ações humanitárias

Comments

Transcription

ações humanitárias
FAZER O QUE
DEVE SER FEITO.
ESSE É O NOSSO COMPROMISSO.
Estamos vivendo dias difíceis, de muito trabalho e desafios e, para que as
pessoas entendam melhor todas as ações que estamos realizando após o
acidente, preparamos um dossiê objetivo e completo, com as informações
oficiais sobre as medidas tomadas desde o primeiro momento.
QUEM SOMOS
• Empresa brasileira de mineração, de capital fechado, controlada pela BHP Billiton
Brasil Ltda e Vale S.A.
• Fundada em 1977.
• Principal produto: pelotas de minério de ferro, de alto valor agregado, e
comercializado para a indústria siderúrgica mundial.
• Em 2014, ocupou a posição de 10ª maior exportadora do país, de acordo com o
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDCI).
• As duas unidades industriais localizadas em Mariana (MG) e em Ponta Ubu (ES) são
interligadas por três minerodutos, com quase 400 quilômetros de extensão cada,
que transportam a polpa de minério de ferro.
• Toda a produção é escoada em terminal marítimo próprio, em Ubu (ES).
• Escritórios de vendas no Brasil, em Belo Horizonte (MG) e Vitória (ES), e também
dois internacionais, em Amsterdam (Holanda) e Hong Kong (China).
11 Janeiro 2016
02
QUEM SOMOS
MEIO AMBIENTE
Desde o início de suas operações, ainda na década de 1970, a Samarco trabalha de
modo a reduzir o impacto das suas operações e a fazer o melhor aproveitamento dos
recursos naturais. Ao longo dos anos, a visão ambiental da empresa evoluiu e agregou
práticas e aprendizados que ultrapassavam as exigências legais.
O trabalho de controle ambiental perpassa todo o processo produtivo e de planejamento.
A empresa tem investido na eficiência no uso de recursos naturais e minerais, na
conformidade legal e no controle de impactos em temas como subprodutos, água e
emissões de gases de efeito estufa e material particulado.
Como resultados, temos:
Uso sustentável da água*
• Aproximadamente 90% de reaproveitamento da água no processo produtivo
• 14,5% do consumo industrial de energia na Samarco é assegurado pelas usinas
hidrelétricas (Muniz Freire e Guilman-Amorim)
• 185 milhões de metros cúbicos de água foram reutilizados pela Empresa entre 2011
e 2014
Redução de emissões nas operações*
• 91,5 kg CO2e/t é a taxa de intensidade de emissões de gases de efeito estufa da
Samarco, considerando a relação entre o volume de emissões e a produção de pelotas
e finos
Eficiência energética*
• 7,6% de redução no consumo de energia em relação ao estimado para 2014
Estudos tecnológicos*
A Samarco trabalha com um portfólio de cerca de 50 estudos tecnológicos, agrupados
em seis eixos temáticos: Recursos Minerais; Rejeitos e Estéreis Minerais; Recursos
Hídricos; Energias Renováveis e/ou Alternativas; Eficiência Energética; e Emissões
Atmosféricas.
*Dados de 2014
11 Janeiro 2016
03
ECONOMIA BRASIL
A receita da Samarco equivale a cerca de 6,4% do PIB do Espírito Santo e 1,5% do PIB
de MG
% Equivalência Receita Samarco ao PIB MG
1,6%
% Equivalência Receita Samarco ao PIB ES
6,4%
A empresa pagou R$ 1,5 bilhão em imposto em 2014. Isto equivale a quase 20% do que
o governo federal espera arrecadar anualmente com a nova CPMF.
Expectativa de Arrecadação CPMF em 4 anos
32.000.000
Impostos Diretos Samarco 2014 (1 ano)
1.500.000
% Equivalência Impostos Samarco/CPMF
19%
Valores em R$ Mil
Em algumas localidades, os impostos gerados diretamente pelas atividades da Samarco
são vitais para o municípios.
Impostos Mariana/MG
20.552 (54% da receita)
Impostos Ouro Preto/MG
19.335 (35% da receita)
Impostos Anchieta/ES
29.437 (50% da receita)
Valores em R$ Mil
11 Janeiro 2016
04
ECONOMIA BRASIL
Exportações empresa representaram 1% do total exportado pelo Brasil em 2015.
Sem as exportações da mineradora, o déficit da balança comercial brasileira triplicaria
em 2015.
Exportações Brasileiras em 2015
191.134.324
Receita Samarco em 2015
1.921.460
% Samarco nas Exportações
1%
% equivalência Samarco no saldo
da balança comercial
10%
Valores em R$ Mil
Fontes: MDIC, IBGE (2013), SEFAZ-MG, SEFAZ-ES (IPVA+ICMS+ITCD), Agência Brasil e
Samarco
11 Janeiro 2016
05
O ACIDENTE
Data: 5 de novembro de 2015
Acidente na barragem
A barragem de Fundão se rompeu e seus rejeitos chegaram à barragem de Santarém
– onde estava armazenada água – e provocaram uma erosão parcial na sua estrutura
lateral direita. O impacto também provocou danos no dique de Selinha, uma das
paredes laterais da barragem de Germano.
Causas
As investigações das causas do acidente são realizadas por autoridades competentes,
como a Polícia Civil, e a Samarco está fornecendo todas as informações necessárias
para que o processo aconteça de forma ágil.
Paralelamente, a empresa conta com o apoio de empresas internacionais, que trabalham
nas investigações e buscam levantar o maior número possível de dados. O objetivo
é que as informações a serem levantadas – que vão envolver as áreas de geotecnia,
geologia, sismologia e mecânica dos solos – expliquem as causas do acidente e também
forneçam subsídios para o aprimoramento dos processos de produção e segurança.
Não há uma data preestabelecida para o fim das investigações, mas em função da
complexidade do acidente, a expectativa é que laudos conclusivos sejam possíveis
dentro de seis meses a um ano.
