desativados em 1959, na gestão
do governador Leandro Maciel (1955-1959). No local da
garagem, foi construído o Centro de Reabilitação Ninota
Garcia, na gestão do Governador Luiz Garcia (19591962), dirigido pelo médico Antônio Garcia Filho, o centro
foi depois desativado e cedido à Universidade Tiradentes,
que instalou no espaço a unidade Centro de Saúde.
Já a subestação do Serviço de Luz e Força de Aracaju e
o escritório do órgão, funcionavam no número 66, da Rua
Itabaianinha. Com a criação, pela Lei Estadual nº 943, de
3 de junho de 1959, da Empresa Distribuidora de Energia
Elétrica em Sergipe S.A. (Energipe), constituída no ano seguinte, com o objetivo de dar continuidade aos serviços de
distribuição de energia no Estado de Sergipe, anteriormente executados pelo órgão estadual Serviço de Luz e Força
de Aracaju (SLFA), foi construído o prédio da administração dessa empresa, que foi administrada sucessivamente
por Jocelino Emídio de Carvalho, Benjamim Fernandes
Fontes, Antonio Ribeiro Soutelo, João Fontes, Fernando
Figueiredo Porto e Paulo Dantas Brandão. A Energipe, em
1989, passou à denominação de Empresa Energética de
Sergipe (Energipe), privatizada pelo Programa Nacional
de Desestatização (PND), em 1995, sendo adquirida pela
Companhia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina (CFLCL)
em leilão de privatização realizado em dezembro de 1997.
O prédio foi demolido, dando lugar a um estacionamento
e, em outra parte do terreno, foi construída a loja Casa
Mais, com o segmento de produtos variados para o lar. Na
esquina com a Rua Laranjeiras, funciona desde os idos de
1940, a atual Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.
Opinião
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
B-5
Arnaldo Jabor
O Estado de S.Paulo (online)
Entrevista exclusiva com Stalin
Entrevista? Eu?
- Sim, camarada Stalin..., estamos
em um momento histórico importante... o camarada está sendo relembrado
em tantos países, inclusive na Rússia. O
camarada está na moda.
- Você é do Brasil, não é? Saudades
do Prestes... ele está onde?
- Morreu e deve estar por aqui.
- Aqui, neste limbo onde estou, não
tem ninguém. É o purgatório dos ditadores; não há ninguém para nos ouvir.
Imenso céu branco e vazio. Esta é a
nossa punição.
- Você está feliz aqui, 'tovarich'?
- Eu virei uma sombra do que fui;
sou até usado como xingamento, confundido com os fascistas e nazistas
que eram uma imitação barata do
bolchevismo. Esses merdas deviam me
agradecer porque não existiriam se eu
não tivesse mandado aqueles comunas
alemães não votar na socialdemocracia,
nossa principal inimiga. Aí, o nazismo
ganhou. Se não fosse eu, o Hitler não
tinha subido...
- Você tem orgulho do comunismo?
- O comunismo, camarada, é o substituto do sonho de 'imortalidade' dos
cristãos. Comunista não morre; vira um
conceito. O homem é um ser social, não
é? Pois é - o ser social nunca morre. O
indivíduo é uma ilusão que criou essa
dor melodramática. Quem morre é
pequeno-burguês.
- Mas, na boa, camarada, você matou muita gente...
- Me acusam muito de crueldade,
mas fazíamos uma mutação na vida
humana e é impossível fazer uma revolução sem crueldade, sem tirania...
O próprio Hitler, que me plagiava,
disse: "Temos de ser cruéis. Temos de
manter a consciência tranquila de sermos cruéis". E eu digo que, se não fôssemos cruéis, não teríamos o socialismo.
Como é que eu ia coletivizar a agricultura sem matar uns 800 mil "kulaks", aqueles camponeses alienados,
chupa-sangues, vampiros?
- Mas, camarada, você não exagerou?
- Ora, tanto faz. A morte de uma pessoa é uma tragédia; a de milhões, uma
estatística. Temos de combater essas
inibições pequeno-burguesas. Tivemos
que dar muito conhaque para meus
militares baterem um recorde: 28.000
traidores fuzilados em quatro semanas.
7.000 por semana.
Os soldados, ainda calouros no bolchevismo, tinham de beber muito para
cumprir minhas ordens... Vomitavam,
choravam, mas deram conta. Foi um
dos meus recordes. Sem contar os
40.000 oficiais do Exército que fuzilei.
A única frase do canalha do Trotsky
que presta é: "Quem foi que inventou
que a vida humana é sagrada?".
- Mas, o camarada não sentia culpa?
- Nada. A compaixão é um sentimento de enfermeiras, assim como
a gratidão é uma doença de cachorros... Cá entre nós, não tenho mais
de esconder nada, a euforia que me
tomava com a morte de milhares de
homens por minhas ordens era uma
deliciosa vertigem.
Muita gente que justicei não tinha
noção da maravilha que era construir o
Homem Novo. Eu comecei a construção
do soviético essencial: frio, fiel escravo
do Partido que está sempre certo.
Vocês têm na Terra um bom exemplo: a Coreia do Norte. Mas aquele
garoto é um estúpido feito o pai. São
um exército de imbecis. Você viu o
ridículo: todo mundo fingindo chorar
quando morreu o papai do garoto?
Eu fazia uma história nova; não
esta historinha burguesa, não, mas a
História! Já pensou: milhões de homens iguais a mim? Eu, eu, eu - milhões de Stalins? O Homem Novo não
sente falta da individualidade perdida.
Ele ganha o encanto infinito da servidão, a religião, a alegria de pertencer
a um partido infalível. Dá um alívio
não ter que pensar, só obedecer. Ainda
bem que os camponeses russos eram
analfabetos e não podiam ler jornais
e livros do país. Aliás, Hitler escreveu:
"Que sorte para os ditadores que os
homens não pensem".
A construção do Homem Novo
custou muito sangue, eu sei, mas não
tinha outro jeito. Difícil foi na Ucrânia,
quando proibi comida naquele buraco
de traidores e de "kulaks" reacionários.
Morreram mais de 4 milhões de fome,
teve até canibalismo, dizem, mas a
ideia justifica tudo.
- Mas, camarada, você sempre falou
que almejava a democracia…
- Eu falei foi sobre o centralismo democrático do Partido; não essa besteira
de democracia burguesa sem controle,
sem comando. Eu comandei a democracia interna sempre. Quando tive de expurgar agentes trotskistas, foi também
uma festa poder limpar as estrebarias
do Comitê Central. Dos 139 membros,
fuzilei 98... Ah... Saudades do Zinoviev,
Kamenev, Rykov, Bukharin…
- Eles tiveram liberdade de defesa?
- Liberdade para quê? - como
respondeu Lenin quando vencemos.
Divulgação
Com liberdade não teríamos fuzilado
a família do czar Nicolau II; só um
bolchevique profundo teria sangue
frio para ver as criancinhas morrendo
sob balas. Esse é o preço da liberdade: a vigilância absoluta. Mas o Brasil
está seguro contra os perigosos agentes de direita, neoliberais e espiões
do imperialismo.
Vocês sabem que nós criamos os
'sovietes' na Rússia, os 'Conselhos',
como chamam vocês... Parabéns. Os
Conselhos são um primeiro passo
para controlar essa besteira de democracia representativa, que vocês
tiveram a sabedoria de usar, mas
agora atrapalha a construção do bolivarianismo (ahh..., esse meu filhote
bastardo...). Ao menos, minhas ideias
ainda repercutem...
Veja a Venezuela, Argentina, tantos seguidores. A única coisa que
importa é o controle da sociedade.
Temos de tutelá-la. Eu já disse uma
vez: o povo deve ser educado com o
mesmo cuidado com que um jardineiro cultiva uma árvore de estimação.
As ideias são muito mais poderosas
do que as armas. Nós não permitimos
que nossos inimigos tenham armas,
porque deveríamos permitir que tenham ideias? Acho que seu país está
no bom caminho: controlar a mídia,
como vocês chamam hoje. A imprensa
é a arma mais poderosa de nosso partido e vocês vão seguir nosso exemplo.
Toda propaganda tem que ser popular
e acomodar-se à compreensão dos
menos inteligentes.
Como você vê, estou repetindo
as frases da besta do Hitler. Mas ele
nos deu um bom conselho, que serve
muito para seu país, caro jornalista:
"Quanto maior a mentira, maior é a
chance de ela ser acreditada".
O povão não sabe nada. É isso aí,
cumpanheiros: vão em frente que a luta
continua...
João Eichbaum
Advogado e autor do livro Esse Circo Chamado Justiça - [email protected]
Os bandidos agradecem
Suponhamos o seguinte: um
marginal com 18 anos de idade, de
tocaia na saída do colégio, rapta
uma menina. Leva-a consigo, sem
fazer qualquer exigência de resgate
e a mantém em seu poder por longo tempo. Tenta seduzi-la, mas ela
resiste, não se entrega. Vencido pela
obstinação da garota, o raptor resolve se descartar dela. Então a vende
para uma rede de prostituição. Da
menina, levada para outro estado da
federação, a família nunca mais terá
notícia.
A pena do raptor não chegará a oito
anos, e isso lhe dá o direito ao regime
semi-aberto. De acordo com a lei, o
condenado ao regime semi-aberto
cumprirá pena em Colônia Penal Agrícola ou Industrial. Ou melhor, cumpriria. Desde a semana passada, por
decisão do STF, afinada pelo diapasão
do STJ e de outros juízos e tribunais,
o preso condenado ao regime semi-aberto terá o direito humano de levar
uma vida muito melhor do que a de
suas vítimas. Desde que consiga em-
prego, nem que seja de faz-de-conta,
ele só dormirá na prisão.
Ao martírio da menina, que se
perdeu para sempre, poderá o destino
acrescentar mais um “script” infame:
seus pais e familiares nunca mais a verão, mas o raptor dela, que deu causa
à sua desgraça, poderá cruzar todos
os dias sorridente e impunemente por
eles. Essa façanha foi incrustada na
axiologia jurídica sob a inspiração do
ministro Barroso. Com seu ar evangélico, ele e mais oito acompanhantes
estenderam a graça descolada para
José Dirceu a todos os malfeitores
do país, condenados a menos de oito
anos de prisão.
Neste país, não se julga. O ato de
julgar implica juízo de valor, a partir
de duas premissas, a da norma, que é
a premissa maior, e a do fato, que é a
premissa menor. Entenda-se por norma
a lei, o regulamento, a portaria, em
suma, qualquer ato jurídico coercivo.
Se o ato coercivo for ignorado, não
existe premissa e, não existindo premissa, julgamento não há.
Assim, a jurisprudência que ignora
a ordem legal do cumprimento de um
sexto da pena para a progressão do
regime - e o trabalho externo implica
progressão de regime - não merece o
nome de julgamento. Não passa de uma
concessão gratuita de benefício, contaminada pela política ou sublimada pela
caridade. Em nenhuma dessas hipóteses
se vislumbra a obra de juiz autêntico,
porque o verdadeiro juiz apenas julga,
não faz caridade, nem política.
Agora é oficial: à omissão do Executivo se acrescenta a do Judiciário.
Barroso juntou-se aos juízes que soltam
bandidos por falta de vagas e de condições "padrão Fifa" nos presídios. “Para
não sobrecarregar o sistema penitenciário”, ele mandou soltar os malfeitores.
Quer dizer, é maior o direito desses do
que o dever dos governantes. A sociedade que se lixe.
Nessa hora soam como rojões de
advertência as palavras do advogado e
escritor gaúcho Ricardo Giuliani: o Judiciário só existe para si próprio e não
para a sociedade.
B-6
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Cidades
Jornal da Cidade
Obesidade infantil vira drama de pais
Problema é sério e considerado de saúde pública; vigilância se torna fundamental para o controle
Jadilson Simões
Grecy Andrade
Da equipe jc
A
s crianças gordinhas podem parecer bonitinhas para muitos, mas o surgimento e
crescimento da obesidade infantil tornou-se um sério problema de saúde pública, ou seja,
uma questão bastante grave de saúde e que pode
ser a causa de problemas de saúde na vida adulta, tornando fundamental a eterna e cuidadosa
vigilância dos pais no sentido de evitar, a todo
custo, o desenvolvimento da doença.
O médico endocrinologista Carlos Alberto
Menezes explica que existem parâmetros médicos que indicam se a criança é obesa ou não,
que é identificado pelo índice de massa corpórea
(IMC). Após identificar esse índice, os médicos
olham outra tabela, chamada de IMC CDC. Se
a criança estiver acima do percentual 97, ela é
considerada obesa. “É um pouco complicado,
mas até mesmo olhando a gente percebe se a
criança está com sobrepeso, chamado de critério
subjetivo; já o critério objetivo ocorre quando
avaliamos o índice de massa corpórea”, explicou.
Os fatores mais comuns que levam as crianças a tornarem-se obesas são a hiperalimentação
e o sedentarismo. Ainda segundo o médico, não
se pode descartar a questão genética, já que se a
mãe e os pais forem obesos a criança terá 80%
de chance de ser obesa e se nem o pai nem a
mãe forem obesos a criança tem 20% de chance
de ser obesa. “A criança que fica mais de quatro
horas em vídeo game, jogos eletrônicos e TV, elas
têm uma tendência de ter obesidade, pois elas
ficam muito tempo sentadas e por estarem nessa posição acabam comendo muito mais que o
necessário e muitas vezes a alimentação é inadequada, com frituras, refrigerantes etc.”, pontua.
Menezes frisa ainda que obesidade na infância pode se arrastar até a vida adulta. Isso ocorre
porque o tecido adiposo na criança cresce muito
rápido, a chamada gordura visceral. Então, mesmo se a criança passar por um processo de perda
de peso e retornar aos hábitos alimentares inadequados, o tecido adiposo que estava murcho
pode aparecer novamente. “A criança obesa tem
70% de ser obesa na idade adulta. Antigamente
se dizia que só obesidade levava a doenças de
adulto; todas as doenças de adulto também
estão na criança obesa, então tudo que o adulto
obeso tem a criança obesa tem também”, alerta.
Nessa luta contra a obesidade, é preciso essen-
criança com obesidade a gente leva em consideração três coisas: perda de peso, crescimento e
a circunferência abdominal”, explana o médico.
Meninos x meninas
Na obesidade, meninos e meninas se diferenciam na forma como comem. Segundo o
médico Carlos Alberto Menezes, o diferencial
entre esses dois gêneros, é quanto o comportamento alimentar. A menina ‘belisca’ comida o
dia todo, já os homens, em vez de comerem um
prato com comida, comem dois. “O menino é
mais hiperfágico, come muito o dia inteiro; já a
menina é compulsiva, por questões hormonais e
comportamentais, pois ela é mais ansiosa e come
sem fome. A menina tem o comportamento da
primeira menstruação e elas acabam engordando. No período da puberdade, de oito aos 13
anos na menina e de nove aos 14 nos meninos,
as meninas engordam mais que os meninos”.
Curiosidade
endocrinologista Carlos Alberto garante que além do controle alimentar, crianças devem fazer atividade física
cialmente da ajuda dos pais, que devem orientar o
filho e também participar desse processo de emagrecimento. “Não adianta o pai ou a mãe de uma
criança pedirem que ela coma as coisas isoladamente, a gente prega que a reeducação alimentar da
família é o mais impactante nesse processo. Então,
não é só mudar os hábitos alimentares da criança,
mas da família também, pois não adianta a família
comer uma lasanha e colocarem a criança para comer uma salada. Lógico que isso não irá funcionar”.
Além do controle alimentar, outro fator importante na corrida contra a obesidade é a realização
de atividade física, sempre levando em consideração uma atividade física de interesse da criança,
uma atividade que ela goste. “Não adianta o pai
querer que a criança faça uma atividade se ela não
gosta, porque em cima disso ainda tem o preconceito muito grande. Para se ter ideia, o local que as
crianças sofrem mais preconceito com a obesidade
é na família e na escola. E se o pai não colocar no
esporte que é atrativo, lá a criança vai ficar isolada
e não vai ter o rendimento desejado“.
Parâmetro
No tratamento de obesidade infantil é preciso um trabalho multidisciplinar. Em Aracaju
existem dois locais que atuam nesse trabalho,
um particular e um público. “O serviço público é
vinculado ao Centro de Especialidades Médicas
da Criança e do Adolescente, onde há mais de
dez anos existe um programa, onde mensalmente realizamos reuniões com vários profissionais
da saúde. Em média já participam do programa
pelo menos cem crianças, que são acompanhadas por endocrinologista, enfermeiro, psicólogo,
fisioterapeuta. Outro fator importante é que no
emagrecimento de crianças a perda de peso não
é considerada um parâmetro para criança. Para
Estudos apontam ainda que crianças que
nascem de parto cesáreo têm mais tendência
a obesidade que crianças que nascem de parto
normal. “Crianças que nascem de cesariana não
passam pelo contato da flora vaginal da mulher
e aí eles desenvolvem certo tipo de flora intestinal que predispõe o aparecimento da obesidade.
Outro fator que pode influenciar é o desmame
precoce, a introdução de leites artificiais antes
dos seis meses de vida, também um fator de
contribuição da obesidade infantil”, menciona o
endocrinologista Carlos Alberto Menezes.
Consequências
Segundo o médico, todas as doenças de
adulto já estão aparecendo em crianças obesas, como o diabetes, colesterol alto, acúmulo
de placa de gordura na carótida, gordura no
fígado, problemas ortopédicos, cálculo de vesícula e a mais impactante: o câncer. “Já existem
trabalhos mostrando que se a criança se mantiver obesa e tiver histórico familiar de câncer
a própria obesidade pode desenvolver ou na
vida infantil ou na adulta, pois o tecido adiposo
é uma célula inflamável, então a inflamação
crônica das células adiposas da criança podem
predispor o aparecimento de câncer. Por isso a
prevenção dessa doença é algo extremamente
importante”, deixa o alerta.
vARIEDADES C
Jornal da Cidade
televisão
CADERNO
Camila Morgado vive
sedutora em “O Rebu”,
a nova novela da Globo
Variedades C2
Aracaju  domingo 6 e segunda-feira 7.7.2014
Editor: Eugênio Nascimento
[email protected]
Divulgação
DVDteca Básica
Por Suyene Correia
Uma Vida Roubada- “A
Stolen Life” (EUA/1946)
Gênero: Drama
Direção: Curtis Bernhardt
Elenco: Glenn Ford, Bette Davis, Charlie Ruggles,
Walter Brennan, Dane Clark
Idioma: Inglês
Áudio: Inglês (Dolby 2.0)
Legendas: Português
Cor: Preto & Branco
Distribuidora: Classicline
No trabalho do artista plástico Filippo Garrone há influências de Claudio Martinengo e Aurelio Caminati
Filippo Garrone apresenta
A
o assistir “Uma Vida Roubada” e perceber qualquer semelhança com a história de Ruth e Raquel,
de Mulheres de Areia, não pense que é mera coincidência. A telenovela escrita por Ivani Ribeiro, para
a TV Tupi, em 1973, foi inspirada nesse filme dirigido
por Curtis Bernhardt e produzido por Bette Davis.
Na trama, Davis interpreta as irmãs gêmeas Kate e
Pat Bosworth em mais uma de suas impecáveis performances. Enquanto Kate é a irmã recatada, sensível
e uma artista plástica insegura, Pat é completamente
o oposto: extravagante, manipuladora e ambiciosa.
O embate entre as duas vai acontecer, a partir do
momento que Kate se apaixona por Bill Emerson
(Glenn Ford) e este vê-se encantado pela astuta Pat.
Esta não hesitará em trapacear a irmã, numa simulação de amor imediato pelo jovem engenheiro. Porém,
o destino “aprontará” das suas e Kate terá que fazer
uma das escolhas mais difíceis da sua vida, sempre
amparada pelo compreensivo primo, Freddie Lindley
(Charlie Ruggles).
Merecidamente, o filme recebeu uma indicação ao
Oscar na categoria efeitos especiais, tendo em vista as
arrojadas cenas em que as irmãs gêmeas contracenam
no mesmo plano (sobretudo no passeio de barco).
“Somos Multidimensionais”
na Galeria Zé de Dome
Suyene Correia
Da equipe JC
M
orando há quatro anos
no Brasil, o artista
plástico italiano Filippo Garrone decidiu realizar
uma individual em Sergipe. O
espaço escolhido para abrigar
a exposição foi a Galeria Zé de
Dome, que a partir das 19h,
do dia 16 de julho, abre suas
portas para que o público sergipano possa apreciar os trabalhos que compõem “Somos
Multidimensionais”.
O tema central da obra de
Garrone é sempre a exploração do inconsciente. Aperfeiçoando técnicas que vão
sendo sobrepostas numa tela
especialmente projetada para
seu trabalho, ele consegue
transmitir uma sensação de
inquietação mental no público.
Cores fortes, temas ligando o
ser humano físico e o seu lado
psicológico, num contexto
amplo que pode envolver a natureza ou até mesmo o espaço
físico onde estamos habitando.
“Com o tempo e a experiência de pintar, hoje consigo
Qual o filme que marcou sua vida?
Lealdo Feitosa
Advogado e empresário
Divulgação
“Cinema Paradiso”, filme dirigido pelo italiano Giuseppe Tomatore, é uma declaração comovente de
amor ao cinema e a todos os cinéfilos. Não tem como
não se emocionar ao assistir este fantástico filme, que
se passa em uma pequena cidade italiana e que também mostra a infância triste de Totó e sua amizade
com o projecionista Alfredo. Pessoalmente, este filme
me remete aos idos da década de 1960. Ainda criança,
na minha querida Aquidabã, passava a semana inteira
ansioso pela chegada do domingo e da segunda-feira,
para poder assistir, no Cine Teatro São José, os fantásticos seriados, os cowboys e filmes de guerras, além de
poder ver os gols do meu mengão, com atraso de mais
de mês, no cinejornal Canal 100 de Carlos Niemeyer.
“Cinema Paradiso” é um filme para ser visto sempre!!
concluir uma obra em 30 dias.
Antes esse processo era muito
desgastante, pois passava até
oito meses focado num quadro.
Porém, depois percebi que isto
deixava a tela sofrida, não passava a verdade da obra, ficava
apenas a coisa técnica. Atualmente, consigo me desapegar
do quadro com mais facilidade,
o que me permite construir
outras obras. Chega uma hora
em que a obra pede para ser
acabada. O artista compreende
isso e parte para próxima. É
uma sabedoria que só o tempo
proporciona”, explica o pintor.
Bebendo da fonte dos artistas italianos como Claudio
Martinengo e Aurelio Caminati, Filippo Garrone mantém
o ritual de pintar pelo dia, pois
prefere a luz natural para enxergar com exatidão as nuances,
milimetricamente pensadas,
para cada cor. Para a exposição
“Somos Multidimensionais”,
ele reservará obras em tela
plastificada, papel e PVC, em
diferentes tamanhos.
“A inspiração não tem data
ou hora para acontecer. A ideia
pode surgir de uma folha caída
no chão até algo que eu leia no
jornal. Minha arte é um espelho,
mas não sei se a arte é pra ser
libertadora realmente, algo que
transforme o outro a partir dela.
O mundo real tem limites morais,
já a arte não tem limites, vai além
da realidade”, contextualiza.
Biografia
F
ilippo Garrone tem 49 anos
e começou a pintar aos 21,
quando morava em Gênova
e trabalhava também como
marchand. Na época, seu ateliê
era dentro de um moinho do
século 15, numa área afastada
do centro urbano, dando ao artista a exatidão do universo infinito ao redor dele como parâmetro para sua arte. Porém, o
amor pela flora brasileira o fez
cruzar o oceano em busca de
conhecimento.
Em 1999, ele veio para a
região Norte, mais precisamente no coração da Floresta
Amazônica e se embrenhou
pela mata até parar numa comunidade indígena bem simples, onde demorava um dia e
meio de barco para se chegar.
Conheceu um Brasil que mui-
Filarmônicas de Sergipe recebem
novos instrumentos musicais
Seis bandas filarmônicas de
Sergipe receberam, na última
quinta-feira, da Secretaria de
Estado da Cultura (Secult) e
Fundação Nacional das Artes
(Funarte), instrumentos musicais
que auxiliarão no desempenho
dessas bandas em suas apresentações. Os instrumentos foram doados através do Edital de Bandas
de Música de 2013, que premiou
cerca de 150 bandas de todo o
país com instrumentos de sopro.
O objetivo do edital é reconhecer
e propiciar a melhoria da quali-
dade técnica e artística desses
conjuntos musicais.
Cada filarmônica pôde escolher até cinco instrumentos
entre bombardino, bombardão,
clarineta, saxofone alto, saxofone
tenor, trompete, trombone, flauta
e trompa. A Sociedade Cultural
e Musical Santa Terezinha, de
Japaratuba, por exemplo, recebeu
um bombardino, um bombardão,
um sax alto, um sax tenor e uma
tromba. “São instrumentos que
faziam falta na nossa banda. Agora, com essa conquista da Funarte
iremos preencher essa lacuna”,
comemora o coordenador da
banda, Gilberto dos Santos.
Alguns alunos da Sociedade Filarmônica 28 de agosto, da cidade
de Itabaiana, estiveram presentes
na solenidade e se mostraram
bastantes entusiasmados com a
chegada dos instrumentos para
o grupo. “Vai ser muito bom para
nós e dará a oportunidade de
outras pessoas ingressarem na
banda”, destacou a jovem Brunielle Mota, de 14 anos, e que está
há dois no grupo.
tos brasileiros nem sabem que
existe. Como gosta de contar,
saiu da Itália como aquelas
pessoas que “dizem que querem se encontrar e partem para
a Índia”, porém a escolha de
Filippo foi pela América do Sul.
Após sucessivas viagens
ao Brasil, conheceu uma sergipana e se casou, com ela teve
três filhos (tendo um nascido
na Itália e dois no Brasil). Após
o casamento ainda tentou
morar na Itália, mas já estava
se sentindo nativo demais para
deixar o Brasil pra trás. “A verdade é que eu gosto daqui”.
A vernissage de “Somos
Multidimensionais” acontecerá
no dia 16 de julho, a partir das
19h, na Galeria Zé de Dome,
localizada à Rua José de Dome,
61 B- Farolândia.
C-2
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
TV aberta
TV Sergipe/Globo A programação é de total responsabilidade das emissoras
Canal 4
Fone: (79) 3045-4400
05:53h - Santa Missa
06:58h - Globo Comunidade
07:26h - Pequenas Empresas &
Grandes Negócios
08:01h - Globo Rural
08:59h - Auto Esporte
09:30h - Esporte Espetacular
13:00h - Futebol Copa do Mundo
15:02h - Esquenta!
17:00h - Futebol Copa do Mundo
18:59h - Domingão do Faustão
21:00h - Fantástico
23:22h - Super-Star
00:33h - Domingo Maior
02:27h - Sessão de Gala
TV Atalaia/Record
Canal 8
Fone: (79) 3226-2600
08:00h - Viva Mais - HD
08:30h - Caderno de Domingo - HD
09:00h - Caju Cap - HD
10:00h - Formandos e Noivas - HD
10:30h - Paulo Lavigne - HD
11:00h - Domingo Show - HD
15:15h - Hora do Faro - HD
19:20h - Domingo Espetacular - HD
23:15h - Tela Máxima
"Corrida Mortal" - HD
Aperipê TV/TV Brasil
Canal 2
Fone: (79) 3179-1315
06:30h - Pense e Repense
07:00h - Santa Missa (Programação Local)
08:00h - Hora do Empreendedor
(Programação Local)
09:00h - Forró no Asfalto
(Programação Local)
10:00h - Castelo Rá Tim Bum
10:30h - Janela Janelinha
11:00h - ABZ do Ziraldo
11:45h - Curta Criança
12:00h - Um Menimo Muito Maluquinho
12:30h - Catalendas
13:00h - Dango Balango
13:30h - TV Piá
14:00h - Stadium
15:00h - A’UWE
16:00h - Ver TV
17:00h - De Lá pra Cá
17:30h - Cara e Coroa
18:00h - Papo de Mãe
19:00h -Conexão Roberto Dávila
20:00h - Esportvisão
21:30h - Nova África
22:00h - Cine Ibermédia Solas
23:45h - A Grande Música
00:45h - Rumos
TV Canção Nova
Canal 13
Fone: (79) 249-5505
05:00h – Deus Abençoe/Terço
05:30h – Mensagem do Cardeal
06:00h – Igreja pelo Mundo
06:30h – Preservação Ambiental
07:00h – Transmissão
08:00h – Transmissão
09:30h – Tele Davi
10:00h – Transmissão
11:00h – Transmissão
11:30h – Angelus/Palavra de Deus
12:30h – Nossa Gente, nossa terra
13:20h – Transmissão – Missa
15:30h – Darc
16:30h – Programa de Roma
17:00h – Deus abençoe Terço
17:30h – Som e Vida
18:30h – Igreja no Novo Milênio
20:50h – CN Repórter
21:30h – Resgate Já
22:00h – O Amor Vencerá
24:00h – Gente de Fé
00:00h – Som e Vida
Paulo Whitaker/Reuters
Variedades
Jornal da Cidade
TELEVISÃO
Camila Morgado vive sedutora em
“O Rebu”, a nova novela da Globo
Divulgação
Marcela Ribeiro
C
do uol, no Rio
amila Morgado se prepara
para entrar no ar em "O
Rebu" - novela das onze
da Globo, que estreia dia 14 de
julho - para viver a fogosa Maria
Angélica, que se diverte na festa,
principal cenário da trama, em
cenas ousadas ao lado de Alain,
vivido por Jesuíta Barbosa.
"Meu personagem tem uma
pegada mais da sensualidade, de
ser mais exposta. Ela vai pra cima
da pessoa, tem essa pegada mais
forte. A Maria Angélica gosta de
se divertir, ela gosta de rapazes
jovens, mais velhos e de meia-idade", conta a atriz, que deve
chamar a atenção em cenas quentes na trama de George Moura e
Sergio Goldenberg.
Apesar do sex appeal, Camila
confessa que é complicado definir
Maria Angélica, filha da viúva
ricaça Vic Garcez (Vera Holtz),
com quem tem um conflito, mas
herdou muitas características,
entre elas, a de não querer compromisso com ninguém.
"Ela é uma mistura de muita
coisa, porque ela vai bebendo e
chega um momento que você não
sabe se ela está sedutora, bêbada
ou animada", explica, aos risos.
"O Rebu" é inspirado na obra
de Bráulio Pedroso, exibida na
Globo em 1974. A novela, que
terá 36 capítulos, se desenrola em
torno de uma festa e de um assassinato que ocorre nela e se passa
em três tempos: na festa, com encontros e desencontros amorosos
e jogos de interesses em torno de
um grande negócio, o dia seguinte
Camila Morgado é Maria Angélica na novela “O Rebu”
quando acontece a investigação
policial sobre a morte e flashbacks
com os personagens, que podem
ser os responsáveis pelo crime.
A festa de "O Rebu" é regada
à bebida, elegância, glamour, desejos e muitas intrigas. O elenco
da novela traz grandes nomes
da dramaturgia, entre eles, Tony
Ramos, Cassia Kis Magro, José de
Abreu e Dira Paes.
"Quando quero, sou
uma mulher sensual"
Se na TV, a atriz vive uma
mulher fatal, na vida real, Camila,
que está solteira, confessa que
sabe seduzir na hora certa.
"Como mulher acho que a
gente tem muito de ter essa coisa
mais sedutora, a sensualidade
está na vida. Quando quero, sou
uma mulher sensual. Quando a
gente se conhece é mais fácil, a
energia feminina é muito forte.
Quando a gente quer seduzir alguém, nem sempre a gente consegue, mas pelo menos arriscamos".
Aos 39 anos, a atriz, que se
considera uma mulher vaidosa,
diz que aceita os defeitos do seu
corpo e sabe explorar o que tem
de melhor.
"Aprendi a conviver com o meu
corpo, é o que tenho, temos que
conviver com o que temos e tentar
usar da melhor forma possível. Temos que aceitar que ninguém é perfeito e que a imperfeição é que faz
a sensualidade do negócio", aposta.
A cantora Ivete Sangalo posa ao lado de Shakira no Maracanã
encontro
Fifa confirma Shakira,
Ivete Sangalo e Brown
para final da Copa/2014
A Fifa confirmou na últimaquarta-feira (2) as participações
de Shakira, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Alexandre Pires,
Wyclef Jean e Carlos Santana
para o final da Copa do Mundo,
no dia 13 de julho, no estádio do
Maracanã. De acordo com o site
do órgão, haverá também um
show da escola Acadêmicos do
Grande Rio, numa homenagem
à cidade-sede da decisão.
Santana, Wyclef e Alexandre Pires subirão ao palco do
Maracanã às 15h20 para agitar
o público com a música "Dar
Um Jeito", hino oficial do Brasil
2014. Já Shakira marcará presença em sua terceira Copa do
Mundo consecutiva e cantará
"La la la" ao lado de Carlinhos
Brown. Para finalizar, Ivete Sangalo apresentará um pot-pourri
de famosas canções nacionais.
“Estou emocionada de poder
cantar minha música La la la na
cerimônia de encerramento da
Copa do Mundo da Fifa “Tenho
uma profunda relação com o
futebol, por motivos óbvios, e
entendo perfeitamente o que a
Copa do Mundo significa para
muitas pessoas, inclusive para
mim. Sou muito grata pela oportunidade de me apresentar na
cerimônia de encerramento da
Copa do Mundo deste ano, no
Brasil. Os torcedores abraçaram
essa música de forma incrível.
Mal vejo a hora de cantá-la
para eles”, disse Shakira ao site
oficial da Fifa. A colombiana foi
estrela da Copa de 2010 com o
hit “Waka Waka”.
Para Carlinho Brown, a Copa
do Mundo emocionou todo
mundo e fará falta. “Quando a
final terminar, agradeceremos
mais uma vez a todos, porque
temos muito a comemorar. A
Copa do Mundo no Brasil foi um
sucesso”, comentou o baiano.
Shakira e Ivete já estiveram
juntas no Rock in Rio de 2011.
Em uma inserção de uma ani-
mada versão de “País Tropical”,
clássico de Jorge Ben Jor, a colombiana chamou Ivete Sangalo
para fazer uma participação
especial, um dos melhores momentos da noite.
Em 2012, Ivete convidou
Shakira para dividir com ela a
música “Real Fantasia” - que dá
o nome ao seu CD de 2012.
“Dar Um Jeito”
O sambista Alexandre Pires divulgou nesta terça-feira
(1) o clipe de mais uma música oficial da Copa do Mundo
ao lado da banda Santana,
Wyclef e do Dj Avicii.
Cantada em inglês e português, “Dar Um Jeito” tem
imagens em uma favela do
Rio de Janeiro. O clipe mostra um garoto apaixonado
pelo Brasil e fanático por
futebol. Já o grupo Santana
aparece em uma balada fazendo todos dançarem tanto
quanto o menino que mora
na comunidade.
A Fifa havia anunciado
quatro dias antes da abertura que Jennifer Lopez não
viria ao Brasil para cantar
“We Are One”. O motivo da
possível recusa era a agenda
da cantora.
Em entrevista à AP, a cantora disse que dizer que ela
havia cancelado sua participação foi precipitado. “Estou
indo. Viajo esta noite. Nunca
deixaríamos de ir. Eu acho
que as pessoas ficam ansiosas
e que foi um pouco prematuro anunciar qualquer coisa”,
disse a cantora à AP.
“Ela sempre quis participar da abertura. Qualquer informação contrária
foi prematura”, garantiu o
representante da cantora.
J.Lo atualmente já está divulgando seu décimo álbum,
“A.K.A.”, que será lançado na
próxima semana.
Impróprio para menores
TV do Governo reestreia programa
com nudez em um novo horário
A TV Brasil, do governo federal, voltará a exibir a série
Todos os Brasileiros do Mundo a
partir da próxima segunda-feira
(7), às 23h30. O programa, que
ia ao ar aos sábados, às 19h30,
foi retirado do ar reclassificado
como impróprio para menores
de 14 anos após a emissora pública veicular um episódio sobre
exploração sexual com cenas de
nudez, prostituição e linguagem
chula em horário impróprio para
menores. Este documentário
será reexibido na terça (8). A
exibição dos seis episódios termina no dia 12.
A emissora suspendeu a exibição no dia 21 de junho, quando ia
ao ar o terceiro episódio da série.
No lugar, colocou um pedido de
desculpas aos telespectadores
por ter exibido conteúdo inadequado para a faixa e explicou por
que o programa saiu do ar. Em
seguida, exibiu o documentário O
Tigre e o Monge, sobre um ritual
de meditação budista.
No dia 14 de junho, a série
exibiu cenas inadequadas para
menores de 14 anos. No episódio
Gostoso pela Própria Natureza,
a acompanhante Ana Paula (que
se apresenta como Stella em
Milão, na Itália), aparece nua,
com seios de fora, sem qualquer
tarja, negociando um programa
pela internet.
De acordo com o Guia Prático de Classificação Indicativa,
exibição de seios ou órgãos genitais e apresentação de qualquer
etapa de prostituição são impróprias para adolescentes abaixo
de 14 anos e só podem ir ao ar a
partir das 21h.
A acompanhante entrevistada também usou vocabulário
impróprio para o horário ao
falar sobre sexo oral. Linguagem
chula, com "expressões ofensivas
e vulgares relacionadas a sexo",
é recomendada para maiores de
12 anos e pode ser exibida apenas após as 20h.
O episódio Gostoso pela
Própria Natureza, sobre mulheres que usam o corpo para
trabalhar na Suíça e na Itália,
se destoa dos demais da série,
que aborda temas como ajuda
humanitária e imigração ilegal
para os Estados Unidos.
Preocupada com a imagem,
Morgado cuida da pele e dos
cabelos, mas afirma que não tem
medo do envelhecimento.
"Estou com 39, acho que faz
parte da natureza você envelhecer. A diferença é você envelhecer de uma maneira boa. Mas o
mais importante é estar bem de
cabeça para aceitar o que vem
pela frente", declarou.
O ponta pé inicial da carreira
de Camila Morgado foi o filme
“Olga”, no qual interpretou a
protagonista Olga Benário, uma
jovem comunista alemã que
acaba se apaixonando por Luiz
Carlos Prestes. Para o papel, Camila teve que emagrecer 7 kg e
raspar a cabeça. Por esta atuação
foi indicada como melhor atriz no
Grande Prêmio de Cinema Brasil.
Seu nome completo é Camila
Ribeiro da Silva. A atriz nasceu
em Petrópolis, região serrana
do Rio de Janeiro, no dia 12
de abril de 1975. Aos 17 anos,
Camila resolveu se mudar para
a capital fluminense e iniciar os
estudos na CAL (Casa das Artes
de Laranjeiras) e fez faculdade de
artes cênicas na UNIRIO, mas não
chegou a concluir. Já morando
em São Paulo, estudou com o
diretor Antunes Filho e também
entrou na companhia de Gerald
Thomaz, onde começou a fazer
teatro profissional. Em 2000, a
atriz foi chamada para fazer o
teste para trabalhar na novela
“O Clone”, mas o diretor Jayme
Monjardim gostou tanto do trabalho da atriz que a convidou
para participar da minissérie “A
casa das sete mulheres”, que foi
ao ar em 2003 pela TV Globo.
Variedades
Jornal da Cidade
ancelmo gois
Astral
• Email: [email protected]
• Fotos: [email protected]
COM ANA CLÁUDIA GUIMARÃES, DANIEL BRUNET, JORGE ANTÔNIO BARROS, MÁRCIA VIEIRA E JOSÉ FIGUEIREDO
TV Globo/Ellen Soares
Russian Air Force 1
Cercado de um superaparato
de segurança, Vladimir Putin
desembarca na Base Áerea
do Galeão em seu Ilyushin
Il-96-300PU ao meio-dia de
domingo dia 13.
Dali, sai direto para um almoço com Dilma no Centro
de Convenções, na Cidade
Nova. De lá, segue para o
Maracanã, palco da partida
final da Copa, às 16h. Depois do jogo, embarca para
Brasília. Terça dia 15, vai
para a reunião dos Brics, em
Fortaleza.
Dia D...
Por causa de Putin e outros
chefes de Estado, o cuidado
com segurança para a partida final da Copa, dia 13,
no Maracanã, vem sendo
redobrado.
O Planalto decidiu que o
general Luiz Ramos, que
comanda a Divisão de Exército na Vila Militar, no Rio,
assumirá o comando dessas
operações.
Coisa de bacana
No camarote “Vvip”, o VIP
dos VIPs, há gente com um
olho no lance e outro no
mocassim de Dom Joseph
Blatter, presidente da Fifa.
Virado à paulista...
O domingo é de...
Emanuelle Araújo, a linda baiana de 37 anos. A atriz é também cantora e foi a sucessora de Ivete
Sangalo à frente da Banda Eva, além de integrar o grupo Moinho. Agora, Emanuelle tem um novo
desafio: ela chega à novela “Malhação — Sonhos” na pele de Dandara, a professora de canto da
escola de artes Ribalta. A nova temporada tem estreia prevista para o dia 14 e aborda a busca do
sonho pelas pessoas. E o de Dandara não é nada menos do que dar mais uma oportunidade para o
amor. Ama eu...
Catedrático do Silêncio
Único presidente oriundo do Mato Grosso, terra de
Luiza Brunet e Jorge Bastos Moreno, não necessariamente nessa ordem, o presidente Eurico Gaspar
Dutra (1883-1974) tinha um problema de dicção em
que trocava a letra C pela X.
O militar é um dos personagens do livro que a Zahar
vai lançar em agosto “A República cantada”, de André Diniz e Diogo Cunha. O livro conta a História da
República através da música.
Um pingo de História...
A maldade com Dutra também incluía a lenda
de que ele também não primava pelo inglês.
A piada era que num encontro com o presidente
Harry Truman, no aeroporto, na hora em que
o americano desembarcou no Brasil, os dois se
cumprimentaram. Truman perguntou: “How do
you do, Dutra?” E Dutra retrucou: “How tru you
tru, Truman?”
Si non é vero ... é bene trovato.
Folclore político...
No caso de Dutra, que ganhou o apelido maldoso de ‘Catedrático do Silêncio’, o problema de dicção levou o compositor Marino Pinto a fazer graça, com a marchinha “Voxê qué xabê”:
“Voxê qué xabê,/Voxê qué xabê./Não pixija xabê./Pra que voxê qué xabê?”
Melhor assim
A Boehringer Ingelheim, fabricante do analgésico Anador, agita a
bandeira branca para a turma dos museus.
Como saiu aqui, os museólogos ficaram tiriricas com publicidade do
famoso remédio que dizia que “quem ficava parado no tempo é museu”.
Sexta, na página do Anador no Facebook, o laboratório reconheceu que a frase não foi a mais adequada e pediu desculpas a
todos os que se sentiram ofendidos.
André substitui Ana
Ana Maria Braga vai entrar de férias.
André Marques comandará a atração “Mais você” durante o
período.
Guerra das colas
Embora a Coca-Cola seja patrocinadora da Copa do Mundo há
muito tempo, alguns artistas que participarão do show de encerramento do Mundial são ligados à concorrente Pepsi.
São eles: Shakira (acima com uma garrafa de Pepsi), Santanna e
Ivete Sangalo.
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Aliás, um bacana que frequenta os camarotes VIPs
dos estádios da Copa, onde
há “serviço de bordo”, garante: “Onde se serve a melhor
comida é no Mineirão, e a
pior, no Itaquerão.”
Neymar e Bruna
Bruna Marquezine deu de
presente uma camisa do
Neymar autografada para o
neto da moça da cantina do
Projac. Não é fofa?
No mais
É duro conviver com a realidade de que Neymar está
fora da Copa. Mas, se é que
isso serve de consolo, o
Mundial não está fácil para
ninguém.
Que o digam os outros grandes do futebol.
Oscar Quiroga
Internet: www.quiroga.net E-mail: [email protected]
A solidão é impossível
Data Estelar: Lua Vazia das 12h31 até 16h33, horário de Brasília. Tua solidão só
será verdadeira se ninguém souber dela, pois se houver alguém informado de
tua solidão, então essa deixará de ser. Entendes como é fácil sair da solidão?
Entendes por que os verdadeiros solitários preferem a discrição e não fazem
alarde nem muito menos se queixam de sua condição? Há também a solidão
de constatar que tua alma está presa no calabouço de si mesma, porém, como
essa é uma constatação que todo ser humano fará em algum momento da
existência, não se pode chamá-la de solitária, é uma experiência compartilhada,
o oposto da solidão. Também temos de pensar que como interiormente não
somos apenas um, mas muitos, já que muitos estados de ânimo se reúnem no
mesmo ser, impulsos cruzados do que Tu sentes e não sentes convivem; nessa
reunião de muitos em um só, te afirmo, a solidão é impossível.
Áries (21/03 a 20/04)
 É propício aumentar o
seu círculo de influência,
estendendo-o através de
novos relacionamentos,
conexões que estão
aí em potencial, mas
que ainda não foram
devidamente exploradas.
Há coisas importantes
para você fazer.
Touro (21/04 a 20/05)
 Enquanto seus planos
permaneçam ocultos
sob o véu da discrição,
não serão sujeitos a
questionamentos e
críticas e, por isso,
parecerão perfeitos.
Muito diferente será a
situação quando esses
planos forem postos em
marcha.


Câncer (21/06 a 21/07)
 Agora será necessária
uma dose extra de
atrevimento, já que não
há garantia de nada e,
mesmo assim, o jogo
precisa continuar. Faça
uso dos instrumentos
que achar necessários
e coloque a bola em
movimento, observando
os sinais.
Leão (22/07 a 22/08)
 Coordenar
diferenças para
minimizá-las e insuflar
espírito de colaboração,
essas são tarefas
aparentemente fadadas
ao fracasso. Porém,
se não fosse possível
efetuá-las, então o
mundo nem sequer
existiria, não é?

Libra (23/09 a 22/10)
 No fim, todas as
pessoas hão de aceitar
que precisam umas das
outras, inclusive para
discordar, pois, como
seria possível discutir
se não houvesse outras
pessoas? É necessário
reforçar os laços de
relacionamento.
Escorpião (23/10 a 21/11)
 Se você fizer críticas
e comentários ácidos,
jogará por terra o
esforço de superar o
estado de conflito.
Melhor apostar na
concórdia e deixar
as diferenças de
lado. Pense que você
também poderia
receber críticas.
Sagitário (22/11 a 21/12)
 Compreenda e aceite
que este não é seu
momento, este é o
momento de outras
pessoas brilharem
e ocuparem a cena.
Melhor assim, se recolha
e descanse, ao mesmo
tempo contribuindo
para outras pessoas
brilharem.



Capricórnio (22/12 a 20/01)
 Reserve um tempo
para limpar os
cantos de sua casa e
escritório, e liberar
espaço. Desvencilhe-se
de todos esses objetos
que você guarda à
espera do momento
de usá-los, momento
esse que nunca chega.
Libere espaço.
Aquário (21/01 a 19/02)
 De vez em quando
os dias passam e
você não faz nada do
que precisa, porém,
também há outros,
como agora, em que
em pouco tempo sua
alma faz muito. Assim
se equilibra o jogo, sem
arrependimentos nem
culpas inúteis.
ESTREIAS
Khumba (Idem). África do Sul, 2013. Direção de
Anthony Silkveston. Animação, aventura. Zebra
que tem listras na metade do corpo embarca
numa aventura em busca da normalidade. 85m,
livre. Cine Sercla (Shopping Prêmio), versão 3D,
dublado, sessões às 14h20 e 18h25. Jardins,
versão 3D, dublado, sessões às 11h30, 13h30,
15h30, 17h30 e 19h30.
Transformers: a Era da Extinção (Transformers). EUA, 2014. Direção de Michael Bay. Com
Mark Wahlberg. 12 anos, 120m. Cine Sercla (Shopping Prêmio), versão 3D, dublado, sessão às 20h20.
Riomar, versão 3D, com legendas, sessões às 18h10
e 20h20. Versão 3D, dublado, sessão às 21h30. Jardins, versão 3D, dublado, sessão às 21h35. Versão
3D, com legendas, sessões às 18h30 e 21h55.
PIB da saliência
Em tempos de Copa, a Centaurus, tradicional termas na Rua Canning, em Ipanema, faz campanha com os taxistas: a cada turista
levado para lá, o do taxímetro embolsa R$ 30.
Os Homens São de Marte... e é pra lá Que
eu Vou. Brasil, 2014. Direção de Marcos Baldini.
Com Paulo Gustavo, Marcos Palmeira e Humberto
Martins. 106m, 14 anos. Solteirona há mais de
uma década, está agora atrás de um amor que
funcione. Cine Sercla (Shopping Prêmio), sessão
às 18h20. Riomar, sessão às 14h50. Jardins, sessões às 11h35, 14h, 16h30, 19h, 21h25.
Transcedence, a Revolução (Transcedence).
EUA/Inglaterra, 2014. Direção de Wally Pfister.
Com Johnny Depp, Morgan Freeman, Kate Mara.
Cientista torna-se o inimigo número um de extremistas que não querem que ele crie máquina
avançadas. 119m, 12 anos. Riomar, versão com
legendas, sessões às 14h30 e 19h50.
BBC Brasil Selvagem: Resistência à Seca.
Documentário da BBC, versão dublada, livre.
Jardins, sessão às 15h25.
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (X-Men: Days of Future Past). EUA, 2014. Direção
de Bryan Singer. Com Hugh Jackman, Jennifer
Lawrence, Ellen Page, Patrick Stewart. 135m, 12
anos. Os mutantes são caçados impiedosamente
pelos sentinelas. Os poucos sobreviventes vivem
escondidos. Cabe a Wolverine estabelecer um
plano para se ver livre da ameaça. Cine Sercla
(Shopping Prêmio), versão plana, dublado, sessão
às 20h30. Jardins, versão plana, dublado, sessões
às 11h25, 16h35 e 22h10.
EXTRA
Causa e Efeito. Brasil, 2014. Direção de André
Marouço. Com Matheus Prestes. Policial perde
mulher e filho em acidente provocado por motorista alcoolizado. 100 anos, 14 anos. Riomar, sessões às 17h10, 19h30 e 21h50. Jardins, sessões
às 17h40, 20h05 e 22h25.
Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany´s).
EUA, 1962. Direção de Blake Edwards. Com
Audrey Hepburn e George Peppard. 110m, livre.
Jardins, sessão às 12h30.
CINE VITÓRIA
O Espelho (Oculus). EUA, 2013. Direção de Mike
Flanagan. Com Karen Gillan, James Lafferty. Depois
de sair de um hospital psiquiátrico, jovem tem
certeza que quem matou seus pais foi a maldição
do espelho de sua casa.103m, 14 anos. Jardins,
versão dublada, sessões às 14h15, 19h20 e 21h40.
A Floresta de Jonathas. Brasil, 2013. Direção
de Sergioe Andrade. Família vive da colheita e
venda de frutas em área rural do Amazonas.
100m, 12 anos. Sessão às 15h.
BBC Brasil Selvagem: Um Mundo Perigoso. Livre. Jardins, versão dublada, sessão às 11h15.
BBC Brasil Selvagem: Enfrentando a
Inundação. Documentário da BBC de Londres.
Versão dublada, livre. Jardins, sessão às 17h10.
Satyrianas, 78 horas em 78m. Brasil, 2013.
Direção de Daniel Gaggini, Fausto Noro, Otávio
Pacheco. Documentário sobre o festival que é realizado em São Paulo. 78m, 12 anos. Sessão às 17h.
Não Aceitamos Devoluções (No Se Acceptan
Devoluciones). México/EUA, 2014. Direção de Eugenio Derbez. Com Derbez, Karla Sousa. Playboy
é obrigado a criar a filha que ele nem sabia que
existia. Riomar, sessões à 12h, 17h20 e 22h20.
CONTINUAÇÕES
Os Muppets, Procurados e Amados (Muppets Most Wanted). EUA, 2014. Direção de James
Bobin. Nova aventura dos Mupets, agora rodando
pelas principais capitais europeias. 106m, Livre.
Jardins, versão dublada, sessões às 12h20 e 14h45.
Onde está o Amarildo?
Toquinho, o grande artista, prepara uma turnê para celebrar seus
50 anos de carreira. Serão 12 shows em quatro capitais brasileiras.
A carioca Sete Artes Produções foi autorizada a captar pela Lei
Rouanet R$ 5.350.000.
Peixes (20/02 a 20/03)
 Em algum momento
uma mão amiga se
estenderá em sua
direção para prestar
ajuda. O que você
fará? Rejeitará a ajuda
só para continuar no
convencimento de tudo
ser difícil e complicado?
Há muita vida além dessa
imaginação.
Cinema
Como Treinar Seu Dragão 2 (How to Train Your
Dragon 2). EUA, 2014. Direção de Dean de Bois.
Soluço e Dragão da Noite descobrem ua caverna
onde habitam dragões nada dispostos a viver em
paz. Animação. 102m., livre. Cine Sercla (Shopping
Prêmio), versão 3D, dublado, sessão às 16h20.
Versão plana, dublado, sessões às 14h20, 16h25,
18h30, 20h35. Riomar, versão plana, dublado, sessões às 11h e 15h40. Versão 3D, dublado, sessões
às 13h20 e 18h. Jardins, versão plana, dublado,
sessões às 11h20, 13h35 e 15h55. Versão 3D,
dublado, sessões às 12h30, 15h05, 17h20 e 19h50.
50 anos de música

Virgem (23/08 a 22/09)
 Preserve a boa
vontade, mas não fique
nessa apenas. Utilize a
boa vontade para colocar
em marcha os assuntos
que sejam necessários
hoje. Evite a preguiça,
há coisas que acontecem
independente de ser
domingo.

Documenta negro
O blog da turma da coluna lembrou, sexta, que Pelé, após se machucar em campo e ficar fora da Copa de 1962, foi brilhantemente substituído por Amarildo, o Possesso.
Aliás, o ex-atacante brasileiro foi ao Maracanã, anteontem, assistir ao jogo Alemanha x França.
Gêmeos (21/05 a 20/06)
 As coisas mais
importantes nos
relacionamentos acabam
sendo negligenciadas
na convivência. Isso
precisa ser retificado, pois
ainda que faça parte da
normalidade, não por isso
é mais saudável. Combata
a inércia.

Amazônia. Brasil/França, 2014. Direção de
Thierry Ragobert. Macaco prego domesticado
sobrevive a um acidente de avião e tem que sobreviver na maior floreta tropical do mundo. 86m,
livre. Riomar, versão 3D, sessões às 10h40, 12h50.
Jardins, sessões às 11h10, 13h15 e 15h20.
O produtor cultural Mauro Cleverson prepara o filme “Documenta Negro”, em parceria com a Boxx Filmes e Entretenimento. Vai
contar a história de três importantes artistas negros: o trompetista Julio Barbosa, a atriz Ruth de Souza e a comediante Marina
Miranda.
Ele poderá captar pela Lei Rouanet R$ 1.211.616.
C-3
Vizinhos (Neighbors). EUA, 2014. Direção de
Nicholas Stoller. Com Seth Rogen, Zac Efron, Rose
Byrne. 97m, 16 anos. Casal muda-se para uma
casa nova e descobre que a vizinhança é uma
turma do barulho. Jardins, versão plana, dublado,
sessões às 18h20, 20h35.
A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)
EUA, 2014. Direção de Shaile Woodley, Willlem Dafoe, Laura Dern. Jovem que sofre de câncer agressivo
com zero chance de cura conhece Augustus, que
derrotou a doença. Cine Sercla (Shopping Prêmio).
Versão plana, dublado, sessões às 14h, 16h20,
18h40, 21h. Riomar, versão com legendas, sessões às
11h20, 14h, 16h40, 19h20, 22h. Jardins, versão com
legendas, sessões às 12h40, 16h55, 19h40 e 22h20.
Malévola (Idem). EUA, 2013. Direção de Robert
Stromberg. Com Angelina Jolie, Ella Faning, Miranda
Richardson. Malévola conta os fatos de sua vida que
fizeram dela uma mulher amargurada e vingativa.
97m, 10 anos. Cine Sercla (Shopping Prêmio), versão
3D, dublado, sessões às 14h20, 16h20. Riomar,
versão 3D, dublado, sessões às 11h40, 13h50. Versão
3D, com legendas, sessão às 16h. Jardins, versão 3D,
dublado, sessões às 16h25, 18h40 e 20h44.
Turismo C
CADERNO
Jornal da Cidade
Editor: Eugênio Nascimento
Aracaju
domingo
Divulgação
Fotos: Divulgação
Eugênio Nascimento
Da Equipe JC
O mercado
central é sempre
muito visitado por
turistas nas visitas a
Belo Horizonte
verdade, falta uma saída pelo mar para os mineiros. Na verdade, falta
praia, mas eles aparentemente se sentem compensados com o uso das
praias do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Como a vida não se
resume em banhar-se ao mar ou
caminhar nas suas margens, Minas Gerais tem muito a oferecer
aos seus visitantes, de história a
diversão e bons pratos.
No interior de Minas, pode-se
curtir boas e belas cachoeiras,
hotéis fazendas e restaurantes
com bons pratos, da costelinha de
porco frita ao pernil, da linguiça
à galinha caipira com quiabo ou
rabada bovina com agrião e dos
lombos de boi de porco à carne
guisada com manjogome, também conhecida como ora pro nobis e língua de vaca.
Come-se ainda bons pães com
boas manteigas e queijos, presuntos caseiros, pernis assados com
pão e ainda várias espécies de frutas. Pode-se ter acesso a tudo isso
no interior e na capital, a próspera
Belo Horizonte. Em Sabará, Ouro
Preto, Juiz de Fora, Mariana, Congonhas do Campo serve-se isso
tudo com excelente qualidade e sabor com muita história.
O Parque das
Mangabeiras
é um dos
espaços
privilegiado de
lazer em Belo
Horizonte
Pelo Mundo
Alugue um
monumento
max augusto
Milhas
T
rês empresas europeias estão com promoção para emissão
de bilhetes com milhas. A Air France e a KLM estão
emitindo passagens para Europa por 60 mil milhas ida e
volta. A espanhola Iberia ousou mais e lançou promoção para
a Espanha por 16 mil milhas o trecho.
Divulgação
O Governo português
passará a arrendar seus
monumentos históricos
para locação de filmes
e eventos sociais e
culturais. O aluguel do
Mosteiro dos Jerônimos,
um dos mais belos
prédios da arquitetura
portuguesa, sai por 40
mil euros, o equivalente a
120 mil reais.
MALVINAS
Apesar de ser considerado
território inglês, os
argentinos ainda insistem
em dizer que “las
Malvinas son argentinas”.
Buscando aproximar
a ilha dos argentinos,
foi inaugurado semana
passada o Museu das
Malvinas em Buenos Aires.
Boca 1
Mauritshuis
Após dois anos em reforma, o Museu holandês Mauritsuis
reabriu esta semana. O museu, um antigo palácio de
Maurício de Nassau, situado na cidade de Haia, tem
diversas obras dos artistas da era de ouro do país. Só a
arquitetura do local já vale uma visita.
Divulgação
Mais uma novidade
portenha: foi inaugurado
este ano um hotel cinco
estrelas inteiramente
dedicado ao time de
futebol Boca Juniors. Na
chegada, um tapete de
boas-vindas que imita o
gramado da Bombonera,
estádio do Boca. O bar tem
telas que reproduzem as
arquibancadas do estádio,
seus torcedores, e todo o
movimento típico de um
dia de jogo.
Boca 2
Interditada
6 e segunda-feira 7.7.2014
BH oferece boa comida,
parques e muita história
A igreja São Francisco de Assis, na margem da
Lagoa da Pampulha, é sempre visitada
É