11 Janeiro 2016
06
PLANO DE EMERGÊNCIA
Ação emergencial
Logo após o acidente, juntamente com Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar
e outras autoridades, a Samarco executou todas as ações previstas em seu Plano de
Ação Emergencial de Barragens – validado pelos órgãos competentes.
Orientações
De modo preventivo, a empresa adotou medidas adicionais de segurança que
reforçam procedimentos e orientações aos moradores de comunidades da região de
Mariana. Equipes da Samarco estão fornecendo informações sobre o procedimento de
emergência, que contempla o alcance das sirenes fixas e a localização dos pontos de
encontro. O procedimento de emergência adicional conta ainda com monitoramento
online 24 horas por meio de câmeras, telões, drones e radares, inspeções de campo e
acompanhamento visual das barragens de Santarém e Germano.
11 Janeiro 2016
07
BARRAGENS
Composição
O sistema de barragens da Samarco é composto pelas barragens de Germano, Fundão
e Santarém.
Vista aérea
da região das
barragens antes
do acidente
Licenciamento
Todas as barragens da Samarco possuem Licenças de Operação concedidas pela
Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram).
A última inspeção – realizada por uma empresa de consultoria em geotecnia contratada
pela Samarco – ocorreu em julho de 2015 e, em setembro, foi realizada a entrega dos
laudos para os órgãos competentes, mostrando que as barragens se encontravam
em condição segura para operação. A empresa também realiza inspeções próprias,
conforme Lei Federal de Segurança de Barragens, e conta com equipe de operação em
turno de 24 horas para manutenção e monitoramento.
11 Janeiro 2016
08
BARRAGENS
Obras
A norma NBR 13028 prevê que, em uma condição normal de operação, o fator de
segurança deve ser igual ou superior a 1,5, ou seja, 50% acima do equilíbrio limite. Para
atingir esse índice e reduzir os riscos decorrentes do acidente, a Samarco realiza obras
emergenciais de contenção e reforço. O coeficiente de segurança do dique principal da
barragem de Germano é de 1,97, ou 97% acima do equilíbrio limite.
Dique de Selinha atinge fator de segurança 1,51
O fator de segurança do dique de Selinha – uma das estruturas auxiliares da barragem
de Germano – subiu de 1,22 para 1,51. Isso significa que o índice está 51% acima do
equilíbrio limite, que é de 1,00, e compatível com a norma NBR 13028, que prevê, em
condição normal de operação, um coeficiente igual ou superior a 1,5, ou 50% acima do
equilíbrio limite. Este número é uma avaliação da Samarco, que será confirmado nos
próximos dias por meio de avaliação de uma consultoria externa.
O aumento do indicador é resultado da obra de reforço do dique de Selinha, concluída
em 28 de dezembro, e cujo prazo de entrega era 15 de janeiro. O coeficiente de segurança
do dique principal da barragem de Germano é de 1,97, ou 97% acima do equilíbrio limite.
11 Janeiro 2016
09
BARRAGENS
Santarém
A empresa segue trabalhando no reforço da barragem de Santarém, cujo fator de
segurança é de 1,37, ou 37% acima do ponto mínimo de equilíbrio. A obra segue o
cronograma planejado e tem conclusão prevista para a segunda quinzena de fevereiro.
As intervenções são para recomposição do extravasor, adequação da crista e construção
da berma de reforço. O objetivo é evitar o progresso da erosão.
No vertedouro, estrutura que permite a saída da água do reservatório, engenheiros
estão estudando se será feito o reparo ou a sua substituição.
As estruturas das barragens estão sendo monitoradas em tempo real, por meio de
radares, câmeras, telões, drones e inspeções diárias.
NORMA NBR 13028
Fator de segurança
do dique de Selinha
51% acima do
equilíbrio mínimo.
1,51
1,97
1,5
1,37
Fator de segurança previsto na
norma em condição normal de
operação
Fator de segurança da barragem
de Santarém
37% acima do ponto mínimo
de equilíbrio.
1
Ponto mínimo de equilíbrio.
0
11 Janeiro 2016
10
INTERVENÇÕES
NAS BARRAGENS
Obras na barragem
na Unidade de
Germano, da Samarco
11 Janeiro 2016
11
INTERVENÇÕES
NAS BARRAGENS
Prazos
Santarém – 90 dias
Germano (dique de Selinha) – concluído
Outras intervenções
A barragem de Fundão armazenava, até o dia do acidente, um volume de 55 milhões
de metros cúbicos de rejeitos em sua estrutura. Imagens de satélite mostraram que o
rompimento da barragem liberou um volume de 32,4 milhões de metros cúbicos de
rejeitos. Desse montante, 85% ficaram retidos na extensão de 85 km, entre a barragem
de Santarém, dentro da área da Samarco, até a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves
(Candonga), localizada entre as cidades de Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado, em
Minas Gerais. O restante, 4,5 milhões de metros cúbicos, seguiu até o Rio Doce.
Para evitar que mais material seja carreado até o Rio Doce, a Samarco vem intensificando
uma série ações emergenciais, como a construção de diques para contenção de
rejeitos, dragagem da barragem de Santarém e revegetação de pontos críticos ao
longo das margens dos rios Gualaxo e Doce. A revegetação tem como objetivo evitar
o assoreamento do rio. Também está sendo realizada a dragagem do reservatório da
Hidrelétrica Risoleta Neves e a reabertura e enrocamento dos canais dos córregos
tributários do rio Galaxo. A ação permite que a água desses córregos chegue limpa até
o rio, melhorando a qualidade da água que chega até o Rio Doce.
Outra ação em andamento é o mapeamento da vida no rio com um sonar. O diagnóstico
é realizado por uma consultoria especializada e confirmou a presença de cardumes ao
longo do Doce. A primeira etapa do estudo foi feita em 215 pontos do cursos d´água,
entre a Hidrelétrica Risoleta Neves e a foz do rio e em cursos não afetados pela pluma
de turbidez.