Esta semana, a Ponte do Diabo, nas Cataratas do Igauçu,
foi interditada temporariamente. Motivo: o grande volume
de água devido às chuvas, que ultrapassaram a marca de
23 milhões de litros por segundo, sendo que a margem de
segurança é de 1,5 milhão de litros por segundo.
Os hóspedes do hotel têm
diferentes privilégios, como
acesso preferencial a treinos,
visitas guiadas ao museu
Boca Juniors, ingressos para
jogos e até encontros com
os jogadores, dependendo
do pacote escolhido. O
preço das diárias varia entre
R$ 232,32 até R$ 3.872.
Imagine se essa moda pega
aqui no Brasil, o País do
futebol?
Terceira Idade
O Submarino Viagens é o mais novo
integrante do ‘Viaja Mais Melhor Idade’,
do Ministério do Turismo. O objetivo
do programa é incentivar brasileiros
com mais de 60 anos a viajarem. Os
descontos podem chegar a até 80%. Para
mais informações, acesse o site.
#partiubrasil
O Ministério do Turismo iniciou,
no último dia 27, a Campanha
#PartiuBrasil numa iniciativa de
aumentar o interesse dos brasileiros em
conhecer o seu próprio país. A campanha
será divulgada na TV fechada, nas rádios
e na internet. O investimento deve
ultrapassar R$ 4 milhões.
Para quem optar por um roteiro na capital, terá muito o
que fazer, a começar pela visita
ao Parque das Mangabeiras, que
está encravado na Serra do Curral, o Parque Municipal das Mangabeiras é um dos maiores e mais
belos redutos ecológicos de Belo
Horizonte. O projeto paisagístico é de Burle Marx. Trata-se da
maior área verde da cidade, com
2,3 milhões de m2 de matas nativas, onde se pode fazer trilhas no
meio de micos, esquilos e outros
animais silvestres. E têm ainda
quiosques, quadras poliesportivas, brinquedos para crianças e
arenas para shows e teatros.
Vale uma visita ao mercado central, onde pode-se experimentar e
comprar boas cachaças, bons queijos e até mesmo por lá almoçar.
O passeio pode ter continuidade
indo assistir a um jogo no Estádio
Mineirão, curtir uma noitada no
Chevrolet Hall, fazer um rolezinho
na Lagoa da Pampulha, onde está a
Igreja São Francisco de Assis, projetada por Oscar Niemeyer, ou ainda
dando uma chegada nos shoppings
centers de BH. Vale uma visita aos
Bairros Savassi e Sion.
Nessa época do ano, faz um
bom frio em BH, à noite. Mas
não é assustador, nada que uma
boa dose de cachaça não isole de
vez e garanta o direito de curtir
as noitadas.
Garanhuns I
A 23ª edição do Festival de Inverno de
Garanhuns é uma boa opção para quem quer
reunir cultura, entretenimento, gastronomia
e friozinho em uma só viagem. O festival, que
começa no dia 18 e se estende até 27 de julho
será bem diversificado e contará com shows
de Ney Matogrosso, Zeca Baleiro, Caetano
Veloso, Elba Ramalho, Daniela Mercury, Fagner,
Mart’nália, Arlindo Cruz, dentre outras atrações.
Garanhuns II
Além dos shows de artistas de renome, a
programação do festival conta com um palco
instrumental, um polo de cultura popular e teatro
de rua, música erudita na Catedral, dança e circo.
2014
Jornal da Cidade
EditorA: Tirzah Braga
Aracaju  domingo, 6.7.2014
[email protected]
DIRETO DAS SEDES
BATOM NO LANCE
COPA DAS COPAS
Brasil dá show na
Arena Castelão dentro
e fora do gramado.
Torcida bonita empurra
a Seleção Brasileira na
classificação diante da
Colômbia. Pág. 4
Brasil sem Neymar e
Felipão sem muitas
alternativas. Jogo da
semifinal tem desfalques
importantes e treinador
precisa encontrar soluções
rápidas. Pág. 2
Brasil faz Copa
bonita e apaga onda
de pessimismo da
imprensa nacional
e internacional que
rondava antes do
Mundial. Pág. 2
Brasil dentro,
Neymar fora!
U
Maior craque brasileiro
da Copa 2014, Neymar
fratura vértebra e não
joga mais o Mundial
Fotos: Jorge Henrique e Vipcomm
m dos poucos jogadores da Seleção
Brasileira a não receber críticas durante o Mundial deste ano, Neymar
ainda continuava como unanimidade para a torcida do Brasil nesta
Copa. Diante da Colômbia, na partida válida
pelas quartas de final da competição, ele viu o
sonho de comandar o Brasil na mais importante
copa dos últimos anos ser interrompido. Aos 43
minutos do segundo tempo, o lateral direito colombiano Zuñiga deu uma joelhada nas costas do
camisa 10 brasileiro e o tirou da Copa do Mundo
2014 com a fratura da terceira vértebra lombar.
Após o lance, a atacante recebeu um primeiro
atendimento ainda no gramado. O médico José
Luiz Runco fez o gesto de substituição e o atleta
foi retirado de maca chorando muito. O segundo
atendimento foi na clínica da Arena Castelão. Depois, Neymar foi levado a um hospital onde passou pelos exames detalhados e foi dada a notícia.
“O exame de tomografia computadorizada
mostrou uma fratura no processo transverso na
terceira vértebra lombar, uma fratura na região
da coluna. Não é uma fratura grave, mas limita os
movimentos. Ele vai sentir dor, precisa de imobilização com uma cinta lombar e não terá condições
de jogar. O prazo é curto, uma semana, e não tem
condições, mas em termos de recuperação a expectativa é de uma consolidação futura”, afirmou o
médico da Seleção, Rodrigo Lasmar, em entrevista
ao canal Sportv uma hora após o final da partida.
Lasmar ainda não estipulou um prazo exato
de recuperação, apesar de saber que não há
condições de voltar a jogar na última semana da
Copa.“Vamos ver depois (o prazo final), mas serão algumas semanas imobilizado com essa cinta, para controlar a dor”, acrescentou o médico.
A vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia classificou o Brasil para a semifinal do Mundial, para
encarar a Alemanha, na terça-feira, em Belo
Horizonte. Principal esperança da equipe de
Luiz Felipe Scolari nesta Copa, Neymar deixa o
torneio depois de ter marcado quatro gols.
Com uma vértebra fraturada,
Neymar não tem qualquer chance
de voltar a jogar nesta Copa
Imprensa internacional
destaca fim da
Copa para Neymar
Companheiros falam em correr por
Neymar e lhe dedicar o título
Depois da partida com a Colômbia,
os jogadores da Seleção Brasileira reagiram da maneira esperada à notícia de
que Neymar está fora da Copa do Mundo. Lamentaram bastante a contusão do
companheiro, que fraturou uma vértebra na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, nas quartas de final, e prometeram
lutar para lhe dedicar o título.
“É um estímulo a mais para a gente.
É duro o jogador querer entrar e não
poder. A gente vai correr por ele”, disse
Maicon. “Nada melhor do que a gente
se fortalecer para suprir essa ausência e
buscar esse título tão essencial. Com certeza, vai ser para o Neymar”, concordou
Fernandinho.
Hulk foi na mesma linha. “É triste,
né? O Neymar se cuidou tanto para jogar essa Copa, estava tão empolgado...
Agora temos que superar isso. Tem que
superar! É mais um motivo para correr.
Vamos correr pelo Neymar, que merece
pelo cara que é, pelo moleque que é.
Vamos correr mais ainda para ser campeões e dedicar a ele.”
Os jogadores falaram ainda em orar
para que seja plena a recuperação do
atacante, algo que não será um problema de acordo com os médicos da Seleção. E, ainda que tenham lamentado
tecnicamente sua ausência, procuraram
mostrar otimismo na tentativa de se
virar sem o craque.
“Nossa seleção não tem que perder
nada. Tem que ganhar com o que for
entrar. Tem que colocar isso na cabeça.
Nosso time joga coletivamente. Vamos
enfrentar um time que joga muito bem
coletivamente também, estamos cientes,
mas tem que ir para cima da Alemanha”,
pediu Oscar.
Em ótima atuação,
Neymar fez gol e
ajudou o Brasil a virar
o jogo
A classificação do Brasil para a semifinal da
Copa do Mundo perdeu espaço para a lesão de
Neymar na imprensa internacional. Depois do
anúncio de que o atacante está fora do restante
da Copa do Mundo, os jornais do exterior deram
ênfase à saída do principal jogador da seleção
de Luiz Felipe Scolari.
“É para chorar”, exibe o diário argentino
Olé em sua versão digital, explicando que a
lesão acabou sendo “muito mais grave do que
se pensava”. Na Espanha, as manchetes do jogo
desta sexta-feira do Brasil também se referem à
situação do atleta do Barcelona.
“Neymar, adeus ao Mundial”, informa o diário Marca. Outro periódico espanhol, o As, tem
uma abordagem semelhante: “Neymar fratura
uma vértebra; adeus ao Mundial”. O Mundo
Deportivo usa os mesmos termos e também
exibe uma imagem do atleta caído, com a mão
esquerda nas costas.
O italiano Corriere Dello Sport destaca que o
“Mundial acabou” para o atacante. O português A
Bola coloca em sua página principal que “a estrela
brasileira sofreu fratura de vértebra lombar”.
Depois de ter sofrido uma joelhada nas
costas em disputa com Zúñiga, Neymar foi substituído no segundo tempo da partida contra a
Colômbia e passou por exames em um hospital
de Fortaleza. Os exames detectaram a fratura,
que tira o jogador do restante da Copa.
2
Aracaju,
domingo
6
de julho de
2014
2014
Jornal da Cidade
Copa no Brasil: 10 motivos para comemorar
Jorge Henrique
A Copa do Mundo no Brasil tem sido um
sucesso de público e organização dentro
e fora das quatro linhas. A alegria do
brasileiro tem contagiado o público
estrangeiro, além de fazer com que os
jogadores encontrem inspiração para
marcarem gols. A animação da torcida,
demonstrada em cada partida, vem
movimentando as arenas brasileiras
do mundial e sendo um diferencial do
evento. Mas não é só isso: faltando apenas
dez dias para o fim do Mundial, o Portal
Brasil preparou uma lista com dez motivos
que explicam por quê a Copa no Brasil já é
considerada a melhor da história. Confira:
Audiência durante os jogos e pela TV
2
O grande público de telespectadores tem marcado
a transmissão dos jogos do Mundial. A audiência
da primeira fase de jogos bateu recordes em vários
países, conforme dados da Fifa. Segundo a Federação, os torcedores e telespectadores do Brasil,
Japão, Alemanha, Reino Unido, Argentina, França,
Holanda, Croácia e Itália foram responsáveis pelas
principais audiências das emissoras que transmitiram os jogos.
5
1
Os legados pós-copa
3
A Copa do Mundo da Fifa 2014 deixará legados
concretos, como a geração de empregos, de
negócios e a melhoria da infraestrutura do País.
Mas o evento também terá como consequência
aspectos intangíveis, como um novo modelo de
gestão pública, em que as três esferas trabalham cada vez mais em conjunto e de forma
coordenada.
Hospitalidade do brasileiro
4
Número de gols e ação
dos principais jogadores
Copa sem racismo e pela paz
Uma Copa sem racismo e pela paz. Essas são bandeiras do Mundial com sede no Brasil. Campanhas
de sensibilização informam e conscientizam atletas
e torcedores sobre a gravidade do crime e mobilizam a população quanto ao respeito às diferenças,
aproveitando a Copa e toda a diversidade cultural,
racial e religiosa dos turistas e visitantes.
Visibilidade internacional
6
Com a melhor média de gols em quase 50 anos,
jogos menos faltosos e queda drástica no número
de cartões, a Copa encerrou a primeira fase e já dá
mostras de que entrará para a história como uma
das mais disputadas e emocionantes da história.
O protagonismo dos artilheiros nas seleções têm
marcado o evento.
A preparação e a organização da Copa do Mundo
no País despertaram muitas desconfianças no período pré-Copa. Mas quando a bola rolou pra valer,
o Brasil pôs à prova sua capacidade de realizar
o evento com sucesso. Jornais e sites do mundo
inteiro têm destacado o nível técnico das partidas,
número de gols e ações de artilheiros, além da
receptividade e alegria do povo brasileiro como
pontos altos desta Copa.
7
O público brasileiro tem sido o melhor produto
exportação do País nessa Copa. A alegria e o ambiente de felicidade tem marcado o País e contagiado a todos que por aqui passam: cerca de 600 mil
turistas internacionais e mais ou menos três milhões
de brasileiros.
Competitividade e
surpresas nos resultados
Mesmo que alcancem a façanha de erguer o
primeiro troféu, para alguns países essa Copa já
terá sido inesquecível. Colômbia e Costa Rica são
exemplos da força sul-americana. O continente vem
mostrando seu valor.
Aquecimento da economia
Participação da torcida
8
Estádios lotados, pessoas fantasiadas, um mar verde e amarelo. Mas não é só isso. Todas as torcidas
das 32 seleções têm entrado em campo e mantido
o espetáculo. As cores das bandeiras, hinos cantados a capela e a famosa “holla” têm garantido um
belo espetáculo a essa Copa do Mundo. O público
brasileiro, claro, é protagonista.
9
De forma objetiva, além de negócios e geração de empregos, os resultados alcançados com o aquecimento
da economia, o incremento do turismo, o fortalecimento de cadeias produtivas nacionais, o investimento na
infraestrutura urbana e a adequação de serviços como
energia, telecomunicações e segurança já fariam dessa
a Copa das Copas. Houve a geração de negócios no valor de cerca de R$ 100 milhões para micro e pequenas
empresas brasileiras e a aproximação com empresários
estrangeiros, por meio do trabalho da Apex, o que
acarretou US$ 1,8 bilhão em negócios.
Diversidade cultural
10
A profusão de cores e nacionalidades tem sido uma
das atrações da Copa. A multiplicidade de culturas
e sotaques, aliadas à alegria das torcidas dos países
participantes têm trazido mais graça às arenas brasileiras durante o evento mundial. Uma multiplicidade de posições políticas, religiosas e ideológicas
reunidas em um só grito de gol.
Mineirão recebe o selo de certificado ambiental
O Mineirão é o primeiro estádio brasileiro e o segundo do
mundo a conquistar o selo Platinum, categoria máxima de certificação ambiental Leedership in
Energy and Environmental Design
(LEED), concedida pela Green
Building Council Institute (GBCI).
A premiação é resultado de ações
ambientalmente sustentáveis implementadas desde o início das
obras de modernização da nova
arena, em janeiro de 2010, através
de um rigoroso controle dos documentos exigidos pela empresa
responsável pela certificação.
“A conquista da certificação
é fruto de um trabalho rigoroso
desenvolvido desde o momento
da concepção do novo estádio, em
que responsabilidades ambiental,
social e financeira foram devidamente planejadas e, agora, reconhecidas”, destaca Tiago Lacerda,
secretário de Estado de Turismo e
Esportes de Minas Gerais (Setes).
O estádio conquistou 81 dos
110 pontos concedidos para a
concessão do selo máximo e se
Copa na TV
SPORTV
00h - SporTV News
1h - Madruga Sportv 2014
7h - Bom Dia SporTV
9h - SporTV News
10h - Redação SporTV
11h30 - SporTV Tá na Área
12h – Copa do Mundo - Argentina X
Bélgica
15h – Copa do Mundo - Holanda X
Costa Rica
19h – Seleção Sportv
21h – É campeão!
22h – Extra ordinários 2014
23h – Sportv News
Jorge Henrique
destacou em vários quesitos,
como eficiência da água (atendendo dez dos dez requisitos
apontados) e energia e atmosfera (completando 32 dos 35
requisitos).
Procedimentos sustentáveis
V
árias ações de sustentabilidade adotadas na reforma e
operação do novo Mineirão destacaram-se nesse processo. Uma
delas foi o sistema de lavagem
dos pneus dos veículos que transitaram pelo canteiro de obras para
diminuir sujeira e poeira nas vias
públicas. A água usada nessa ação
foi captada por calhas e destinada
para um sistema de tratamento,
sendo tratada e bombeada para
uma caixa d´água, voltando a
abastecer o sistema de lavagem. A
prática gerou economia de aproximadamente 18 mil litros de água
por dia e cerca de R$ 500 mil.
“Uma das nossas maiores
preocupações sempre foi o compromisso com o meio ambiente,
então fazemos tudo voltado para
ESPN BRASIL
9h30 -Bate-Bola Na Copa - 1ª Edição
12h30 - Bate-Bola Na Copa - 2ª Edição
15h - Bate-Bola Na Copa - 3ª Edição
18h - Sportscenter : 2ª Edição
19h – Bate-Bola Na Copa - 4ª Edição
21h – Linha De Passe Na Copa
23h – Sportscenter: 2ª Edição
Band
18h - Band na Copa
Globo
9h30 - Esporte Espetacular
Dos 12 estádios da Copa, somente o de Belo Horizonte recebeu o selo
a eficiência energética e não
poluidora. Essa foi uma vitória,
pois o novo Mineirão foi todo
pensado em cima da consciência
ambiental”, comemora Otávio
Góes, gerente de tecnologia da
concessionária Minas Arena,
responsável pela administração
do estádio.
Outro exemplo foi o reaproveitamento de 90% dos resíduos
gerados com a obra de reforma
do estádio. O concreto demolido
foi transformado em brita para
ser utilizado na pavimentação de
ruas do município de Vespasiano,
na Região Metropolitana de Belo
Horizonte. A terra foi utilizada
para fazer o aterro do Boulevard
Arrudas, no Centro da capital
mineira. Já a sucata metálica foi
toda doada a usinas recicladoras
para emprego na indústria. Os antigos assentos também receberam
destinação ecológica. Cerca de 55
mil cadeiras foram doadas a estádios e outros espaços esportivos
do Estado.
O reservatório com capacidade para cinco milhões de
litros de água de chuva também
contribuiu para a obtenção dos
81 pontos da certificação LEED.
A água captada é reutilizada em
serviços de manutenção do estádio, como irrigação do campo
e mictórios, suportando até três
meses de estiagem.
Eficiência energética
C
om relação ao emprego de
energia limpa dentro do Mineirão, a Usina Solar Fotovoltaica
(USF) do estádio é outro exemplo
de pioneirismo ambiental. Com
uma potência instalada de 1,42
MWp (megawatts-pico) e cerca
de 6.000 módulos fotovoltaicos,
a USF Mineirão é a maior em cobertura do país e uma das maiores
instaladas em arenas esportivas
no mundo. Pela primeira vez, um
jogo da Copa foi disputado em um
estádio com uma usina solar em
funcionamento, no dia do confronto entre Colômbia e Grécia, em 17
de junho. Desde o dia 25 de abril, a
USF do estádio está injetando mais
de 1 MW de energia no sistema de
distribuição da Cemig, o suficiente
para abastecer cerca de 1.200
residências.
Sobre o LEED
O
sistema LEED de certificação do U.S. Green Building
Council é o programa mais
importante do mundo para
o projeto, construção, manutenção e operação de edifícios
verdes (green building) e busca
otimizar o uso dos recursos
naturais, promover estratégias
de regeneração e restauração,
minimizando as consequências
ambientais e de saúde humana
da indústria de construção. A
certificação demonstra liderança, inovação, gestão ambiental
e responsabilidade social.
BATOM NO LANCE
TIRZAH BRAGA - [email protected]
Em busca de soluções
Ao sair de campo classificada para as semifinais após
12 anos, a Seleção Brasileira
tinha um pequeno problema
para o próximo jogo: suspensão de Thiago Silva. Pequena porque temos no banco
um dos melhores zagueiros
do mundo: Dante. Felipão
iria até fazer um drama e
dizer que era uma perda,
coisa e tal, mas seria um
drama mesmo. Ele sabe que
tem um bom substituto para
o Monstro. Porém, a hora
após a partida revelou o
maior problema que ele poderia ter nesta competição:
Neymar fora.
O camisa 10, de 22 anos,
tinha puxado a responsabilidade de ser um dos homens
mais importantes do grupo;
jogou quando ninguém jogava; entrava em campo seguro;
se tornou o artilheiro do grupo com quatro gols; pensava
as jogadas; arriscava em campo. Essa figura foi derrubada
por um golpe colombiano
[que não foi punido pelo árbitro da partida]e perde a oportunidade de ser o nome da
Copa. Já Felipão ganha uma
bela dor de cabeça que deve
durar o tempo que o Brasil
ficar na competição.
Scolari não tem no banco
ninguém que o possa substituir à altura. Bernard ou
Willian podem ser os substitutos, porém, quem entrar
deve carregar menos responsabilidade do que quem está
em campo desde o primeiro
jogo. O Brasil não joga para
Neymar – como a Argentina
faz com Messi –, mas sai dele
as principais e melhores jogadas. Sem ele, perde a referência, perde o talento, perde o
craque. Entretanto, não tem
um esquema destruído. Obviamente que não há quem
o substitua à altura, porém,
há chances de fazer um belo
jogo e derrotar a Alemanha.
Caminhos? Quem tem
que pensar é Felipão, mas
cabe a Oscar, titular absoluto
do treinador, a obrigação de
criar e fazer com que o Brasil
chegue à final. Cabe a Hulk
criar boas oportunidades
e fazer do setor ofensivo o
espaço dos gols. Nesta fase
de mata-mata somente a defesa marcou. Se Fred quiser
entrar em campo, é SUPER
bem-vindo.
O momento é de drama e
não teria como ser diferente,
mas a Copa do Mundo está aí e
a Seleção continua carregando
a missão de deixar esta taça
por aqui mesmo.
2014
Jornal da Cidade
Aracaju,
domingo
6
e segunda-feira
Por fora da copa
Sul-Americano Escolar
pode vir para Aracaju
2014
3
Brasil enfrenta Itália
pela classificação
U
m dia após a vitória por 3 sets a 1 sobre a Itália,
a seleção brasileira masculina de vôlei mudou de
cidade. A equipe saiu de Bolonha, onde venceu
os donos da casa, na quinta-feira, 3, e já está em Milão,
na preparação para o segundo confronto, que será no
domingo (06.07), às 12h, no Forum Assago. Os brasileiros fizeram trabalho físico na academia nesta sexta
(04.07), já na preparação para o jogo onde buscarão a
vaga na Fase Final da Liga Mundial.
O objetivo da seleção, neste momento, é assegurar a
última vaga do Grupo A. Irã, primeiro colocado da chave, com 19 pontos, já está garantido, assim como a Itália, segunda colocada e, ainda, sede das finais. Brasil e
Polônia brigam para
classificar. O time
dirigido pelo técnico