11 Janeiro 2016
12
INTERVENÇÕES
NAS BARRAGENS
Monitoramento
A sala de monitoramento instalada dentro da Unidade de Germano, em Mariana,
recebeu novos equipamentos para intensificar o controle das estruturas e diques das
barragens. Os novos equipamentos fazem parte de um plano de ação que, mesmo antes
do acidente, já seguia todas as medidas exigidas pela legislação.
Com o auxílio de câmeras, telões, drones, radares e inspeções de campo, uma equipe
composta por mais de 40 pessoas acompanha, durante 24 horas, a situação das barragens
de Santarém e Germano. Além disso, foi instalado um posto de monitoramento visual,
que também opera 24 horas.
Sala de monitoramento
na Unidade de Germano
11 Janeiro 2016
13
COMUNIDADES
IMPACTADAS
11 Janeiro 2016
14
AÇÕES HUMANITÁRIAS
EM AÇÃO DESDE O PRIMEIRO MOMENTO
ALGUNS NÚMEROS DA ASSISTÊNCIA PRESTADA PELA SAMARCO DESDE O ACIDENTE NAS
BARRAGENS, EM 5/11, INCLUINDO O ATENDIMENTO INTEGRAL ÀS FAMÍLIAS AFETADAS, COM
FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, ITENS DE HIGIENE PESSOAL, ASSISTÊNCIA MÉDICA E
PSICOSSOCIAL.
Água potável
disponibilizada
421 milhões
de litros
Famílias com
atendimento
psicossocial
996
Análises de água
realizadas:
13.195 no Rio Doce,
8.137 no mar
Água mineral
disponibilizada
43,5 milhões
de litros
Animais resgatados
e assistidos
4.687
100%
das comunidades
com acesso
restabelecido
Famílias
morando
em casas
360 (98% do total)
Cartões de
auxílio financeiro
para famílias e
ribeirinhos.
1.703 cartões
Agentes
de saúde
contratados
85
Pontes em
construção
7 pontes,
sendo
3 concluídas
Infraestrutura e suporte
para resgaste de peixes
no rio: 150 mil peixes
resgatados
*Números atualizados em 04/01. Acompanhe a atualização diária em www.samarco.com
Acomodação das famílias
Em esforço para melhor acomodar os moradores impactados pelo acidente, a Samarco
chegou a 12 de janeiro de 2016 com 98% das famílias instaladas em casas alugadas ou
de familiares, em Mariana e Barra Longa.
Três famílias de Mariana, por opção própria, seguem acomodadas em hotéis. A ação foi
reconhecida pelo Ministério Público.
A transferência para as novas moradias alugadas segue os critérios e a metodologia
de priorização definidos pela Comissão de Representantes das Comunidades Afetadas.
Famílias com idosos acima de 65 anos, com crianças, gestantes e recém-nascidos,
pessoas com necessidades especiais ou dependentes de cuidados médicos têm
prioridade na entrega das casas.
As novas casas são equipadas com móveis, eletrodomésticos, utensílios e enxoval. Antes
da mudança, a empresa também faz uma compra de itens, como alimentos, hortifrúti,
produtos de limpeza, de higiene pessoal e água potável para a família.
11 Janeiro 2016
15
AÇÕES HUMANITÁRIAS
CONHEÇA AS ETAPAS DE ENTREGA DAS CASAS PARA AS FAMÍLIAS.
Reunião com comunidade
Duas vezes por semana, a Samarco promove reuniões com representantes das
comunidades impactadas, Ministério Público de Minas Gerais e outros órgãos
competentes para discutir sobre os trabalhos de assistência humanitária e medidas de
caráter emergencial. Os critérios e a metodologia de priorização de transferência dos
moradores são alguns dos resultados dessas reuniões.
Escuta social com o núcleo familiar
Nessa etapa, os profissionais da Samarco vão até os locais onde as famílias estão
alocadas para entender a realidade e as necessidades específicas de cada uma delas,
de forma que o imóvel disponibilizado se enquadre em suas expectativas. Entre os itens
avaliados estão número de quartos, tamanho dos cômodos, garagem, região, tipo de
residência e proximidade dos familiares.
Compra do kit mobiliário
Desde o início do processo, uma equipe da Samarco fica encarregada de efetuar a
compra do kit mobiliário para as novas residências, privilegiando os fornecedores da
região. Todas as famílias recebem móveis, eletrodomésticos, utensílios e enxoval.
11 Janeiro 2016
16
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Avaliação de imóveis disponíveis
Paralelamente à escuta social, outro grupo de profissionais da empresa percorre a região
de Mariana (MG) em busca de imóveis para locação. Eles avaliam o estado das casas,
considerando a infraestrutura, aspectos de segurança, documentação e fornecimento
de água e luz. Cerca de 700 imóveis foram mapeados e vistoriados.
Cruzamento das necessidades
Após os profissionais da Samarco entenderem as necessidades de cada núcleo familiar,
é feito o cruzamento de dados com o mapeamento e avaliação dos imóveis disponíveis
para locação. Nessa etapa, as necessidades das famílias são integradas às características
dos imóveis mapeados.
Limpeza e validação de infraestrutura
Profissionais da Samarco vão até o imóvel para fazer a limpeza e certificar o
funcionamento elétrico e hidráulico do local, para que a família não tenha transtornos
futuros.
Apresentação de opções
Após a limpeza e validação da infraestrutura, as famílias são apresentadas às opções de
imóveis que satisfazem as suas necessidades. A empresa busca as pessoas no local em
que estão acomodadas, com acompanhamento de um assistente social da Prefeitura
de Mariana, e leva o grupo a todos os imóveis selecionados. Caso as expectativas dos
moradores não sejam atendidas nessa primeira visita, novas tentativas são realizadas.
Escolha das casas
Após as visitas, as famílias escolhem o imóvel que mais gostaram e assinam o termo
de acordo de escolha com a Samarco.
Montagem e organização
Assim que o kit mobiliário chega, é feita a montagem dos móveis e a organização dos
utensílios e enxoval para recepcionar os novos moradores.
Entrega de alimentos
A Samarco, em parceria com a Prefeitura de Mariana, abastece a residência com
produtos de cesta básica, hortifrúti, materiais de limpeza e itens de higiene pessoal,
provenientes das doações, aos impactados.
11 Janeiro 2016
17
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Mudança da família
No dia da mudança, a equipe da Samarco busca a família no local em que ela está
acomodada e a leva até a nova residência.
Retirada de donativos
Após a mudança, a empresa oferece transporte para que a família possa ir ao Centro de
Convenções de Mariana buscar donativos.
Cozinha de uma
das casas alugadas
pela Samarco
Auxílio às famílias
A Samarco iniciou, em novembro, a entrega dos cartões de auxílio financeiro para
as famílias impactadas pelo acidente com as barragens. Até o dia 11 de janeiro, 429
cartões para a comunidade e 1.274 para ribeirinhos haviam sido distribuídos. A entrega
continua sendo feita à medida que os cadastros vão sendo validados, até que todos os
núcleos familiares elegíveis sejam atendidos.
O objetivo da ação é oferecer uma alternativa para pagamentos de despesas pessoais,
familiares e residenciais às pessoas que perderam sua fonte de renda temporariamente.
As famílias atingidas diretamente pelo acidente com a barragem foram cadastradas
pela Samarco e Defesa Civil em Mariana e Barra Longa. São contemplados os núcleos
11 Janeiro 2016
18
AÇÕES HUMANITÁRIAS
familiares acolhidos em casas de parentes ou aqueles acomodados na rede hoteleira
ou em moradias temporárias, incluindo os dependentes de qualquer idade que residam
na mesma moradia e dependam da fonte de renda do núcleo. Ou seja, parentes como
cunhado, tia, avó, irmão e filhos terão direito ao percentual como dependentes do
auxílio financeiro.
Também são contempladas famílias ribeirinhas de Minas Gerais e do Espírito Santo que
tiveram comprometidas suas rendas oriundas de atividades ligadas ao Rio Doce – pesca
e extração de areia e pedra, a partir de um acordo da Samarco com o Ministério Público
do Trabalho dos dois estados, que resultou no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).
Até o dia 11 de janeiro, foram distribuídos 1.274 cartões de auxílio financeiro aos
ribeirinhos e pescadores. Moradores de municípios mineiros e capixabas já utilizam o
subsídio. A conclusão do cadastramento está prevista para fevereiro de 2016.
Equipes da empresa Golder Associates estão visitando famílias que vivem nas
proximidades do rio para levantar os impactos sofridos. Aquelas que têm constatada a
perda do meio de subsistência são elegíveis a receber o auxílio de um salário mínimo por
trabalhador, mais um adicional de 20% do salário para cada um de seus dependentes
e o valor de uma cesta básica (referência DIEESE).
A ação está prevista no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado junto aos
Ministérios Públicos do Trabalho, Federal e Estaduais de Minas Gerais e Espírito Santo.
O TAC é um aditivo ao Termo de Compromisso Socioambiental Preliminar assinado
anteriormente pela Samarco. O documento subsidia as ações com pescadores e
ribeirinhos que estão impedidos de exercer suas atividades no rio, em 37 municípios ao
longo do rio Doce.
Além das obrigações do TAC, a Samarco elaborou um Plano de Atenção Social aos
Pescadores e Ribeirinhos. Nele estão previstas ações de fortalecimento das associações
e colônias de pescadores, que contarão com apoio em temas como a gestão da
informação e qualificação gerencial.
A verba é disponibilizada em um cartão de débito aceito para compras em diversos
estabelecimentos comerciais e que permite realizar saques e transferências em
terminais de autoatendimento da rede Banco 24 horas.
11 Janeiro 2016
19
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Cartões
de auxílio
financeiro
Atendimentos psicossociais
Desde o dia 5 de novembro, famílias das comunidades de Mariana, Barra Longa e distritos
próximos estão recebendo apoio psicossocial de psicólogos e assistentes sociais.
Os profissionais estão visitando casas, pousadas e hotéis da região para atendimentos
individuais, familiares ou em grupo, com o objetivo de oferecer apoio e acolhimento às
famílias atingidas. Nos casos em que é identificada a necessidade de acompanhamento
contínuo, o morador é encaminhado para especialistas em saúde mental da Prefeitura
de Mariana.
11 Janeiro 2016
20
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Educação
Para que as crianças e adolescentes pudessem finalizar o ano letivo de 2015, a Samarco
se mobilizou para oferecer uma nova infraestrutura aos estudantes das comunidades
impactadas. No dia 16 de novembro, 11 dias após o acidente, os jovens começaram a
retornar às aulas. Mais de 600 alunos – de Barra Longa, Claudio Manoel, Campinas,
Pedras, Borba, Gesteira, Bonito, Bento Rodrigues e Paracatu – voltaram às atividades
escolares. Os estudantes receberam kits com mochila, lápis, lápis de cor, canetas, tintas,
massinhas e outros acessórios escolares.
Em dezembro, cerca de 60 estudantes de Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo e Barra
Longa (MG) , impactados pelo acidente com a barragem, celebraram o encerramento
das aulas. As formaturas foram apoiadas pela Samarco. Em Mariana, a empresa
preparou dois eventos, com a presença dos estudantes e suas famílias. Eles aconteceram
na Casa do Lago e contaram com missa, coquetel e baile de formatura, conforme
planejamento de cada instituição. Na comemoração dos alunos de Paracatu de Baixo,
houve a participação especial do coral da comunidade, que recebeu novos instrumentos
musicais providenciados pela Samarco.