Bernardinho está em
vantagem, na terceira posição, com
14 pontos, porém os
poloneses ainda farão dois jogos contra
o Irã, na sexta e no
sábado. O Brasil terá
apenas mais um duelo, neste domingo.
O líbero Mário Jr., que teve importante atuação na
vitória de ontem, destacou o valor da vitória. “O resultado foi muito importante para continuarmos vivos na
competição. A equipe jogou muito bem, o conjunto funcionou e subimos mais um degrau na busca pelo nosso
objetivo. No domingo precisamos de mais uma vitória
para garantir a nossa classificação para a Fase Final”,
disse Mário Jr.
Um dos mais experientes do grupo, o central Lucão
sabe que será necessário ter atenção com o adversário
no próximo confronto. “A vitória de ontem foi muito
importante porque demos uma respirada. Só dependemos de nós para chegarmos a Fase Final. De qualquer
forma, sabemos que o time da Itália é muito forte e que
virá ainda melhor no jogo de domingo”, alertou Lucão.
O central ainda elogiou o crescimento do grupo brasileiro nesta reta final de fase classificatória. “A nossa
equipe cresceu muito nos últimos jogos, principalmente
nos que fizemos contra a Polônia e nesse de agora, aqui
na Itália. Tivemos um tempo maior de preparação e
acredito que temos tudo para melhorar cada vez mais”,
afirmou Lucão.
O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com
nove títulos – 1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006,
2007, 2009, 2010.
Divulgação
a seleção brasileira
é a maior vencedora
da Liga Mundial, com
nove títulos entre
1993 e 2010
Reunião realizada esta semana coloca Aracaju como uma das principais candidatas ao Sul-Americano
Na mesma linha de raciocínio do presidente da entidade,
o secretário-geral da CBDE,
Robson Aguiar, também enalteceu as qualidades da cidade.
Ele relatou que o evento reunirá cerca de 1.600 atletas e contará com 10 modalidades de
esportes: natação, handebol,
vôlei, basquete, futsal, futebol,
atletismo, judô, xadrez e tênis
de mesa. De acordo com ele,
se a disponibilidade da rede
hoteleira for confirmada e as
condições de preços apresentados se enquadrarem dentro
do orçamento da Confederação Aracaju será confirmada
como sede dos Jogos Sul-Americanos Escolares deste ano.
O diretor do AC&VB, João
Ávila, que esteve presente na
reunião, ressaltou que todo o
trabalho que o Aracaju Convention realiza – desde a captação do evento até o último
dia de realização do mesmo
– é feito de forma gratuita,
sem nenhum ônus para quaisquer das partes envolvidas. Ele
também lembra que qualquer
entidade que esteja interessada em realizar eventos em
Aracaju pode contar com a
assessoria da entidade, Para
tanto, os contatos podem ser
feitos pelo telefone 3249-4546
ou pelo e-mail [email protected]
2014
Tabela dos jogos
2ª Fase
Jornal da Cidade
Brasil
1(3)
1(2)
Chile
Colômbia
2
0
Uruguai
Holanda
2
1
México
Costa Rica
1(5)
1(3)
Grécia
França
2
0
Nigéria
Alemanha
2
1
Argélia
Argentina
1
0
Suíça
Bélgica
2
1
Estados Unidos
Brasil
2
1
Colômbia
Alemanha
1
0
França
Holanda
Argentina
Costa Rica
Bélgica
Brasil
Alemanha
Valores entre parênteses correpondem à disputa de pênaltis
N
de julho de
LIGA MUNDIAL
Competição será realizada entre os dias 4 e 11 de dezembro e
terá atletas entre 12 e 14 anos
a última quarta-feira,
02, o Aracaju Convention & Visitors Bureau
(AC&VB) promoveu reunião
com dirigentes da Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE) e com representantes da Associação Brasileira
da Indústria de Hotéis (Abih/
SE) – além da presidente da
entidade, Daniela Mesquita,
estiveram presentes mais 12
gerentes de hotéis. O objetivo
do encontro foi a definição da
realização, em Aracaju, da 20ª
edição dos Jogos Sul-Americanos Escolares, que anualmente
ocorrem em um dos países da
América do Sul e abrange atletas na faixa etária dos 12 aos
14 anos. Neste ano, os jogos
deverão ocorrer no Brasil, de
4 a 11 de dezembro de 2014.
Segundo o presidente da
CBDE, o sergipano Antônio Hora
Filho, Aracaju tem muitos aspectos positivos para receber um
evento desse porte, que envolve
em torno duas mil pessoas, entre
atletas, técnicos e acompanhantes. Ele também afirmou que a
capital de Sergipe está disputando a captação do evento com
outras duas capitais brasileiras:
Brasília e São Paulo. Por isso, foi
solicitado ao AC&VB o encontro
com a rede hoteleira para avaliar
a disponibilidade de leitos e os
preços que serão praticados.
7
4
Aracaju,
domingo,
6
de julho de
2014
2014
Jornal da Cidade
Kleber Santos | Jorge Henrique
Correspondentes especiais do Jornal da Cidade
[email protected]
Fotos: Jorge Henrique
Fotos: Jorge Henrique
Cara pintada
Com o verde da bandeira estampado no
rosto, torcedor tupiniquim vibra pelo
Brasil no confronto com a Colômbia
Com muito orgulho,
com muito amor
Em Fortaleza, o Brasil entrou em
campo pela segunda vez com
o apoio da torcida cearense. A
torcedora vibra com a presença da
seleção pentacampeã no campo da
Arena Castelão
David Luiz e Thiago Silva, zagueiros da Seleção Brasileira,
são as apostas para se classificar para a final do Mundial
Guerreiros do
BRASIL
Sem poder contar com Neymar na Copa, esperança de
triunfo brasileiro está nos pés de Thiago Silva e David Luiz
Q
uando se fala na Copa de 70, os nomes
que vem à cabeça são Pelé, Tostão e
Rivelino, por exemplo. Na de 94, a
dupla Romário e Bebeto. Em 2002, os
destaques foram Ronaldo, Ronaldinho
e Rivaldo. E em 2014? Ah, neste ano, esqueça
a época áurea do nosso futebol ser elogiado
quanto à eficiência dos atacantes, o maior mérito da Seleção Brasileira neste Mundial, sem
dúvida, está na força dos nossos zagueiros:
Thiago Silva e David Luiz.
O talento de ambos é indiscutível. Contudo,
mesmo assim, a Seleção está sofrendo no sistema defensivo e tomando gols. Das cinco partidas, tomou gol em quatro. A questão é: imagine
se não fossem estes dois zagueiros? Não quero
nem pensar. Na última partida, contra a Colômbia, deram o show de antecipação nas jogadas,
roubando as bolas ou sofrendo faltas dos atacantes. Não bastasse a qualidade defensiva,
eles fazem um papel que não é de ofício, que
é marcar gol. Na fase final, Thiago marcou nas
quartas de final, e David Luiz também marcou
e foi escolhido o craque do jogo. E ainda houve
o gol contra o Chile.
É bem verdade que a postura do capitão foi
questionada por ter chorado muito na hora dos
pênaltis, nas oitavas. E pior: fugiu da responsabilidade da cobrança. Seria o último, depois até
do goleiro Júlio Cesar. Contudo, melhor fugir
do que ter a prepotência de cobrar, mesmo
sem a confiança suficiente para acertar o gol.
Outro ponto negativo é que ficará de fora do
confronto contra a Alemanha por ter recebido o
segundo cartão amarelo na competição. A vaga
deve ser suprida por Henrique, que entrou no
jogo de sexta-feira.
Capitão sem braçadeira
Se Thiago Silva jogou bem, o que escrever
sobre David Luiz? Não só joga muita bola, mas
tem postura de capitão. Acredito até que Felipão não dá a braçadeira para ele porque sabe
que David é o capitão de fato do Brasil. E para
dar moral a Thiago o mantém de capitão, até
porque tem mais tempo de estrada na Seleção.
Vale lembrar que na cobrança de pênaltis,
contra os chilenos, ele se ofereceu para cobrar,
acertou o chute e ainda incentivou os demais
jogadores. Quando William perdeu a cobrança,
foi o primeiro a sair do meio de campo para
consolá-lo. E na hora da comemoração dos seus
gols? Que energia passa para a torcida. Quem
está no estádio se contagia. Não é à toa que é o
segundo jogador mais prestigiado pela torcida,
perdendo apenas para Neymar. David é o tipo
de jogador que mesmo se a qualidade técnica
não fosse tão boa, eu quereria no meu time, só
pela garra que demonstra. E ainda sabe cobrar
falta. Que beleza!
Thiago Silva e David Luiz têm estilos de
campeões. Faltam apenas dois jogos para o
potencial virar realidade. Faltam duas partidas
para eu poder dizer aos meus filhos, que no ano
de 2014, houve uma Copa do Mundo no Brasil,
que a torcida foi o décimo segundo jogador,
que o craque Neymar se contundiu na competição, mas que lá atrás havia dois zagueiros que
marcaram uma era no Brasil, que é o país de
Pelé, Tostão, Jairzinho, Romário e Bebeto, mas
também de Thiago Silva e David Luiz.
Emoção à flor da pele
Torcedora brasileira se emociona no Castelão no momento em que hino brasileiro é
tocado. Ela, como milhares
de brasileiros, não segurou a
emoção
Beleza tropical
Linda brasileira estampa
o sorriso e torce pela
seleção canarinho que jogava na Arena Castelão,
em Fortaleza
Mar verde e amarelo
Os brasileiros tomaram conta e
fizeram a maior festa durante as
quartas-de-final
JORNAL DA CIDADE
entrevista
Municípios
Fechamento
desta edição
12h00
www.jornaldacidade.net
“sem liberdade de criticar, não existe elogio sincero”. beaumarchais
Domingo
Aracaju-SE, 6 e 7 de julho de 2014 - Ano XLIII - Nº 12.597
Sergipe R$ 1,50 - Outros Estados R$ 2,00
Secretário Saumíneo Nascimento fala sobre
o setor industrial no Estado de Sergipe. Pág. 3
Menores no trânsito
estão na mira do MPE
Com o crescimento das cidades do Interior, um problema vem se destacando: as infrações no trânsito. Populações mais numerosas e, consequentemente, mais
veículos circulando pelas ruas têm tornado o trânsito caótico. Inclusive, muitos menores de idade acabam também se envolvendo em situações de risco.
Em boa parte dos casos, eles mesmos são os protagonistas dessas infrações ao conduzirem motonetas sem a autorização dos órgãos fiscalizadores. PÁG. 4
André Moreira
em maruim
Gestão busca
atrair empresas
para a cidade
A iniciativa faz parte de
uma política de geração
de empregos em parceria
com entidades privadas.
Segundo o prefeito Jeferson
Santana, diversas reuniões
foram realizadas, até fora
do Estado, para apresentar
a situação estratégica do
município. PÁG 3
ROYALTIES
Supremo inicia
recesso forense
sem apreciação
As irregularidades no trânsito de Estância se tornaram corriqueiras, por conta disso os órgãos competentes viram a necessidade
de acabar com elas urgentemente. Como resultado dessa empreitada pró-trânsito na cidade, blitze constantes têm sido realizadas.
Os ministros da Suprema
Corte só voltam aos trabalhos após o dia 31 de julho.
Até lá, Estados e Municípios
não confrontantes perdem
os recursos oriundos da exploração do petróleo e gás
natural. Até o momento, os
entes federados deixaram de
receber R$ 8 bilhões. PÁG. 2
André Moreira
Associações têm reivindicações
a candidados ao governo de SE
Divulgação
As eleições para governador ainda vão acontecer
em outubro, porém, as especulações já
começaram faz tempo. Com a definição dos
candidatos, as associações municipalistas já
preparam suas reivindicações. PÁG. 2
‘Velho Chico’ passa
por reflorestamento
Pedido da vereadora Daniela Fortes (PR) foi apresentado
ontem na Câmara de Aracaju. Ela tem andado pela
periferia e ouvido reclamações de obras que teriam
sido realizadas só no papel. A vereadora já conta com
as oito assinaturas necessárias para a CPI. PÁG. 6
hoje nas colunas
política
- A Confederação Nacional
de Municípios (CNM) tem alertado aos
gestores municipais que o sistema educacenso
está aberto para receber informações sobre os
dados do Censo Escolar 2014. PÁG. 2
PLANTAS ORNAMENTAIS
BOQUINHENSES APOSTAM NA CULTURA
PARA GERAR MAIOR RENTABILIDADE
PÁGINA 5
PÁGINA 5
a semana - A população de Glória
está sofrendo com o mau cheiro produzido pela
fábrica de laticínios Natville. O incômodo tem
forçado os moradores a fechar suas portas mais
cedo, além de causar dano à saúde. PÁG. 5
agropecuário - Produtores
terão até 31 de dezembro de 2015 para renegociar
dívidas rurais inscritas na Dívida Ativa da União
(DAU). O maior intervalo para quitar os débitos
resulta de alteração da Lei 11.775. PÁG. 6
social - Expondo pela primeira vez
no Brasil, o artista italiano Filippo Garrone
apresenta ao público sergipano o acervo de obras
construídas desde que veio morar nas terras
tupiniquins. PÁG. 7
COMERCIAL: 3226.4820 FAX: 3215.5009

[email protected]

REDAÇÃO: 3226.4824 / 3226.4826


FALE COM O JC: 3226.4800
DIVULGADA A TABELA
DE PAGAMENTO DO
”MÃO AMIGA”
[email protected]
2
Municípios
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Panorama Político
da redação de municípios
CNM ALERTA
A Confederação Nacional de Municípios (CNM)
tem alertado aos gestores municipais que o sistema educacenso está aberto para receber informações sobre os dados do Censo Escolar 2014. Dados
de alunos, professores, escolas e turmas de todas
as etapas da educação básica de escolas públicas e
particulares devem ser enviadas ao sistema.
CENSO ESCOLAR
A CNM reforça que o Censo Escolar é o principal levantamento de dados realizado pelo
Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Por isso é preciso estar atento à inserção correta dos dados no
sistema. Os dados servirão de base para a distribuição dos recursos do Fundo de Manutenção e
Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e
de outros programas federais.
IMPUGNAÇÃO 1
Teve início na última terça-feira, dia 1º,
o prazo para que os
municípios sergipanos
apresentem impugnação junto ao Tribunal de
Contas do Estado (TCE)
quanto aos índices percentuais provisórios das
quotas de ICMS para o
ano de 2015, desde que
devidamente comprovada alguma incorreção
nas informações prestadas pelos contribuintes.
IMPUGNAÇÃO 2
Os prefeitos municipais e associações
de municípios, ou
seus representantes,
poderão impugnar
os dados e os índices
provisórios conforme a portaria nº. 323
da Sefaz, que estabelece a obrigatoriedade de entrega em
papel e meio magnético da impugnação
apresentada pelas
prefeituras.
VAI FECHAR
O
prefeito do
município
Telha, Domingos dos Santos
Neto (PSC),
garantiu que vai
fechar o Sindicato
dos Servidores Públicos do Município
de Telha, filiado
à Central Única
dos Trabalhadores
(CUT/SE). Até o
momento, o desconto em folha da
contribuição sindical foi cancelado
e através do ofício
098/2014, o prefeito pressiona o trabalhador e
dirigente sindical José Marivaldo Monteiro dos
Santos a apresentar documentos comprobatórios
da regularidade sindical junto ao Ministério do
Trabalho e Emprego.
Jornal da Cidade
Associações municipalistas
têm pedidos aos candidatos
Presidentes da Ambarco e Fames falam das suas reivindicações
A
s eleições para governador ainda vão acontecer
em outubro. Porém, as
especulações sobre o assunto
já começaram faz tempo. Com
a definição dos candidatos, as
lideranças políticas já estão definindo qual deles terão o apoio
dos outros partidos, com isso
as associações de municípios
sergipanos já preparam suas
reivindicações para o gestor do
Estado que tomara posse no dia
primeiro de janeiro de 2015.
O presidente da Associação dos Municípios da
Barra do Cotinguiba e Vale
do Japaratuba (Ambarco) e
prefeito de Nossa Senhora
do Socorro, Fábio Henrique
afirma que, independente da
posição política, os prefeitos
querem ter do governador
eleito, um tratamento republicano com os municípios;
realização de obras e investimentos.
Ainda segundo ele, a Ambarco pretende cobrar suas
reivindicações, solicitando que o
governador eleito faça gerência
junto ao governo federal para
que melhore o relacionamento
com os municípios. “Vamos reivindicar que o governo federal
possa atualizar as tabelas, olhar
e melhorar a situação dos municípios. Portanto, queremos de
quem esteja no palácio é que tenha um tratamento republicano
independente de questões político-partidárias”, complementa.
Arquivo JC
FÁBIO HENRIQUE: "Queremos que o governo possa atualizar as tabelas"
TONHÃO: " Temos um convênio com o Estado"
A Federação dos Municípios dos Estado de Sergipe
(Fames), também tem uma
lista de reivindicações para o
Governo do Estado. Entre as
principais estão o pedido do
repasse de dois importantes
recursos da Saúde: o TCEP,
que financia hospitais de
pequeno porte, e a verba da
Farmácia Básica.
Segundo o presidente da
entidade municipalista, e
prefeito do município de
Monte Alegre de Sergipe, Antônio Rodrigues, o Tonhão,
esses recursos não estão
chegando aos municípios, o
que faz agravar ainda mais
a crise financeira enfrentada
pela grande maioria das prefeituras.
Já na Educação, Tonhão
explica que a principal cobrança diz respeito ao transporte escolar. “Temos um
convênio em que o Estado
repassa um valor destinado
ao transporte. Mas está muito abaixo do que realmente
necessitamos, e ainda não
conseguimos nenhum acordo
com o Governo”, lamenta. O
presidente da Fames diz ainda que a entidade cobra uma
parceria com Estado para a
aração de terras que devem
ser direcionadas aos pequenos produtores rurais. “Seria
uma maneira de ajudar esse
trabalhador que necessita da
terra para viver”, ressalta.
Divulgação
‘RETALIAÇÃO’
O presidente do sindicato, José Marivaldo, explica que a atitude da Prefeitura é uma forma
de retaliar a entidade sindical que tem atuado
com vigor e perspicácia em defesa dos direitos
dos servidores públicos municipais denunciando
mais de dois anos de apropriação indevida do
débito consignado, que deveria ser repassado
para a Caixa Econômica Federal para saldar o
empréstimo firmado pelos servidores públicos.
MAPA
A portaria ainda
cria o mapa denominado ‘Impugnação
do Cálculo do Valor
Adicionado’, a ser
utilizado pelo município impugnante.
Nele deverá constar
o número de inscrição no Cadastro de
Contribuintes do Estado de Sergipe (Cacese), a razão social,
o CNPJ, o valor impugnado e a razão
da impugnação de
forma objetiva.
PROPAGANDA 2
PROPAGANDA 1
A Procuradoria Regional
Eleitoral em Sergipe (PRE/
SE) ajuizou 19 representações por propagandas
partidárias irregulares veiculadas no primeiro semestre deste ano. Os partidos
são acusados de desvirtuamento do espaço de propaganda que seria destinado
aos partidos. Respondem a
essas representações o PSL,
PTC, PPL, PC do B, PT do
B, PDT, PMDB, PRB, PEN,
SDD, PSDB, PROS, PSD,
PSB, PP, PT, PRP, PSDC e
DEM.
Nas representações, o procurador regional
eleitoral, José Rômulo Silva Almeida, explica
que a propaganda partidária não pode ter
caráter eleitoral. Ou seja, ela deve se destinar
à promoção dos partidos, e não de políticos
integrantes destes, nem tem por finalidade denegrir a imagem de opositores.
MOVIMENTO MUNICIPALISTA pedia para que o STF analisasse, em plenário, a liminar concedida pela ministra Cármem Lúcia sobre os royalties
ROYALTIES
STF encerra trabalhos sem apreciação
Infelizmente, o Supremo
Tribunal Federal (STF) encerrou as atividades do primeiro
semestre e anunciou recesso
forense sem apreciar a liminar
que impede a nova distribuição dos royalties de petróleo.
Apesar dos inúmeros apelos do
movimento municipalista, das
moções entregues e reuniões
promovidas pela Confederação Nacional de Municípios
(CNM), a espera continua.
Os ministros da Suprema
Corte só voltam aos trabalhos
após o dia 31 de julho. Até
lá, Estados e Municípios não
confrontantes perdem os recursos oriundos da exploração
do petróleo e gás natural. Até
o momento, os entes federados deixaram de receber R$ 8
bilhões, desde a aprovação da
Lei 12.734/2012 – que define
novos critérios de distribuição
(de maneira mais igualitária).
O movimento municipalista
pedia para que o STF analisasse, em plenário, a liminar concedida pela ministra Cármem
Lúcia. E, depois, o mérito da
Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), movida pelo
Estado do Rio de Janeiro.
Semelhantes Adins foram apresentados pelos Estados de São
Paulo e Espírito Santo e pela
Assembleia Legislativa do Rio
de Janeiro.
Luta constante
A
apreciação da liminar é uma
das principais reivindicações
do movimento municipalista
liderado pela CNM. A entidade atuou de forma decisiva na
construção da proposta que deu
origem à Lei 12.734/2012. O
presidente Paulo Ziulkoski defende que o texto original aprovado
no Congresso Nacional realiza
uma justa distribuição de recursos que, em última análise, pertencem ao Brasil.
A última sessão do STF
antes do recesso ocorreu na
manhã desta terça-feira, 1º
de julho. Quando retornar do
recesso, a Suprema Corte terá
novo presidente, o ministro
Ricardo Lewandowski. Ele
assumirá por conta da aposentadoria antecipada do atual
presidente, ministro Joaquim
Barbosa. A expectativa da CNM
é que o processo seja incluído
na pauta de julgamento o mais
breve possível, logo quando o
recesso terminar.
Excelente atuação
A
inda sobre o Judiciário
brasileiro, os números do
balanço feito pelo Superior
Tribunal de Justiça (STJ)
mostram excelente desempenho da Corte. No primeiro
semestre deste ano, foram
136.723 processos distribuídos e 172.635 processos
julgados - 37.827 em sessão
e 134.808 em decisões monocráticas, quando um ministro
decide sozinho.
Na Corte Especial foram julgados 3.043 processos - 1.463
em sessão e 1.580 monocraticamente. Nos seis primeiros
meses de 2014, o colegiado recebeu 2.179 processos. O STJ
também anunciou o início do
recesso forense para o período
de 2 a 31 de julho.
Jornal da Cidade
Municípios
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
3
ENTREVISTA SAUMÍNEO NASCIMENTO
“Sergipe possui uma dinâmica
econômica acelerada”
Arquivo JC
A equipe do JORNAL DA CIDADE
entrevistou o secretário de
Desenvolvimento Econômico e
da Ciência e Tecnologia (Sedetec),
Saumíneo Nascimento, para saber
detalhes sobre a chegada dos mais
de 30 novos projetos empresariais
do setor industrial no Estado. O
secretário informou que as indústrias
serão instaladas nos municípios
de Nossa Senhora do Socorro,
Tobias Barreto, Estância, Itabaiana,
Aracaju, Carmópolis, Laranjeiras e
Itaporanga D'Ajuda. E que, juntos,
esses empreendimentos totalizam
R$ 1,2 bilhão em termos de
investimentos, além de gerar 1.721
novos empregos diretos.
w JORNAL DA CIDADE - Recentemente foi
divulgada a tramitação de 30 novos projetos
empresariais no Estado. Quais são os setores
interessados em fazer parte da economia
sergipana?
SAUMINEO Serão 31 novos projetos que
abrangem os setores de artefatos de bijouterias, artefatos de cimento, confecções,
cosméticos, eletrônica, estruturas metálicas,
equipamentos para pesca, hotelaria, metalurgia, mobiliário, têxtil, tubos e conexões, além
de uma usina termoelétrica. Mas registro que
este número já está aumentando com a chegada constante de novos pleitos, além disso, na
nossa próxima reunião do CDI – Conselho de
Desenvolvimento Industrial que será realizada
na segunda semana de julho, mais quatro novas indústrias serão implantadas.
w JC - Quais são os municípios que receberão
esses empreendimentos? Qual a importância
deles para a economia local?
SAUMINEO - Os 31 empreendimentos serão
implantados nos municípios de Nossa Senhora do Socorro, Tobias Barreto, Estância,
Itabaiana, Aracaju, Carmópolis, Laranjeiras e
Itaporanga D’Ajuda. Esses empreendimentos,
juntos, totalizam R$ 1,2 bilhão em termos
de montante de investimentos e 1.721 novos
empregos diretos.
É importante ressaltar que outros 10 novos
projetos industriais se encontram em processo
mais adiantado e deverão ser apreciados o mais
breve possível. Estes novos projetos, que estão
em análise, totalizam em investimentos R$ 11
milhões, com perspectivas de gerarem, quando
implantados, 230 novos empregos diretos nos
setores de artefatos de cimento, medicamentos,
mobiliário, têxtil, gráfico, mobiliário, reciclagem
e prestação de serviços industriais, contemplando os municípios de Nossa Senhora do Socorro,
Carmópolis, Estância e Itabaiana.
A importância dos novos empreendimentos para a economia local está na perspectiva
de geração de emprego e renda para a população local, a geração de novos tributos para
a gestão municipal e para a gestão estadual
também, além das sinergias que as empresas
podem gerar com fornecedores locais, propiciando mais empregos indiretos. As pessoas
que passam a ter renda por conta dos empregos conseguidos nos novos empreendimentos
serão novos consumidores do comércio local e
isto gera desenvolvimento.
w JC - Existe um diálogo com os prefeitos
desses municípios para a viabilização da
instalação das indústrias?
SAUMINEO - Sim, os prefeitos sempre têm
buscado apresentar demandas de forma direta
ou mesmo, colocando o município à disposição
para que novos investimentos sejam instalados,
pois a chegada de um novo empreendimento,
seja em qualquer setor (indústria, comércio,
serviço e agricultura), gera uma dinâmica produtiva no município capaz de transformar a realidade local. A reunião que realizamos com os
secretários municipais de Indústria e comércio
foi para potencializar e intensificar este diálogo.
w JC - Existe uma expectativa com relação aos
números de geração de empregos diretos e
SAUMÍNEO: "Outros 10 novos projetos industriais se encontram em processo mais adiantado"
indiretos? Em que fase da tramitação legal
está o processo para a instalação desses 30
novos empreendimentos?
SAUMINEO - Dez já estão na fase final de análise e serão apreciados entre julho e agosto e
os demais nos meses seguintes, de acordo com
a entrega de documentação, licenças legais, a
exemplo das questões que envolvem o meio
ambiente, etc. Vale registrar que o fluxo segue
normal com a equipe técnica da Codise fazendo o trabalho de campo e de escritório para
agilizar ao máximo os processos de aprovação
de novos projetos.
Segue no link (http://www.codise.se.gov.
br/apoio-ao-investidor) um fluxograma do
processo de obtenção de incentivos na Codise.
w JC - Qual a contrapartida do Governo do
Estado no processo de instalação dessas
empresas? Isenção fiscal seria um dos itens
do acordo, por exemplo?
SAUMINEO - Primeiro, não existe isenção
fiscal e sim incentivos fiscais via redutores
das alíquotas do tributo estadual ICMS, pois o
Governo do Estado tem buscado atrair novas
empresas para desenvolver economicamente
o Estado, apontando as potencialidades da
Região Nordeste, face a localização estratégica de Sergipe que favorece a logística do
mercado regional e com os instrumentos de
apoio nós temos: o Programa Sergipano de
Desenvolvimento Industrial – PSDI tem por
objetivo de incentivar e estimular o desenvolvimento socioeconômico estadual, mediante
a concessão de Apoio Financeiro, Creditício,
Locacional, Fiscal e/ou de Infra - Estrutura.
Nos empreendimentos que citamos existem
empreendimentos com incentivos fiscais, outros
somente com apoio locacional. Mas vale registrar
que o Governo Estadual apoia as empresas no
suporte de informações que viabilizem a obten-
ção dos incentivos fiscais federais existentes para
a Região Nordeste, especialmente os incentivos
fiscais da Sudene e os incentivos financeiros do
Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, através do Banco do Nordeste do Brasil e
do Banco do Estado de Sergipe – Banese. Outro
fator importante é a oferta de mão-de-obra em
condições aptas para o trabalho e com qualificação, e isto é realizado com muitos parceiros.
w JC - Qual o montante do valor investido?
Qual a importância da chegada desses
novos empreendimentos para a economia
sergipana?
SAUMINEO - Precisamos avançar sempre no
processo retardatário de Desenvolvimento
Industrial da Região Nordeste do Brasil e,
no caso específico do Estado de Sergipe, por
suas características de ordem geográfica, sem
nenhuma abstração de determinismo da natureza, estamos buscando construir um novo
cenário que se insere no processo de mais
empresas presentes e integradas, propiciando
emprego e renda para a família sergipana.
Este cenário está na lógica de que as empresas
estão cada vez mais presentes nas economias dos
países e é isto que queremos para Sergipe. Vale
ressaltar que, o padrão de rendimento médio
do trabalhador sergipano, conforme estatísticas
oficiais do IBGE, vem melhorando e isto é resultado dos novos investimentos que estão sendo
implantados no Estado, inclusive investimentos
de empresas de outros países. Nesse sentido, atraímos empresas da Espanha, da Itália, da França
do Japão, além de negociações com empresas de
outros países/continentes que aqui investiram e
gerarão riqueza para o povo sergipano.
w JC - Investir no setor industrial tem sido
uma das prioridades do atual governo?
Por quê?
SAUMINEO - Sim. Porque o aumento da produtividade e o fortalecimento da economia
estão no cerne da Política de Desenvolvimento
Industrial de Sergipe, que já foi construída,
lançada e sempre revisada. Trata-se de uma política que foi construída contando com o apoio
da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em um documento construído
de forma alinhada com a Política de Desenvolvimento Industrial do Governo Federal.
Esse trabalho começou a ser desenvolvido no início do Governo pelos idos de
2007 e em parceria com da Secretaria de
Estado do Desenvolvimento Econômico
da Ciência e Tecnologia (Sedetec) com a
Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (Fies), demonstrando um pioneirismo
do Estado, que foi o primeiro da Região
Nordeste a elaborar de forma estratégica e
da melhor maneira possível, aproveitando
as potencialidades e características produtivas do Estado.
A Política foi elaborada a partir de oficinas
e reuniões orientadas pela Rede Nacional de
Política Industrial (Renapi), projeto da ABDI
que possui núcleos de articulação em 19 estados brasileiros. A elaboração do documento
teve participação ativa de representantes da
Sedetec, Fies, Companhia de Desenvolvimento
Industrial do Estado de Sergipe (Codise), Fundação de Apoio à Pesquisa e a Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), Instituto
EuvaldoLodi (IEL/SE), na época da então, Secretaria de Estado do Planejamento, Habitação
e Desenvolvimento Urbano (Seplan), Sergipe
Parque Tecnológico (SergipeTec) e pela Universidade Federal de Sergipe (UFS).
w JC - Como o secretário avalia o setor nos
últimos anos? Há um crescimento?
SAUMINEO - Na minha percepção e verificação in loco, há crescimento industrial em Sergipe e para comprovar é importante analisar o
Cadastro Industrial de Sergipe que a Federação das Indústrias de Sergipe elaborar periodicamente, referida publicação, além de listar
todas as indústrias que estão em atividade
em nosso Estado é também um instrumento
de interação que certamente vai possibilitar a
concretização de novos negócios entre Sergipe
e outros Estados ampliando consequentemente a capacidade produtiva e os bons resultados
das nossas empresas.
O importante na minha visão é a inserção
de novos setores industriais na composição
da nossa indústria local, como setor de autopeças, vidros, equipamentos de precisão,
indústrias alimentícias, etc.
Quero registrar que corroboro integralmente com a afirmação adiante da Federação
das Indústrias de Sergipe – Fies:
Após um período em que a economia
brasileira era caracterizada pelas baixas taxas
de crescimento, surgiu a necessidade de se
adotar políticas públicas e privadas capazes de
fomentar a retomada do crescimento econômico. Em Sergipe, é visível a integração entre
as políticas de desenvolvimento adotadas no
estado e no país, mas, vale ressaltar que o estado sergipano possui uma dinâmica econômica mais acelerada, apresentando, na maioria
das vezes, taxas de crescimento superiores às
do Brasil e do Nordeste.
maruim
Gestão busca atrair empresas para o município
Desde o ano passado a Prefeitura de
Maruim, através da Secretaria de Indústria e
Comércio, tem buscado atrair empresários que
queiram investir no município. A iniciativa faz
parte de uma política de geração de empregos
em parceria com entidades privadas.
Segundo o prefeito Jeferson Santana, diversas reuniões foram realizadas, até fora do
Estado, para apresentar a situação estratégica
do município. “A sede de Maruim fica numa
localização privilegiada, entre o porto da Barra
dos Coqueiros, a rodovia BR-101, a capital e
próxima as multinacionais”, salientou.
Um dos incentivos para atrair as empresas,
segundo o prefeito, acontece na adoção de isenção de incentivos fiscais por um período. “Exigimos que as empresas que tenham interesse
no município, através dos incentivos, utilizem a
mão-de-obra local como contrapartida”, destacou Jeferson Santana.
Outros benefícios são proporcionados também pelo Governo do Estado, através da Lei nº
3.140, de 23 de dezembro de 1991, que institui
o Programa Sergipano de Desenvolvimento
Industrial (PSDI), e pelo Governo Federal,
através da Receita Federal e da Superintendên-
cia do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
De acordo com o relatório das ações anuais
da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, em março do ano passado, uma empresa
goiana do ramo de fertilizantes manifestou
interesse em se instalar em Maruim, porém,
o terreno a ser adquirido não apresentava
documentação completa para a escrituração.
Em maio deste ano uma empresa alagoana
manifestou interesse em instalar uma unidade
fabril no município, que prevê a geração de 30
empregos diretos em um primeiro momento. A
documentação está em análise cartorial.
Outra novidade para o município será a
futura instalação de uma das maiores empresas
de transporte de cargas da região Nordeste, que
vai se instalar no Povoado Pedra Branquinha, às
margens da BR-101.
O município de Maruim tem 149 empresas cadastradas, que empregam cerca de
10% da população de aproximadamente 17
mil habitantes (Censo 2010). Os dados são
do Cadastro Central de Empresas (Cempre), relativos ao ano de 2012, produzido
pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
4
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Municípios
Jornal da Cidade
Motonetas: MPE fará fiscalização
Conduzindo ciclomotores, menores de 18 anos desafiam as leis nas cidades de Estância e Itabaiana
Fotos: André Moreira
Laudicéia Fernandes
Da Equipe JC
C
om o crescimento das cidades no Interior de
Sergipe, um problema vem se destacando:
as infrações no trânsito. Populações mais
numerosas e, consequentemente, mais veículos
circulando pelas ruas – na maioria das vezes,
sem a devida sinalização – têm tornado o trânsito
caótico nesses lugares. Inclusive, muitos menores
de idade acabam também se envolvendo em
situações de risco. Em boa parte dos casos, eles
mesmos são os protagonistas dessas infrações ao
conduzirem veículos ciclomotores, motonetas e
motocicletas sem a autorização dos órgãos fiscalizadores. E o que é pior: infelizmente, fazem isso
com a permissão, a conivência e a negligência dos
próprios pais ou responsáveis.
Diante de um quadro como esse, o Ministério Público do Estado de Sergipe tem buscado
soluções para evitar que infrações, acidentes e
até mortes continuem a acontecer. Um exemplo mais recente é o da Curadoria da Criança
e do Adolescente da cidade de Estância, a 68
quilômetros de Aracaju. Carla Rocha Barreto,
promotora de Justiça daquele município, assinou, em abril, a Recomendação nº 002/2014,
visando à operação conjunta entre a Superintendência Municipal de Trânsito (SMTT), a
Polícia Militar e a Guarda Municipal.
O intuito é intensificar – leia-se, endurecer
– a fiscalização dos condutores de motocicletas,
motonetas e ciclomotores, em prol da integridade física de todos, mas, especialmente, a
de crianças e adolescentes. No entanto, desde
então, o trabalho é mais duro do que se possa
imaginar, pois esbarra na difícil tarefa de conscientizar a população antes mesmo de puni-la.
Afrontas
Segundo Carla Barreto, as constantes
afrontas às normas de trânsito na cidade têm
colocado em risco a vida das pessoas, sejam
condutores, passageiros ou pedestres. Na Recomendação, ela destaca que motos circulam com
condutores inabilitados, inclusive adolescentes
e crianças. Além disso, de acordo com ela,
constatou-se que os passageiros são transportados de forma totalmente irregular, na maioria
das vezes com idades inferiores à permitida por
lei, que é sete anos de idade.
O aposentado Jonas Alves da Silva, 78 anos,
confirma isso e se entristece. Frequentador
assíduo da Praça Barão do Rio Branco, em
MINISTÉRIO Público do Estado de Sergipe tem buscado soluções para evitar que infrações, acidentes e até mortes continuem a acontecer
frente à catedral e bem no centro da cidade,
ele é testemunha diária das infrações de trânsito. Descreve, por exemplo, que vê menores
pilotando motocicletas e motonetas sem usar
capacetes de segurança e até mesmo falando
ao celular enquanto pilotam. “Também observo
crianças em cima de tanque de gasolina, no
colo dos passageiros ou pendurados nos braços
de adultos e de outras crianças. Ninguém respeita nada. E são os próprios pais que compram
essas motinhas e dão aos filhos sem instruí-los
devidamente”, resume o idoso.
Em virtude disso, o ofício do MPE foi encaminhado à imprensa, aos Conselhos Tutelares,
à Prefeitura de Estância, para afixação nas
escolas da rede municipal, à Câmara de Vereadores, à Delegacia local, à Polícia Militar, à
SMTT e à Guarda Municipal. Como resultado
dessa empreitada pró-trânsito em Estância,
blitze constantes têm sido realizadas. Segundo
a SMTT, a fiscalização é feita em pontos centrais da cidade, quando dezenas de veículos são
apreendidos a cada evento.
Porém, mesmo com essa determinação e
com as blitze, não é difícil flagrar adolescentes desrespeitando as normas de trânsito e as
determinações da Promotoria. “Acho que isso
acontece porque as blitze são realizadas com
pouca frequência. Deveria ter mais agentes de
trânsito trabalhando. Quem sabe a Guarda Municipal não poderia ajudar?”, sugere a dona de
casa Marina Souza Aragão, 49 anos.
Punições
A promotora Carla Barreto considera que as
irregularidades no trânsito de Estância se tornaram corriqueiras, por isso a necessidade de
acabar com elas urgentemente. No texto da Recomendação, por exemplo, ela cita que condutores
transportam até quatro pessoas sobre o mesmo
veículo, um ultraje ao Código de Trânsito Brasileiro. Por tudo isso, ela manda o recado: “À inobservância de norma de ordem pública, caberá ao
Ministério Público Estadual promover, se necessário, a competente ação civil correspondente”.
Destaque, portanto, que incorrer nessas
falhas consiste em infração administrativa considerada gravíssima, punida com suspensão do
direito de dirigir para quem tem habilitação.
Porém, quem cometer essas infrações, especialmente com crianças, incorre no crime previsto
no Artigo 132 do Código Penal, cuja pena é de
três meses a um ano de detenção, se o fato não
constituir crime mais grave.
Já quando os menores são flagrados conduzindo ciclomotores, motonetas e motocicletas,
a praxe é que os pais deles sejam identificados
e os veículos, recolhidos ao pátio da SMTT.
Feito esse procedimento, então, o processo é
encaminhado ao Ministério Público, que, por
sua vez, aplica a sanção prevista no Estatuto da
Criança e do Adolescente (ECA). A depender
da situação, há a possibilidade de os genitores
perderem até mesmo o pátrio poder.
Em itabaiana
O tenente Wagner Passos Nascimento, 35 anos,
superintendente da SMTT em Itabaiana, município a 58 quilômetros de Aracaju, explica que os
pais são chamados ao MP por causa desse procedimento, que é feito através da Polícia e da SMTT.
Lá, de acordo com o superintendente, os pais são
cadastrados, pagam multa, que varia de um a
três salários mínimos, a depender da gravidade
da infração. E se for reincidente, o valor da multa
administrativa vai aumentando. “É impressionante: os pais vão lá, pagam uma multa alta, não
questionam o valor dela e ainda têm condições de
se tornarem reincidentes. É um absurdo”, lamenta.
Em Itabaiana, a parceria para a fiscalização é
feita entre a Promotoria, a SMTT e a Polícia Militar,
através do 3º Batalhão. Este ano, segundo o tenente Wagner, não há ainda dados sobre os resultados
das ações de fiscalização nem sobre a quantidade
de acidentes. “Tivemos um problema com um convênio e, aí, esses dados deixaram de ser feitos por
nós mesmos. Mas vamos retornar o cadastramento
dos acidentes agora, em julho”, revela.
Apesar disso, ele destaca que a fiscalização
foi eficiente em 2013. “No final do ano passado,
em três finais de semana, fizemos cerca de 60
atendimentos, que encaminhamos ao Ministério Público. O que é importante ressaltar é que,
constantemente, essas ações têm sido feitas e
os procedimentos vêm sendo encaminhados ao
MP”, salienta o superintendente.
Prefeitura de Socorro faz balanço do Forró Siri
D
urante os três dias do Forró Siri, realizado
no último final de semana, no conjunto
João Alves, a Prefeitura de Nossa Senhora
do Socorro conseguiu atingir as expectativas,
no quesito cultura, estrutura e, principalmente,
segurança. Devido ao sucesso da 21ª edição do
evento, a Prefeitura, mais uma vez, ratifica o
compromisso de ‘festa da paz e da família’.
Com uma estimativa de 120 mil pessoas por
noite, a maior festa de São Pedro do estado de
Sergipe proporcionou o autêntico forró pé de
serra, eletrônico, vaneirão, sertanejo e demais
ritmos que são correlatos. Para esses dias de
evento foram mais de 21 horas de shows com
apresentações das bandas Comunidade Que
Canta, Mauricinhos do Forró, Calcinha Preta,
Rojão Diferente, Alma Gêmea, João da Passarada, Sena e Forró da Roça, Galã do Brega, Daniel,
Corpo de Mulher, Cebolinha e Banda Forró Biss,
Fogo na Saia, Wesley Safadão & banda Garota
Safada, Danielzinho e Forrozzão Quarto de Milha, e Patricinhas do Forró.
Saúde
De acordo com dados da Secretaria da Saúde,
nos três dias foram feitos 46 atendimento médico, deste total só dois foram removidos para o
Hospital Zé Franco, localizado no conjunto Marcos Freire. Ainda para o órgão, o mini-hospital
montado no Forró Siri teve uma resolutividade
de 95,65%. A atuação em ocorrência médica
este ano foi considerada tranquila, pois no ano
passado foram feitos 68 atendimentos.
Já a Vigilância Epidemiológica realizou o serviço de distribuição de preservativo. Camisinha
masculina foi 30 mi, feminina foi dois mil e gel
lubrificante 6.300. A equipe, inclusive, observou
que o público está tendo um comportamento
mais consciente em relação ao uso dos insumos
de prevenção, quase não ocorrendo descarte dos
preservativos masculinos ao fazer “balão”.
Referente à atuação da Vigilância Sanitária que foi junto com os ambulantes, a equipe
distribuiu 7.500 folhetos educativos sobre manipulação de alimentos e kit para manipulação
de alimentos (cinco mil toucas, seis mil luvas e
sacos de lixo). Além disso, a inspeção dos estabelecimentos e, em virtude disso, foram apreendidos dez quilos de cachorro quente que estavam
sendo comercializados de forma indevida.
Segurança
Sobre a área de segurança, a organização
contou com o comando da Guarda Municipal,
com o apoio do Corpo de Bombeiro Militar e
Civil, além da Polícia Militar.
Segundo dados da Guarda de Socorro, o Forró
Siri 2014 foi considerado o mais tranquilo dos
últimos anos e, devido a essa constatação, pode
ser considerada a festa da paz e da família. Nos
três dias, apenas dez ocorrências foram registradas pela equipe, sendo a maioria motivada por
brigas. “Nesses casos de vias de fato, fizemos a
interferência imediata para que não atrapalhe
os demais forrozeiros e o direcionamento para
as providências cabíveis. Mesmo com essas ocorrências, diante da grande quantidade de público,
podemos afirmar que foi o Forró Siri mais calmo”,
informa o subcomandante da Guarda, Kleber
Lima, acrescentando que o trabalho ostensivo da
equipe contribuiu para o sucesso no resultado.
Serviços urbanos
Antes, durante e, principalmente, após os
dias do evento, as equipes de limpeza atuam na
área com a finalidade de limpar todo o material
deixado – a exemplo do lixo. Para fazer a atuação, a Secretaria de Obras e Serviços Públicos
realizou o planejamento estratégico para deixar
o local pronto para o ritmo e rotina do dia a dia.
Portanto, participaram das atividades de arrumação, 61 agentes de limpeza com o suporte de
cinco caçambas e nove eletricistas.
Trânsito