Em Barra Longa, os 30 estudantes que concluíram o Ensino Médio participaram da
formatura no salão social da Escola Estadual Padre José Epifânio Gonçalves, reformado
pela empresa após o acidente. A Samarco também forneceu a decoração para o evento.
Crianças
concluíram o
ano letivo de 2015
11 Janeiro 2016
21
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Postos de Atendimento
Em Colatina, Linhares, Marilândia e Baixo Guandu, no Espírito Santo, e em
Mariana, Barra Longa e Galileia, Minas Gerais, a população está sendo atendida
por profissionais contratados pela Samarco em endereços indicados pelo poder
público. O objetivo dos postos é centralizar as demandas, dúvidas e reivindicações
da comunidade, facilitando o atendimento e o acompanhamento de soluções.
A empresa também está à disposição dos moradores dessas e outras localidades
por meio dos canais: [email protected], [email protected],
Central de Relacionamento (0800 031 2303) e Ouvidoria (0800 721 0717).
Agentes de saúde
Agentes de saúde estão percorrendo as residências de Governador Valadares para
realizar, junto à comunidade, um trabalho preventivo de controle de endemias,
principalmente dengue, leptospirose e leishmaniose, além da presença de escorpiões.
A contratação atende a um pedido do Departamento de Vigilância em Saúde, órgão
ligado à Prefeitura de Governador Valadares, em função dos moradores terem estocado
água nas residências no período em que houve interrupção da captação no Rio Doce.
Todos os profissionais foram selecionados e treinados pelo próprio departamento. Eles
são moradores de Governador Valadares e região.
Apoio às famílias dos desaparecidos
As famílias de pessoas desaparecidas estão recebendo acompanhamento psicossocial
de profissionais especializados em situações de risco. Assim como toda a comunidade
das áreas atingidas, eles também contam com outros auxílios, como acomodação em
pousadas, encaminhamento para residências alugadas, kit mobiliário, alimentação e
auxílio financeiro mensal.
Para aqueles que perderam um familiar em razão do ocorrido, a empresa arca com
todos os custos de documentação e sepultamento. No caso de empregados terceirizados,
a empresa faz a acomodação das pessoas que não pertencem à região e realiza o
complemento financeiro ao seguro de vida para cobrir o custo das despesas funerárias.
11 Janeiro 2016
22
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Trabalho e renda
Mais de 800 pessoas impactadas em Mariana (MG) e Barra Longa (MG) tiveram o perfil
profissional levantado pela equipe de Ocupação, Trabalho e Renda, uma das frentes de
atuação da Samarco.
O objetivo deste trabalho é buscar a reintegração dessas pessoas às suas funções
anteriores, restabelecendo suas condições de trabalho ou mesmo abrindo novas
frentes. Entre a população dos subdistritos de Mariana, com idade superior a 14
anos, foram realizadas 734 escutas sociais. Em Barra Longa, 38 comerciantes foram
ouvidos. Em municípios ao longo do Rio Doce foram mapeadas e visitadas donos de 170
propriedades que tiveram suas condições de sustentabilidade afetadas. Para realizar
essa atividade, estão mobilizados 70 profissionais, incluindo empregados da Samarco,
zootecnistas, técnicos agrícolas e engenheiros agrônomos, além da disponinibilização
de todo o maquinário necessário.
Todas as informações coletadas durante as entrevistas são inseridas em um banco
de dados, de acordo com sete linhas de atuação: pessoas que perderam totalmente
seu agronegócio, pessoas que perderam parcialmente seu agronegócio, residentes
na propriedade em que o agronegócio foi afetado, pessoas que perderam seu ponto
comercial, pessoas que perderam seu meio de prestação de serviço, pessoas que
perderam o emprego, ocupações e oportunidade de qualificação. O trabalho continua
ao longo de 2016, mas vários casos já tiveram atendimento até o fim de 2015.
Paralelamente a esse trabalho, 20 pontos comerciais de Barra Longa retornaram à
suas atividades após limpeza e reforma e estão disponíveis para que os proprietários
retomem suas atividades.
11 Janeiro 2016
23
AÇÕES HUMANITÁRIAS
Oportunidades em vista
Em alinhamento com as ações da frente de Ocupação, Trabalho e Renda, mais de 150
moradores de Mariana, Barra Longa e distritos foram encaminhados, em dezembro,
para novas oportunidades no mercado de trabalho. As contratações foram feitas
por empresas parceiras, que estão atuando em diferentes frentes, como reforma de
imóveis, cercamento e recuperação de propriedades rurais, revegetação, organização
de donativos e cuidado com animais resgatados.
Além disso, cerca de 30 jovens das comunidades de Bento Rodrigues e Paracatu (MG) se
inscreveram no processo seletivo do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) para cursos
técnicos e Ensino Médio Integrado nas áreas de Automação Industrial, Administração,
Metalurgia e Edificações. Em novembro, eles participaram de uma palestra sobre
formação profissional oferecida por profissionais do IFMG, com o apoio da Samarco,
Prefeitura de Mariana e Grupo Coaching Condor Blanco.
Jovens participaram de
palestras sobre o processo
seletivo de cursos do IFMG
11 Janeiro 2016
24
AÇÕES HUMANITÁRIAS
BARRA LONGA
Limpeza de imóveis
As equipes da Samarco já realizaram limpeza pesada em 90 imóveis afetados e a
limpeza fina de 79 deles. Além disso, 40 quintais foram limpos, oito imóveis estão em
reforma e seis pontos comerciais já foram liberados para retomar as atividades.
Trabalhos de recuperação
avançam em Barra Longa
Candonga
Cinco frentes de trabalho atuam na limpeza da área externa do Reservatório de Candonga,
responsável por alimentar a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, nos municípios de Santa
Cruz do Escalvado e Rio Doce, a aproximadamente 100 km de Mariana.