Para que todos os shows pudessem ser feitos
na edição do Forró Siri, uma equipe com 25
agentes de trânsito atuaram por dia para garantir a arrumação e organização do evento. De
acordo com o superintendente da SMTT, Toledo
Neto, no período do evento não houve nenhuma
ocorrência de acidente. “Também não registramos engarrafamento nas imediações da festa e
nas ruas de acesso à cidade, e nem incidentes.
Mais uma vez, a cada ano que passa, melhoramos os serviços prestados”, enfatiza.
Municípios
Jornal da Cidade
A semana
Da redação de Municípios
INCÔMODO
A
população de
Nossa Senhora da
Glória está sofrendo
com o mau cheiro
produzido pela fábrica de laticínios
Nativille. O incômodo tem forçado os
moradores a fechar as
portas das casas deles
mais cedo, além de
causar dano à saúde.
A situação é pior no
Bairro Divinéia, onde,
por ser um ponto alto
da cidade, o fedor é
ainda mais forte.
SEGURANÇA ALIMENTAR
Os municípios de Lagarto e Umbaúba, região Centro
Sul e Sul de Sergipe, aderiram ao sistema de segurança
alimentar e nutricional (Sisan) desenvolvido pelo
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.
O sistema busca garantir o direito humano à alimentação
adequada em todo o território nacional.
FIM DA GREVE
Os professores da
Universidade Federal de
Sergipe (UFS), em greve há
um mês, decidiram retomar
as atividades. A decisão foi
tomada em assembleia, na
segunda-feira, 30, depois
que o Superior Tribunal de
Justiça decretou a ilegalidade
da greve em todo o país. As
aulas retornam na próxima
quarta-feira, 9.
PROJETO DE LEI
Os professores da rede
estadual aprovaram a
proposta do Projeto de Lei
do Governo do Estado, que
visa reestruturar a carreira
do magistério e garantir o
reajuste do piso para todos os
professores. Os professores vão
sugerir emendas ao projeto
para garantir a retomada da
carreira para os professores em
todos os níveis.
PARALISAÇÃO
Com a aprovação da proposta do governo, os professores
da rede estadual deliberaram também a suspensão da
paralisação desde a última quarta-feira, 2. Ao retomar as
atividades, os professores vão discutir com as direções das
escolas a reposição das aulas, assegurando aos alunos os 200
dias e 800 horas letivas, estabelecidos pela LDB.
CAPTURADO
Um tubarão-ti g r e f o i
capturado pela rede de
pescadores em alto-mar
na Praia do Abaís, em
Estância, na última terçafeira, 1º de julho. O animal
tem mais de três metros de
comprimento e pesa cerca
de 200 quilos. Segundo o
biólogo Thiago Meneses, a
pesca comercial desse tipo
de animal é proibida.
APREENSÃO
A Polícia Federal apreendeu 202 kg de crack numa
operação no fim de semana na
rodovia de acesso a Canindé
de São Francisco, a 213 km de
Aracaju. A droga estava escondida num tanque de combustível de uma carreta com placa
de São Paulo. O motorista
identificado vai ser indiciado
pelos crimes de tráfico interestadual de entorpecentes.
ACIDENTE
Um pastor morreu na última segunda-feira, 30, em
Malhador, no Agreste do Estado. Manoel Pereira dos Santos,
65 anos, caiu de uma altura de três metros e meio. No
momento do acidente, ele estava trabalhando na reforma de
uma igreja evangélica situada na Travessa Miguel Rodrigues,
Centro da cidade.
INVESTIMENTO
Governo investe em obras em todo o Estado. São 61 em
andamentos, 118 já concluídas, mais de R$ 122 milhões
investidos. São investimentos em delegacias, Corpo de
Bombeiros, Escolas Profissionalizantes, pavimentação,
abastecimento de água, além de praças, mercados,
quadras de esportes, creches, centro comunitário, terminal
rodoviário, entre outros.
AUTORIZAÇÃO
Na última quartafeira, 2, o governador
Jackson Barreto foi ao
Centro Sul sergipano
para autorizar R$ 2,5
milhões em pavimentação
asfáltica e granítica em
Poço Verde, distante
145 km da capital. Na
ocasião, Jackson também
entregou à população um
ônibus escolar.
INAUGURAÇÃO
O governador Jackson
Barreto inaugurou na última
quarta-feira, 2, o Hospital
Nosso Senhor dos Passos,
em São Cristovão, através de
um investimento de R$ 4,5
milhões. Ele oficializou a obra
de pavimentação de 35 ruas do
Conjunto Rosa Maria e entrega
do Centro de Especialidades
Odontológicas João de
Andrade Garcez, no Rosa Elze.
FUGA
Força Nacional não consegue impedir fuga de 12 detentos
do presídio de Tobias Barreto, na madrugada da última
quarta-feira, 2. A segurança interna do presídio está sob o
domínio da equipe da Força Nacional, mas quatro guaritas
permanecem desativadas, o que possivelmente teria
facilitado a fuga dos detentos.
PARCERIA
Foi inaugurado em Tobias Barreto o Centro de
Telemedicina, uma parceria entre a Cisco e a
Universidade Federal de Sergipe (UFS). A novidade
trará atendimento especializado, presencial e virtual,
para crianças. Com a tecnologia, a Clínica de Saúde da
Família Dra. Zilda Arns estará conectada ao Hospital
Universitário de Aracaju.
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
5
Boquinhenses investem no
cultivo de plantas ornamentais
Apesar da tradição da laranja, outras culturas estão conquistando espaço
A
região Sul de Sergipe,
mais especificamente nos
municípios de Boquim
e Arauá, tem se destacado
por concentrar boa parte da
produção agrícola do Estado,
baseada nas lavouras, com
destaque para as lavouras permanentes. Em Boquim, por
exemplo, a tradição no plantio
sempre foi a citricultura, porém,
os agricultores de lá têm explorado diversas outras culturas
como, milho, mandioca, maracujá. Mas a novidade mesmo
está na produção de plantas
ornamentais.
Lá, o cultivo de plantas ornamentais e de mudas tem sido
ampliado, por ter encontrado
muito boa aceitação no mercado
sergipano e também nacional.
Há 10 anos o produtor Doginaldo Gomes Lima aprendia
este ofício com o cunhado dele,
conhecido como Ninhos das
Flores, com quem trabalhou por
seis anos até ter a oportunidade
de montar o próprio negócio.
“Graças a Deus, ele [Cunhado]
me ensinou tudo que eu sei
hoje”, declara Doginaldo.
De lá para cá o empreendimento só tem crescido e a
exportação já é uma realidade.
Além de atender o mercado
interno, a empresa de Seu
Doginaldo também exporta
para estados do nordeste, sul e
sudeste brasileiro. “A produção
está tão boa que a gente tem
até exportado para cidades
dos estados de Pernambuco,
Alagoas, Minas Gerais, Rio de
Janeiro e São Paulo”, conta.
Ele explica que para o comercio
interno o preço do produto é
mais barato, já para exportar
os serviços agregados fazem
com que o preço fique um pouco mais caro. “Mas não é muito
não. Tanto que vez ou outra
chega encomenda”, disse.
Fotos: André Moreira
essa atividade é o problema
ambiental decorrente da retirada do horizonte A do solo,
resultando em degradação
ambiental, com custo elevado
para a sua recuperação, como
explica o produtor Doginaldo.
Além disso, essa atividade tem
um consumo muito elevado de
água, o que poderá resultar em
escassez. Porém, em Boquim
essa prática vem sendo adotada com sucesso.
Arauá
N
na área de Doginaldo, chegam muitos clientes procurando plantas
órgão estadual no município também incentiva o cultivo
Em uma cidade onde a maior
cultura é a laranja, as plantas
ganham espaço e geram empregos diretos e indiretos. São
diversas espécies plantadas, entre
elas o destaque é a mini ixora,
uma planta muito florífera, muito
usada em jardins e que atrai
beija-flores para o espaço. Ela floresce o ano todo, principalmente
no verão e pode ser cultivada no
país todo nas regiões de clima
quente a temperado.
Uma das preocupações com
o município de Arauá, apesar do carro chefe continuar
sendo o cultivo da laranja, outras culturas também têm se
destacado como, a mandioca,
o maracujá e o milho, como
explica Luiz Menezes dos Santos, chefe do escritório local da
Emdagro Arauá. “As plantações
de milho cresceram bastante
aqui na região e a maior parte
é produzida por agricultores
familiares”, disse.
A região da Eugênia é onde se
concentra a maior plantação de
milho, além de Lagoa de Dentro,
que são as maiores áreas. Já em
outros povoados o predominante
ainda é a laranja. Luiz conta que
30 % da produção de milho vai
para silagem e ração para o gado,
já a outra parte é destinada para
a venda. “Cada comerciante tem
seu público alvo, uma parte vai
para a indústria”, detalha.
Existe ainda um trabalho
inicial e de iniciativa individual
de plantação de cacau, em que
a Empresa de Desenvolvimento
Agropecuário de Sergipe (Emdagro) tem dado apoio ao produtor. “De forma ainda tímida já
está dando certo. É uma área
de apenas cinco tarefas, mas o
produtor está satisfeito. Ele veio
da Bahia e trouxe a experiência
dele e a essa cultura de lá”,
conta Luiz Menezes.
“MÃO AMIGA” CANA
Divulgado cronograma de pagamento
O Governo de Sergipe, por
meio da Secretaria de Estado da
Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides) e
do Banco do Estado de Sergipe
(Banese), realizará de 9 a 11 de
julho, o pagamento da primeira
parcela de 2014 do programa
de transferência de renda e estímulo à cidadania “Mão Amiga”
para os trabalhadores da canade-açúcar. Criada para garantir
a subsistência dos trabalhadores
rurais da cana-de-açúcar no
período da entressafra, a iniciativa garante uma bolsa mensal no
valor de R$ 190 com recursos do
Fundo Estadual de Combate e
Erradicação à Pobreza (Funcep).
Este ano, somente para esta
primeira parcela, o investimento
será de cerca de R$ 636,7 mil
para um total de 3.351 beneficiários, distribuídos em 20
municípios sergipanos. De 2009
a 2013, o investimento destinado
ao “Mão Amiga” foi de cerca de
R$ 26 milhões, sendo uma média
de R$ 9 milhões somente para os
trabalhadores da cana-de-açúcar.
Para quem irá receber o
benefício pela primeira vez,
é necessário, antes de sacar o
valor nas agências do Banese
ou nos Ponto Banese, estar com
o cartão do Programa e a senha, que serão entregues pela
equipe da Seides e do Banese
nas respectivas datas (veja
box). Já os beneficiários antigos precisarão possuir somente
a nova senha, a ser emitida
pelo Banco, para sacar o valor.
Nesse aspecto, Auta Arnaldo, técnica do Departamento de Renda e Cidadania
(DRC) da Seides, alerta os
beneficiários para os procedimentos necessários para
o recebimento do cartão e
da senha. “No dia, todos os
beneficiários deverão estar,
necessariamente, com os documentos originais de Carteira
de Trabalho, identidade (RG)
e CPF (Cadastro de Pessoa
Física) para poderem receber
o cartão e a senha. Nossa equipe, junto com a do Banese,
estará de prontidão nos locais
indicados em cada cidade a
partir das 8h”, informa.
DATA
Cronograma
C
onfira os locais e as datas para a entrega do
cartão e da senha, que possibilitarão aos trabalhadores
MUNICÍPIO
AREIA
BRANCA
LARANJEIRAS
RIACHUELO
SIRIRI
09.07.2014 NOSSA SRA.
DAS DORES
rurais da cana-de-açúcar
o recebimento da primeira
parcela de 2014 do benefício
do Programa “Mão Amiga”,
em cada município
LOCAL DE ENTREGA DO
CARTÃO
SINDICATO
CLUBE MUNICIPAL
CENTRO DE CONVIVÊNCIA
CENTRO DOS IDOSOS
SINDICATO DOS
TRABALHADORES RURAIS
SINDICATO DOS
JAPOATÃ
TRABALHADORES RURAIS
SANTANA DO SINDICATO DOS
SÃO
TRABALHADORES RURAIS
FRANCISCO
JAPARATUBA CLUBE MUNICIPAL
NEÓPOLIS
MURIBECA
10.07.2014
MALHADA
DOS BOIS
PACATUBA
DIVINA
PASTORA
SANTA ROSA
DE LIMA
MARUIM
ROSÁRIO DO
CATETE
11.07.2014
CAPELA
SÃO
FRANCISCO
GINÁSIO DE ESPORTES
CRAS
SINDICATO DOS
TRABALHADORES RURAIS
SINDICATO DOS
TRABALHADORES RURAIS
CRAS
ANTIGA ACADEMIA
GINÁSIO DE ESPORTES - SESI
CINE TEATRO
GINÁSIO DE ESPORTES
CRAS
6
Municípios
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Panorama Agropecuário
Da redação de Municípios
INVESTIMENTOS I
Jornal da Cidade
Rio São Francisco passa
por um reflorestamento
Comunidades ribeirinhas fizeram o plantio de 2.335 mudas nativas
Q
N
os dias 26 e 27 de junho, o governador de Sergipe,
Jackson Barreto, participou de cerimônias nas
cidades de Tobias Barreto e Canindé de São Francisco,
respectivamente, onde anunciou diversas obras do
Governo do Estado. Entre elas, as que têm por finalidade
a recuperação estrutural dos perímetros irrigados do
Jabiberi e Califórnia, como parte de R$ 11 milhões,
investimentos oriundos do Proinveste. Na foto, o irrigante
Valnei Pereira presenteia o governador com cestas de
alimentos produzidos no Califórnia.
INVESTIMENTOS II
Os recursos foram recebidos pela Companhia de
Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de
Sergipe (Cohidro), que administra estes polos agrícolas,
fornecendo água e assistência técnica para 408 unidades
de agricultura familiar. Em Tobias Barreto, para o
Perímetro Jabiberi, Jackson anunciou obras que já
estão sendo licitadas, que incluem a de pavimentação
da Agrovila, limpeza de drenos, dos canais de irrigação
e recuperação da descarga de fundo da barragem
que abastece as unidades produtivas. Para essas
intervenções, serão investidos R$ 776.615, além da
implementação da automação do sistema de irrigação,
com o custo de R$ 500 mil, totalizando R$ 1.276.615
que o Proinveste destinou para esta unidade da Cohidro.
RESTAURANTE I
Visando ao fortalecimento da agricultura familiar em
Sergipe, a Seides vai incluir uma cláusula no contrato
de fornecimento de alimentos para o Restaurante
Popular Padre Pedro, para que 30% da compra dos
produtos servidos no almoço e no jantar da parte da
empresa que abastece o Padre Pedro sejam oriundos
da agricultura familiar. A medida entrará em vigor em
breve e representa mais um avanço para promover
o aumento da produção e da elevação da renda da
família produtora rural.
RESTAURANTE II
“Com isso, levaremos desenvolvimento para o setor
rural, estimulando e desenvolvendo as cooperativas
dos pequenos agricultores e levando alimentação de
qualidade à população que utiliza o Restaurante Padre
Pedro. Hoje, a empresa compra os produtos de grandes
fornecedores. Em breve, com a cláusula contratual,
ela deverá comprar, no mínimo, 30% dos alimentos
oriundos do pequeno agricultor”, explica Eliane Aquino,
secretária de Estado da Inclusão Social.
RENEGOCIAÇÃO I
Produtores rurais de todo o País terão até 31 de
dezembro de 2015 para renegociar dívidas rurais
inscritas na Dívida Ativa da União (DAU). É o que
informou na última quarta-feira, dia 2 de julho, a
Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso
(Famato). O maior intervalo para quitar os débitos
resulta de uma alteração do artigo oitavo da Lei
11.775 de 2008. Ela trata da regularização dos
débitos e, pelo artigo, definem-se as medidas de
estímulo à liquidação ou à renegociação de dívidas
originárias de operações de crédito rural e daquelas
contraídas e inscritas na DAU.
RENEGOCIAÇÃO II
Todas as mudanças constam em Diário Oficial da União,
na forma da Lei 13.001. De acordo com a Famato, as
modalidades mais comuns de serem inscritas na Dívida
Ativa da União são as operações de Pesa e Securitização.
Segundo Karine Gomes Machado, analista de Cereais,
Fibras e Oleaginosas, diferentemente de outras leis que
alteraram o prazo para a renegociação das dívidas com
a União, esta legislação trouxe a data de corte mais
ampla aos produtores, ou seja, podem renegociar todos
aqueles que foram inscritos na DAU até o dia 20 de
junho de 2014, data de publicação da Lei 13.001.
Curtas
Crédito Rural
A Caixa Econômica Federal informou na última terça-feira, dia
1º, que terminou a safra 2013/2014 com R$ 4,2 bilhões em
contratações em operações de crédito rural. Esse montante
foi usado em linhas a custeio e investimento agrícola e
pecuário, além de linhas de comercialização, contratadas
com produtores rurais, agroindústrias e cooperativas. Para a
safra 2014/2015, a instituição projeta expandir a carteira de
crédito rural para mais de R$ 6 bilhões.
Suco de laranja
A receita com exportação de suco de laranja do Brasil
somou US$ 168,1 milhões em junho, alta de 8,94% ante
os US$ 154,3 milhões do mesmo mês do ano passado. Na
comparação com maio deste ano, houve crescimento de 44%
sobre os US$ 116,7 milhões movimentados com os embarques
da bebida. A informação foi divulgada na última terça-feira,
dia 1º, pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior (MDIC).
uando a agricultora Ivonete Cardoso, moradora
do Assentamento Jacaré-Curituba, no município de Canindé de São Francisco, chegou à
região há alguns anos, o Rio São
Francisco já não era o mesmo,
e a destruição de várias áreas
da nascente dele apresentavam
desmatamentos. “A gente fica
triste com esta situação. O rio
é o nosso sustento e está morrendo lentamente”, lamenta.
Diante disso, há um ano, Ivonete
e outros trabalhadores rurais
estão mobilizados para reverter
um processo de destruição que
atinge grande margem do Velho
Chico. Através da plantação de
mudas nativas, as comunidades
locais que vivem próximas ao rio
estão fazendo o reflorestamento
da área. A ação, que envolve
crianças, jovens e adultos, tem
como um dos impactos diretos a
regularização de acesso à água
na região, que, ao longo do tempo, sofreu a exploração indiscriminada de recursos naturais.
“A falta de água é uma realidade enfrentada pelo sertanejo,
mas não deveria ser assim. Mesmo aqui, no perímetro irrigado,
o rio está perdendo a força dele,
e precisamos reagir. No Assentamento Jacaré-Curituba, por
exemplo, são 800 famílias que
dependem do rio para sobreviver”, comenta a agricultora.
Ivonete lembra, ainda, que recuperar as nascentes do São Francisco é também uma forma de
conscientização da importância
do rio para as futuras gerações.
Assim, no dia 20 de junho,
ela e mais moradores das comunidades ribeirinhas do perímetro
irrigado Jacaré-Curituba, localizado entre os municípios de
Canindé de São Francisco e Poço
Redondo, no Alto Sertão de Sergipe, participaram de uma ação
de replantio de mudas nativas às
margens de afluentes do Rio São
Francisco, realizada pelo Projeto “Águas do São Francisco”,
do Sergipe Parque Tecnológico
(SergipeTec), em parceria com
a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e com patrocínio da
Petrobras.
Replantio
Representantes de várias comunidades ribeirinhas plantaram
no local 2.335 mudas nativas que
foram cultivadas com o propósito
de reverter a degradação vegetal
na área. O agricultor Francisco
Amilton de Sá também partici-
Ascom
MORADORES participaram do replantio de mudas nativas
pou da ação. “O rio é importante
para todo o povo ribeirinho. No
passado, a pesca era forte, mas,
com a morte da mata nativa tudo
mudou”, lembra.
O ribeirinho José Menezes
dos Santos também participou
da atividade e se lembrou da
importância da conscientização
ambiental para a preservação do
Velho Chico. “Se não tivesse ocorrido tanto desmatamento, talvez,
o sertão não enfrentasse a seca.
Agora, fica o desafio de preservar
o que restou”, frisa.
O agricultor ressalta, também,
que o Rio São Francisco é muito
importante para a Região Nordeste, pela grande riqueza natural
e marcante biodiversidade presente nos cinco Estados situados
ao longo da extensão dele. José
Menezes lamenta, ainda, que o
desmatamento e a exploração indiscriminada de recursos naturais
tenham colocado em risco as margens e afluentes do ‘Velho Chico’.
Pesquisas
O processo de crescente destruição do rio é tema de várias
pesquisas e estudos que revelam
como um dos principais impactos
ambientais deste processo a acelerada erosão marginal do Baixo
São Francisco. Inclusive, muitas
comunidades sofrem com essa
mudança ambiental provocada
pela ação do homem. No caso
do Velho Chico, foi alterada a
paisagem em direção aos lotes
no Assentamento Jacaré-Curituba
e no Perímetro de Irrigação do
Betume. Nesses trechos, a erosão
provocou diminuição de áreas
agriculturáveis e tornou a presença de vegetação ciliar quase
inexistente.
Essa realidade é revelada através de levantamento produzido
pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco
e do Parnaíba (Codevasf) e pelo
Instituto Nacional de Reforma
Agrária (Incra). O estudo demonstra a necessidade de recuperação vegetal no Assentamento
Jacaré-Curituba e no Betume,
correspondente a uma área, respectivamente, de 22,8 hectares e
74,80 hectares.
Com base nessa pesquisa, o
Projeto traçou ações para recuperar as áreas de preservação
permanente por meio de plantio
de espécies florestais nas bacias
hidrográficas do Velho Chico
entre os assentados e irrigantes
em comunidades do baixo do Rio
São Francisco.
Práticas educativas
Além do reflorestamento, o
projeto também incentiva a conscientização ambiental através de
práticas educativas sustentáveis,
que envolvem a conservação de
recursos naturais. A ação tem
ribeirinhos dos municípios sergipanos de Poço Redondo, Canindé
de São Francisco, Neópolis, Ilha
das Flores e Pacatuba, que vêm
participando de atividades de replantio às margens do rio.
“Na atividade de reflorestamento, o objetivo é recuperar as
matas ciliares e nascentes com
plantio de mudas de espécies
florestais nativas. Essas áreas foram selecionadas a partir de um
diagnóstico ambiental, em que
foram avaliados aspectos como o
estado de conservação da vegetação e ocupação do solo”, explica
Thadeu Ismerim, engenheiro
florestal do SergipeTec e gerente
do Projeto.
Todo o processo é acompanhado por equipes do Centro de
Formação e Assessoria Técnica na
Agricultura Familiar de Sergipe
(Cefase) e do Centro Comunitário
de Formação em Agropecuária
Dom José Brandão de Castro (Cefac). Além do cultivo das mudas,
os trabalhadores rurais são orientados a fazer o monitoramento
do plantio para que a ação tenha
andamento.
O biólogo Silvério Sales de
Barros, representante do Cefac,
destacou que a conservação dos
recursos hídricos está diretamente ligada à qualidade das bacias
hidrográficas que envolvem a
permanência das nascentes, matas ciliares, uso adequado do solo
e cobertura vegetal. “Iniciativas
como essas são de grande importância para mobilizar a população
a atuar contra os riscos inerentes
à sobrevivência do Rio São Francisco e garantir a preservação das
reservas hídricas”, enfatiza.
Gestão sustentável
Com o apoio da comunidade
local, o Projeto “Águas do São
Francisco” já iniciou o plantio de
várias mudas. O objetivo, além
de recuperar a vegetação nativa
ao longo das margens do Rio São
Francisco, é mobilizar a população para uma gestão sustentável
dos recursos hídricos. A previsão
é de que mais de 100 espécies
nativas sejam plantadas.
No assentamento Jacaré-curituba, em Canindé de São Francisco, serão atendidos diretamente
305 agricultores que trabalham e
participam diretamente do projeto. Destaque que são 669 pessoas
assistidas indiretamente, recebendo influência ou benefícios
das atividades do “Águas do São
Francisco”. O trabalho é realizado
nas bacias hidrográficas dos Rios
Jacaré e Betume, onde estão inseridos os assentamentos Jacaré-Curituba, Povoados Betume,
Serrão, Ponta da Areia e demais
comunidades.
As principais ações do projeto
são a formação de 40 equipes de
multiplicadores para o monitoramento da qualidade da água;
recuperação e preservação de
275 hectares de mata nativa na
área de preservação permanente
e recuperação de oito nascentes
em dois afluentes do Rio São
Francisco.
O Projeto “Águas do São Francisco” conta, também, com o
apoio da Cooperativa Regional
dos Assentados de Reforma Agrária do Sertão de Sergipe (Cooprase) e Distrito de Irrigação do
Betume (DIB).
CAPACITAÇÃO
Alunos recebem certificado
Ascom/Senar
Capacitar, gerar emprego e
renda. Esses são os objetivos do
Instituto de Cooperação para o
Desenvolvimento Sustentável da
Agricultura Familiar (Idaf) e do
Serviço Nacional de Aprendizado
Rural (Senar), que, juntos, estão
presentes nos locais mais longínquos, levando conhecimentos à
população sergipana. Na última
semana, as instituições entregaram certificados a 62 pessoas
nos Povoados Patu e Garangau,
localizados no município de Itabaianinha, distante 113 quilômetros
da capital sergipana.
Os jovens de 16 a 29 anos
foram capacitados pelo Projeto
“Jovem Agricultor”, que é uma iniciativa do Idaf, patrocinado pela
Petrobras – Programa Petrobras
Desenvolvimento & Cidadania.
O Idaf foi escolhido por meio de
seleção pública em 2012.
O curso tem quatro módulos
divididos em empreendedorismo
rural (24 horas); saúde e segurança do trabalhador rural (16
horas); inclusão digital (40 horas)
e atividade-fim (24 horas), que
é uma atividade escolhida pela
turma. No caso dos alunos do
Povoado Patu, a atividade foi avicultura. Já no Povoado Garangau,
além da avicultura, os estudantes
também receberam conhecimento
da ovinocultura e tiveram a oportunidade de visitar a Exposição
Especializada em Ovinos e Caprinos de Sergipe (Expovec), realizado pela Associação Sergipana dos
jovens de 16 a 29 anos foram capacitados pelo Projeto “Jovem Agricultor“
Criadores de Caprinos e Ovinos
(Ascco), em março deste ano, em
Aracaju. Ao todo, o curso tem 100
horas de capacitação.
Gilvan Dórea Dantas Júnior,
coordenador geral do Idaf, disse
que a meta do projeto é fazer a
inserção dos alunos nos arranjos
produtivos locais. “Dessa forma,
evita-se o êxodo rural e oferecemos condições de as pessoas
terem uma vida melhor na sua
própria terra”, comenta.
Quem também participou
da entrega de certificados foram
Luzia Almeida Dantas e Thiago
Tavares, respectivamente, coordenadora pedagógica e coordenador técnico do Instituto; Josefa
Pinheiros de Jesus, vice-prefeita
de Itabaianinha; Karane Silva
Santos, secretário de Agricultura
da cidade; Aloizio dos Santos
Silva, presidente da Associação
Comunitária do Povoado Patu,
além de Dênio Leite, superintendente do Senar, que conversou
com os alunos e os incentivou a
continuar estudando. “Conhecimento ninguém tira da gente. Então, continuem estudando, façam
cursos, capacitem-se. Assim, você
estarão ampliando suas vidas”,
disse. Ele se lembrou ainda do
portal www.canaldoprodutor.
com.br, que oferece cursos online
de forma gratuita.
Alunos
O
s alunos também tiveram a
oportunidade de conversar
com representantes do Banco do
Nordeste e conhecer o crédito rural por meio do Agroamigo, que se
propõe a melhorar o perfil social
e econômico do agricultor que se
enquadra no Programa Nacional
de Fortalecimento da Agricultura
Familiar (Pronaf).
A aluna Maria Vaniela dos
Santos, de 21 anos, por exemplo, mesmo estudando Pedagogia, não perdeu a oportunidade
de receber nova capacitação.
“Ganhamos muito aprendizado
e tivemos a oportunidade de
perceber que há situações do dia
a dia que praticamos de forma
errada e nem percebemos. Mas,
com conhecimento, temos a
chance de mudar”, destaca. Ela,
inclusive, é uma das pessoas que
continuarão estudando, pois já
acessou o Canal do Produtor e
escolheu um curso. “Quero me
especializar em Empreendedorismo Rural”, enfatiza.
Josiara Santos Góes, 26 anos,
por sua vez, já ensina formas
corretas de trabalho à família
dela. Antes, a plantação era pulverizada de forma errada, mesmo
tendo os equipamentos corretos.
Mas, depois de algumas aulas,
ela explica que já começou a incentivar os pais e os irmãos a trabalharem fazendo o que é certo.
“No galinheiro, também já fiz
algumas correções. Os pintinhos,
agora, são vacinados, entre outras
coisas. É muito bom saber que as
mudanças que estão sendo feitas
na minha casa acontecem graças
ao que eu aprendi em sala de
aula”, diz.
Municípios
Jornal da Cidade
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
7
Arquivo Pessoal
Interior
s
o
c
i
a
l
acontecendo
A gatinha
Tatiane Pereira,
de Siriri, curtiu
o melhor São
Pedro do Estado
em Capela. Uma
belíssima festa,
assim como o
look da gata!!!
EXPOSIÇÃO
Arquivo Pessoal
Expondo pela primeira vez no Brasil, o artista
italiano Filippo Garrone apresenta ao público
sergipano o acervo de obras construídas
desde que veio morar nas terras tupiniquins.
A exposição “Somos Multidimensionais” será
inaugurada no dia 16 de julho, a partir das
19h, na Galeria Zé de Dome (Rua José de
Dome nº 61 B, Bairro Farolândia).
O tema central da obra de Garrone é sempre
a exploração do inconsciente. Aperfeiçoando
técnicas que vão sendo sobrepostas numa tela
especialmente projetada para seu trabalho,
ele consegue transmitir uma sensação de
inquietação mental no público. Cores fortes,
temas ligando o ser humano físico e o seu
lado psicológico, num contexto amplo que
pode envolver a natureza ou até mesmo o
espaço físico onde estamos habitando.
Ascom/Laranjeiras
Arquivo Pessoal
O queridinho Erick Feitosa comemora seus 26 aninhos nesta
segunda, 6. Ele é estudante de pedagogia na UFS e ativista social. No
click, Erick posa sorridente ao lado da namorada Camila Dantas e da
irmã Karla Feitosa. Feliz aniversário!
O prefeito de Laranjeiras, Juca de Bala, acompanhado
pelo diretor de Esportes, Guigui, recebeu na manhã da
última quarta-feira, 2, jovens do Grêmio Escolar de Pedra
Branca, vencedores da Copa Siriri Sub-17 e da Copa Cidade
Histórica realizada em Laranjeiras. Parabéns, meninos!!!
A jornalista Martha Mendonça, assessora de
Comunicação da Fundat, com o marido André Dias, na
Arena Fonte Nova, em Salvador, na Bahia, na última
terça-feira, dia 1º de julho. Eles foram assistir ao jogo
entre Estados Unidos e Bélgica, nas oitavas de final da
Copa do Mundo 2014.
Ascom/Carmópolis
Divulgação
Jovens lagartenses Robson, Anderson e Franklin fazem parte do primeiro grupo
de Lagarto especializado em mangás - estilo japonês de histórias em quadrinhos
(HQs). Criativos e acima de tudo determinados, eles estão aproveitando todas essas
características para difundir o desenho, que já tem lugar cativo nas bancas de revistas
brasileiras. Parabéns pela iniciativa, garotos!!!
CAMPANHA
O clube de futebol Confiança
está promovendo a campanha
“Vamos subir Dragão”. O
objetivo é rifar um automóvel
que foi recebido como prêmio
pelo Sergipão 2014. O veículo
Onix está exposto em um dos
shoppings de Aracaju e os
bilhetes estão sendo vendidos
ao preço de R$ 100, sendo que
cada comprador concorre com
dois números.
O sorteio será pela Loteria Federal
no dia 26 de julho e a entrega do
carro será no dia 27, na abertura
do Brasileiro. Os bilhetes podem
ser adquiridos na Secretaria do
Clube, na Cafeteria Trem Gostoso
do Shopping Jardins, na Loja OI do
Calçadão da Rua Laranjeiras,162, e
na Loja Life Sport, a Loja Oficial do
Dragão, na Rua Arauá.
Eles estão na ativa! O grupo Folclórico mais antigo de
Carmópolis, o Batalhão de Bacamarteiros, desfilou e encantou
os munícipes pelas ruas da cidade. Um show de cultura e arte
durante a Festa de São Pedro!
Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal
amor está no ar em Rosário do Catete. Apaixonados, Marcelo
aOPrado
Carvalho e Luciene Fernandes assumiram o namoro
arecentemente.
trabalham na Secretaria Municipal de Saúde,
aonde ele é fiscalAmbos
da
Vigilância
Sanitária e ela, coordenadora do
a
aPrograma Saúde da Família. Muitas felicidades ao casal!!
Márcio Júnior, com 34
anos, é um músico de sucesso,
realizado profissionalmente,
atuando numa banda de
renome nacional e patrocinado
por uma marca internacional
de instrumentos. É mais um
lagartense que iniciou seu sonho
na Filarmônica Lira Popular de
Lagarto e hoje vive uma fase
espetacular como saxofonista
da banda Calcinha Preta. Muito
sucesso para você, gato!!!
Arquivo Pessoal
O recém criado
time Green Team
– Hulk’s, de Siriri,
já é um sucesso!
Com destaque
para o camisa 9, o
atacante Vannilton
Styvenson.
Vamos lá galera!!!
Ela é sensacional. Jéssica Dias é do
tipo de amiga que te faz chorar de rir, que
te coloca pra cima, que te faz refletir sobre
a vida e acreditar que é possível viver e
não ter vergonha de ser feliz. Na última
quinta-feira, 3, ela apagou as velinhas
em comemoração ao seu aniversário.
Desejamos sucesso, serenidade e força
para viver mais e melhor. Parabéns!!!
8
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
mUNICÍPIOS
Jornal da Cidade
Mercado
Jornal da Cidade
Economia
Sergipe registra
índices positivos
no 1º semestre
Página 2
Aracaju