Os trabalhos são realizados com empresas contratadas pela Samarco e sob
acompanhamento do consórcio Aliança Energia, que opera a hidrelétrica, com o
objetivo de restabelecer as condições normais de operação.
11 Janeiro 2016
25
INFRAESTRUTURA
Reconstrução de pontes
A Samarco entregou, no dia 5 de janeiro, a ponte do Onça, localizada na cidade de Barra
Longa (MG). A estrutura, feita de vigas metálicas e piso de concreto, possui 28 metros e
capacidade de carga de 70 toneladas.
Esta é a quarta ponte entregue pela Samarco após o acidente da barragem de Fundão.
A primeira, que liga os subdistritos de Águas Claras e Monsenhor Horta, foi liberada no
dia 5 de dezembro. Já a segunda, que liga Pedras e Borba a Águas Claras e Campinas,
foi concluída no dia 11 de dezembro.
A terceira foi a ponte de Campinas, localizada entre as comunidades de Campinas e
Barreto, subdistritos de Mariana (MG).
A Samarco está trabalhando para que as demais três pontes atingidas sejam
reconstruídas até o final de janeiro de 2016. Além das sete grandes pontes, a equipe da
Samarco recuperou uma ponte que liga o distrito de Monsenhor Horta ao subdistrito de
Paracatu de Baixo, dois dias após o acidente.
Ponte que liga
os distritos de Águas
Claras e Monsenhor
Horta tem acesso
liberado
11 Janeiro 2016
26
DIÁLOGO
Documentação
A Samarco mantém contato permanente com os órgãos competentes e os governos
municipais, estaduais e federal, oferecendo todas as informações solicitadas, além de
análises e laudos produzidos periodicamente pela empresa.
Comunidade
A Samarco mantém diálogo constante com as comunidades de Mariana, Barra Longa e
Governador Valadares, em Minas Gerais, e Colatina, Linhares e Marilândia, no Espírito
Santo. Periodicamente, são realizadas reuniões com representantes de diversas
categorias, além de órgãos públicos e entidades competentes, com o objetivo de tomar
soluções conjuntas que atendam às necessidades específicas de cada comunidade.
Diálogo com
a comunidade
11 Janeiro 2016
27
DIÁLOGO
Comissão Extraordinária de Barragens
No dia 21 de dezembro, representantes da Samarco participaram de uma reunião na
Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na Comissão Extraordinária de Barragens,
esclarecendo informações sobre o acidente e mostrando a atuação humanitária e
socioambiental da empresa.
Deputados
No dia 30 de novembro, a Samarco recebeu, na unidade de Germano, deputados que integram
a Comissão Extraordinária das Barragens da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O
diretor de Operações e Infraestrutura da empresa, Kleber Terra, esteve com os parlamentares
na sala de monitoramento das barragens e também durante a ida às barragens.
Durante a visita, foi mostrado como as barragens estão sendo monitoradas em tempo
real, demonstrando a determinação da Samarco em assegurar a estabilidade de suas
estruturas. Elas são monitoradas por meio de radares e inspeções diárias, realizadas pela
equipe técnica da Samarco e de empresas especializadas contratadas. Além disso,
estão sendo utilizados drones, escaneamento a laser e a instrumentação geotécnica
existente para a avaliação técnica, sendo que, para a barragem de Germano, as leituras
são automatizadas com aquisição de dados online.
Frente Nacional de Prefeitos
No dia 23 de novembro, a Samarco participou de uma reunião de diálogo com a Frente
Nacional de Prefeitos (FNP), em Mariana. O encontro contou com a presença de 18
prefeituras de cidades de Minas Gerais: Alpercata, Belo Horizonte, Belo Oriente, Bom
Jesus do Galho, Caratinga, Córrego Novo, Ipaba, Mariana, Marliéria, Naque, Ouro Preto,
Rio Casca, Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado, São Domingos do Prata, São José
do Goiabal, São Pedro dos Ferros e Sem Peixe.
Durante a reunião, a empresa ouviu as preocupações a respeito das necessidades
emergenciais dos municípios atingidos pelo acidente com as barragens e respondeu
aos questionamentos sobre as próximas ações das frentes de trabalho.
Cohab
No dia 18 de novembro, foi instalada uma mesa de diálogo e negociação semanal entre
Samarco e Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab MG) para a solução de
problemas socioambientais decorrentes do acidente da barragem em Mariana. A ação
foi definida a partir de um decreto do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel.
11 Janeiro 2016
28
ÁGUA
421 milhões de litros de água potável e 43,5 milhões
de litros de água mineral distribuídos em municípios
do Espírito Santo e Minas Gerais*
*Números atualizados em 11/01/2016.
Consumo
Os laudos das empresas responsáveis pelo abastecimento das cidades afetadas ao
longo do Rio Doce confirmam que a água que chega à casa de toda a população é
própria para o consumo humano e segue os parâmetros estabelecidos pela Agência
Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – Portaria 2914/2011.
Governador Valadares (MG)
O abastecimento na cidade voltou a ser regularizado em 16 de novembro. Após ser
captada no Rio Doce pela Estação de Tratamento de Água (ETA), a água está recebendo
um coagulante orgânico à base de tanino, extraído da casca de acácia negra. Esse
material estimula a formação de pequenos flocos com os sólidos que estão dissolvidos
na água, acelerando sua decantação.
11 Janeiro 2016
29
ÁGUA
São estes sólidos que deixam a água do rio com aspecto turvo. O uso do coagulante
acelera a clarificação da água e permite que ela siga o processo de tratamento
convencional realizado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). A solução foi
definida por meio do trabalho conjunto entre as equipes técnicas da Samarco, SAAE,
Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e empresas fornecedoras de
produtos para tratamento de água.