domingo
Editor: Marcos Cardoso
6 e segunda-feira 7.7.2014
Economia & Negócios
[email protected]
Praga consome parte da produção agrícola
Mas as
detectadas
em Sergipe
possuem
controle
Adiberto de Souza
CAderno Mercado
M
uita gente não sabe, mas
parte considerável da
produção sergipana de
laranja, banana e milho são destruídos por pragas como Clorose
variegada do citrus (CVC), Sigatoka amarela e diferentes tipos de
lagartas. A cochonilha conhecida
como escama farinha também
causa sérios danos às plantações
de palma forrageira. Lamentavelmente o combate às pragas e
doenças é realizado com o uso de
agrotóxico, muitas vezes utilizados em excesso e sem qualquer
orientação técnica. Calcula-se que
o volume de pesticidas aplicados
no combate às pragas e doenças
no Brasil equivale a 5,7 litros de
veneno por habitante.
De acordo com a coordenadora
de Defesa Vegetal da Emdagro, Maria Aparecida Andrade Nascimento,
o impacto econômico da praga num
pomar depende diretamente do
manejo e tratos culturais que cada
produtor adota na sua propriedade.
“Quando o agricultor se preocupa
em adquirir material vegetativo
de boa qualidade, ou seja, mudas
em viveiros idôneos, por exemplo,
ele reduz esses riscos e prejuízos,
diminuindo assim a disseminação
de pragas”, explica. A coordenadora alerta, ainda, que o homem do
campo deve ser cuidadoso na implantação da lavoura, observando
principalmente a aptidão daquela
cultura para a região e ser criterioso
na aquisição de mudas ou sementes.
“Todo material vegetativo precisa
estar isento de pragas e doenças,
bem como ser observado as condições nutricionais do solo”, ensina
Maria Aparecida.
Felizmente, todas as pragas
detectadas em Sergipe possuem
controle conhecido e os técnicos
da Emdagro estão preparados para
orientar o produtor rural, bem como
os procedimentos para combatê-las. A estatal realiza um trabalho
na área de defesa vegetal, coordenando, controlando, orientando
e acompanhando a execução das
atividades de inspeção e fiscalização
relativas às ações de defesa fitossanitária e de produtos de origem
vegetal, além de fiscalizar o uso,
aplicação, transporte e devolução
de embalagens vazias de agrotóxicos. “Esta é uma estratégia utilizada
para minimizar os riscos de introdução de novas pragas e doenças no
Estado e garantir a qualidade dos
produtos agropecuários aqui produzidos”, afirma a coordenadora Maria Aparecida Andrade Nascimento.
A Emdagro executa várias ações
de defesa vegetal, a exemplo da
emissão de Permissão de Trânsito
Vegetal (PTV), documento que
acompanha o transporte de vegetais sendo obrigatório para mudas,
borbulhas, sementes, estacas e,
particularmente em Sergipe, para
frutos de citros e bananeira; combate a CVC, também conhecida como
Amarelinho; inspeciona propriedades em relação à Leprose dos citros,
Cancro Cítrico, Greening, Mosca
da Carambola, Bicho Furão e Pinta
Preta, pragas restritas à cultura dos
citros que não estão presentes em
Sergipe; Inspeciona a fotossanidade
em viveiros telados; as propriedades
em relação a praga siganoka negra;
as propriedades quanto à praga
cochonilha do carmim; e monitora
a praga Moko da bananeira.
Outra ação da Emdagro no
combate às pragas é a capacitação
técnica de engenheiros agrônomos
visando credenciá-los na emissão de
Certificado Fitossanitário de Origem
(CFO e CFOC) – CFO, documento
que comprova que os produtos
agrícolas são oriundos de propriedades rurais isentas de pragas quarentenárias. O CFOC é emitido por
profissional credenciado pela Emdagro e garante a isenção de pragas
regulamentadas aos produtos que
são comercializados nos estabelecimentos de distribuição (Ceasas). Os
técnicos da empresa estatal também
executam um trabalho permanente
de educação sanitária, com realização de seminários, reuniões,
palestras e cursos voltados para os
agricultores e seus familiares, estudantes e professores.
Agrotóxico em excesso
S
egundo a coordenadora de
Defesa Vegetal da Emdagro, na
ansiedade de controlar as pragas
e doenças imediatamente, o agricultor compra agrotóxicos sem
orientação técnica. “Esse hábito é
perigoso para saúde do produtor
e pode agravar a disseminação
de pragas na lavoura”, revela
Maria Aparecida. Para mudar esse
quadro, a Emdagro vem intensi-
ficando a assistência técnica e
realizando capacitações de técnicos, estudantes e agricultores
através do Centro de Formação
e Tecnologia Agroecológica, localizado em Itabaiana.
O professor José Juliano de
Carvalho Filho denunciou que
o uso de agrotóxicos no Brasil é
abusivo, exagerado e incontrolável. Doutor em Economia pela
Universidade de São Paulo, e
pós-doutorado pela Ohio State
University, José Juliano integra a
Associação Brasileira de Reforma
Agrária – Abra. Segundo ele, o
Brasil se sujeita a se entregar à
economia mundial num lugar subalterno e sob o domínio de grandes empresas multinacionais. “Elas
fazem o que querem aqui, sem
regulação e com domínio total. E
não são punidas por seus crimes
ambientais”, reclama.
2
Mercado
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
mARCOS cARDOSO
[email protected]
Dilma não tem
adversário
A
écio Neves não tem como ganhar esta eleição.
Dilma Rousseff não tem adversário, portanto,
não perde a eleição. Eduardo Campos só não
decepcionou mais do que o ex-governador mineiro
porque dele não se esperava muito mesmo. Aécio
briga com ele mesmo e seu humor deve piorar
ao ver que a Copa dá certo enquanto seus índices
percentuais nas pesquisas não se movem para cima.
Num país de muitas contradições e de evidentes
problemas a serem resolvidos na saúde, na educação
e na segurança pública, onde a violência tornou-se
endêmica, o candidato tucano não tem conseguido
apresentar um discurso inovador, propositivo e
confiável, repetindo algumas vezes as soluções já
apresentadas, quando não caindo em contradição.
Aécio Neves tenta enganar uma parte do
eleitorado quando se descola de opiniões
controversas de economistas a quem é ligado. Em
reportagem publicada pelo jornal Valor, o grupo
que inclui Armínio Fraga, Edmar Bacha, Gustavo
Franco e Elena Landau defendeu medidas como a
revisão das desonerações e da forma de cálculo do
salário mínimo, assim como a retomada forte das
privatizações. No dia seguinte, Aécio afirmou que
respeita as opiniões desses interlocutores, mas que
eles não são seus porta-vozes e tampouco concorda
integralmente com suas avaliações.
Ele critica o número considerado por ele
excessivo de ministérios e cargos comissionados
do governo federal, mas anuncia que vai criar
mais uma secretaria extraordinária. “Uma
medida tomarei no primeiro dia de governo (...)
a criação de uma secretaria extraordinária para a
simplificação do sistema tributário”.
Contrariando seus aliados liberais críticos do
Bolsa Família, ele agora parece que redescobriu
sua vocação perdida para causas sociais, como
disse Humberto Costa, ao destacar os dez anos
de existência do programa. «O senador Aécio
Neves apresentou propostas de aperfeiçoamento
do programa sob a justificativa de que é preciso
institucionalizá-lo, integrá-lo aos direitos sociais
do cidadãos e transformá-lo em política de Estado.
Só que o Bolsa Família já está previsto em lei e já é
uma política de Estado», afirmou o senador do PT
pernambucano.
Recentemente, coordenadores da campanha
presidencial de Eduardo Campos criticaram o
«vampirismo» eleitoral evidenciado pelo adversário
tucano. Aécio disse que novos dissidentes devem
deixar a base do governo Dilma Rousseff, mas
que eles vão ainda sugar um pouco mais antes de
aderirem à sua candidatura. «A gente não quer
esse tipo de gente que suga. Que eles continuem
sugando do PT e do PSDB», reagiu o sergipano
Pedrinho Valadares, um dos coordenadores da
campanha do candidato do PSB.
«Eu digo: façam isso mesmo. Suguem mais um
pouquinho e depois venha para o nosso lado», foi o
que declarou Aécio.
Essas contradições e falta de clareza quantos
aos seus objetivos certamente são a razão de
continuar patinando nos números. Ainda mais
quando o que diz, ou deixa de dizer, acontece num
momento quase inteiramente contrário a ele. É
que a Copa do Mundo mudou o humor geral dos
brasileiros e parece estar influenciando a avaliação
do governo, as expectativas econômicas e até a
eleição presidencial.
Pesquisa Datafolha finalizada na quarta-feira,
2, mostra que a proporção de eleitores favoráveis à
Copa no Brasil subiu de 51% para 63% em um mês
e o orgulho com a realização do Mundial saltou de
45% para 60%. Aparentemente na carona dessa
melhora do humor da população, as intenções de
voto em Dilma avançaram de 34% para 38% e a
aprovação do governo variou positivamente, de 33%
para 35%.
No mesmo período, o senador Aécio Neves oscilou
de 19% para 20% e Eduardo Campos foi de 7% para
9%, deixando assim a posição de empate técnico
com o Pastor Everaldo (PSC), estacionado em 4%.
José Maria (PSTU) tem 2%, e Eduardo Jorge (PV),
1%. Os outros presidenciáveis não chegaram a
pontuar. Os votos nulos e brancos caíram de 17%
para 13%.
Na pesquisa espontânea, em que o entrevistador
pergunta pelo voto sem apresentar os nomes dos
concorrentes, Dilma foi de 19% para 25%. Na
economia, a reversão do humor aparece em relação
à expectativa de inflação (recuo de 64% para 58%),
desemprego (de 48% para 43%) e poder de compra
do salário (avanço de 27% para 32% dos que
esperam melhoria).
Agora, 30% acham que a economia do país
irá melhorar. Eram 26% em julho. E 48% estão
otimistas com a própria situação econômica. Eram
42% há um mês.
O Datafolha mostrou também que, para 76%, os
torcedores que xingaram a presidenta no jogo de
estreia da Copa, em São Paulo, agiram mal. Mesmo
entre os eleitores de Aécio e Campos, a reprovação
foi majoritária: 69% e 72%, respectivamente.
Se Dilma crescer mais um pouco, o que não
parece impossível, aumenta a possibilidade de
não haver segundo turno. Será um vexame para
Aécio Neves.
Jornal da Cidade
Sergipe registra índices
positivos no 1º semestre
Números são bons apesar do fechamento de três fábricas da Azaléia no interior
ASN
Adiberto de Souza
O
Caderno Mercado
s números confirmam que
economicamente Sergipe
teve um bom primeiro semestre, apesar de percalços como
o fechamento de três fábricas da
Azaléia no interior do Estado,
que resultaram na demissão de
1,2 mil trabalhadores. Otimista, o
secretário Saumíneo Nascimento,
do Desenvolvimento Econômico,
da Ciência e Tecnologia, não
acredita que agora no segundo
semestre a campanha eleitoral
afete a economia sergipana: “Neste período, vamos continuar no
processo normal de prospecção
de novos empreendimentos para
de Sergipe”, afirma.
O secretário recorre a índices
divulgados pela Federação das
Indústrias do Estado de Sergipe
(Fies) para comprovar seu otimismo com o semestre que terminou
no último dia 30. Ele mostra que
no primeiro quadrimestre do ano,
o consumo de combustíveis no Estado apresentou avanço de 9,6%
em relação aos quatro primeiros
meses de 2013. O consumo do trimestre ultrapassado 323 milhões
de litros, a maior marca para o
período desde o início da série
histórica em 2000. “De janeiro a
abril, as vendas da gasolina totalizaram 131,2 milhões de litros, registrando elevação de 12% sobre
o mesmo período de 2013. O óleo
diesel registrou no quadrimestre
deste ano aumento de 9,5% nas
vendas ante o mesmo período
de 2013, com consumo de 129,4
milhões de litros, afirma.
O comércio varejista também
saiu-se bem no semestre passado.
O economista Saumíneo Nascimento recorre à Pesquisa Mensal
do Comércio (PMC) do IBGE para
mostrar que a receita nominal do
setor cresceu em relação ao quadrimestre do ano passado. “Em
comparação a abril de 2013, a alta
foi de 7,6%. Já em termos acumulados, a receita nominal está 8,5%
maior que a receita do mesmo
período do ano passado. Na análise acumulada, considerando os
meses de janeiro a abril, as vendas
do comércio foram positivas, com
crescimento de 3,4% em relação
aos quatro primeiros meses de
2013”, comemora.
A produção de petróleo em
Sergipe também cresceu no primeiro trimestre desse ano. Se-
Saumíneo não acredita em interferência negativa das eleições
gundo o secretário, a produção
de petróleo em março deste ano
superou 1,4 milhão de barris
equivalentes de petróleo (bep),
sendo 11,2% maior, em relação ao
mês anterior (fevereiro/2014). “O
total produzido foi o maior para
meses de março, de acordo com
a série histórica iniciada no ano
2000, além de ser o maior volume
produzido este ano”, afirma ele,
com base em dados da Agência
Nacional de Petróleo (ANP). Comparando-se com o mesmo mês do
ano passado, a produção petrolífera se mostrou 15,2% maior.
Saumíneo Nascimento faz
questão de ressaltar que já no primeiro trimestre deste ano, a produção de petróleo já apresentava
alta de 9,2% em relação ao mesmo
período de 2013. “Outro detalhe
importante é a maior participação
da produção em mar, que respondeu no mês analisado por 35,1%
do total produzido, enquanto que
no mesmo mês de 2013 a participação era de 19,7%. A produção
em terra respondeu por 64,9% do
total, tendo recuado 15,4 pontos
percentuais em relação a março do
ano passado”, frisa.
E com o crescimento da produção petrolífera, os royalties do
petróleo ficaram 13% maiores.
Conforme dados da ANP, o pagamento desta compensação pela
extração de petróleo e gás natural
foi o maior para meses de abril
em 15 anos, de acordo com a série histórica iniciada em 1999. O
pagamento dos royalties ficou em
R$ 14,3 milhões, valor referente
à produção do segundo mês do
ano. “Em termos relativos, houve
crescimento
de 18,8% em relação ao quarto mês de 2013. No comparativo
com o mês imediatamente anterior, março último, o repasse caiu
1,5%. Este ano, com os dados de
abril, o pagamento dos royalties
já somou mais de R$ 55 milhões
em Sergipe, com alta de 13% em
relação ao montante pago nos
primeiros quatro meses de 2013”,
afirma o secretário.
Outro item citado pelo secretário para comprovar a boa performance da economia estadual é o
crescimento em 7,5% da produção
de cimento em 2031. De acordo
com dados da Sindicato Nacional
da Indústria do Cimento, Sergipe
produziu em dezembro passado
282,9 mil toneladas. Em termos
relativos, a produção manteve-se
praticamente estável no comparativo anual (dezembro/2012),
embora menor que a produção do
mês anterior (-6,5%). Em 2013,
a produção de cimento chegou a
mais de 3,3 milhões de toneladas
no Estado, apresentando uma
alta de 7,5% em relação a 2012.
“O resultado expressa a grande
importância deste segmento industrial em Sergipe, configurando-o
na posição de maior produtor de
cimento do Nordeste, sendo seguido pela Paraíba e pelo Ceará”,
comenta Saumíneo.
E como se comportaram as exportações sergipanas no primeiro
semestre deste ano? Fundamentando-se em dados do Ministério
de Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior, o secretário
mostra que a pauta exportadora
de Sergipe sergipana revela maior
venda de sucos de outros cítricos
no primeiro quadrimestre de
2014. As exportações sergipanas
renderam US$ 4,9 milhões no
quarto mês deste ano, enquanto
as importações somaram US$
12,8 milhões. Com estes resultados, a balança comercial do
Estado somou um déficit (saldo
negativo) de US$ 7,9 milhões
no mês de abril desse ano. No
primeiro quadrimestre de 2014,
Sergipe vendeu 42 produtos ao
exterior”, frisa.
O Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia
também destaca as operações
de crédito em Sergipe, que estão
18% maiores. De acordo com
os dados do Banco Central, elas
totalizaram R$ 15,9 bilhões no
terceiro mês deste ano. “Esse
montante apresentou alta de 18%
em relação a março do ano passado. Em relação ao mês anterior,
houve pequeno avanço de 1,0%.
No primeiro trimestre desse ano,
as operações de crédito em Sergipe já acumulam alta de 18%, em
relação ao mesmo período do ano
passado”, explica nascimento.
Por fim, o Saumíneo faz questão de afirmar que Sergipe tem
registrado um bom fluxo de entrada de pedidos de empresas
que pretendem instalar-se no
Estado: “Mensalmente, temos
conseguido aprovar no Conselho
de Desenvolvimento Industrial de
Sergipe novos indústrias que irão
beneficiar a economia sergipana
com mais geração de emprego e
renda”. O secretário faz questão
de ressaltar que numa economia
globalizada, o que ocorre no país
repercute no Estado, “porém
temos conseguido apresentar
taxas de crescimento do Produto
Interno Bruto (PIB) superiores às
do Brasil e do Nordeste. Portanto,
em minha opinião, a influência
do que ocorre hoje no país não
será forte na economia sergipana, pois temos conseguido atrair
bons investimentos que implementarão mais dinâmica no nosso desenvolvimento econômico e
social”, concluiu.
Economistas analisam 1º semestre
Os economistas Luis Moura
e Rodrigo Rocha têm avaliação
positiva sobre a economia sergipana no primeiro semestre deste
ano, embora o primeiro ressalte
que o mau humor registrado
no quadro econômico brasileiro
acabe refletindo em Sergipe.
“Talvez a parte mais visível dessa
crise seja as dificuldades financeiras por que passa o Estado”,
frisa Moura, que é coordenador
estadual do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas
Socioeconômicas (Dieese).
Luis Moura revela que o ponto
posito do primeiro semestre deste
ano foi que, apesar de todos os
problemas, a economia tem mantido o nível de emprego, ou seja,
a crise ainda não chegou ao mercado de trabalho, “embora o ritmo
de contratações tenha diminuído.
Isso nos permite afirmar que em
algum momento teremos impacto
negativo no emprego”. Segundo
ele, é inegável que o Brasil está
passando por dificuldade e, provavelmente, este será o grande
debate da campanha eleitoral
deste ano.
Superintendente do Instituto
Euvaldo Lodi em Sergipe, o economista Rodrigo Rocha recorre à
geração de empregos no Estado
para justificar a boa performance
do primeiro semestre deste ano:
“De janeiro a maio passado, foram abertas em Sergipe 1.202
novas vagas de emprego, número
superior ao registrado no mesmo
período do ano passado. Os dados
de comércio até abril também
mostram desempenho positivo
nas vendas, sendo levemente
melhor que nos primeiros quatro
meses de 2013”, argumenta.
Outro dado citado por Rodrigo Rocha para comprovar o desempenho positivo da economia
sergipana foram as vendas de veículos que ficaram 1,2% maiores
até maio passado quando comparadas com os cinco primeiros
meses de 2013. “Também merece
destaque a melhoria verificada na
troca de cheques, contabilizando-se menos cheques devolvidos de
janeiro a maio último em relação
aos cinco primeiros meses do ano
passado”, afirma.
E a campanha eleitoral vai influenciar na economia sergipana?
O economista Luis Moura acredita que o segundo semestre será
muito parecido com o primeiro.
“Acredito que o tema econômico
será muito destacado durante o
debate eleitoral com os candidatos apresentando propostas para
tirar o pais da crise. Portanto,
acho bom o eleitor ficar atento
e tentar se posicionar a respeito
dos temas debatidos, pois isso
impactará na vida dos brasileiros
pelos próximos quatro anos”, frisa
o coordenador do Dieese.
A expectativa do economista
Rodrigo Rocha para o segundo
semestre é de crescimento na economia sergipana, apesar dos problemas econômicos nacionais e internacionais. “Devido a legislação
eleitoral, a campanha política vai
gerar algumas situações particulares, sob o ponto de vista administrativo. Estas situações precisam
ser bem administradas para não
impactar nos investimentos previstos pelo setor público e permitir
Criação de empregos em Sergipe: Janeiro a Maio de 2014
SETORES
SALDO
EXTRATIVA MINERAL
-50
INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO
-1.092
SERV INDUST DE UTIL PÚBLICA
40
CONSTRUÇÃO CIVIL
1.874
COMÉRCIO
377
SERVIÇOS
3.269
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
-22
AGROPECUÁRIA
-3.194
TOTAL
Fonte: Caged-MTE; Elaboração: NIE/FIES.
1.202
que a economia consiga se manter
em seu ritmo natural”, afirma o
superintendente do IEL Sergipe.
Luis Moura e Rodrigo Rocha
citam como percalço da economia
sergipana no primeiro semestre
o fechamento de três fábricas da
Azaléia no interior de Sergipe.
“Foram perdidos mais de 1,2 mil
postos de trabalhos em municípios
onde dificilmente receberão outros
empreendimentos com capacidade
para repor esses empregos. Alem
disso, cerca de R$ 1,2 milhões
mensais deixaram de circular na
economia local. Em maio passado
Tivemos em Sergipe um saldo
negativo de 524 postos de trabalho e isso aconteceu por apenas
uma indústria demitiu mais 1.200
operários”, explica Moura. Rodrigo concorda, mas ressalta que a
instalação de novos empreendimentos e ampliação de alguns dos
já existentes vão permitir a geração de novos empregos, evitando
maiores consequências para a
economia sergipana.
Na opinião do coordenador do
Dieese, a construção civil, o comercio de eletroeletrônicos foram os setores que menos sentiram os efeitos
do baixo crescimento da economia
sergipana. “Por outro lado, os servidores públicos foram os grandes
prejudicados pela crise, pois o Governo estadual só conseguiu repor
a inflação de um ano, quando se
sabe que as perdas financeiras de
diversas categorias de servidores
públicos estejam próximas dos 15%
em função de não terem sido concedidos reajustes salariais em 2012 e
1013”, afirma Luis Moura.
Mercado
Jornal da Cidade
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
3
ENTREVISTA Vicente Neto, presidente da Embratur
“Copa gerou mais de 15% dos 4,8 milhões
de empregos criados no governo Dilma”
Divulgação
A Copa do Mundo no
Brasil se consolidou como
grande evento, atraindo
investimentos e gerando
empregos. O presidente
da Embratur (Instituto
Brasileiro de Turismo),
Vicente José de Lima Neto, fala
nesta entrevista sobre os
investimentos feitos no setor
de Turismo para o Mundial de
2014 e garante que o evento
criou quase 1 milhão de
empregos. No ano passado,
24.500 empregos diretos foram
criados apenas na construção
dos seis estádios da Copa das
Confederações. Este ano,
segundo dados do Sebrae,
R$ 100 milhões em novos
negócios foram gerados para
as micro e
w MERCADO - Qual a estimativa do total
de empregos gerados pela Copa no setor do
turismo?
VICENTE NETO - O total geral de novos
postos de trabalho com a Copa chega perto
de 1 milhão. Desse total, 710 mil são empregos fixos e outros 200 mil são postos
temporários. Diretamente na cadeia do
turismo, foram injetados 50 mil trabalhadores. Isso significa que a Copa do Mundo
representa mais de 15% da geração dos
empregos ao longo do governo da Presidenta Dilma Rousseff.
w M - De que maneira grandes eventos
como a Copa podem impulsionar o setor de
turismo no Brasil?
VN - A Copa do Mundo põe o setor de Turismo num novo patamar. Só com este evento
estamos criando cerca de 1 milhão de postos
de trabalho diretos, fora os indiretos. Adicione a isso os cerca de R$ 30 bilhões que, segundo pesquisa da FIPE (Fundação Instituto
pequenas empresas brasileiras,
grandes empregadoras de
mão de obra com obras e
serviços gerados pela Copa. “É
importante ressaltar que esses
novos empregos são, em grande
parte, de maior qualificação
profissional”, garante. Vicente
Neto, 47 anos, é turismólogo,
graduando em Direito e pósgraduado em Administração.
Servidor de carreira da
Universidade Federal da Bahia
desde 1985, começou a exercer a
função de assessor especial da
Presidência da Embratur em 2013.
Nascido na Bahia, Neto já foi
Secretário Nacional de Esporte,
Educação, Lazer e Inclusão
Social do Ministério do Esporte,
após ocupar o cargo de chefe de
Gabinete do mesmo ministério.
vicente neto, presidente da Embratur: Copa do Mundo põe o setor de Turismo num novo patamar
de Pesquisas Econômicas), serão injetados em
nossa economia. Apenas no setor de Turismo
estimamos movimentar R$ 6,7 bilhões, com
gastos dos 3,7 milhões de turistas nacionais e
estrangeiros que irão circular pelo País durante
o evento. É importante ressaltar que esses novos empregos são, em grande parte, de maior
qualificação profissional. Isso porque estamos
seguindo a determinação da Presidenta Dilma de implementar o Pronatec Turismo, uma
vertente do Pronatec (Programa Nacional de
Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), o maior
programa de formação de mão de obra técnica
da história do Brasil.
w M - Quais são os principais investimentos
feitos em qualificação profissional no setor
turístico relacionados ao Mundial?
VN - Foram R$ 16,3 milhões no Pronatec
Turismo, que treinou mais de 160 mil brasileiros para receber bem os turistas nacionais
e de outros países. Somente em cursos de
idiomas foram quase 30 mil matrículas. Mas
quando eu me refiro à formação de mão de
obra, não é só a vinda do Pronatec, não é só
curso de línguas. A cadeia inteira está sendo
beneficiada. O Sistema S fez cursos para a
formação de artesãos, houve cursos em todas
as cidades-sede com taxistas, motoristas de
ônibus, entre outros.
w M - Que impacto a Copa deverá ter na
atração de turistas estrangeiros ao Brasil?
VN - Com a Embratur, realizamos uma ação
internacional forte chamada Goal to Brazil. Nós
fomos a 14 países e agora estamos colhendo o
resultado de nossa circulação da promoção
com a vinda de turistas bem informados
sobre o País. São cerca de 600 mil turistas
de outros países que virão ao Brasil durante a Copa. Nós fizemos, por exemplo, dois
eventos promocionais fortes nesse período
na Colômbia, que é o quinto comprador de
ingressos estrangeiros.
w M - Como a experiência da Copa vai
ajudar na promoção do Brasil como destino
turístico?
VN - Nós vamos levar o caso de sucesso da
Copa do Mundo no Brasil para um calendário de feiras no segundo semestre, mostrando como esse caso de sucesso pode influenciar o fechamento de negócios. Agora
vamos fazer em conjunto com a Apex
[Agência Brasileira de Promoção de Exportações], o que é também uma novidade.
Vamos maximizar o esforço brasileiro de
venda lá fora, da imagem e de produtos,
de uma forma só.
Divulgação
Brasileiros
estão gastando
mais com a Copa
Nas 12 cidades que estão sediando jogos da
Copa do Mundo, os eventos estão impulsionando o consumo, avaliam o SPC Brasil (Serviço de
Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação
Nacional de Dirigentes Lojistas).
Pesquisa realizada pelas duas entidades
apurou que nas cidades-sede, 72% dos entrevistados têm a intenção de assumir gastos extras
durante o mundial, principalmente com alimentação e bebidas. Isso representa um contingente de mais de 14 milhões de consumidores
dispostos a gastar mais durante este período de
partidas entre as principais seleções do mundo,
e isso considerando somente as localidades que
estão recebendo os jogos.
Na lista dos itens mais citados quanto à intenção de compras, o primeiro lugar é ocupado
pelos refrigerantes (84%). Na segunda posição
ficaram os salgadinhos e tira-gostos (50%) e,
em seguida, churrasco (40%) e cervejas (39%).
Os brasileiros também pretendem ter gastos extras com roupas e acessórios temáticos,
como uniformes da seleção, camisas com as
cores do Brasil, bonés, bandeiras, cornetas,
lembrados por 45% da amostra. Em seguida,
estão os gastos com decoração (40%), apostas em bolões (29%), despesas com assinatura de TV a cabo (20%) e aquisição de novos
aparelhos de TV (19%).
SPC e CNDL apuraram, também, que parcela de 58% dos entrevistados não se planejou
para os pequenos gastos do período. Outros
27% afirmaram ter feito uma reserva para cobrir os gastos e fatia de 9% admitiu que acabará
A pesquisa apurou que os consumidores perceberam aumento dos preços, certamente também influenciado pelo consumo dos estrangeiros
gastando mais do que efetivamente pode.
A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela
Kawauti, afirma que “muitas vezes, no calor das
comemorações, o consumidor não se preocupa
com os pequenos gastos, que, acumulados, podem comprometer o orçamento”.
A pesquisa buscou mapear as expectativas
e primeiras impressões e identificar alterações
nos padrões de consumo em função do mundial. Para isso, o SPC Brasil e a CNDL ouviram
2.558 pessoas de ambos os sexos, de todas as
classes sociais e acima de 18 anos entre os dias
13 e 18 de junho (primeira semana do mundial) nas 12 cidades-sede. A margem de erro é
de no máximo dois pontos porcentuais para um
intervalo de confiança a 95%.
Alta de preços
A
pesquisa apurou, ainda, que os consumidores perceberam aumento nos preços
praticados pelos comerciantes e prestadores de
serviços neste período de Copa. Parcela de 93%
das pessoas ouvidas disse ter notado altas nos
valores cobrados por hotéis e pousadas. Para
80% do entrevistados, os preços subiram nos
bares. Outros 78% disseram ter verificado alta
de preços nos restaurantes. Os supermercados
foram lembrados por 57% dos entrevistados.
Na avaliação do presidente da CNDL, Roque
Pellizzaro Junior, o levantamento constata que
o aumento de gastos do brasileiro no período da Copa é restrito a setores específicos da
economia, como supermercados (alimentação
e bebidas), serviços de bares e restaurantes e
produtos temáticos.
“O mundial impulsiona a economia, mas de
modo muito concentrado. Enquanto alguns setores do comércio e serviços devem lucrar com
o aumento da procura, outros, como os bens de
maior valor agregado, devem registrar prejuízos. A Copa do Mundo não aquece a economia
como um todo”, disse.
CADERNO MERCADO - ECONOMIA & NEGÓCIOS
Comercialização: Gabinete de Mídia & Comunicação Ltda.
Rua Moacir Rabelo Leite, 34, Sala 1, Bairro 13 de Julho, Aracaju/SE
Contato: Pedro Amarante
[email protected] - (79) 3246-4139 / 9978-8962
4
Mercado
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
DILSON M. BARRETO
O $ nosso de cada dia
André Tavares
ECONOMISTA
Quem paga a conta?
[email protected]
É tempo de
férias escolares
F
érias escolares: tempo em que as crianças e
jovens passam muito mais tempo em casa e
querem naturalmente gastar bem seu tempo livre.
O problema é que isso, quase sempre, implica em
aumento de gastos, o que é normal, desde que não
cause descontrole no orçamento familiar. Primeiro
de tudo, é sempre bom lembrar que – ao realizar o
orçamento do mês – devemos prever que os gastos
com lazer terão um aumento neste período, ou seja,
que a previsão de despesas para o mês de julho não
pode ser igual a dos outros meses.
Com certeza, podemos afirmar que o principal
problema das despesas com lazer não são os gastos
com a diversão em si, mas sim o mau hábito que
muitos de nós temos de agregar ao lazer uma série
de despesas que são desnecessárias e que acabam
onerando sobremaneira aquelas atividades.
Comecemos com um lazer bem comum em
muitas famílias: a ida ao cinema. Todos sabemos que
as salas de projeção cobram preços diferenciados
a depender do dia e horário da sessão. Planejese para ir ao cinema naquelas oportunidades da
semana em que os preços estão mais em conta.
Como geralmente isso ocorre em dias de menor
movimento, você ainda evitará grandes filas e salas
superlotadas. Um cuidado adicional que se deve ter
também é fugir dos lanches, refrigerantes e pipocas
vendidos nas salas de cinema país afora. Além de
fazerem mal à saúde, fazem mais mal ainda ao
bolso. São produtos muito caros e que mais do que
dobram os gastos com o filme!
Um outro passeio que deve despertar um cuidado
adicional são as visitas a shoppings. É fundamental
ter foco, não ficar passeando a esmo “olhando as
vitrines”. Isso porque tudo no shopping é feito para
nos estimular a consumir, a gastar. E isso é mais
forte ainda com as crianças e jovens. E as compras
por impulso se assemelham – de certa maneira – a
outros vícios. No momento do consumo, tem-se uma
excitação e uma descarga de adrenalina enormes
para logo depois vir a decepção e a “ressaca” em
não ter resistido àquela inclinação. Para evitar isso,
é aconselhável definir quanto vai gastar na visita ao
shopping antecipadamente, inclusive combinando
com as crianças, o que evitará birras e pedidos
insistentemente desagradáveis.
No caso das crianças, sugiro que os pais definam
o máximo que elas podem gastar e deixem que as
mesmas façam as escolhas de como gastar. Além de
estimular a autonomia e a independência, as crianças
passam a ser mais responsáveis pelas escolhas
e adquirem a noção de orçamento, limitação de
recursos e definição de prioridades. Transformar o
controle de gastos num jogo também ajuda muito
a despertar o interesse das crianças por conta do
aspecto lúdico dessa abordagem.
Na nossa bela cidade, também não podemos nos
esquecer dos passeios às praias. Em Aracaju, temos
alternativas de praias para banhos de mar, passeios
e caminhadas na areia. Contudo, o preço cobrado
pelas barracas de praia pelos lanches e refeições que
são servidos é muito acima do que poderia se chamar
de razoável. Dessa forma, vamos aproveitar a praia
consumindo uma água de coco ou algum suco com
um pequeno lanche evitando refeições ou produtos
que deixem nosso bolso vazio e sem proteção contra
o forte sol que habitualmente brilha em nosso litoral.
Podemos dedicar um capítulo à parte também
aos restaurantes. Muitos têm receio de ir a
bons restaurantes com medo do valor que será
apresentado pelo garçom após a refeição. O
engraçado é que – na maior parte das vezes – os
preços dos pratos em bons restaurantes não são
muito maiores do que os cobrados em restaurantes
medianos. O que geralmente encarece a conta
são as entradas, as bebidas (a exemplo dos vinhos
caros) e as sobremesas. Porém, podemos comer
melhor e gastar menos se evitarmos as entradas
e sobremesas ou dividirmos as mesmas para duas
ou três pessoas. Vejo muita gente em restaurantes
comendo apenas uma pequena parte da sobremesa
ou mesmo do prato principal por ter comido muito
nas entradas, o que é um desperdício de comida e
de $ (dinheiro). Dessa forma, não é vergonha nem
falta de elegância dividir pratos com os objetivos de
comer bem e gastar menos!
Por último, não poderia deixar de citar que
nossa cidade oferece muitos espaços, como parques,
calçadões – sem contar a orla – em que podemos
passear com nossa família gastando muito pouco
ou quase nada. Devemos aproveitar esses espaços
sempre para que a justificativa da falta de $ não seja
usada como desculpa para não proporcionarmos à
nossa família momentos prazerosos de convívio e
diversão e para que ensinemos a nós mesmos e –
principalmente às crianças de nossos dias – a não
confundirmos lazer com consumo.
Espero que essas pequenas dicas lhes ajudem
a proporcionar férias divertidas a vocês e às suas
famílias, com mais atividades de lazer sem abrir mão
do equilíbrio financeiro e sem esquecer que – mesmo
sem $ – podemos proporcionar muitos momentos de
felicidade aos que nos envolvem.
n Ajude-nos a fazer esta coluna. Envie seus comentários,
críticas, dúvidas e sugestões para o endereço eletrônico
[email protected]
* O autor é analista financeiro e professor de finanças da Universidade Tiradentes.
Jornal da Cidade
T
odas as ações empreendidas pela
sociedade sejam elas boas ou más,
têm um preço e este recai naturalmente sobre a própria sociedade que deve
receber ou pagar (se for o caso), pelos
resultados decorrentes de suas ações. De
igual maneira, o Governo, ao tomar suas
decisões com relação aos destinos de seus
cidadãos, estabelece um vínculo de comprometimento cujos resultados também
recaem sobre seus beneficiários. Esta é
uma questão de lógica natural das coisas
e das próprias ações tanto do ser humano
em particular, como dos governantes que,
livremente eleitos, assumem a responsabilidade de conduzir os destinos tanto
dos que o elegeram como dos que lhe
negaram o voto.
A gestão da política econômica da
forma como está sendo conduzida, estabelece um nível de comprometimento de
despesa muito forte que necessariamente
terá que ser coberto pelo Orçamento
justamente por conta dos insucessos causados pela sua improvisação. Ao isentar,
subsidiar, financiar a juros negativos,
perdoar dívidas, realizar obras desnecessárias, não estabelecer prioridades,
conceder direitos e vantagens a quem não
os tem, criar órgãos numa superposição
de atividades, etc., tudo isso representa
um pesado ônus que alguém, no presente
ou no futuro terá que pagar. E à medida
que persistem as inconsistências aliada à