Baixo Guandu (ES)
Desde o dia 16 de novembro, o abastecimento do município de Baixo Guandu tem sido
feito com água captada do Rio Guandu. Isso foi possível com a instalação de três adutoras
para a ETA do rio Guandu, uma obra do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE)
e Prefeitura de Baixo Guandu, com apoio da Samarco no fornecimento de material e
acompanhamento técnico.
Colatina (ES)
Desde 24 de novembro, o abastecimento em Colatina voltou a ser restabelecido de
forma gradativa. Laudos da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan)
atestam que a água tratada pelo Serviço Colatinense de Meio Ambiente e Saneamento
Ambiental (Sanear) é potável.
Para isso, a Samarco trabalhou em conjunto com a Prefeitura Municipal para
restabelecer a captação de água na cidade. Dentre as iniciativas, a empresa ofereceu
como alternativa a utilização de um floculante natural, extraído da casca de acácia
negra, que não agride a natureza.
A Samarco mantém a entrega de água mineral, conforme determina o Termo de
Compromisso Socioambiental (TCSA) preliminar, assinado entre a empresa, o Ministério
Público do Espírito Santo, o Ministério Público Federal e o Ministério Público do Trabalho.
Os locais de distribuição, bem como a entrega para a população, em diversos pontos
de abastecimento localizados na cidade, foram definidos pela Prefeitura, Polícia Civil e
Defesa Civil. Até o dia 12 de janeiro, a Samarco entregou mais de 43 milhões de litros
de água mineral.
11 Janeiro 2016
30
ÁGUA
Poços artesianos e adutoras
Dentro do plano de ações para que o fornecimento de água não seja interrompido, a
Samarco construiu poços artesianos e adutoras em diversos municípios.
Em Colatina (ES), a empresa construiu adutoras e perfurou seis poços artesianos perto
das ETAs, que resultaram no acréscimo de 39 litros/segundo à rede de abastecimento.
Em Governador Valadares (MG), além das três estações de tratamento que atendem o
município, a Samarco disponibilizou uma estação móvel para auxiliar no tratamento
e reabastecimento e construiu uma adutora de 2,7 km. Além disso, foi realizada uma
obra de captação alternativa no rio Suaçuí Grande, com o objetivo de prevenir a cidade
de eventuais interrupções decorrentes do acidente nas barragens.
Em Baixo Guandu (ES), a empresa disponibilizou material e conhecimento técnico ao
SAAE e à Prefeitura de Baixo Guandu (ES) na instalação de três linhas de adução para
a Estação de Tratamento de Água (ETA), no Rio Guandu.
Galiléia (MG), Resplendor (MG) e Regência (ES) também tiveram poços artesianos
perfurados pela Samarco.
11 Janeiro 2016
31
MONITORAMENTO
DA QUALIDADE DA ÁGUA
Rio Doce
A água, os rejeitos e os sedimentos localizados ao longo do Rio Doce estão sendo
monitorados, diariamente, pela Samarco. Ao longo de 637 km – que vão desde o local
do acidente, em Mariana, até o mar, em Regência – estão localizados dezenas de pontos
de monitoramento, com mais de 200 parâmetros de qualidade.
pH
Desde o início do acompanhamento, os resultados do pH apresentam-se normais,
entre os índices 6 e 9, como estabelecido pela legislação ambiental. Esses valores são
adequados para manutenção da vida aquática e demonstram que o rejeito não está
reagindo com a água nem está alterando as condições de neutralidade do rio.
Rejeitos não são tóxicos
As análises mostram que o rejeito proveniente da barragem de Fundão não é tóxico e
não apresenta risco à saúde humana.
Os metais encontrados por meio do monitoramento sempre estiveram presentes no
curso do Rio Doce. Com a passagem da pluma, eles se movimentaram e vieram à
superfície. Por isso, alguns índices estão acima do limite estabelecido pela legislação.
A tendência é que os números voltem ao normal, à medida que a pluma se acomodar.
Sedimentos do rio sem contaminantes
Estudos de ecotoxicidade apontam que a água do Rio Doce não é tóxica para o meio
ambiente. Em relação aos sedimentos, não foi identificada qualquer anormalidade,
mesmo depois da passagem da pluma. Ou seja, o material sedimentado no rio não
apresenta perigo para o meio ambiente. Esse resultado está coerente com o relatório
disponibilizado pela CPRM (Serviço Geológico do Brasil), que traz dados da região de
Minas Gerais, mais próxima das barragens. O relatório ressalta ainda que não houve
aumento da presença de metais pesados na água e nos sedimentos em relação aos
dados de 2010, também coletados pela CPRM.
11 Janeiro 2016
32
FAUNA E FLORA
Resgate de animais
Animais, de várias espécies, foram resgatados das áreas afetadas. Eles vêm recebendo
atendimento médico veterinário, alimentação adequada e estão sendo assistidos
diariamente por profissionais da Samarco, ONGs e empresas terceirizadas. Muitos
animais já foram identificados pelos donos e levados para as residências. Outros
ficarão, temporariamente, abrigados nos locais disponibilizados pela empresa, com o
acompanhamento de equipe especializada.
De forma emergencial, a empresa disponibilizou uma estrutura na zona urbana de
Mariana para abrigar os animais, um galpão em Antônio Pereira para armazenar insumos,
ração, serragens e britas e uma fazenda para alojar animais de grande porte. A Samarco
também disponibiliza toda a logística necessária para dar suporte à transferência dos
animais para receberem atendimento em clínicas especializadas, quando necessário, bem
como os veículos, com motoristas, para ajudar no resgate dos animais, equipamentos de
proteção individual, como galochas, coletes e capacetes, mão de obra para vigilância e
limpeza e material de escritório.
Outra ação que também já está sendo feita é a distribuição de insumos (milho, ração,
fubá, farelo e sal, entre outros) a mais de 3.600 animais que estão em fazendas em Bento
Rodrigues, Barra Longa, Bicas, Camargos, Gesteira, Guerra, Paracatu de Baixo, Pedras,
Ponte do Gama, Santo Antônio de Pedras, Barretos e Campinas, conforme cadastro dos
produtores feitos pela Prefeitura de Mariana, por meio da Secretaria de Agricultura.