própria resistência em mudar os rumos da
economia, o preço a pagar torna-se cada
vez mais elevado.
A equipe econômica comandada pelo
Senhor Ministro da Fazenda, na tentativa de controlar a inflação e promover o
crescimento do Produto Interno Bruto,
vem realizando determinadas intervenções que poucos efeitos positivos têm
proporcionado, afetando inclusive o nível
de confiança do empresário que vem
decrescendo mês a mês sem previsão
de reversão. Ao reduzir o IPI incidente
sobre a indústria automobilística e do
segmento produtor de eletrodomésticos,
ao alterar a forma de incidência tributária
sobre a folha de pagamento, ao baixar
por decreto as tarifas de energia elétrica,
ao postergar o reajuste dos combustíveis
e das passagens do transporte coletivo,
poucos resultados foram produzidos na já
combalida economia no ano que passou.
Além do mais, não conseguiu descolar a
taxa de inflação para próximo do centro
da meta, restringindo-se a um crescimento sofrível de 2,3% mesmo assim em
razão da inexpressiva base comparativa
de 2012. O que poderia ter ocorrido se,
ao invés de tais medidas, o governo direcionasse os recursos despendidos com
as concessões de tais benefícios para os
investimentos que se fazem necessários à
economia tanto para elevar seu nível de
eficiência, qualificar a força-de-trabalho e
fazer retornar o seu ritmo de crescimento
a taxas mais elevadas?
A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece que isenções, subsídios e outras
formas de renúncia de receita, somente
podem ser efetivados se houver formas
compensatórias através da geração de
novas receitas ou redução de outros
dispêndios considerados menos prioritários ou postergáveis. Tais medidas
parecem, não estão sendo observadas,
sendo as compensações efetivadas através do método mais simples: elevação
da carga tributária.
Recentemente, numa atitude mais
eleitoreira do que do que técnica, em
reunião no Palácio do Planalto que contou
inclusive com a presença de empresários,
o Governo anunciou novas medidas tendo como finalidade impulsionar o setor
industrial, destacando-se alterações no
Refis, extensão do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) até o final
de 2015, agora com taxa de juros mais
elevada, além da retomada do Programa
Reintegra, cujo objetivo é devolver parte
dos custos de exportação sob a forma de
créditos tributários. Trata-se de medidas
pontuais que anteriormente já tinham
sido aplicadas ou estavam em execução,
devendo por esta razão proporcionar
pouco impacto no mercado. Mais custo
para o Tesouro.
Novamente perde o Governo, ao insistir em modelos que já estão superados, a
oportunidade de estabelecer um melhor
vínculo com os empresários elevando seu
nível de confiança mediante a execução
de medidas inovadoras e persistentes ao
longo dos anos, capazes de promover o
desenvolvimento sustentado da economia brasileira. Os atos agora encenados
representam mais uma tentativa de evitar
o desemprego e a perda considerável
de dinamismo do setor industrial que já
repercute negativamente no desempenho da economia. Enquanto isso, para
não pressionar a inflação, foram adiados
ou cancelados os aumentos de tributos
incidentes sobre bebidas, refrigerantes,
cosméticos e importados, que deveriam
ajudar a cobrir o rombo do Tesouro.
Porém, isto não é tudo. A Jornalista
Cláudia Safatle, em sua coluna no Jornal
Valor Econômico de 20 de junho passado,
sob o título “O peso da burocracia no chão
da fábrica” faz uma análise a respeito de
Norma Regulamentadora sob número 12,
do Ministério do Trabalho, que trata da
introdução de novas regras relacionadas
à segurança no trabalho. Nada mais justo
reconhece a articulista, porém, como ela
própria procura evidenciar, excessivamente extravagante em seu conteúdo: de
40 itens, a norma eleva para 340 o número de exigências que deverão ser cumpridas pelas indústrias e, o que é pior, com
efeito retroativo para as máquinas já em
funcionamento, superando abruptamente
as normas existentes na Europa e nos
Estados Unidos, considerados os grandes
fornecedores das máquinas e equipamentos para a indústria brasileira.
Esse realismo extravagante do Ministério do Trabalho superando inclusive o
modelo europeu por ele copiado, se de um
lado, teoricamente, procura proteger o
trabalhador no exercício de sua atividade
laboral, por outro, estimula o desemprego
pelo elevado ônus que tais medidas passam a incidir sobre as empresas. Segundo
a articulista, para atender às exigências
da N 12, cujo conteúdo foi atualizado em
2010, o dispêndio adicional pode superar
a casa dos R$ 100,00 bilhões. Tal Norma,
ao que parece, ao contrário de estabelecer melhores relações entre o capital e o
trabalho, veio estimular a indústria das
multas, isto porque, conforme relatado
no citado artigo, somente em 2013 foram
aplicadas 8.606 autuações, e neste primeiro trimestre de 2014, 1743, tudo isto
sem falar na enorme quantidade de máquinas que foram proibidas de funcionar,
impedindo a expansão da própria atividade produtiva. Como estimular o aumento
da produção desta forma?
Ora, é inconcebível, estabelecer-se
normatizações com efeito retroativo
para um sistema produtivo que está
assentado em equipamentos que foram
fabricados muito antes da vigência de
tais normas. Seus autores, inclusive as
representações dos trabalhadores, no
momento em que decidem a elaboração
de um determinado ato econômico ou
social, devem em primeiro lugar avaliar
os custos e benefícios de tais medidas,
o que parece não ter havido neste caso.
A citada norma, que tudo indica tem
conteúdo ideológico e fruto de um corporativismo inconsequente, ao atingir
o empresário capitalista sob o manto
de proteger o trabalhador, fere frontalmente as relações de trabalho, desde
quando, ao onerar gravosamente o capital, desestimula o trabalho, podendo
gerar novas levas de desempregados no
futuro, fechamento de indústrias, isto
sem contar o travamento da expansão
da atividade industrial decorrente da
desmotivação em investir.
Esquecem os tomadores de decisões
que vivemos numa sociedade capitalista
e o objetivo do empresário é tão somente
o lucro. Se o governo e as corporações
trabalhistas têm raiva dos lucros dos
capitalistas (ao que parece apenas do
lado da atividade produtiva), existe uma
boa alternativa de punição: a incidência
maior de tributos. Porém esta é uma medida que teria de ser tomada de forma
geral, não apenas penalizando quem
produz, mas também quem não produz
e alimenta, com o giro do capital nas
bolsas e em outros segmentos dessa área,
a especulação financeira.
Se as leis, como reza a Constituição
(Lei Maior do País) não podem retroagir,
justamente para não prejudicar aqueles
que representam seu objeto, por que uma
Norma Ministerial, ato juridicamente
inferior, tem competência para retroagir
sua aplicação? Esta é uma questão que
deve ser resolvida pelos especialistas do
Direito. Fica aqui apenas a triste pergunta: Quem pagará a conta por tantos
desatinos?
Delfim Netto
Carta Capital
Razões da desaceleração
A economia brasileira, desde 2002,
foi beneficiada pela expansão do comércio mundial – devido em parte ao
vigor da economia chinesa –, período
que aproveitamos para crescer e para
ampliar a inclusão social, criando um
robusto mercado interno. Colhemos os
efeitos de uma distribuição de renda
facilitada pelos ganhos externos proporcionados, até recentemente, pela
melhora de nossas “relações de troca”.
Tais sucessos esconderam a necessidade e a urgência de convencermos
a sociedade a realizar as mudanças
estruturais necessárias para a continuidade do crescimento econômico e social
quando o ciclo de prosperidade mundial
terminasse. A partir de 2010, o “vento
de popa” que nos ajudou transformou-se
em “vento de proa” e hoje encontramos
cada vez mais dificuldades para manter
o desenvolvimento da economia e dar
continuidade ao processo redistributivo.
Na semana em que o assunto dominante foi a inauguração do campeonato
mundial do jogo de bola, tive a oportunidade de participar – como em todas as
manhãs das segundas-feiras – do Jornal
Gente, da Rede Bandeirantes de Rádio,
quando José Paulo de Andrade trouxe à
pauta os resultados de uma sondagem
do Instituto Brasileiro de Economia
(Ibre) com a expectativa de queda nos
investimentos de importantes setores
da indústria este ano, em relação ao
ano passado. A pesquisa mostra que a
preocupação dominante é com os investimentos para aumento da eficiência
produtiva e aponta três motivos para a
redução das expectativas: a limitação de
recursos; as incertezas quanto à demanda; e a brutalidade da carga tributária.
O investimento depende basicamente das expectativas; se o empresário
tem uma expectativa de crescimento da
economia que permite esperar uma taxa
melhor de retorno do investimento, ele
se dispõe a tomar emprestado; mas, se
enxerga uma situação mais cinzenta, ele
vai adiando a decisão.
Pela pesquisa entende-se, hoje, que
o investimento não é para incrementar
a produção; a indústria investe para
aumentar a eficiência produtiva, o que
significa a perspectiva de substituir mão
de obra por um estoque de capital um
pouco mais sofisticado. Esse resultado
informa que o PIB vai crescer um pouco
mais lentamente do que tem crescido.
As três questões estão relacionadas:
a primeira resposta indica que tem havido menos lucro e menor taxa de retorno
para o setor. Para manter seu valor na
Bolsa a empresa tem de garantir o nível
dos dividendos, o que é uma questão de
sobrevivência, porque, se começar a ter
suas ações perdendo valor, ela passa a
enfrentar uma porção de dificuldades,
tem problemas de financiamento e outros mais; o segundo fator é aquele que
citamos antes, que leva à expectativa do
empresário se a economia brasileira vai
crescer mais vigorosamente e quanto à
demanda particular de seu produto no
mercado interno e às mudanças do comportamento do comércio exterior.
O terceiro item – o peso dos impostos
– é o que concentrou a maioria das res-
postas justificando a retração dos investimentos na pesquisa: com uma carga
tributária bruta de uns 37% do PIB (com
“viés” de aumento, considerados os projetos em andamento nas duas Casas do
Congresso), as decisões de investimento
tornam-se mais penosas a cada dia.
Não é preciso buscar muitas explicações para a queda da taxa de crescimento do Brasil nas últimas três décadas: a
soma da redução dramática dos investimentos públicos e privados na infraestrutura, com um aumento não menos
dramático da carga tributária bruta. Há
pouco mais de 30 anos, quando o Brasil
crescia “a taxas chinesas”, acima de 7%
de expansão do PIB, a carga tributária bruta era de 24% e o investimento
público era de 5% na infraestrutura.
Hoje, com a carga tributária de 37%, o
investimento público na infraestrutura
não chega a 3% do PIB, que, somados
ao déficit significam que o governo está
tomando da sociedade perto de 40%
de tudo o que ela produz no ano. Com
quase nenhum retorno.
É por isso que o crescimento brasileiro murchou. A possibilidade de
retomarmos o ritmo mais acelerado
de desenvolvimento e continuarmos a
reduzir o nível de desigualdade ainda
existente vai exigir uma profunda mudança de todo o sistema de apropriação
e distribuição dos recursos pelos governos, começando com um “orçamento de
base zero” que elimine os programas
que subsistem por inércia, indo até a
crítica cuidadosa da eficiência de todas
as ações fiscais!
Mercado
Jornal da Cidade
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
Divulgação
Comércio &
relações Exteriores
Saumíneo Nascimento
Balança comercial
brasileira - Junho/2014
O
O MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
E A COPA DO MUNDO
O Brasil que está sediando a Copa do Mundo de Futebol de
2014, até o dia 13 de julho e, conta com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA para
em conjunto com outras autoridades governamentais cuidar
de forma mais efetiva do trânsito internacional. Ao MAPA
compete a fiscalização do trânsito internacional de produtos
e insumos agropecuários em 106 pontos de controle, sendo
28 localizados em portos, 26 em aeroportos internacionais, 28
em postos de fronteiras e 24 em aduanas especiais, com dois
objetivos principais: impedir a entrada de doenças e pragas no
Brasil, evitando prejuízos à agropecuária nacional, e garantir
a qualidade e inocuidade dos produtos brasileiros exportados.
IMPORTAÇÃO DE MERCADORIAS - Em relação ao controle de
cargas e mercadorias provenientes do exterior, o MAPA editou
a Instrução Normativa nº 12, de 15/03/2013, norma específica
com os procedimentos para importação de produtos de origem
animal e vegetal, de procedência estrangeira, para utilização ou
consumo pelas organizações, delegações, instituições e entidades
indicadas pela Federação Internacional das Associações de Futebol (FIFA) e credenciadas pela Receita Federal do Brasil (RFB).
TURISTAS - Para a fiscalização do trânsito internacional de
passageiros, o MAPA promoveu o reforço nas equipes de servidores nos principais aeroportos internacionais e realizando
fiscalização conjunta com os demais órgãos de controle migratório. Com o reforço técnico, o MAPA está promovendo
celeridade na liberação sem, no entanto, comprometer os
controles zoofitossanitários realizados nos Serviços e Unidades da Vigilância Agropecuária Internacional – VIGIAGRO.
Para evitar contratempos no desembarque, o passageiro proveniente do exterior não deverá trazer na bagagem produtos ou
insumos agropecuários. Caso o turista venha acompanhado de
animal de companhia, deve ficar atendo as exigências zoossanitárias brasileiras. As orientações estão disponíveis no link ‘Trânsito
de Animais de Companhia’ do Ministério da Agricultura.
UNCTAD (CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O
COMÉRCIO E O DESENVOLVIMENTO) E RELAÇÕES COM
OUTRAS ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS - Como o ponto
focal do tratamento integrado do comércio e desenvolvimento, a
UNCTAD trabalha e se relaciona com várias organizações dentro e
fora do sistema das Nações Unidas. Alguns destes organismos são:
• Organização Mundial do Comércio (OMC) - UNCTAD e OMC
uniram forças para tentar melhorar o funcionamento do sistema
de comércio multilateral. Em abril de 2003, as duas organizações
assinaram um Memorando de Entendimento no qual se estabelece
a colaboração e consulta em relação às atividades de assistência
técnica e realização de estudos conjuntos sobre temas selecionados.
• Centro de Comércio Internacional (ITC) – O ITC é co-patrocinado pela UNCTAD e OMC e lida com os aspectos operacionais e
empresariais de desenvolvimento do comércio, particularmente
a promoção do comércio. Ao contrário da assistência técnica da
UNCTAD, que é destinada principalmente a governos, a assistência técnica ITC é focada principalmente em empresas dos países
em desenvolvimento. A UNCTAD e a OMC estão representadas
no grupo consultivo conjunto que supervisiona o trabalho do TPI
(Tratado de Propriedade Intelectual) e UNCTAD mantém vários
convênios de assistência técnica conjunta com este organismo.
• Comissões do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização das Nações Unidas e regionais
- A UNCTAD coopera com essas entidades internacionais de
projetos, tanto em relação a projetos, seminários conjuntos ou
oficinas e assistência técnica de investigação. Como UNCTAD
não tem representantes no campo, os escritórios do PNUD em
países também são usados para apoiar as atividades desenvolvidas pela UNCTAD em vários países. Além das organizações
das Nações Unidas, um total de 111 outros organismos intergovernamentais têm sido reconhecidos como observadores do
Conselho de Comércio e Desenvolvimento da UNCTAD.
SITUAÇÃO DOS REFUGIADOS NO MUNDO - Conforme informações coletadas na CEPAL, em todo o mundo, os conflitos têm forçado um número recorde de pessoas a fugir de suas casas. Mais de 50
milhões de pessoas estão atualmente deslocadas por causa da guerra e da violência, 33,3 milhões em seu próprio país e 16,7 milhões
de refugiados, principalmente nos países vizinhos. Só no ano passado, mais de 10 milhões de pessoas foram acrescentadas à lista de
pessoas deslocadas; isso significa que a cada 15 minutos uma família foi forçada a fugir. O conflito na Síria é uma das principais razões
para este aumento dramático. No entanto, não podemos esquecer
que mesmo um grande número de pessoas foram deslocadas no
Mali, ao recrudescimento dos combates, e na África do Sul e Sudão
do Sul. Além disso, muitos dos conflitos de longa data continuam
por resolver, o que significa que algumas pessoas voltaram para suas
casas. Centenas de milhares de cidadãos do Afeganistão, Colômbia,
Mianmar, República Democrática do Congo, Somália e Sudão estão
vivendo no exílio, muitos deles por anos ou décadas e alguns até
mesmo por gerações. A maioria dos refugiados em todo o mundo
(86%) vive no mundo em desenvolvimento, em comparação com
70% há 10 anos. Muitos desses países têm mantido suas portas
abertas para as pessoas que procuram segurança e demonstraram
uma generosidade que vai muito além de seus meios.
IBGE
É cedo para
falarmos em
recessão na
indústria, diz FGV
[email protected]
s resultados do 1º semestre de 2014 da balança comercial
brasileira revelaram os seguintes números: Exportação:
US$ 110,5 bilhões, o que significa uma redução de 2,6% sobre
jan-jun/13, pela média diária (valor de US$ 114,4 bi); e 4º
maior valor para o semestre (1º => 2011: US$ 118,3 bilhões);
já na Importação: US$ 113,0 bilhões, redução de 3,0% sobre
jan-jun/13, pela média diária (valor de US$ 117,5 bi); e 2ª
maior cifra para o semestre. Na corrente de comércio: US$
223,6 bilhões, cifra 2,8% menor que jan-jun/13 (US$ 231,9
bi), pela média diária; e 4º maior valor para o período e; no
saldo comercial: negativo em US$ 2,4 bilhões, valor menor que
o déficit registrado em jan-jun/13 (-US$ 3,1 bi).
Do ponto de vista de destaques da Balança Comercial de junho/2014, podemos citar o seguinte: maior superávit mensal do
ano => US$ 2,4 bilhões; 4º superávit consecutivo no ano; resultado do saldo comercial no acumulado melhor que 2013; o mês
de junho com maior média diária de exportação em 2014; recorde
nas exportações de soja e farelo, carne bovina, celulose, medicamentos, e obras de mármore e granito; melhora das exportações
para União Europeia (3º mês consecutivo), EUA (9 dos últimos 11
meses) e Venezuela; queda das exportações para Argentina; queda
dos preços das commodities, parcialmente compensada pelo aumento do quantum; recuperação lenta das economias dos EUA e
EU e; redução das importações, também influenciadas por preço.
5
O
Reservas no pré-sal e no pós-sal, no caso de Sergipe, incluirão o Brasil entre maiores produtores
Produção do pré-sal
chega a 500 mil barris
Petrobras já planeja produção no pós-sal da Bacia de Sergipe
A
Petrobras comemorou
na terça-feira, 1º, a produção de 500 mil barris
por dia de petróleo e gás natural na região do pré-sal da
Bacia de Santos. A cerimônia
contou com a presença da
presidenta Dilma Rousseff e
da presidenta da estatal, Graça
Foster, e foi realizada no edifício-sede da estatal, no centro
do Rio de Janeiro.
O patamar é atingido oito
anos após a primeira descoberta, e mais rápido do que
o desenvolvimento de outros
campos em águas ultraprofundas no mundo. No Golfo do
México, por exemplo, foram
necessários 19 anos para se
chegar a esse nível de produção; no Mar do Norte, nove.
A província do pré-sal como
um todo, incluindo as bacias de
Santos e Campos, tem 149 mil
quilômetros quadrados e equivale a três vezes o tamanho
do estado do Rio. Em 2020, o
pré-sal será responsável por
cerca de 50% da produção da
Petrobras, que deverá atingir
4,2 milhões de barris por dia.
As reservas provadas de óleo
e gás da Petrobras no Brasil,
apropriadas em dezembro de
2013, são 16 bilhões de barris
de óleo equivalente (boe) que,
somados ao volume potencial
recuperável de 11,4 bilhões de
petróleo equivalente, alcançam
27,4 bilhões de barris, dos quais
15,7 bilhões são de óleo e gás
descobertos no pré-sal.
O potencial brasileiro para
exploração e produção de petróleo e gás natural em águas
ultraprofundas, no entanto,
vai além do pré-sal das bacias
de Santos e Campos. Outras
duas áreas com potencial têm
apresentado resultados significativos: a Bacia Sergipe-Alagoas (na Região Nordeste) e a
chamada Margem Equatorial
(próxima às regiões Norte e
Nordeste). Os resultados alcançados até agora já permitem a
companhia planejar a produção do primeiro óleo no pós-sal
da Bacia de Sergipe.
Graça defende reajuste dos combustíveis
A presidenta da Petrobras,
Maria das Graças Foster, disse
que vai continuar a busca para
reajustar os preços dos combustíveis produzidos pela empresa. Apesar de ressaltar que
é preciso atenção ao mercado
interno, a presidenta destacou
que os preços dos derivados
(gasolina e diesel) precisam
estar alinhados ao mercado
externo para a empresa conseguir manter a capacidade de
investimento.
Ela reconhece a necessidade de moderação nos aumentos (dos preços dos derivados)
e de não repassar para o consumidor interno a volatilidade
do mercado externo, mas argumentou que a empresa não
pode conviver com defasagens
significativas. “O fato de o
real ter reduzido a depreciação frente ao dólar diminuiu a
pressão, mas enquanto a paridade não for plena estaremos
sempre defendendo o aumento
[dos preços]. Estamos mantendo conversas sobre o assunto,
de forma permanente, mas padronizada. Hoje, a orientação
é não repassar a volatilidade
para o mercado, mas não há
paridade e nós precisamos
considerar a possibilidade do
aumento para entramos 2015
em melhores condições do que
entramos este ano”, disse, ao
detalhar o resultado do primeiro trimestre do ano da estatal.
A presidenta da Petrobras
disse que a empresa mantém
as projeções de investimentos
para este ano, de aproximadamente US$ 40 milhões. Segundo ela, não está prevista
redução dos investimentos em
relação ao Plano de Negócios e
Gestão 2014 – 2018, divulgado
pela companhia.
nível de confiança da indústria de transformação
está similar ao desempenho obtido durante períodos recentes
de recessão da economia brasileira, como o da crise de 2008
ou ao cenário negativo de 2001,
por conta do racionamento de
energia. A afirmação foi feita
nesta segunda-feira, 30, pelo
superintendente adjunto de
Ciclos Econômicos da Fundação
Getúlio Vargas (FGV), Aloísio
Campelo, ao comentar o resultado do Índice de Confiança
da Indústria (ICI), que recuou
3,9% em junho ante maio, passando de 90,7 para 87,2 pontos.
O resultado representa a sexta
queda consecutiva do indicador.
“Ainda é cedo para falarmos em recessão na indústria,
pois o conceito de recessão
envolve muitos fatores, como
o emprego e a renda, e mesmo
que haja uma desaceleração
forte no ritmo de contratações
ainda estamos no terreno positivo”, ponderou.
Apesar de descartar uma
recessão na indústria, Campelo
pondera que no caso da confiança o nível dos indicadores
está em um patamar muito baixo e cada vez mais distante da
média histórica (105,4 pontos),
além de ser o pior dado desde
maio de 2009 (86,4 pontos).
“O nível de hoje é muito baixo
em termos históricos”, reforçou.
Para o economista, o cenário não deve ter uma alteração
num futuro próximo, já que,
em junho ante maio, o Índice
de Expectativas (IE) também
registrou queda de 5,4%, para
84,4 pontos. “A piora persistente das expectativas mostra
que o empresariado industrial
ainda não vê sinais de melhora
no curto prazo”, diz.
Além disso, Campelo explica que o fato de 12 dos 14 setores apresentarem queda nos
índices de confiança também
corrobora a ideia de que não
há sinais de melhora no curto
prazo, uma vez que o grau de
difusão entre gêneros costuma antecipar as viradas dos
índices de confiança. “Antes de
termos uma virada nos índices
de confiança, costumamos ter
uma diminuição dos setores
em queda. Ou seja, pelos sinais
tradicionais, a visão de que o
ambiente de negócios piorou
ou está piorando se disseminou
ainda mais em junho”, disse.
O economista diz ainda que
as estimativas já apontam que a
produção na indústria de transformação esse ano deve ter uma
queda entre 1,5% e 2%. “O que
os dados estão mostrando é que
a indústria da transformação não
tem sinais de recuperação e que
o caminho, depois de crescer 3%
no ano passado, é de queda”, afirmou. “Acho que a indústria em
geral deve ter uma queda menor,
em torno de 1%”, completou.
GOVERNO DE SERGIPE
SECRETARIA DE ESTADO DA INFRAESTRUTURA E DO
DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO SUSTENTÁVEL - SEINFRA
DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA RODOVIÁRIA DE
SERGIPE - DER-SE
GOVERNO DE SERGIPE
SECRETARIA DE ESTADO DA INFRAESTRUTURA E DO
DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO SUSTENTÁVEL - SEINFRA
DEPARTAMENTO ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA RODOVIÁRIA DE
SERGIPE - DER-SE
AVISO DE LICITAÇÃO – TOMADA DE PREÇOS Nº 29/2014
AVISO DE LICITAÇÃO – TOMADA DE PREÇOS Nº 30/2014
Objeto: Pavimentação asfáltica de diversas ruas da Sede do Município de Salgado,
neste Estado. Valor Estimado: R$ 1.013.227,63 (um milhão, treze mil, duzentos e
vinte e sete reais e sessenta e três centavos). Data do Recebimento das Propostas:
31 de julho de 2014, às 8h30. Tipo: Menor Preço. Prazo de Execução: 120 (cento
e vinte) dias. Regime de Execução: Empreitada por Preço Unitário. Fontes de
Recursos: 0290 e 0120. Classificação Orçamentária: 26.451.0018.0778.4.4.90.00.
Base Legal: Lei Federal nº 8.666/93, Lei Estadual n° 5.848/2006 e demais legislações
pertinentes. Número do Parecer Jurídico: 154/2014. O edital completo estará
disponível para aquisição a partir de 11 de julho de 2014, mediante preenchimento
do Comprovante de Aquisição, solicitado via e-mail ou diretamente entregue na Sala
da Comissão de Licitação, situada na Av. São Paulo, nº 3.005, Bairro José Conrado
de Araújo, Aracaju-SE, Ed. Engº Humberto Ferreira, 3º andar, no horário das 8h
às 12h. Demais informações pelo Tel./Fax: (79) 3253-2734, pelo e-mail: [email protected]
se.gov.br ou pelo site do DER: www.der.se.gov.br.
Objeto: Pavimentação asfáltica de diversas ruas da Sede do Município de Poço
Verde, neste Estado. Valor Estimado: R$ 999.486,09 (novecentos e noventa e nove
mil, quatrocentos e oitenta e seis reais e nove centavos). Data do Recebimento
das Propostas: 31 de julho de 2014, às 10h30. Tipo: Menor Preço. Prazo de
Execução: 120 (cento e vinte) dias. Regime de Execução: Empreitada por Preço
Unitário. Fontes de Recursos: 0290 e 0120. Classificação Orçamentária:
26.451.0018.0778.4.4.90.00. Base Legal: Lei Federal nº 8.666/93, Lei Estadual
n° 5.848/2006 e demais legislações pertinentes. Número do Parecer Jurídico:
155/2014. O edital completo estará disponível para aquisição a partir de 11 de julho
de 2014, mediante preenchimento do Comprovante de Aquisição, solicitado via
e-mail ou diretamente entregue na Sala da Comissão de Licitação, situada na Av. São
Paulo, nº 3.005, Bairro José Conrado de Araújo, Aracaju-SE, Ed. Engº Humberto
Ferreira, 3º andar, no horário das 8h às 12h. Demais informações pelo Tel./Fax: (79)
3253-2734, pelo e-mail: [email protected] ou pelo site do DER: www.der.se.gov.br.
Aracaju-SE, 03 de julho de 2014
Aracaju-SE, 03 de julho de 2014
Francisco Nascimento Filho
Presidente da Comissão Permanente de Licitação
Francisco Nascimento Filho
Presidente da Comissão Permanente de Licitação
Aracaju, domingo 6 e segunda-feira 7 de julho de 2014
O negócio é o seguinte
Mercado
Jornal da Cidade
Sebrae/Divulgação
6
[email protected]
Banese tem novo
mecanismo de
segurança na internet
O
Banese adotou mais um mecanismo de segurança para
movimentações financeiras através do seu Internet
Banking. A partir de agora, todos os clientes que quiserem
realizar transações financeiras através da internet deverão
cadastrar seus computadores. Devem habilitar o serviço
de envio de SMS através do próprio Internet Banking. A
habilitação é obrigatória, pois será através de SMS que o
cliente receberá o código para liberação do computador
a ser cadastrado. Os não cadastrados poderão somente
realizar consultas, como saldos e extratos. O cadastramento é o resultado da 3ª etapa do projeto de Segurança
do Internet Banking. Com essa nova funcionalidade, o
banco espera oferecer mais produtos e serviços através
da internet, reduzindo filas e aumentando negócios, com
muito mais segurança.
TIM É CONDENADA POR PROPAGANDA ENGANOSA EM
SERGIPE - A empresa de telefonia móvel TIM foi condenada
por realizar propaganda enganosa em Sergipe. Ela foi considerada culpada pela Justiça Federal por iniciar a venda
da internet móvel banda larga no Estado quando ainda não
existia tecnologia de rede para disponibilizar a velocidade
de acesso prometida. Foi condenada ao pagamento de
indenização de R$ 15 milhões por danos morais coletivos
causados aos sergipanos e, ao final do processo, deverá restituir aos consumidores que tenham contratado o TIM Web
até março de 2009 os valores pagos pelo modem de acesso
à internet. A empresa já tinha sido multada administrativamente em mais de R$ 175 mil pela Anatel por conta dessas
irregularidades. A ação foi iniciada no Ministério Público
Federal. A TIM apresentou recurso ao Tribunal Regional
Federal da 5ª Região.
RESTAURANTE PADRE PEDRO TERÁ 30% DA AGRICULTURA FAMILIAR - A Secretaria de Inclusão, Assistência e
Desenvolvimento Social vai incluir uma cláusula no contrato de fornecimento de alimentos para o Restaurante Popular Padre Pedro, permitindo que 30% da compra dos produtos servidos no almoço e no jantar por parte da empresa
que abastece o Padre Pedro sejam oriundos da agricultura
familiar. A medida entrará em vigor em breve. “Com isso,
levaremos desenvolvimento para o setor rural, estimulando
e desenvolvendo as cooperativas dos pequenos agricultores e levando alimentação de qualidade à população que
utiliza o restaurante Padre Pedro. Hoje, a empresa compra
os produtos de grandes fornecedores. Em breve, com a
cláusula contratual, ela deverá comprar, no mínimo, 30%
dos alimentos do pequeno agricultor”, explica a secretária
de Estado da Inclusão Social Eliane Aquino. Todos os dias,
quase 2 mil refeições são servidas no Restaurante Popular
Padre Pedro, ao preço de R$ 1,00.
SINDIPAN PROMOVE FESTA DO PANIFICADOR - Em alusão ao dia do panificador, festejado anualmente no dia 8
de julho, dia de Santa Isabel, considerada a padroeira dos
panificadores, o Sindicato das Indústrias de Panificação e
Confeitaria do Estado de Sergipe (SINDIPAN/SE), realiza
neste domingo, às 9 horas, no complexo desportivo do
SESI, a tradicional festa do Dia Nacional do Panificador.
“Vamos reunir panificadores de todo o estado, inclusive
do interior sergipano. O nosso objetivo é integrar cada vez
mais os panificadores ao Sindicato”, informou o presidente
do SINDIPAN, Antônio Carlos Araújo. Em Sergipe, há cerca
de 1.000 panificadoras, mas apenas 20% são sindicalizadas.
NEYMAR É “APENAS”
O 16º ATLETA MAIS
BEM PAGO DO MUNDO - Floyd Mayweather
precisou de apenas duas
lutas e 72 minutos nos ringues nos últimos 12 meses
para ser o atleta mais bem
pago do mundo, segundo a revista Forbes. Pelos
combates contra Canelo
Alvarez e Marcos Maidana, o boxeador americano
embolsou US$ 105 milhões (R$ 235,5 milhões).
Em 16º lugar, Neymar é
o único brasileiro na lista
dos 100 atletas mais bem
pagos, com US$ 33,6 milhões (R$ 75 milhões). Em
segundo lugar, Cristiano
Ronaldo embolsou US$ 80
milhões (R$ 178 milhões),
somando o salário de US$
52 milhões (R$ 116 milhões) pago pelo Real Madrid e os
US$ 28 milhões (R$ 62,5 milhões) dos 11 patrocinadores.
LeBron James, do basquete americano, completa o “pódio da
grana” com US$ 72,3 milhões (R$ 161,5 milhões). Quanto a
Neymar, as rendas do camisa 10 da seleção brasileira aumentaram após a transferência do Santos para o Barcelona. Os
salários respondem a US$ 17,6 milhões (R$ 39,2 milhões) e
os patrocínios, US$ 16 milhões (R$ 35,7 milhões).
ATÉ 2015, SERGIPE TERÁ UMA ESCOLA PROFISSIONALIZANTE POR TERRITÓRIO - Carmópolis será a próxima cidade a receber uma unidade profissionalizante. O Centro de
Educação Profissional Governador Marcelo Déda está pronto e soma um investimento de R$ 4.926.642,09. A unidade
ofertará o curso técnico em Petróleo e Gás. Outros cinco
municípios sergipanos já contam com seis unidades de escolas profissionalizantes: Neópolis (CEEP Agonalto Pacheco),
Aracaju (CEEP José Figueiredo Barreto e Conservatório de
Música), Poço Redondo (CEEP Dom José Brandão de Castro), Boquim (CEEP Maria Fontes de Faria - Dona Marieta)
e Japoatã (Escola Família Agrícola de Ladeirinhas). Aracaju
ainda conta com a escola compartilhada Colégio Estadual
Atheneu Sergipense, que oferece cursos técnicos de Informática na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA).
SEBRAE E UFS ASSINAM CONVÊNIO PARA CAPACITAÇÃO DE
COLABORADORES - O Sebrae e a Universidade Federal de Sergipe
assinaram na terça-feira um convênio que prevê a oferta de vagas
nos mestrados profissionais da instituição de ensino superior para os
colaboradores da entidade de apoio aos pequenos negócios. Inicialmente a parceria garantirá a disponibilização de vagas no curso de
Desenvolvimento Regional e Gestão de Empreendimentos Locais.
“A parceria irá garantir uma oportunidade de capacitação para os
nossos técnicos, permitindo que possamos melhorar ainda mais o
atendimento oferecido aos micro e pequenos empresários sergipanos”, destacou o superintendente do Sebrae, Lauro Vasconcelos.
“Estamos buscando tornar mais próxima a relação entre a universidade e o setor produtivo. Queremos que o conhecimento produzido em nossa instituição seja utilizado cada vez mais no ambiente
empresarial e não há ninguém melhor que o Sebrae para fazer essa
interlocução com o mercado”, disse o reitor Angelo Antoniolli.
IPC ACUMULADO DESDE O PLANO REAL É DE 296%, DIZ FIPE
- A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas divulgou na quarta-feira, 2, estudo especial sobre o comportamento da inflação em razão
do aniversário de 20 anos do Plano Real. De acordo com a Fipe, entre
julho de 1994 e junho de 2014, o IPC acumulou alta de 296,16%.”Se
algo custasse R$ 100 em julho de 1994, reajustado pelo IPC hoje custaria R$ 396,16”, disse o coordenador do IPC, André Chagas. Segundo ele, a inflação do período, quando comparada àquela acumulada
nos 20 anos anteriores ao Plano Real, que atinge a impressionante
porcentagem de 40,5 trilhões, parece pouco, mas não é. “É muito,
sobretudo quando comparamos com nossos principais parceiros
comerciais”, disse, citando os Estados Unidos, cuja inflação ao consumidor, nos últimos 20 anos, foi de 48,59% em média. Em termos ponderados, nos últimos 20 anos o que mais pesou no bolso do brasileiro
foram os gastos com habitação: 95,71 pontos porcentuais.
GOOGLE ANUNCIA FIM DO ORKUT - O Google anunciou na
segunda-feira, 30, o fim do Orkut, sua “primeira incursão nas
redes sociais”, para se concentrar nos serviços YouTube, Blogger
e Google Plus, que se mostraram mais populares. O gigante americano da tecnologia vai acabar no fim de setembro com o Orkut,
uma rede com dez anos de existência. A rede social se tornou especialmente popular no Brasil até cerca de dois anos atrás, quando
o poderoso Facebook ofuscou a rede do Google.

Similar documents

Peixe fresco na banca

Peixe fresco na banca elevado número de pessoas mortas – na verdade, assassinadas – em apenas três dias, no Estado de Sergipe, é algo impressionante. O líder da Oposição na Assembleia, deputado Venâncio Fonseca, em pron...

More information

morar bem - Jornal da Cidade

morar bem - Jornal da Cidade panfletos e diversas estratégias preparadas pelos setores de marketing e comercial ao longo de dois meses. O Festival Felizola acontece no mall principal do shopping até o dia 7 de junho e funciona...

More information

São Cristóvão - Jornal da Cidade

São Cristóvão - Jornal da Cidade Empresa Gráfica Jornal da Cidade Ltda Av. Antônio Cabral, 1069 - B. Industrial - Aracaju-SE - CEP: 49.065.090 Telefone: (79) 3226.4800 - Fax/Red.: 3215.4687 - Com.: 3215.5009

More information