11 Janeiro 2016
33
FAUNA E FLORA
No dia 18 de dezembro, a Samarco assinou o Termo de Compromisso Preliminar (TCP)
com o Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) para formalizar as ações voltadas
para cuidado com os animais. O documento referendou o esforço que tem sido feito em
parceria com diversas associações e voluntários. O material coletado no sobrevoo dará
origem a um vídeo que balizará possíveis novos resgates e a atenção a animais isolados.
Conforme previsto no TCP, a empresa formalizará, no prazo de 45 dias, um plano de
localização, cuidado e resgate de animais. Profissionais especializados já atuam na área
e garantem o atendimento às necessidades comportamentais e psicológicas dos bichos,
estimulando os comportamentos naturais de cada espécie.
Para os animais abrigados, a Samarco desenvolve o planejamento para as ações de longo
prazo, que prevê a busca por locais definitivos para os bichos, como a devolução aos
donos ou o encaminhamento para adoção.
Animais resgatados
e assistidos
11 Janeiro 2016
34
FAUNA E FLORA
Sonar no Rio Doce
Diagnóstico realizado pela Acqua Consultoria, entre 3 e 11 de dezembro de 2015, confirma
que continuam existindo peixes e cardumes ao longo do rio Doce. O estudo foi feito em 215
pontos do curso d’água e avaliou 20 seções de rio entre a foz do rio Doce e o reservatório
da UHE Risoleta Neves. O objetivo era avaliar a ocorrência de peixes ao longo de 670
km2, incluindo os rios afetados ou não pela pluma de turbidez decorrente do acidente em
Mariana.
Com um sonar acoplado a um barco propulsionado com um motor de popa, cada uma
das seções de rio foi percorrida de forma a cobrir um transecto em formato de Z. Todo o
percurso foi gravado simultaneamente em GPS (Global Positioning System) e em vídeo
(com imagens da coluna d’água).O método foi escolhido em função da rapidez de resposta
e por não necessitar capturar e sacrificar os peixes. Por outro lado, considerando-se
somente o objetivo primário do diagnóstico ‘detectar a presença de peixes’, os métodos
convencionais poderiam resultar em falsos negativos, ou seja, quando existem peixes,
mas esses não são capturados, e dessa forma não representariam a realidade.
Para realizar o cálculo, foi considerada toda a extensão da calha afetada (aproximadamente
670 km) com uma faixa média de largura de rio de 1 km, o que
se sabe ser superestimado, resultando, então, em área efetivamente afetada de 670 km2
(calha dos rios e áreas marginais). A área impactada pela pluma representa
aproximadamente 0,81% do total da bacia do rio Doce, estimada em 83.000 km2.
Peixes e crustáceos
Como ação preventiva, espécies de peixes e crustáceos das regiões de Baixo Guandu,
Colatina, Linhares e Aimorés foram resgatados e encaminhados para outros cursos
d’água.
A Aqua Ambiental, especialista em monitoramento do meio ambiente, e o Instituto
de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (IPRAM), empresas contratadas pela
Samarco, coletaram 2.308 espécies entre Linhares e Baixo Guandu. Em Aimorés, o trabalho
está sendo feito pela empresa Brandt Meio Ambiente, especializada em programas
e estudos na área ambiental, responsável pelo resgate de outras 244 espécies. Após a
coleta dos peixes, as empresas estão realizando trabalhos técnicos, como catalogação e
identificação de espécies nativas e exóticas.
11 Janeiro 2016
35
PLANO DE RECUPERAÇÃO
AMBIENTAL
A Samarco contratou a Golder Associates, consultoria de classe mundial com expertise
em engenharia, meio ambiente e emergências ambientais, para desenvolver um plano
de recuperação ambiental em todas as áreas impactadas ao longo do Rio Doce. A
empresa também será responsável pela supervisão e gestão das ações. A Golder já
apresentou uma proposta de trabalho, que será executada nos próximos meses.
PLANO DE RECUPERAÇÃO
SOCIOINSTITUCIONAL
Com consultoria da ERM – Environmental Resources Management, empresa internacional
com experiência em meio ambiente, saúde, serviços sociais e de segurança, a Samarco
desenvolve o planejamento para reestabelecimento das comunidades impactadas pelo
acidente. Entre as ações a serem realizadas está o reassentamento das famílias de Bento
Rodrigues e Paracatu – em local que está em estudo pela empresa – e a reconstrução
das demais comunidades.
Todas as decisões serão tomadas em conjunto com a comunidade, por meio de reuniões
coletivas e individuais. O planejamento inclui também a recuperação do desenvolvimento
econômico regional. O trabalho está dividido em quatro fases, e atualmente está sendo
elaborado o escopo de todas as frentes de atuação. As atividades seguirão critérios e
normas internacionais.
11 Janeiro 2016
36
EMPREGADOS/
CONTRATADOS
Alternativas
Até o dia 29 de novembro, os empregados da Samarco permaneceram em licença
remunerada. Entre os dias 30 de novembro e 4 de janeiro, eles se encontravam em
férias coletivas e retornaram às unidades em 11 de janeiro. Até 1º/3/2016, conforme
acordo estabelecido com o Ministério Público do Trabalho, a empresa se compromete a
não fazer dispensa em massa de seus empregados.
MAPA DE AÇÕES
A Samarco tem mobilizado todos os recursos disponíveis, humanos e financeiros para
atender às emergências e buscar soluções.
Acompanhe as informações atualizadas no nosso site – www.samarco.com.
11 Janeiro 2016
37
www.samarco.com

Similar documents

ações socioeconômicas

ações socioeconômicas FAZER O QUE DEVE SER FEITO. ESSE É O NOSSO COMPROMISSO.

More information